Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Mensagens : 267
Data de inscrição : 02/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 4/12/2018, 11:06
Lain Iwakura escreveu:Fico pensando... com quantas mulheres já compartilhei minha cama e meu marido? Quantas mulheres, virtualmente, já estiveram naquela cama, dando prazer ao meu marido? Alguma amiga do trabalho, alguma conhecida, ou alguma que ele apenas viu passando na rua, alguma atriz pornô...? Como pode, depois disso tudo, ele se deitar comigo, nessa mesma cama, como se nada tivesse acontecido? Olhar para mim, conversar comigo... É muito triste. Esses pensamentos me destroem.

Sigo na torcida para que você possa superar toda dor, Lain! Muita Paz!

_______________________________________
Meu diário:
http://www.comoparar.com/t8382-diario-do-seeker


Meta principal: 90 dias

Submetas: 10 ( X )   30 ( X )  60 ( X )  90 (  )



avatar
Mensagens : 309
Data de inscrição : 16/04/2016
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 4/12/2018, 18:34
Lain Iwakura escreveu:Caramba! 18 anos de luta. Mas é assim mesmo, a luta vai durar até o fim da vida. Acho que você já é um vencedor só por não ter desistido. E acredito eu que essa luta contra a sedução foi a primeira luta  e primeira queda do homem. Basta ler o gênesis. Portanto, essa vai ser a ultima luta também.

Seu caso me lembrou o caso de um santo católico (não sei se você é católico, mas estou falando disso apenas para ilustrar a situação). O nome dele é São Mark Ji Tianxiang. Ele lutou durante 30 anos contra o vício em ópio e de tanto confessar o mesmo pecado, o padre já nem aceitava mais que ele fosse ao confessionário. Mesmo assim ele continuou lutando. Por fim, de tanto lutar, ele não conseguiu vencer o vício, mas recebeu de Deus a graça da perseverança. Ele tinha tanta força para lutar para se manter ao lado de Deus, que morreu mártir.

Como diz Rocky Balboa "Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar. O quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha."

Cada vez que você cai e levanta, se for sincero e não desanimar, você fica mais forte.

No mais, as vezes colocamos os olhos lá no final, na vitória, enquanto nos esquecemos de viver a jornada. Todo o processo de lutas, derrotas, vitórias, tudo isso é uma grande aventura e é muito triste que a maioria dos homens hoje em dia se esquivem dela. A aventura da vida é algo emocionante. Se eu visse meu marido lutando dia após dia, incansavelmente, eu o admiraria muito mais. Como já disse, não me importa que ele caia, mas ele tem que lutar como um homem. E eu explico esse meu sentimento:

Há alguns anos li um livro chamado Coração Selvagem, um livro que todo homem deveria ler. E esse livro nos faz lembrar que todo homem é e tem um profundo desejo em seu coração de ser um guerreiro.

Uma pena que o mundo moderno faça os homens se esquecerem disso, de quem eles realmente são. O mundo moderno parece que castra os homens, ao mesmo tempo que empodera as mulheres. Os homens são felizes quando lutam. As vezes penso que os homens não lutam mais porque não têm muito pelo que lutar. Padre Paulo Ricardo diz que a beleza salvaria o mundo e não é a beleza física, é a beleza do coração da mulher. Só que essa beleza está desaparecendo, dando lugar à sedução. A sedução feminina e a beleza feminina são coisas completamente contrárias. Onde há sedução, não há beleza, já que a beleza feminina aparece exatamente quando a mulher não quer se mostrar, quando ela se esquece de si, pois é nesse momento em que ela revela a sua alma. Portanto, a beleza feminina é uma coisa tão fulgaz que se esconde dela própria, é uma coisa que a mulher não possui, que o homem não pode possuir possuindo uma mulher, é uma graça mesmo que se manifesta no momento em que a mulher se esquece de si e se doa. Essa beleza é algo contemplativo, pois não se pode possuir, não se pode utilizar. Totalmente diferente da demanda sexual de hoje em dia. Isso não é belo, é apenas atraente porque é sedutor. Além de ser bestial, já que apenas sacia os desejos carnais e nos faz esquecer cada vez mais das coisas do alto. E isso corrói a alma de ambos.

Uma coisa muito interessante que notei aqui é que uma parte dos homens que decidem lutar contra o vício é porque não querem perder uma mulher que eles veem como especial. Claro, grande parte ainda luta quando está no fundo do poço, mas esses que lutam por uma mulher, isso é uma coisa muito bonita, sinal que de a mulher com quem eles estão os incentiva a serem melhores.

Sabias palavras Lain, gostei muito do seu texto.

É isso mesmo, luto todos os dias (há anos) contra isso. Uma das maiores motivações é não perder a minha esposa, e a principal motivação é não ofender o nosso Deus.

E você, como está? E seu marido, melhorou?

Abraço.

_______________________________________
"Para quem iremos? O Senhor tem as palavras da vida eterna (Jo 6.68)"




Visite meu diário:
[size=16]http://www.comoparar.com/t4630-diario-do-euvouvencer[/size]
Mensagens : 27
Data de inscrição : 15/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 6/12/2018, 11:11
Obrigada a todos que torcem por mim!

Hoje me sinto feliz.

Há quase 1 mês que não tenho relações com meu marido. Como um ser humano normal, eu senti desejos durante esse tempo e em alguns momentos pensei em insistir para termos algo. Mas aí eu pensei no "depois". Não... não é isso o que me satisfaz. Eu ficaria triste depois por tê-lo forçado a algo. Eu quero é uma verdadeira entrega, livre e espontânea. O amor é isso, é liberdade. E o sexo entre marido e mulher é a expressão desse amor. Logo, se eu o forçasse, faltaria a liberdade e faltaria o amor, então o sexo perderia todo o sentido. Por fim, eu ficaria triste.

Então eu me contive.

Pensei nesse desejo como penso numa dorzinha chata. Ela está ali, é algo puramente físico e não há nada que eu possa fazer a não ser esperar que ela passe.

E passou.

Me sinto feliz e me sinto mais amável. Me sinto calma e em paz.

Como é bom perceber que não preciso de nada além de Deus para ser feliz.

Percebi que eu estava tendo pensamentos obsessivos com relação às traições diárias do meu marido. Estou tentando não pensar nisso. É muito difícil, sei que esse pensamento obsessivo vai voltar e eu vou sofrer. Afinal, a traição é diária. Mas isso um dia vai passar...

Pelo menos, por hoje, eu estou feliz.
avatar
Mensagens : 309
Data de inscrição : 16/04/2016
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 6/12/2018, 12:37
Olá amiga,

Estou orando por você, acredito que Deus irá trazer uma solução para esse problema.

Continue perseverando e buscando a Deus, Ele tem a resposta para tudo.

A bíblia diz para entrarmos no nosso quarto, fecharmos a porta e orar em secreto (você e Deus), e Ele te recompensará (veja em Mateus 6.6).

Fiquei alegre em saber que hoje você está feliz. Os problemas sempre virão, o importante é ter paz no coração.

Grande abraço e permaneça firme.

_______________________________________
"Para quem iremos? O Senhor tem as palavras da vida eterna (Jo 6.68)"




Visite meu diário:
[size=16]http://www.comoparar.com/t4630-diario-do-euvouvencer[/size]
avatar
Mensagens : 267
Data de inscrição : 02/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 7/12/2018, 09:42
Lain Iwakura escreveu:Obrigada a todos que torcem por mim!

Hoje me sinto feliz.

Há quase 1 mês que não tenho relações com meu marido. Como um ser humano normal, eu senti desejos durante esse tempo e em alguns momentos pensei em insistir para termos algo. Mas aí eu pensei no "depois". Não... não é isso o que me satisfaz. Eu ficaria triste depois por tê-lo forçado a algo. Eu quero é uma verdadeira entrega, livre e espontânea. O amor é isso, é liberdade. E o sexo entre marido e mulher é a expressão desse amor. Logo, se eu o forçasse, faltaria a liberdade e faltaria o amor, então o sexo perderia todo o sentido. Por fim, eu ficaria triste.

Então eu me contive.

Pensei nesse desejo como penso numa dorzinha chata. Ela está ali, é algo puramente físico e não há nada que eu possa fazer a não ser esperar que ela passe.

E passou.

Me sinto feliz e me sinto mais amável. Me sinto calma e em paz.

Como é bom perceber que não preciso de nada além de Deus para ser feliz.

Percebi que eu estava tendo pensamentos obsessivos com relação às traições diárias do meu marido. Estou tentando não pensar nisso. É muito difícil, sei que esse pensamento obsessivo vai voltar e eu vou sofrer. Afinal, a traição é diária. Mas isso um dia vai passar...

Pelo menos, por hoje, eu estou feliz.

Boa notícia, Lain! Muita Paz!

_______________________________________
Meu diário:
http://www.comoparar.com/t8382-diario-do-seeker


Meta principal: 90 dias

Submetas: 10 ( X )   30 ( X )  60 ( X )  90 (  )



avatar
Mensagens : 10
Data de inscrição : 28/08/2018
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 7/12/2018, 19:16
Olá Lain, tudo bem? Espero muito que sim...

Eu acabei de ler seus relatos e quero te dizer que compartilho de todas as suas angústias e que se vc quiser uma amiga verdadeira pra conversar sobre isso, eu estou aqui. Pode me mandar uma mensagem sempre que quiser, nós podemos nos ajudar!!!

Não vou poder me prolongar muito sobre seus relatos, ha umas coisas que eu pensei em pontuar( vi umas coisas idênticas às que meu marido fazia) mas no momento eu não estou muito bem, minha cabeça ta me boicotando muito hoje e os pensamentos obssessivos estão a todo vapor...

Enfim, espero que esteja bem e que vcs fiquem bem. E qualquer coisa, pode contar comigo!

Um forte abraço!

Mensagens : 27
Data de inscrição : 15/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: Não sei como agir... estou perdida.

em 10/12/2018, 07:38
Olá April,

Agradeço muito! É claro que quero sim sua ajuda. Acho isso muito importante, nós mulheres nos unirmos para nos ajudarmos nesse momento de tanta fragilidade.

Esses pensamento obsessivos são terríveis... Seu marido ao menos admite o problema, o meu não. É terrível acordar todos os dias e pensar "mais um dia de traições, pensamentos obsessivos, dor e sofrimento".

Eu estou numa situação em que tenho de escolher entre o que acredito e o que me faz bem. A resposta parece óbvia para um cristão, mas na verdade a dor psicológica é tão grande que a tentação para abandonar o barco é frequente.

Por vezes me pego pensando na paz que eu sentiria se me separasse. Acordar todos os dias com o pensamento de que ninguém me trai e me machuca. Tomar meu café em paz com os pensamentos em Deus, que bom seria!... Mas aí reside o problema. Meu relacionamento com Deus não seria mais o mesmo. Não posso negar a Deus, não posso negar aquilo em que acredito.

TUDO hoje em dia parece atacar o casamento. Eu, como cristã e católica, ciente da importância desse sacramento, me sinto no dever de defendê-lo com o meu sangue. É por isso que abro mão do meu bem estar.

Mas ao mesmo tempo eu penso: será que estou realmente defendendo um casamento? O que eu vivo me parece uma paródia infernal, não um casamento real.

Enfim tantas dúvidas, tantos pensamentos contrários...

Isso me lembra uma frase que li por aí:

"As provações psicológicas das pessoas que viverem nos últimos tempos serão iguais às provações físicas dos mártires." - Pe. Serafim Rose


Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum