Compartilhe
Ir em baixo
Convidado
Convidado

Re: Diário do Henrique G

em 5/9/2016, 12:41
´´Desde ontem a noite após a academia fiquei com a libido muito alta. O que fazer se mesmo eu após eu trabalhar, estudar e exercitar se a libido só aumenta ?´´´

Talvez o problema não seja a libido alta, mas a libido que está voltando a normalizar. Você deve ter saído da flatlline e por isso está normalizando, só isso. São mudanças fisiológicas.


Deus te abençoe.
avatar
Mensagens : 558
Data de inscrição : 18/04/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 5/9/2016, 15:16
Verdade, deve ser isso. Isso deve nos fazer procurar por uma parceria para a vida. É isso que nos move a querer achar alguém, a querer casar e formar uma familia. Não podemos mais desperdiçar essa energia valiosa pra procurar pornografia.

_______________________________________

Meu Diário  study
http://www.comoparar.com/t3046-meu-diario-kal
Convidado
Convidado

Re: Diário do Henrique G

em 5/9/2016, 15:22
Kal-el escreveu:Verdade, deve ser isso. Isso deve nos fazer procurar por uma parceria para a vida. É isso que nos move a querer achar alguém, a querer casar e formar uma familia. Não podemos mais desperdiçar essa energia valiosa pra procurar pornografia.

´´É isso que nos move a querer achar alguém, a querer casar e formar uma familia.´´

Bem no alvo, Kal.
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 7/9/2016, 21:59
Agradeço a todos vocês por todos os conselhos, esse grupo é o único local que eu posso  compartilhar essas dificuldades e desabafar algumas situações.

Antes de tudo gostaria de explicar alguns detalhes que o Sr.  Wolverine arguiu:
"Você já cumpriu mais de 45 dias de reboot, ou seja, mais da metade. Diante desse fato, discordo que essa marca seja insignificante."
Como o Sr. pode notar eu fiz dois contadores, um para P e outro para MO, ( eu não estava em Hard Mode), pois como eu havia dito tenho extrema dificuldade de ficar sem M por mais de 4 dias, hoje eu alcanço 11 dias um lapso de tempo pouco expressivo se comparado aos outros rebooters que entraram decididos em parar, ou seja, me referi a abstinência de MO e não de P, na qual tenho um maior domínio para me abster.

Mudança nos gatilhos de memória:
Superada a questão acima, quando se aproximou o 5º dia sem MO fui tomado por comandos involuntários para me masturbar até alcançar O, e cada vez que eu resistia esses gatilhos se multiplicavam me deixando transtornado, mas eu fui dormir mesmo assim.

No outro dia acordei ( no sábado ) e fui para a academia e percebi uma singela melhora no rendimento dos exercícios, comecei a aumentar os pesos, etc.

No 6º dia todos os gatilhos sumiram, minha libido se estava em 100 % caiu para 15 %. Eu confesso que uso redes sociais como Facebook e WhatsApp, meu trabalho exige tais recursos de comunicação, porém instalei o K9 e está sendo uma maravilha, desde que instalei ele no PC do meu trabalho bloqueou perfeitamente todo conteúdo pornográfico que eu acessava antes.

Dificuldades / limitações
1. Sociabilização: Atualmente não sou membro fixo de nenhuma igreja evangélica ( apesar de visitar algumas ), porém tenho fortes raízes na doutrina cristã e sendo assim tenho extrema dificuldade para me "soltar" como a maioria consegue, seja indo para as baladas ou adotando comportamentos que eu julgo serem inapropriados; todas as pessoas estranham por eu ser fechado o que dificulta a receptividade delas quando tento criar uma conexão de proximidade. Fiz um investimento com alguns livros como o de Dale Carnegie "Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas" e o "Manual de Persuasão do FBI", tenho aprendido um pouco sobre o comportamento humano e tenho grande receio de não conseguir me desenvolver nessa área, apesar de ser notória minhas tentativas.

2. Relacionamento afetivo: Se eu disser que nunca ninguém se interessou por mim estarei mentindo, mas quando isso aconteceu percebi rapidamente que eram moças emocionalmente problemáticas e que eu iria ter mais problemas caso eu me relacionasse com elas. Eu nunca soube como fazer alguém se interessar por mim, li materiais da PUA,  da Real e não vejo nada de objetivo, nenhuma diretriz objetiva e lógica que eu pudesse me utilizar para que uma moça legal se interessasse. Eu consigo puxar assunto, conversar de vários assuntos, fazê-las rir, convencê-la a me passar o telefone/WhatsApp, mas aí minha conversa não ultrapassa este estágio, não sei o que conversar depois para atraí-las, não sei o que acontece comigo. Tenho que melhorar minha autoestima, odeio essa timidez.

Principal Efeito:
1. Irritabilidade: O principal efeito atualmente que percebo é que estou irritadiço, eu sou a pessoa mais educada e medrosa nesta face da terra, mas neste meio tempo, já me peguei gritando e até xingando ao telefone por motivos frívolos e isso está me preocupando já que os graus de irritabilidade só estão aumentando. Hoje inclusive, eu quando fui reclamar de um problema básico para quem me vendeu o Apto ( o qual é responsável ), eu gritei e xinguei ao telefone causando alguns transtornos, talvez até abram um processo contra mim por isso, (rs).

Apesar de me ver desequilibrado, a energia está fluindo em mim, fui até para uma aula experimental de Jiu-Jitsu ( nunca tinha nem assistido ) e senti que estava tão forte quanto as pessoas que treinavam a anos lá, mesmo não sabendo golpear ninguém, (rs). Eu gostei muito da modalidade.

Eu parei com a academia, agora queria tentar fazer algumas modalidades de luta como Muay Thai e Taekwondo.

2. Libido potente:
Depois que a libido normalizou-se ela voltou de uma forma diferente, se alguma menina conversa comigo, ou se há alguma conversa no sentido de relacionamento percebo que a saída de fluido seminal, isso seria indício de EP ? Fazia muito tempo que isso não acontecia.

No que puderem, peço encarecidamente que me orientem o melhor caminho, considerando os aspectos explanados agora que alcancei um intervalo sem MO sem precedentes para mim. Desculpem por qualquer palavra inapropriada e pela extensão do desabafo, não tem sido fácil ! Sad

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Recaída de MO.

em 12/9/2016, 10:37
Olá confrades, venho expor aqui alguns eventos que ocorreram para minha recaída em MO.

Depois do que eu disse na postagem anterior ( para quem teve a paciência de ler, rs) todos perceberam que eu estava ficando irritadiço, e depois disso várias vezes me ocorreu frenesi para a prática de MO, porém resisti, pois tinha certeza que eram os gatilhos de memória novamente pedindo uma dose extra de "dopamina".

Fui criado como filho único mas depois eu descobri que tenho uma irmã por parte de pai, 7 anos mais velha que eu, só que nunca tive a oportunidade de dialogar com ela. No sábado pude chamá-la ao meu apartamento e conversamos um pouco, mas mesmo com ela eu percebi que minha garganta estava secando e comecei a ter dificuldades em me expressar conforme o diálogo evoluía. Isso me causou extrema frustração. Qual é o meu problema ? Não consigo me sentir à vontade nem mesmo com minha irmã ?!

Mesmo depois de ter alcançado 15 dias de abstinência em MO ( algo inédito pra mim, há anos ), ontem à noite comecei a desenvolver uma angústia muito estranha. Como estratégia, antes de dormir eu fui arrumar tudo o que via na minha frente, a cozinha, o meu quarto, porém a angustia se agravou; como outra estratégia coloquei meus braços para trás na hora de dormir ( tipo um alongamento ) para sentir algum relaxamento e pegar no sono, mas pouco depois mesmo deitado com os olhos fechados, minha mente parecia ter diversas pessoas e engrenagens emitindo sons sobre minha personalidade, sobre meu fracasso em me relacionar com as pessoas, minhas incapacidades e limitações pessoais e materiais; se vou conseguir me relacionar com alguma moça futuramente, se vou conseguir deixar de ser alguém associável, se terei alguma felicidade, ou prazer de viver, ( pois confesso, raramente sinto alegria ). Fiquei chateado, pois pensei que não veria a manifestação desses sentimentos por eu estar em reboot, então eu incorri em MO ( sem P - , por isso só resetei meu contador de MO ). e dormi.

Eu já pensei em desertar do programa, mas aí eu penso que não me restaria mais nada. Esforçar-me para vencer esse comportamento compulsivo é tudo que tenho para eu ter a mínima percepção de que posso ter algum valor. Na vida, tenho que considerar tudo que tenho que fazer como uma missão a ser conquistada, por que não deposito mais minha crença nas convenções humanas, o que inclui a religião, política, justiça, em nada. Tudo está insípido, sem valor, sem sentido, sem graça.

Eu já cheguei a cogitar em radicalizar meu padrão de comportamento, jogar no lixo meu código moral e me relacionar loucamente com garotas de programa para ver se me solto, participar de todos os grupos que estão marginalizados por seu comportamento repulsivo à sociedade e outras coisas - mas aí me vem o pensamento: isso lhe libertaria e lhe traria a manifestação do esclarecimento das coisas e de mim mesmo que tanto quero ? Me traria sentido para vida, ou só me deixaria mais vazio ?

Perdoem-me pelos devaneios, se puderem aconselhar agradeço.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
avatar
Mensagens : 472
Data de inscrição : 11/03/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 12/9/2016, 11:26
Irritabilidade foi um efeito muito forte que eu senti depois dos 40 dias de reboot, algo em específico acontece nessa fase e acho que um dia será mais bem detalhado.

Foi uma fase que passou, depois dos 70 dias já estava mais calmo rsrsrs, espero que passe para o senhor também.

E respondendo as perguntas, acho que lhe deixaria mais vazio, mantenha seu código moral em pé e tenha orgulho dele.

Feliz pelos seu avanços amigo, pode continuar com seus devaneios, essas divagações nos ajudam a entender melhor o âmago de quem escreve o diário.
avatar
Mensagens : 277
Data de inscrição : 26/08/2016
Idade : 25
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 13/9/2016, 11:07
Henrique G escreveu:Olá confrades, venho expor aqui alguns eventos que ocorreram para minha recaída em MO.

Depois do que eu disse na postagem anterior ( para quem teve a paciência de ler, rs) todos perceberam que eu estava ficando irritadiço, e depois disso várias vezes me ocorreu frenesi para a prática de MO, porém resisti, pois tinha certeza que eram os gatilhos de memória novamente pedindo uma dose extra de "dopamina".

Fui criado como filho único mas depois eu descobri que tenho uma irmã por parte de pai, 7 anos mais velha que eu, só que nunca tive a oportunidade de dialogar com ela. No sábado pude chamá-la ao meu apartamento e conversamos um pouco, mas mesmo com ela eu percebi que minha garganta estava secando e comecei a ter dificuldades em me expressar conforme o diálogo evoluía. Isso me causou extrema frustração. Qual é o meu problema ? Não consigo me sentir à vontade nem mesmo com minha irmã ?!

Mesmo depois de ter alcançado 15 dias de abstinência em MO ( algo inédito pra mim, há anos ), ontem à noite comecei a desenvolver uma angústia muito estranha. Como estratégia, antes de dormir eu fui arrumar tudo o que via na minha frente, a cozinha, o meu quarto, porém a angustia se agravou; como outra estratégia coloquei meus braços para trás na hora de dormir ( tipo um alongamento ) para sentir algum relaxamento e pegar no sono, mas pouco depois mesmo deitado com os olhos fechados, minha mente parecia ter diversas pessoas e engrenagens emitindo sons sobre minha personalidade, sobre meu fracasso em me relacionar com as pessoas, minhas incapacidades e limitações pessoais e materiais; se vou conseguir me relacionar com alguma moça futuramente, se vou conseguir deixar de ser alguém associável, se terei alguma felicidade, ou prazer de viver, ( pois confesso, raramente sinto alegria ). Fiquei chateado, pois pensei que não veria a manifestação desses sentimentos por eu estar em reboot, então eu incorri em MO ( sem P - , por isso só resetei meu contador de MO ). e dormi.

Eu já pensei em desertar do programa, mas aí eu penso que não me restaria mais nada. Esforçar-me para vencer esse comportamento compulsivo é tudo que tenho para eu ter a mínima percepção de que posso ter algum valor. Na vida, tenho que considerar tudo que tenho que fazer como uma missão a ser conquistada, por que não deposito mais minha crença nas convenções humanas, o que inclui a religião, política, justiça, em nada. Tudo está insípido, sem valor, sem sentido, sem graça.

Eu já cheguei a cogitar em radicalizar meu padrão de comportamento, jogar no lixo meu código moral e me relacionar loucamente com garotas de programa para ver se me solto, participar de todos os grupos que estão marginalizados por seu comportamento repulsivo à sociedade e outras coisas - mas aí me vem o pensamento: isso lhe libertaria e lhe traria a manifestação do esclarecimento das coisas e de mim mesmo que tanto quero ? Me traria sentido para vida, ou só me deixaria mais vazio ?

Perdoem-me pelos devaneios, se puderem aconselhar agradeço.

Fala, Henrique G,

Cara, pensa na possibilidade de praticar meditação, desvinculada de qualquer religião, só com o intuito de não se apegar nesses pensamentos negativos. Existem vários relatos de pessoas aqui no fórum que relataram positivamente a prática pra tb diminuir a ansiedade.

Quanto à sociabilização, me parece que o caminho mais lógico seria vc se afiliar em uma igreja, torná-la fixa, principalmente uma que tenha várias pessoas da sua idade. Daí, é só vc começar a participar de tudo o que tiver na igreja e o que eles te chamarem. Se vc quiser seguir seus princípios, tem que encontrar pessoas que têm hábitos e comportamentos parecidos. Mas pra mim parece importante vc definir o quanto antes esses dilemas ligado a sua espiritualidade/religião, faça o que acha que tem que fazer pra formar suas ideias quanto à religião/deus/ciência/igrejas/moral certa e errada, procure em livros, converse com pessoas, reflita consigo.

Quanto à atividade extranet, acho que uma arte marcial seria muito bem vinda. Já pratiquei jiu jitsu e é uma atividade esgotante e prazerosa, vc sai dos treinos com a autoestima elevada, além do fato de vc poder sociabilizar com a galera dos treinos e talvez até das competições.

É isso cara, depois conta o que vc decidiu.

Abraço

_______________________________________


Aprendendo com os erros e acertos deste serumaninho: http://www.comoparar.com/t3797-23-diario-de-um-autoconhecedor
avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 1099
Data de inscrição : 18/02/2016
Idade : 29
Localização : RJ
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 13/9/2016, 14:33
Henrique G escreveu:Olá confrades, venho expor aqui alguns eventos que ocorreram para minha recaída em MO.

Depois do que eu disse na postagem anterior ( para quem teve a paciência de ler, rs) todos perceberam que eu estava ficando irritadiço, e depois disso várias vezes me ocorreu frenesi para a prática de MO, porém resisti, pois tinha certeza que eram os gatilhos de memória novamente pedindo uma dose extra de "dopamina".

Fui criado como filho único mas depois eu descobri que tenho uma irmã por parte de pai, 7 anos mais velha que eu, só que nunca tive a oportunidade de dialogar com ela. No sábado pude chamá-la ao meu apartamento e conversamos um pouco, mas mesmo com ela eu percebi que minha garganta estava secando e comecei a ter dificuldades em me expressar conforme o diálogo evoluía. Isso me causou extrema frustração. Qual é o meu problema ? Não consigo me sentir à vontade nem mesmo com minha irmã ?!

Mesmo depois de ter alcançado 15 dias de abstinência em MO ( algo inédito pra mim, há anos ), ontem à noite comecei a desenvolver uma angústia muito estranha. Como estratégia, antes de dormir eu fui arrumar tudo o que via na minha frente, a cozinha, o meu quarto, porém a angustia se agravou; como outra estratégia coloquei meus braços para trás na hora de dormir ( tipo um alongamento ) para sentir algum relaxamento e pegar no sono, mas pouco depois mesmo deitado com os olhos fechados, minha mente parecia ter diversas pessoas e engrenagens emitindo sons sobre minha personalidade, sobre meu fracasso em me relacionar com as pessoas, minhas incapacidades e limitações pessoais e materiais; se vou conseguir me relacionar com alguma moça futuramente, se vou conseguir deixar de ser alguém associável, se terei alguma felicidade, ou prazer de viver, ( pois confesso, raramente sinto alegria ). Fiquei chateado, pois pensei que não veria a manifestação desses sentimentos por eu estar em reboot, então eu incorri em MO ( sem P - , por isso só resetei meu contador de MO ). e dormi.

Eu já pensei em desertar do programa, mas aí eu penso que não me restaria mais nada. Esforçar-me para vencer esse comportamento compulsivo é tudo que tenho para eu ter a mínima percepção de que posso ter algum valor. Na vida, tenho que considerar tudo que tenho que fazer como uma missão a ser conquistada, por que não deposito mais minha crença nas convenções humanas, o que inclui a religião, política, justiça, em nada. Tudo está insípido, sem valor, sem sentido, sem graça.

Eu já cheguei a cogitar em radicalizar meu padrão de comportamento, jogar no lixo meu código moral e me relacionar loucamente com garotas de programa para ver se me solto, participar de todos os grupos que estão marginalizados por seu comportamento repulsivo à sociedade e outras coisas - mas aí me vem o pensamento: isso lhe libertaria e lhe traria a manifestação do esclarecimento das coisas e de mim mesmo que tanto quero ? Me traria sentido para vida, ou só me deixaria mais vazio ?

Perdoem-me pelos devaneios, se puderem aconselhar agradeço.


Me identifico com seus relatos Henrique, já passei por essas fases...

Sobe sua irmã, a pmo nos deixa com uma grande fobia social; você não teve esses impulsos por vontade própria brother... São coisas do vicio.
Eu tenho duas irmãs e já aconteceu momentos em que eu estava sobre o efeito caçador olhar para parte do corpo delas contra a minha própria vontade, isso me deixava além de puto doente de raiva. (hoje não acontece mais)

Sobre sua vontade de chutar o pau da barraca, curtir sua vida com garotas de programa e viver loucamente...
Tive essa mesma ideia em 2015 fui em um cabaré bebi bastante, fiquei com uma garota de programa e até ela me tratou como um idiota madava eu ir depressa e não deixou eu acabar (Me identifico com seus relatos Henrique, já passei por essas fases...

Sobe sua irmã, a pmo nos deixa com uma grande fobia social; você não teve esses impulsos por vontade própria... São coisas do vicio.

É recomendável se divertir, mas sem responsabilidade só vai agravar seu sentimento de vazio

Cara, deixe a MO de lado, aproveita essa boa marca que você tem sem P, e segue no had mode, que tudo isso vai passar mais rápido.

Pegue firme na socialização, exercício e extra net. E quando a vontade de MO aparecer não ceda!

_______________________________________
" Nunca estagne, sempre procure crescer, mesmo que seja aos poucos... ."



                    Meta  29/12/2018
avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 1099
Data de inscrição : 18/02/2016
Idade : 29
Localização : RJ
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 14/9/2016, 18:45
Como você está Henrique?
Espero que bem brother!

Qualquer coisa estamos por aqui.

Segue firme.

_______________________________________
" Nunca estagne, sempre procure crescer, mesmo que seja aos poucos... ."



                    Meta  29/12/2018
avatar
Mensagens : 436
Data de inscrição : 28/03/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 15/10/2016, 20:15
Olá henrique, boa noite.

Após ler por inteiro seu diário tenho algumas ponderações a fazer.
Após ler o antigo e o novo ebook, além de relatos de usuários mais antigos, gostaria de lhe falar que talvez a prática de M. realmente seja prejudicial para ti.
O fato é que talvez, apesar de vc pensar que não estar fantasiando, pode estar sim praticando M com fantasia. Realmente é muito difícil não se M. sem fantasias.
E o próprio aspecto de se excitar com as garotas na academia e chegar em casa depois e praticar M., como foi relatado por ti, pode estar sendo prejudicial para vc.
Como conselho queria te dizer para seguir o reboot sem M. e verás que os benefícios seram ainda maiores.

Outra coisa é sobre seus relacionamentos. Percebo que tens dificuldade em socialização e abordagem de mulheres. Não seria importante ainda tentar insistir na abordagem de mulheres?
Cara, existem alguns cursos e coaching's na internet que ajudam sobre como abordar mulheres (sétimo amor, entre outros...). Pode parecer
tosco de minha parte estar te mostrando isso, rs, ou vc pode achar meio sem noção, ma sacho que investir nisso, poderia ajudar
em muito vc nessa questão e melhorar ainda mais sua vida. Não estou dizendo que necessariamente vc precisa iniciar um namoro ou sair pegando geral por aí, mas isso
poderia ser benéfico para religar conexões prazerosas em seu cérebro, além de diminuir toda essa ansiedade e dificuldade que tens em socializar. O fato é que é indicado
pelo reboot socializar, deverias enfrentar isso com toda a força possível, lutar com todas as suas armas e logrará êxito, trazendo para sua vida muita coisa boa.

Poderia pensar em praticar aulas de forró, dança de salão, ou algum curso, pode até ser no horário da musculação já que tens um tempo tão esacasso para estudar para concurso público.
Outra coisa que queria te falar é que vc precisa olhar a vida com um pouco mais de tranquilidade. Sentir raiva intensa de algumas pessoas, ou se martirizar por ser tão bom com as pessoas, e só
ter atraído interesseiros, não deve mais fazer parte de sua vida. Manda isso tudo para pqp e viva o presente. Saiba que tens muito ainda a conquistar, uma vida pra viver,
sonhos pra realizar e ficar pensando nisso não te levará a lugar algum. Viva tranquilamente.

Outra coisa é, não seria bom ir à igreja com maior frequência? Eu tb sou protestante, todavia, estou meio afastado, mas pecebo que quando vou eu fico melhor,
socializo mais e pratico a fé. Isso é importante para melhorar de vida também.

Um grande abraço e desculpa pelo textão

_______________________________________



VISITEM MEU DIÁRIO
http://www.comoparar.com/t2953p325-24-diario-do-abel#78505
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

O RETORNO

em 14/11/2016, 16:25
Saudações, nobres colegas !

Creio que fiquei um pouco mais de 1 mês longe do fórum, um pouco desacreditado por conta de frustrações que se relacionam a habilidades sociais. Pensei em desertar do programa.

Andei estudando e aprofundando um pouco mais sobre o assunto de neuroplasticidade e psicologia social/comportamental e estou descobrindo várias coisas a meu respeito, que não conseguiria saber com um psicólogo/terapeuta.

Descobri que na mesma proporção que as pessoas gostam de sentirem importantes o inverso também ocorre. Ninguém gosta de ser desprezado, entre a riqueza e o sentimento de ser adorado preferimos esta última. Provavelmente é este o fator que está me sabotando para alavancar meu reboot a um nível pleno e definitivo.

Eu estou aberto para fazer amizades, mas atualmente parece que não faço parte de nenhum grupo, exceto se eu adotar a mesma postura, ideologia, os mesmos deuses, a mesma Cosmovisão, o mesmo status financeiro, a mesma escolaridade, sei lá. Só se aproximam por interesse, ou para cumprir um script politicamente correto de aproximação.

Me desiludi recentemente de uma moça que estava tentando abordar em uma igreja, todas as tentativas de aproximação articuladas por mim foram inúteis. Percebi que ou eu era muito "careta" (estilo homem da casa), ou então ela não sabe o que quer da vida e segue igual uma folha seca sem direção, sem saber o que quer. Para não me desgastar com ela, suspendi qualquer forma de diálogo, pessoas sonsas que não tratam com a mesma seriedade que eu trato alguns assuntos me tiram do sério !

Amigos antigos, (nem sei se posso considerá-los mais amigos, não há diálogo com eles, só respostas para minhas perguntas.
Investi tempo e dinheiro para me formar e comprar meu apartamento, estou sem carro e isso dificulta muito meu poder de conhecer muitos outros lugares que eu queira para fazer amizades, curtir e poder abordar mulheres que valham a pena.

Essa merda de crise financeira me atrapalhou para capitalizar e engendrar no mundo da advocacia, não consegui fechar nenhum caso esse ano, estou com meu emprego para pagar minhas contas básicas, porém estagnado e puto da vida com isso.
Muito embora as pessoas dizem que já consegui muitas coisas para pessoas da minha idade, essa estagnação me preocupa e temo em perder o que consegui, ou não evoluir.

Excluí meu contador, pois parou de funcionar, mas estou 94 dias sem assistir vídeos pornográficos e 1 dia sem M.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 1443
Data de inscrição : 31/07/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 14/11/2016, 16:55
Bem-vindo de volta nobre.

Achei as suas palavras um tanto carregadas, mas você não deixa de ter razão em algumas colocações que fez.

Mesmo estando a 94 dias sem ver pornô, me corrija se eu estiver errado, mas você não parece que colheu algum benefício, pelo menos não identifiquei isso no teu relato.

Já considerou ficar um tempo sem masturbação? Já li no teu diário alguém comentar que isso seria benéfico  e eu concordo. Para um usuário de pornografia a masturbação sempre remete de certa forma ao vício.

_______________________________________


Meu Diário
Minha História de Sucesso
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 15/11/2016, 16:36
Consegui arrumar meus contadores, eles estavam "funcionando", mas não apareciam pra mim.

Gostaria de falar um pouco sobre minha dificuldade na abstenção de MO

Dado a minha dificuldade para me enturmar e fazer amizades (e essa dificuldade se formou durante conflitos em minha família, o que me gerou insegurança, me tornando uma pessoa medrosa, tímida e com baixa autoestima, ou seja, essa porra toda foi antes do vício em PMO) eu fiz alguns investimentos para melhorar essa área.

Eu comecei a ler alguns livros que me fizeram entender a natureza da interatividade humana. Alguns deles são: Manual de Persuasão do FBI Jack Schafer; Como fazer amigos e influenciar pessoas - Dale Carnegie e A arte de ler mentes - Henrik Fexeus. São muitas dicas sofisticadas, fora da crença do senso comum e isso tem me agradado, o meu desafio é colocar tudo isso em prática e fazer dar certo.

A socialização é um fator principal em que eu gostaria de progredir; já percebi que um pouco que consigo me enturmar com algumas pessoas eu esqueço completamente de qualquer gatilho relacionado a PMO. Mas, vejo que isso deveria ser uma constante com um maior grau possível.

Minha dificuldade para socializar se agravou depois que me mudei para um local isolado, estou sem carro e todas essas limitações momentâneas são visualizadas por essas pessoas como fraqueza e logo perdem o interesse em se aproximar, no mesmo grau que se aproximariam de pessoas que convidam elas para um churrasco regado a cachaça e putas toda semana.

Só agora percebo que, por conta disso não possuo muito estímulo para produção de dopamina de forma a substituir na quantidade que eu obtinha no vício. Por isso, depois de 5 dias sem me masturbar eu fico furioso, agressivo, muito mais quando percebo que não há reciprocidade na minha tentativa de aproximação; fico intolerante, querendo meu bem estar imediatamente e desejando que todos se explodam Evil or Very Mad !! Posteriormente me arrependo. Sad

Ou seja, força de vontade não é suficiente para que eu consiga seguir no Hard Mode, tenho que reforçar outras fontes de prazer, que gerem dopamina.

Os senhores já passaram ( ou passam ) por essas limitações antes ? Como superaram isso ?

Eu agradeço por lerem os meus desabafos, não encontro outro fórum para fazer isso e que tenham pessoas capazes de me orientar como vocês, amigos !

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
avatar
Mensagens : 472
Data de inscrição : 11/03/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 16/11/2016, 12:44
Já passei por isso, dificuldades de manter a socialização, irritabilidade, dependendo do tempo de reboot vem esses efeitos, alguns usuários daqui relataram sintomas parecidos depois de 40 dias de processo.

Na época forcei a barra para sair de casa, nem que fosse para ir a um circo fundo de quintal, mas só o tempo melhorou a minha cabeça, a irritabilidade durou umas 2 semanas mas ou menos.

Superei forçando a barra, saindo a pé, com pessoas sem frescuras, para programas simples, melhor do que ficar irritado em casa.
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 16/11/2016, 14:16
Atirador Nordestino escreveu:Superei forçando a barra, saindo a pé, com pessoas sem frescuras, para programas simples, melhor do que ficar irritado em casa.

É, você tem razão Atirador. De tanto lidar com pessoas frescas eu acabo ficando com frescuras também, acho que devo procurar mais simplicidade nas coisas. Valeu !

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 17/11/2016, 08:23
Vou tentar postar aqui com mais constância relatando brevemente meu status.

Assim como eu superei a compulsão por P, quero superar MO !!

Hoje, há exatos 2 dias e 6 horas de lapso na abstinência de MO, tive uma ereção potente por um longo período enquanto estava no trajeto para meu trabalho, mesmo não vendo nada externamente que pudesse me deixar excitado; situação superável e corriqueira para mim, acho que nunca teve um dia que eu não tive uma ereção mesmo sem ver ou fantasiar com algo excitável.

É a partir do 5º ou 6º dia que manifestam os gatilhos malignos.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Mensagens : 20
Data de inscrição : 16/11/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 18/11/2016, 08:57
Henrique,

acompanhando seu diário, percebi que sua educação foi cristão/protestante. De fato, apenas as doutrinas bíblicas e a simples religiosidade da oração não farão com que vençamos este mal, até porque somos pessoas dotadas de liberdade e vontades, fomos criados assim. No entanto, como você deve saber, todos as nossas vontades foram corrompidas pelo pecado, se tornaram corruptas, não querendo se submeter às leis de Deus. O ponto que quero chegar é que, se somos cristãos, a nossa motivação maior para largar esse vício é Cristo. Não é simplesmente porque isso nos atormenta, ou porque isso nos traz malefícios nesta vida e outros problemas mais. Mas sim, porque somos redimidos em Cristo. O nosso objetivo último em tudo o que fazemos deve ser a Glória de Deus. Se não for para Glória de Deus, já iniciaremos a batalha derrotados. Para uma maior compreensão do que quero dizer, recomendo-lhe o livro "A visão transformadora - editora Cultura Cristã". Ela não ajuda diretamente no vício, mas certamente auxiliará a enxergarmos o nosso vício sob a perspectiva divina e nos concederá uma motivação que é sob todas as motivações para largarmos este mal.

E estou plenamente convicto de que aquele que iniciou boa obra em vós, há de concluí-la até o Dia de Cristo Jesus. Filipenses 1.6.

O nosso dever é lutar contra o pecado, seja ele qual for, sabendo que nessa luta, o Espírito Santo está nos aperfeiçoando para uma vida de glória futura, onde não será mais possível pecar.

Um grande abraço!! Que Deus esteja contigo nessa luta!

Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 20/11/2016, 17:16
Obrigado pela postagem, Sr. ludwig !

De fato concordo inteiramente com o que o Sr. disse acerca do assunto doutrinário teológico, mas o maior problema foi quando o problema de PMO se juntou aos meus dilemas e dúvidas filosóficas dando à luz uma terrível crise de fé e por consequência a incredulidade.

Me recuperei um pouco, mas, esses eventos me mudaram psicologicamente, não sou como antes; não sinto vontade mais de me aderir a uma igreja e me fixar lá, não vejo sentido nisso, por mais que eu esteja abarrotado de livros teológicos falando, defendendo e ameaçando caso eu não faça isso. Gostaria de voltar no tempo, mas ...

Não sou de frequentar baladas, eu tinha começado a beber, mas parei, creio que foi só uma fase de desaforo reprimida. Tenho um interesse cada vez maior agora de abordar garotas, porém a falta de um carro me limita. Eu não entendia como eu não cogitava em abordar elas na adolescência, enquanto outros colegas meus já estão já na 4ª ou 5ª parceira, já casaram/divorciaram, já pagam pensão ou já foram presos por não pagar, enfim, rs.

Até o momento não tenho gatilhos que me levem a PMO, mas sinto uma frustração por estar isolado no lugar que moro.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
avatar
Mensagens : 440
Data de inscrição : 10/05/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 21/11/2016, 07:18
Fala Henrique!!!

Vou ler seu diario com calma quando puder para acompanhar você aqui!


Pora hora, vendo a mensagem que deixou em meu diário, sugiro que tente ler o livro: Clube dos homens, o despertar do macho alfa.... Não há quase nada que não possamos aprender hoje em dia rs...

E outras duas coisas que ajudam no fator abordar garotas: autoconfiança, então cada um sabe oque traz isso e deve buscar isso ao longo da semana para poder estar bem na hora que for necessário.. e a segunda é não ter medo do Não, pode apostar que coleciono muito mais Não, do que Sim.... mas a consequência do Não, é a mesma de você ficar na sua e não chegar na gata...

Enfim, rss tente ler o livro, tem grátis o Ebook no site Lelivros.com

abraço

_______________________________________
A cada mínima decisão, um preço, o preço da vitória ou o preço do fracasso.
Arrow Meu diário!
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 21/11/2016, 11:19
Obrigado pela participação e pelos conselhos, Sr. Frodo Bolseiro !

Eu confesso que não lido muito bem com rejeição, na verdade não aceito. Já desfiz amizades/afastei de moças que começaram fazendo cu doce, mas que se mostravam simpáticas comigo ao mesmo tempo. Comigo é tudo ou nada. Não sou miguxo de ninguém. Estou cada vez menos bonzinho com essas coisas.

Confesso que algumas moças já se interessaram por mim, mas eu não soube me mostrar receptivo para elas, eu sempre fui extremamente tímido. Já perdi oportunidades valiosas com moças bonitas que se mostravam totalmente afim de mim, mas fazer o quê. Eu estava preso numa bolha e não sabia, amarrado em dogmas religiosos e num mundo paralelo da realidade. Me iro com isso, eu já poderia ter uma família sedimentada e estruturada.

Eu andei estudando e percebi que a conscientização intelectual não é suficiente para moldarmos de forma eficaz alguns de nossos hábitos, por isso temos recaídas, todos concordamos cientificamente que PMO não nos faz bem. Eis a necessidade da conjugação de nosso intelecto com a nossa emoção para que tenhamos vontade de mudar e somente isso poderá alterar nossos hábitos, nosso sucesso na abstenção de PMO.

Digo isso porque só agora que percebo uma progressão em minha decisão de parar com PMO, principalmente com M. Somente com a nossa conscientização intelectual sofremos por decidir parar com algo que na verdade NÃO QUEREMOS PARAR, somos hedonistas por natureza, queremos nosso bem estar de qualquer forma.

Espero que não seja passageira essa status que alcancei, pois com ela os gatilhos de retorno a M reduziram-se a quase 10 %.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 24/11/2016, 10:03
Gostaria de relatar um fato estudado que só agora me convenci.

Algumas pesquisas corroboram o ebook no que diz respeito a fantasiar. Estudos relacionados à neurociência revelaram que o cérebro não distingue o imaginado do real. Se nós fantasiarmos com algo erótico iremos fazer com que o cérebro se ative e operacionalize da mesma maneira se estivéssemos assistindo um vídeo pornográfico.

Isso tem me ajudado muito, estou parando de fantasiar e os gatilhos não estão aparecendo !!!!!!!

Ontem, na academia eu avistei uma moça que achei bonita, após uns 5 min eu decidi me aproximar dela e puxar assunto, mas não foi possível prolongar muito a conversa pois ela estava no meio de um exercício e os treinadores ficam "em cima" para passar instruções. Sinto que o domínio da timidez sobre mim está diminuindo.

Agora preciso me aperfeiçoar no sentido de saber abordar cada garota em uma situação específica, hahaha. Já sinto o gosto da liberdade !

Se puderem peço que me deem orientações sobre isso. Grato !

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
avatar
Moderador
Moderador
Mensagens : 1681
Data de inscrição : 02/10/2015
Idade : 37
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 24/11/2016, 11:35
Henrique G escreveu:Gostaria de relatar um fato estudado que só agora me convenci.

Algumas pesquisas corroboram o ebook no que diz respeito a fantasiar. Estudos relacionados à neurociência revelaram que o cérebro não distingue o imaginado do real. Se nós fantasiarmos com algo erótico iremos fazer com que o cérebro se ative e operacionalize da mesma maneira se estivéssemos assistindo um vídeo pornográfico.

Isso tem me ajudado muito, estou parando de fantasiar e os gatilhos não estão aparecendo !!!!!!!

Ontem, na academia eu avistei uma moça que achei bonita, após uns 5 min eu decidi me aproximar dela e puxar assunto, mas não foi possível prolongar muito a conversa pois ela estava no meio de um exercício e os treinadores ficam "em cima" para passar instruções. Sinto que o domínio da timidez sobre mim está diminuindo.

Agora preciso me aperfeiçoar no sentido de saber abordar cada garota em uma situação específica, hahaha. Já sinto o gosto da liberdade !

Se puderem peço que me deem orientações sobre isso. Grato !

Olá Henrique G

O método como parar e E-BOOK orientam que devemos nos abster de pornografia e suas variantes e as fantasias são variantes pornográficas, tudo que é artificial é variante pornográfica e se enquadra como pornografia. Sexo é real e físico, logo aquilo que denominamos de fantasia sexual quando colocado em prática deixa de ser fantasia e vira uma prática sexual porque estamos praticando fisicamente isso, porém ficar imaginando ou fantasiando já nos leva para o campo pornográfico. Logo devemos nos abster da pornografia e suas variantes.


Gostaria de lhe convidar para participar do grupo dos Guardiões do Fórum. Você aceita?

Abçs

Sucesso!!!




_______________________________________
" A PORNOGRAFIA MATA O AMOR" ...

NÃO PERMITA QUE SEU CÉREBRO PRIMITIVO LHE COMANDE E TE DEIXE EM ESTADO DE HIPOFRONTALIDADE.

..."É MELHOR SER ESCRAVO DOS BLOQUEADORES QUE SER ESCRAVO DA PORNOGRAFIA"... (PROJETO, TOGURO)

ABÇS E SUCESSO NESSA JORNADA!!!

Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 24/11/2016, 13:01
Realmente, Mário ! Era por isso que não não passava de 5 dias sem M.O, eu alimentava os gatilhos com variantes pornográficas ! haha !

Eu aceito ! E sou muito grato pela confiança e consideração dos senhores !

Fraterno abraço !

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Mensagens : 74
Data de inscrição : 17/10/2016
Ver perfil do usuário

Re: Diário do Henrique G

em 24/11/2016, 17:03
Caro Henrique, também sou ruim na paquera, porém, não tenho problemas para socializar com pessoas estranhas, porém evito qualquer tipo de pessoas que vá contra meus princípio. Sou muito seleto para escolher amizades ou puxar conversa e no decorrer do tempo se eu descobrir que a pessoa é totalmente oposta do que eu pensava, começo a me distanciar sem que ela perceba.
E na parte da paquera meu foco atual não permite perde tempo com tal coisa, e também sou muito lento pra perceber se a mulher quer ou não uma parada sérial. Até mais
Mensagens : 191
Data de inscrição : 18/07/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Record - 11 dias sem MO, novos objetivos.

em 26/11/2016, 23:06
Saudações, prezados !

Hoje completo 11 dias sem MO. Me surpreendi, confesso. Enquanto eu estava fora do fórum todos os dias recaía em MO, só não usava P por conta dos bloqueadores que instalei no PC da minha residência e da empresa na qual trabalho. Mas, nesse tempo eu percebi que eu estava cedendo sem mesmo ter vontade daquilo e percebi que estava caindo no ciclo racionalizador do vício, foi aí que me desesperei e voltei a ler o ebook e outros livros correlatos sobre hábito e psicologia social.

Quando voltei, foi como se tivesse me transformado depois dessa busca em "desmascarar o vício" para mim mesmo. Enfim, devo ter causado algum impacto neurolinguístico com esta atitude, pois os gatilhos que me levavam a me masturbar e a fantasiar desapareceram, até as ereções matinais sumiram.

Eu sinto que tenho uma libido alta, porém controlada da forma como deveria ser e gostaria de usar isso para abordar mulheres. Eu já tive fobia social, ainda tenho mal estar quando tenho que me expor em público, mas consigo contornar bem a situação e ainda ser elogiado, sem ninguém suspeitar dessas informações sigilosas, rs. Porém, tenho dificuldade para criar ou estabelecer uma conexão emocional com uma moça que eu venha a me interessar.

_______________________________________

Visite meu diário:
http://www.comoparar.com/t3534-diario-do-henrique-g
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum