Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Mensagens : 2
Data de inscrição : 24/01/2017
Ver perfil do usuário

Just one more... Empty Just one more...

em 24/1/2017, 22:01
Apenas mais um caso igual a tantos outros que aqui já vi expostos.

Não vou alongar-me muito na questão da infância e adolescência porque acaba por ser uma repetição de tantos outros casos. Tive os primeiros contactos com a pornografia por volta dos 13 anos, ainda em VHS na casa de familiares, e logo ali o vício despertou. A questão só se tornou problemática anos depois, quando a Internet ilimitada entrou em casa. Desde aí, e até aos meus presentes 25 anos, a pornografia passou a ser uma companheira de todos os dias. Não posso dizer que visse muitas vezes ao dia, mas era obrigatório que todos as noites, antes de dormir, tivesse a minha sessão. E as sessões eram sempre longas, saltando entre os vídeos à procura de algo Hardcore o suficiente para me estimular e me fazer ejacular... às vezes horas, madrugada dentro... dormia pouco, acordava cansado, passava o dia exausto e repetia o processo na noite seguinte, tudo por aquele momento de "alívio" que tanto me fazia falta.

Durante a faculdade tive uma vida social normal, excepto no campo sexual. Perdi a virgindade por lá, é certo, mas os problemas começaram logo na primeira experiência. Inicialmente o problema era o seguinte: eu excitava-me, obtinha uma erecção normal, mas passados alguns momentos perdia-a totalmente, como se a ausência de algo que me mantivesse "alerta" me fizesse perder logo o interesse. Agora percebi o que era essa "quebra" na excitação, era a ausência de um video novo para ver, quando o anterior já perdera o interesse. Mas não era um vídeo, era uma pessoa à minha frente, e estas situações são complicadas.

Claro que após 2 e 3 experiências chatas, chega o medo, o evitar repetir situações. Tentamos evitar tudo o que nos possa colocar numa nova situação de vergonha, perdi oportunidades, perdi namoradas, perdi muita coisa menos a pornografia. Essa continuava lá, todas as noites, para aliviar o stress provocado pela ausência de sexo.

Sou circuncidado. Muito se fala da perda de sensibilidade da glande nestes casos. Não sei é verdade porque fui operado muito cedo e como tal não tenho comparação possível. Mas agarrei-me a essa ideia com unhas e dentes quando percebi, entre as experiências sexuais falhadas, que mesmo que penetrasse a parceira, pouco ou nada sentia. Havia penetração, havia o movimento mas eu sentia pouco ou nada, era um movimento mecânico com pouca satisfação, ejaculação demorada, muito demorada... "desculpa, demoro sempre muito"...... pensei que fosse o problema da circuncisão, associada ao uso do preservativo mas agora entendo que nada mais era que a dessensibilização do cérebro, e do pénis associada também ao excesso de masturbação.

Também usei Viagra, claro está. Tão jovem, saudável, inteligente... não faz sentido alguém com esta idade sofrer de DE! Viagra comprado, viagra experimentado. Funcionava, de vez em quando. Se me excitasse, lá conseguia manter a ereção, mas às vezes nem isso conseguia. O pior era a questão falta da sensibilidade, se tivesse erecção, mantinha a cópula mas a sensação de quase nada era a mesma, a ejaculação tardava infinitamente...

Neste ponto quase pensei em desistir da vida sexual. Eu sabia empiricamente que a questão era psicológica, algo no meu corpo me dizia que o pénis não tinha problema algum, afinal de conta, quando havia erecção, ela era firme, sem alterações circulatórias evidentes. O problema estava na cabeça. Mas eu sempre atribuí a questão aos medos, à ansiedade, à timidez... nunca à pornografia.

Perdi grandes mulheres na minha vida, afastadas por mim, porque tinha medo do envolvimento, tinha medo da hora H, tinha medo de falhar perante elas, de sentir de novo a horrível sensação de estar excitado, de desejar o corpo da outra pessoa, de querer sexo e não o conseguir concretizar. Tempos terríveis.

Foquei-me na vida académica e profissional, sempre cheia de muitos sucesso, para colmatar outras necessidades. Mas depois vêm as perguntas..."alguém como tu, porque estás sozinho?" "para quando a namorada?" "Não podes estar sempre sozinho"... e a depressão bate, tu também queres alguém, queres uma relação, queres uma vida sexual normal mas algo se passa contigo e sabes que tens de o resolver antes de avançar na tua vida.

25 anos. Um dia decidi procurar um urologista online. Nunca tinha visto um médico antes porque, no fundo, sabia que a abordagem seria errada e gastaria muito dinheiro para descartar questões físicas que  sabia não serem o problema. Mas procurei. E sem saber como cruzei-me com a definição de DE associada a pornografia. E finalmente tudo fez sentido. A falta de líbido, a ausência de erecções espontâneas e matinais, a DE, a ejaculação tardia... tudo residia no inimigo silencioso, a pornografia.

O resto já se sabe. Li muito, encontrei este forum, li e revi-me em muitas descrições, vivi as alegrias de quem ultrapassou o problema e as angustias que tem tentou e falhou. Entrei no "jogo". Estou desde dia 10 desde mês sem pornografia nem masturbação. 14 dias, com o objectivo de nunca mais. Vou mudar a minha vida a preencher este vazio que nunca me deixou atingir a felicidade plena. E quero fazê-lo com vocês.

Daqui a uns meses mudo o título para "just one less..." Laughing
Ed_Fenix
Mensagens : 153
Data de inscrição : 15/10/2016
Idade : 27
Ver perfil do usuário

Just one more... Empty Re: Just one more...

em 25/1/2017, 08:00
Cara, saiba que vc vai encontrar apoio aqui para superar o seu vício. Não sei se vc leu o e-book, mas lá diz que é essencial usar bloqueadores no PC e celular. Tbm é bom investir em atividades extranet, como algum curso, academia, praticar algum esporte, enfim, sair de casa e estar em contato com as pessoas em alguma atividade prazerosa para suprimir o vício.

É isso cara, o primeiro passo foi dado. Lhe desejo sucesso nesta caminhada!

_______________________________________
Participe do Meu Diário:
http://www.comoparar.com/t4177-diario-do-ed
avatar
Mensagens : 2
Data de inscrição : 24/01/2017
Ver perfil do usuário

Just one more... Empty Re: Just one more...

em 25/1/2017, 12:24
Obrigado Ed_fenix. Até agora o processo tem sido mais ou menos facil, não isento de momentos mais tensos, mas ainda assim com controlo. Felizmente passo pouco tempo em casa, o que me ajuda a distrair. O pior é há noite, aí a vontade ataca forte.

Ja li o ebook (ótimo, por sinal) e estou tambrm tratando dos bloqueadores. As principais alterações aue noto agora é a minhha atenção as pessoas na rua, parecr que cada rapariga bonita me dá ansias... enfim, presumo que srja bom sinal mas dificulta a situaçao :±

Vou estar a próxima semana fora do país, acho que me vai ajudar também Smile
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum