Compartilhe
Ir em baixo
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 3/11/2019, 00:18
O relato vai ser um pouco longo, desde já peço desculpas.

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Mente-viciada

A muito tempo (cerca de 2~3 anos) sofro de disfunção erétil. O que começou com uma certa dificuldade de ficar "em pé" na hora "H", passou a ser cada vez mais frequente até o ponto de não conseguir ter ereções nas minhas relações sexuais e nem com pornografia. Já cheguei a falhar cinco vezes com cinco garotas diferentes em um espaço de tempo de cerca de um ano. Desde então vim procurando o que poderia causar esse tipo de anomalia em um jovem de 23 anos, ativo (faço academia), tenho uma boa vida social e pensava ter deixado a depressão para trás. Pois é, pensava, porque quando a disfunção tornou-se uma constante em minha vida, fiquei destruído. Não conseguia estudar, não conseguia sair de casa, não conseguia interagir com outras pessoas ou conversar com mulheres que achava interessante porque a disfunção erétil me perseguia como um fantasma, seja nas minhas relações sexuais, seja em minha mente.

A mais ou menos dois anos, decidi largar todos os possíveis causadores de disfunção erétil, desde o álcool, cigarro e qualquer outro entorpecente. Nada de melhoras "lá em baixo", mas essa mudança de hábitos me permitiu excluir algumas possibilidades do que poderia estar me afetando, além de agora ter uma vida muito mais ativa e saudável.

Já tinha pensado em tudo, desde problemas físicos a mentais, no entanto, até o início desse ano não entendia como o vício em pornografia poderia afetar minha mente. Fiz um exame amplo que cobriu desde o meu colesterol até a taxa de testosterona em meu sangue... nada anormal, ou melhor, minha testosterona estava bem acima da média (batendo nos 720), no entanto o urologista não avaliou como um problema, já que eu não usava nenhum tipo de anabolizante, era minha testosterona natural. Apesar dessa informação ter me acalmado, afinal não tinha nada de errado comigo fisicamente, também me preocupou, porque sabia que se o problema não era físico só podia ser psicológico. Foi então que descobri o canal de youtube "universal man" e adentrei o mundo do "no-fap".

A partir dai descobri que muito provavelmente (digo provavelmente porque apesar dos exames físicos, nunca conversei sobre isso com um terapeuta/psicólogo por vergonha) minha disfunção erétil é causada pelo vício em pornografia. Desde então tento largar o vício em masturbação e em pornografia. No entanto, para minha surpresa, ficar sem ver pornografia foi a parte fácil, a parte difícil é realmente não me masturbar, percebi que a masturbação é como qualquer outro vício, possui gatilhos e efeitos de abstinência. Depois de mais uma recaída, entendi que precisava compartilhar essa história, encontrar outros que estejam passando pelo que eu estou passando e seguir em frente com essa jornada. Muita gente acha que vício em pornografia é coisa de quem "não transa", mas posso afirmar para vocês, nunca tive problemas com garotas depois que sai do ensino médio, no entanto, o vício em pornografia me acompanhou durante a vida adulta e destruiu relacionamentos, reacendeu minha depressão que estava controlada desde os meus 17 anos, além de acabar com minhas relações sexuais.

Hoje possuo 23 anos, dos quais 3 passei com disfunção erétil (em maior ou menor grau), Espero bater meu reboot de 3 meses e a partir dai seguir uma vida livre da masturbação e pornografia. Com o passar dos dias vou postar aqui no forum, espero que outros com esse mesmo problema possam me ajudar ao longo do caminho com suas experiências.
Der Metzgermeister
Der Metzgermeister
Mensagens : 182
Data de inscrição : 23/06/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 3/11/2019, 01:03
Bem vindo! Não tenho experiência com DE ou EP, mas vou estar aqui para te ajudar no que puder.

_______________________________________
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 4/11/2019, 00:26
Primeiro dia

Até agora foi relativamente fácil ficar longe da P&M. No entanto foi só o primeiro dia... acho que vou relatar de 3 em 3 dias para não me repetir no diário e tornar a experiência chata, para mim e para quem tiver lendo. Ah! já ia me esquecendo, me mantive o dia inteiro ocupado, só tive pensamentos negativos (quase me toquei) quando parei e relaxei por muito tempo, ficando ocioso e ansioso. Ou seja, mais um gatilho para evitar.


Última edição por atípico em 5/11/2019, 22:59, editado 1 vez(es)
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 4/11/2019, 00:28
Der Metzgermeister escreveu:Bem vindo! Não tenho experiência com DE ou EP, mas vou estar aqui para te ajudar no que puder.

Eu não tenho EP, só DE (o que para mim já é muita coisa kkkk). Obrigado pelo apoio
avatar
panod3prato
Mensagens : 136
Data de inscrição : 01/04/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 4/11/2019, 00:36
Boa sorte nessa jornada no Reboot, creio que fazendo isso você irá ter uma melhora de 99% em todos os aspectos na sua vida.
Eu tenho E.R e com alguns dias de Reboot já vi diferenças gigantescas nas relações sexuais com minha namorada.
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 4/11/2019, 05:13
panod3prato escreveu:Boa sorte nessa jornada no Reboot, creio que fazendo isso você irá ter uma melhora de 99% em todos os aspectos na sua vida.
Eu tenho E.R e com alguns dias de Reboot já vi diferenças gigantescas nas relações sexuais com minha namorada.

Meu mano, eu tentei uma vez parar de ver pornô (passei mais de um mês sem ver pornografia, só me masturbando e transando com minha namorada) quando ainda tava namorando, o que melhorou minha relação sexual 300% eu me transformei numa máquina, não falhava nunca. Minha namorada me abraçava eu já tava com o instrumento duro. Mas, depois de uma tentativa de traição da minha parte, onde eu fui para o motel com uma garota e falhei, acabei voltando para a pornografia e a masturbação (foi um tanto quanto catártico, afinal pensava que não estava melhorando) desde então parei de ver pornô de vez e continuei me masturbando de vez em quando. Mas o jeito é parar de me masturbar também, fantasiar está me fodendo, não to tendo melhoras na DE Crying or Very sad

_______________________________________


Meu diário
High-
High-
Mensagens : 106
Data de inscrição : 05/10/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 4/11/2019, 20:00
Opa, tudo bem?
Cara enfrento o mesmo problema que você, a desgraça da DE. Perdi muitas oportunidades de ficar com mulheres lindas...inclusive na primeira transa com minha atual esposa eu falhei, ela teve paciência e deu tudo certo.
Mas continuei com o maldito vício em PMO...cansei de trocar sexo com minha esposa pra ficar no computador vendo P. Cansei de masturbar com meu pênis morto.
Enfim...minha vida melhorou 200%, dois dias que estou no reboot.
Espero que dê tudo certo em sua nova empreitada estarei aqui para te acompanhar.
Um braço brother.

_______________________________________


 Acesse meu diário -> study
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 5/11/2019, 00:27
High, lamento que você também passe por esse problema... uma das piores coisas desse mundo é achar que você é um alienígena, todos os seus amigos aparentemente têm vidas sexuais saudáveis e você é obrigado a mentir, a ser quem não é, a evitar situações sexuais por medo de falhar, de negar intimidade com garotas maravilhosas por medo de decepciona-las

_______________________________________


Meu diário
End
End
Mensagens : 847
Data de inscrição : 05/06/2019
Idade : 22

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 5/11/2019, 17:36
atípico escreveu:High, lamento que você também passe por esse problema... uma das piores coisas desse mundo é achar que você é um alienígena, todos os seus amigos aparentemente têm vidas sexuais saudáveis e você é obrigado a mentir, a ser quem não é, a evitar situações sexuais por medo de falhar, de negar intimidade com garotas maravilhosas por medo de decepciona-las

Fala atípico, sua vida tem tudo pra mudar, e você voltar a ter ereções, e tudo aquilo que tinha antes do vício. Mantenha-se firme e focado, e já de ter tomado a decisão de largar o vício, você já mostra que tem tudo pra tomar controle da situação. Um abraço e busque fugir de tudo que lhe faça a cair. Sucesso.

_______________________________________

http://www.comoparar.com/t9196-nao-aguento-mais-fracassar

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele lhes providenciará um escape, para que o possam suportar.
1 Coríntios 10:13
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 5/11/2019, 23:11
quarto dia

Estou no meu quarto dia sem PMO. Até agora tudo bem, me mantive focado sem me M. O que é parte mais difícil para mim. Sabe, já faz um tempo que percebi como a PMO e especialmente a M serviram como um escape para mim, afinal, já faz mais de um ano que não bebo ou fumo (nem cigarro careta nem maconha) para “desapilar” a mente, no entanto nesse ano recorri cada vez mais a M. Para me desestressar, especialmente em situações de frustração, derrotas, etc.

Em fim, o mais difícil desses últimos quatro dias têm sido as fantasias. Como coloquei antes, a P. não é tanto um problema para mim quanto me M. e sempre que me M. penso em alguma fantasia, alguma menina que conheço, alguma ex, etc. ando lendo bastante sobre DE provocada pela P. e uma das coisas que mais vi foram caras que traziam a questão da fantasia e da M. sem P., segundo eles no nosso cérebro em recuperação a fantasia sexual ativa os caminhos antes ativados pela P., o que impede a recuperação total. Acho que faz sentido, até porque estou a meses sem ver P. (mais de 3 com certeza) e mesmo assim não me recuperei da DE.

Por fim, estou seguindo no caminho certo, nunca imaginei o quanto um lugar como esse fórum poderia me ajudar, sério! Não ser apenas eu contra mim mesmo é libertador, saber que existem outros como você, que inclusive já venceram, é inspirador. Obrigado camaradas!


_______________________________________


Meu diário
Ramon 06
Ramon 06
Mensagens : 323
Data de inscrição : 12/09/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 7/11/2019, 15:09
Há pessoas que duvidam dos malefícios da pornografia e da masturbação em nossas vidas, principalmente os mais progressistas...
Mas sabe qual é a melhor maneira de comprovar?! Fazer o reboot.

_______________________________________
Cheguei ao fórum: 12/09/2019 Like a Star @ heaven
Recorde sem M: 43 dias cheers 27/09/2019 a 09/11/2019

Meu diário
http://www.comoparar.com/t9522-diario-de-ramon-06-largando-o-vicio-pela-milessima-vez#250163
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 8/11/2019, 15:25
sexto dia e meio

Ainda não bati meu sétimo dia, mas queria desabafar umas coisas com vocês meus confederados...

1) flatline é real e muito desconcertante kkkkk desde o final do quarto dia que que estou na flatline, não to acordando com ereções e isso é... estranho para mim. Mas uma coisa que também percebi é que há uma flutuação e ao longo do dia eu fico muito excitado , inclusive tendo ereções caso me toque (me testei duas vezes utilizando o método de não pensar em fantasias ou usar P, apenas me tocar e através da sensação ver como o meu corpo reage). Há, não fiz edging, parei muito antes do O, o objetivo era saber se conseguia levantar o defunto kkkk.

2) estou tendo leves ataques de ansiedade. Esses ataques, no entanto, estão sendo amenizadora pelo meu histórico de cultura física (yoga, boxe, caratê, musculação) que me permitem controlar muito bem a respiração. No entanto, quando me distraio minha respiração volta ficar curta e rápida, o que não oxigena bem o corpo.

3) estou com uma insônia pesada, desconfio que seja um sintoma da abstinência em O, assim como a ansiedade. Como falei, utilizava o O como uma droga, como um escape. Hoje não consegui dormir no horário certo, só consegui descansar lá para as 07:00 da manhã. Ontem foi menos pior que hoje, mas ainda assim é algo que venho sentindo nos últimos dias.

4) estou apresentando sérias dificuldades na universidade por conta dos sintomas anteriores, inclusive tenho uma recomendação: se você quer largar o vício, mas não quer que isso tenha um impacto imediato muito profundo em sua vida, deixe para fazer o reboot nas férias kkkk, porque os efeitos colaterais são reais.

5) a parte boa disso tudo é que a musculação e as aulas de muaythay estão salvando a minha mente... sério! Se eu pudesse, daria um tempo em tudo da minha vida e só faria musculação e muaythai até o reboot terminar. Trabalhar o corpo lhe dá um autocontrole absurdo.

6) estou mantendo q vida estóica e isso me ajuda muito. Ser disciplinado, se obrigar a cumprir horários e regras criados por você mesmo, não viver uma vida muito confortável, tudo isso tem me ajudado.

Por hora é só pessoal. Seguindo firme sem PMO indo para o sétimo dia hoje as 00:00h.
Randy
Randy
Moderador
Moderador
Mensagens : 2234
Data de inscrição : 01/12/2015

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 9/11/2019, 23:43
veja a flatline como uma aliada nesse início, pois ela diminiu bastante a libido e, dessa forma, reduz a vontade de ver pornô

_______________________________________
"Quem quer, dá um jeito. Quem não quer, inventa desculpa". Toguro

Ninguém vai bater mais forte do que a vida. Não importa como você bate e sim o quanto aguenta apanhar e continuar lutando; o quanto pode suportar e seguir em frente. É assim que se ganha. Rocky Balboa

atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 10/11/2019, 21:11
Oitavo dia e meio

Randy escreveu:veja a flatline como uma aliada nesse início, pois ela diminiu bastante a libido e, dessa forma, reduz a vontade de ver pornô

Pois é cara, como falei antes não tenho muito problema de ficar sem ver P, meu problema é fantasiar... até agora to conseguindo me segurar, apesar de que estou sendo assolado por sonhos eróticos. Acordo com de pau duraço, mas ao longo de alguns minutos ele volta a flacidez e não consigo levanta-lo de novo.

Ao longo desse oitavo dia (quase chegando no nono) percebi o quanto utilizava o orgasmo  como uma droga para me distanciar da realidade.... seja através do sexo, seja através da M.

No entanto estou enfrentando um problema sério galera, tenho várias meninas que querem se relacionar comigo (especialmente agora que vai rolar um festival no estado vizinho, onde vou reencontrar todos os meus amigos e amigas de quando fazia faculdade lá), mas to mais mole que vara verde... alguém pode me dar uma luz? Viagra funcionaria? E mesmo que funcione, isso seria ruim para o reboot?
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 12/11/2019, 00:25
Nono dia

Tomei a decisão de não tentar me relacionar com ninguém até ter segurança na minha ereção. Não quero decepcionar a garota, muito menos eu mesmo.... Não se isso ocorre com vocês, mas antes mesmo de tirar a roupa eu já sei que não vou conseguir... ou mesmo quando conseguia transar do nada me dava um tédio absurdo... é triste de mais essa situação.

Fora isso, ocorreu uma coisa interessante hoje. Quando tava me testando (sem olhar P, ou fantasiar), acabei fantasiando com uma menina que conheço, rapidamente fiquei ereto em quanto imaginava um sexo bem "normal" com ela. Quando me dei conta de que estava fantasiando parei imediatamente. Mas, sem querer acabei atestando duas vitórias que tive no reboot:
1) parei de só conseguir me masturbar assistindo, lendo ou imaginando P pesada (principalmente cuckold)
2) aceitei que a DE não vai sumir assim tão rápido, tenho que focar num dia após o outro e me desintoxicar...
Mas está difícil... não pela falta da PMO em si, mas sim por acordar todos os dias e após uma ereção matinal (tem dias que nem isso ocorre) meu membro fica flácido pelo resto do dia... é desconcertante e desesperador... sinto como se nunca fosse recuperar a virilidade que antes tinha.... Vou dormir hoje desanimado pela DE, mas esperançoso pelos relatos lidos

_______________________________________


Meu diário
avatar
Renascente
Mensagens : 51
Data de inscrição : 18/10/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 16/11/2019, 11:55
atípico escreveu:Nono dia

Tomei a decisão de não tentar me relacionar com ninguém até ter segurança na minha ereção. Não quero decepcionar a garota, muito menos eu mesmo.... Não se isso ocorre com vocês, mas antes mesmo de tirar a roupa eu já sei que não vou conseguir... ou mesmo quando conseguia transar do nada me dava um tédio absurdo... é triste de mais essa situação.

Fora isso, ocorreu uma coisa interessante hoje. Quando tava me testando (sem olhar P, ou fantasiar), acabei fantasiando com uma menina que conheço, rapidamente fiquei ereto em quanto imaginava um sexo bem "normal" com ela. Quando me dei conta de que estava fantasiando parei imediatamente. Mas, sem querer acabei atestando duas vitórias que tive no reboot:
1) parei de só conseguir me masturbar assistindo, lendo ou imaginando P pesada (principalmente cuckold)
2) aceitei que a DE não vai sumir assim tão rápido, tenho que focar num dia após o outro e me desintoxicar...
Mas está difícil... não pela falta da PMO em si, mas sim por acordar todos os dias e após uma ereção matinal (tem dias que nem isso ocorre) meu membro fica flácido pelo resto do dia... é desconcertante e desesperador... sinto como se nunca fosse recuperar a virilidade que antes tinha.... Vou dormir hoje desanimado pela DE, mas esperançoso pelos relatos lidos

Atípico, vc está no hard, sem P nem M?
Pr.piloto
Pr.piloto
Mensagens : 229
Data de inscrição : 31/03/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 16/11/2019, 12:25
Cara eu lendo seus diario parece q vc estava contando a historia da minha vida, academia, boa aparência, e condição sexual e trauma quanto a disfunção erétil, mas então, atingi os 90 dias, mas n é a solução em si, fui me testar e voltei pra merda, mas enfim, vc só vai vencer esse medo encarando, começa a sair com as gurias sem o compromisso de sexo, que vc vai notar q as ereções vão acontecer naturalmente, não adianta colocar pressão em si mesmo pq ai q nao vai mesmo e pode passar o tempo que for.

Se tiver oportunidade, sai com gata, vai comer, em um cinema, depois leva ela, não precisa necessariamente ter sexo, vai aos poucos que da bom, experiência própria kkkk

Vey e foco nos 90 dias, que vale a pena, eu tinha perdido totalmente o interesse em pornografia, nem via mais até meu hocd tinha praticamente zerado, pois estava ficando doido, esses 90 dias foram tão bons q ate hj sinto efeitos (sou outro cara apesar da queda) mas bem menores, de quando estava me mantendo no nofap, acredite ate minha fala melhorou, raciocínio etc

Vou estar te acompanhado aqui, vamos nos ajudando 👊🏼
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 20/11/2019, 01:37
Renascente escreveu:

Atípico, vc está no hard, sem P nem M?

Passei os últimos 15 em hardmode e transei ontem com minha ex.

Pr.piloto escreveu:Cara eu lendo seus diario parece q vc estava contando a historia da minha vida, academia, boa aparência, e condição sexual e trauma quanto a disfunção erétil, mas então,  atingi os 90 dias, mas n é a solução em si, fui me testar e voltei pra merda, mas enfim,  vc só vai vencer esse medo encarando, começa a sair com as gurias sem o compromisso de sexo, que vc vai notar q as ereções vão acontecer naturalmente, não adianta colocar pressão em si mesmo pq ai q nao vai mesmo e pode passar o tempo que for.

Se tiver oportunidade, sai com gata, vai comer, em um cinema, depois leva ela, não precisa necessariamente ter sexo, vai aos poucos que da bom, experiência própria kkkk

Vey e foco nos 90 dias, que vale a pena, eu tinha perdido totalmente o interesse em pornografia, nem via mais até meu hocd tinha praticamente zerado, pois estava ficando doido, esses 90 dias foram tão bons q ate hj sinto efeitos (sou outro cara apesar da queda) mas bem menores, de quando estava me mantendo no nofap, acredite ate minha fala melhorou, raciocínio etc

Vou estar te acompanhado aqui, vamos nos ajudando 👊🏼

Cara, obrigado por estar me acompanhando, preciso falar com pessoas como você, que conseguiram superar a DE e a pornografia e ter uma vida sexual saudável.

décimo sexto dia [16º]

Olha, posso falar com convicção que nunca me senti tão bem durante o sexo quanto agora que larguei a pornografia e a masturbação, apesar da DE ainda persistir, consegui transar ontem, o que para mim é uma grande vitória. Mas, vamos por partes.

Nos últimos 5 dias decidi viajar para um estado vizinho, visitar meu pai, encontrar meus amigos(as) do tempo que fazia faculdade lá e curtir um festival de artes. Na verdade essa viagem foi uma fuga necessária de mim mesmo. Deixem-me elaborar a questão: desde que parei de me masturbar sofro com ataques cada vez mais frequentes de ansiedade e minha depressão que estava controlada desde os meus 17 anos retornou com muita força. Como falei anteriormente, a carga de dopamina que eu recebia quando me masturbava ou transava era como uma droga para me entorpecer dos meus problemas, da minha procrastinação e consequentemente das minhas responsabilidades. Nesse sentido, iniciar o reboot foi muito traumático para o meu corpo, estou passando pela famosa "crise de abstinência". Pois bem, entendendo o motivo que me levou a esse festival irei continuar minha história que será longa, afinal passei cinco dias sem escrever em meu diário, mas ao mesmo tempo será interessante para o estudo do meu caso e para outros similares.

I - A garota e o instagram

Antes de iniciar minha história propriamente dita, vocês precisam saber o que ocorreu imediatamente antes. A umas duas semanas venho conversado com uma conhecida minha que mora no planalto central, sempre a achei linda, mas nunca notei que ela me dava bola, até porque moramos em estados muito distantes um do outro, no entanto começamos a conversar diariamente até que ela me lança a ideia de me visitar, após a previsível demissão dela no final desse ano. Isso me deixou louco por dois motivos; o primeiro porque sempre gostei dela; o segundo porque temo que a praga da DE ainda esteja me afetando. Desde que comecei a falar com ela venho fantasiando nosso encontro, não só de maneira sexual, mas todo o afeto envolvido nessa interação. Venho tentando cortar essas fantasias sexuais, mas com pouco sucesso. Tenho sonhado com ela quase todas as noites, mas diferentemente de outras vezes que fantasiei em sonhos com garotas, meus pensamentos não focam apenas em sua "formosura", mas em seu sorriso, seus lábios, seus olhos, sua personalidade, em fim... em sua pessoa integralmente. Me contem o que devo fazer nessa situação

II - O festival

Cheguei na capital desse estado quinta a noite e fiquei na casa do meu pai. Apesar de estar em semana de prova, decidi parar tudo e tentar relaxar um pouco, mesmo que isso me custe o semestre, estava muito mal psicologicamente e ver pessoas que eu goste, curtir bandas que eu goste e escapar por alguns dias da minha vida normal era o que eu precisava para colocar a cabeça no lugar. Esse festival ocorre em uma cidade da região metropolitana, o que me permitiu ir e voltar todos os três dias sem muitas complicações. Mesmo assim, a maioria dos meus amigos(as) preferiram se organizar ao longo desse mês para alugar casas na região e ficar na cidade os três dias seguidos do festival. Pois bem, curti ativamente as atrações, rodei os diversos palcos e não me preocupei em "pegar a mulherada", confesso que a DE me desanimava em tentar qualquer avanço, mas a minha busca pelo controle da ansiedade e da depressão também contribuíram em um enfoque mais intimista para minha experiência nesse festival. Não transei com ninguém, nem se quer beijei ninguém nesse festival, apesar da abundância de possibilidades.  Sempre que chegava perto de uma garota e não sentia o meu membro nem mesmo latejar, já desistia de investir.

Na segunda feira, dia seguinte após o fim do festival, encontrei com um amigo que estava a um ano solteiro depois de passar por um relacionamento de 4 anos. Nossas vidas tinham muitos paralelos, especialmente na falta que sentíamos de possuir uma namorada, não só uma parceira sexual, mas uma parceira integral. Sentíamos falta de ter alguém para conversar, ir a praia, compartilhar a vida de uma maneira que não é possível com amigos ou parentes. Isso me abriu os olhos para uma outra peça do quebra cabeças da minha DE: eu consigo transar quase que sem problemas com a minha ex namorada, mesmo sofrendo de DE pesada com outras mulheres. Ou seja, quando eu sinto uma aproximação afetiva minha DE praticamente some! Pude comprovar essa tese quando no inicio da noite dessa mesma segunda-feira conversei com minha ex e passei a noite em sua casa.

III - DE, afetividade e sexo  

Passei a noite de segunda com minha ex, minha DE praticamente não existia. Consegui transar seguidas vezes com ela e só tive problemas na hora de colocar a camisinha (acabamos transando sem por conta disso). Confesso que me bateu uma certa bad quando ela me pediu para colocar a camisinha, afinal, quando éramos namorados ela usava anticoncepcional (talvez isso tenha desencadeado a DE), mas logo depois que tirei a camisinha rolou tranquilo. Transei duas vezes com um intervalo de 30min a 40min entre a primeira e a segunda transa, só não demos continuidade porque ela estava muito cansada (afinal foram 4 dias de festival e ela não tem um condicionamento físico muito bom). Além disso, ela elogiou minha performance, o que jogou minha autoestima nas alturas, até porque eu sempre gostei de sexo e sempre transei muito bem (modéstia a parte), é por esse motivo que fiquei tão mal psicologicamente quando desenvolvi DE.

Outra questão importante de se notar é que, durante essa transa eu gozei pela primeira vez com sexo oral, o que nenhuma menina (incluindo ela quando namorava comigo) conseguia fazer. Eu me masturbava tanto e via tanto P que não tinha muita sensibilidade no pênis. Tive, com certeza um dos melhores O da minha vida.

IV - Conclusão

Após a noite na casa da ex, voltei para a casa do meu pai no dia seguinte (terça-feira). Só almocei e arrumei minhas coisas chegando em minha cidade terça as 23h da noite. Esses dias me ensinaram muito, em primeiro lugar aprendi que as vezes é necessário recuar dos problemas da sua vida para reagrupar e contra atacar com mais força, não da para ficar dando murro em ponta de faca, não somos imbatíveis. Em segundo lugar pude perceber os efeitos do reboot agindo sobre mim, estou retornando a uma sexualidade normal, a uma vida normal. Em terceiro lugar, aprendi a ter paciência e não entrar em crise caso meu corpo não se sinta atraído para o sexo, não da para forçar essas coisas, é preciso ter a humildade de aceitar que vocês está no início de um caminho muito longo. Por último, começo a notar como a pornografia me desumanizou, como perdi contato com meus sentimentos e como sentir algo por alguém é gostoso, como se apaixonar é quente e idiota ao passo que se é feliz e gratificante.

Me contem suas opiniões camaradas, boa madrugada guerreiros!

_______________________________________


Meu diário
avatar
Renascente
Mensagens : 51
Data de inscrição : 18/10/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty A camisinha é um balde de água fria mesmo

em 20/11/2019, 14:38
atípico escreveu:
Renascente escreveu:

Atípico, vc está no hard, sem P nem M?

Passei os últimos 15 em hardmode e transei ontem com minha ex.

Pr.piloto escreveu:Cara eu lendo seus diario parece q vc estava contando a historia da minha vida, academia, boa aparência, e condição sexual e trauma quanto a disfunção erétil, mas então,  atingi os 90 dias, mas n é a solução em si, fui me testar e voltei pra merda, mas enfim,  vc só vai vencer esse medo encarando, começa a sair com as gurias sem o compromisso de sexo, que vc vai notar q as ereções vão acontecer naturalmente, não adianta colocar pressão em si mesmo pq ai q nao vai mesmo e pode passar o tempo que for.

Se tiver oportunidade, sai com gata, vai comer, em um cinema, depois leva ela, não precisa necessariamente ter sexo, vai aos poucos que da bom, experiência própria kkkk

Vey e foco nos 90 dias, que vale a pena, eu tinha perdido totalmente o interesse em pornografia, nem via mais até meu hocd tinha praticamente zerado, pois estava ficando doido, esses 90 dias foram tão bons q ate hj sinto efeitos (sou outro cara apesar da queda) mas bem menores, de quando estava me mantendo no nofap, acredite ate minha fala melhorou, raciocínio etc

Vou estar te acompanhado aqui, vamos nos ajudando 👊🏼

Cara, obrigado por estar me acompanhando, preciso falar com pessoas como você, que conseguiram superar a DE e a pornografia e ter uma vida sexual saudável.

décimo sexto dia [16º]

Olha, posso falar com convicção que nunca me senti tão bem durante o sexo quanto agora que larguei a pornografia e a masturbação, apesar da DE ainda persistir, consegui transar ontem, o que para mim é uma grande vitória. Mas, vamos por partes.

Nos últimos 5 dias decidi viajar para um estado vizinho, visitar meu pai, encontrar meus amigos(as) do tempo que fazia faculdade lá e curtir um festival de artes. Na verdade essa viagem foi uma fuga necessária de mim mesmo. Deixem-me elaborar a questão: desde que parei de me masturbar sofro com ataques cada vez mais frequentes de ansiedade e minha depressão que estava controlada desde os meus 17 anos retornou com muita força. Como falei anteriormente, a carga de dopamina que eu recebia quando me masturbava ou transava era como uma droga para me entorpecer dos meus problemas, da minha procrastinação e consequentemente das minhas responsabilidades. Nesse sentido, iniciar o reboot foi muito traumático para o meu corpo, estou passando pela famosa "crise de abstinência". Pois bem, entendendo o motivo que me levou a esse festival irei continuar minha história que será longa, afinal passei cinco dias sem escrever em meu diário, mas ao mesmo tempo será interessante para o estudo do meu caso e para outros similares.

I - A garota e o instagram

Antes de iniciar minha história propriamente dita, vocês precisam saber o que ocorreu imediatamente antes. A umas duas semanas venho conversado com uma conhecida minha que mora no planalto central, sempre a achei linda, mas nunca notei que ela me dava bola, até porque moramos em estados muito distantes um do outro, no entanto começamos a conversar diariamente até que ela me lança a ideia de me visitar, após a previsível demissão dela no final desse ano. Isso me deixou louco por dois motivos; o primeiro porque sempre gostei dela; o segundo porque temo que a praga da DE ainda esteja me afetando. Desde que comecei a falar com ela venho fantasiando nosso encontro, não só de maneira sexual, mas todo o afeto envolvido nessa interação. Venho tentando cortar essas fantasias sexuais, mas com pouco sucesso. Tenho sonhado com ela quase todas as noites, mas diferentemente de outras vezes que fantasiei em sonhos com garotas, meus pensamentos não focam apenas em sua "formosura", mas em seu sorriso, seus lábios, seus olhos, sua personalidade, em fim... em sua pessoa integralmente. Me contem o que devo fazer nessa situação

II - O festival

Cheguei na capital desse estado quinta a noite e fiquei na casa do meu pai. Apesar de estar em semana de prova, decidi parar tudo e tentar relaxar um pouco, mesmo que isso me custe o semestre, estava muito mal psicologicamente e ver pessoas que eu goste, curtir bandas que eu goste e escapar por alguns dias da minha vida normal era o que eu precisava para colocar a cabeça no lugar. Esse festival ocorre em uma cidade da região metropolitana, o que me permitiu ir e voltar todos os três dias sem muitas complicações. Mesmo assim, a maioria dos meus amigos(as) preferiram se organizar ao longo desse mês para alugar casas na região e ficar na cidade os três dias seguidos do festival. Pois bem, curti ativamente as atrações, rodei os diversos palcos e não me preocupei em "pegar a mulherada", confesso que a DE me desanimava em tentar qualquer avanço, mas a minha busca pelo controle da ansiedade e da depressão também contribuíram em um enfoque mais intimista para minha experiência nesse festival. Não transei com ninguém, nem se quer beijei ninguém nesse festival, apesar da abundância de possibilidades.  Sempre que chegava perto de uma garota e não sentia o meu membro nem mesmo latejar, já desistia de investir.

Na segunda feira, dia seguinte após o fim do festival, encontrei com um amigo que estava a um ano solteiro depois de passar por um relacionamento de 4 anos. Nossas vidas tinham muitos paralelos, especialmente na falta que sentíamos de possuir uma namorada, não só uma parceira sexual, mas uma parceira integral. Sentíamos falta de ter alguém para conversar, ir a praia, compartilhar a vida de uma maneira que não é possível com amigos ou parentes. Isso me abriu os olhos para uma outra peça do quebra cabeças da minha DE: eu consigo transar quase que sem problemas com a minha ex namorada, mesmo sofrendo de DE pesada com outras mulheres. Ou seja, quando eu sinto uma aproximação afetiva minha DE praticamente some! Pude comprovar essa tese quando no inicio da noite dessa mesma segunda-feira conversei com minha ex e passei a noite em sua casa.

III - DE, afetividade e sexo  

Passei a noite de segunda com minha ex, minha DE praticamente não existia. Consegui transar seguidas vezes com ela e só tive problemas na hora de colocar a camisinha (acabamos transando sem por conta disso). Confesso que me bateu uma certa bad quando ela me pediu para colocar a camisinha, afinal, quando éramos namorados ela usava anticoncepcional (talvez isso tenha desencadeado a DE), mas logo depois que tirei a camisinha rolou tranquilo. Transei duas vezes com um intervalo de 30min a 40min entre a primeira e a segunda transa, só não demos continuidade porque ela estava muito cansada (afinal foram 4 dias de festival e ela não tem um condicionamento físico muito bom). Além disso, ela elogiou minha performance, o que jogou minha autoestima nas alturas, até porque eu sempre gostei de sexo e sempre transei muito bem (modéstia a parte), é por esse motivo que fiquei tão mal psicologicamente quando desenvolvi DE.

Outra questão importante de se notar é que, durante essa transa eu gozei pela primeira vez com sexo oral, o que nenhuma menina (incluindo ela quando namorava comigo) conseguia fazer. Eu me masturbava tanto e via tanto P que não tinha muita sensibilidade no pênis. Tive, com certeza um dos melhores O da minha vida.

IV - Conclusão

Após a noite na casa da ex, voltei para a casa do meu pai no dia seguinte (terça-feira). Só almocei e arrumei minhas coisas chegando em minha cidade terça as 23h da noite. Esses dias me ensinaram muito, em primeiro lugar aprendi que as vezes é necessário recuar dos problemas da sua vida para reagrupar e contra atacar com mais força, não da para ficar dando murro em ponta de faca, não somos imbatíveis. Em segundo lugar pude perceber os efeitos do reboot agindo sobre mim, estou retornando a uma sexualidade normal, a uma vida normal. Em terceiro lugar, aprendi a ter paciência e não entrar em crise caso meu corpo não se sinta atraído para o sexo, não da para forçar essas coisas, é preciso ter a humildade de aceitar que vocês está no início de um caminho muito longo. Por último, começo a notar como a pornografia me desumanizou, como perdi contato com meus sentimentos e como sentir algo por alguém é gostoso, como se apaixonar é quente e idiota ao passo que se é feliz e gratificante.

Me contem suas opiniões camaradas, boa madrugada guerreiros!

Eu só de olhar pra camisinha já dá DE kkk
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 23/11/2019, 16:34
vigésimo primeiro dia [21º]

Hoje as 00:00h entrei no meu vigésimo primeiro dia sem PMO. até agora nenhum grande avanço em relação ao décimo sexto dia. No entanto eu tenho feito bastante edging nesses últimos 4 dias. Não tenho visto pornô, só me tocado... geralmente isso acontece quando eu to acordando, geralmente to sonhando com alguma sacanagem com a menina de Brasília (que falei no relato anterior), nesse estado sonolento entre acordado e dormindo eu costumo me tocar, quando acordo e percebo o que estou fazendo costumo parar... as vezes continuo até me convencer que isso faz mal para minha recuperação (por esse motivo classifico com edging, mesmo que eu não esteja vendo P).

Tenho conversado bastante com a menina de Brasília, ela é formada em psicologia e tem tentado me ajudar na medida do possível e do que eu permito. Ela é uma boa garota, também tem dificuldades de lidar com sentimentos e relacionamentos (desconfio que ela também veja P, os sintomas são bem parecidos com os meus inclusive), o que nos ajuda a ter um entendimento em comum. Ela ainda quer passar um tempo aqui no nordeste, para minha sorte isso só deve acontecer no ano que vem (fevereiro/março), o que me da mais tempo para a recuperação da DE.

Por fim, continuo sem ver P e sem O, estou com uma grande dúvida em minha mente sobre o trancamento ou não do meu curso, porque a DE ainda me abala profundamente e uma das meninas que eu broxei é do mesmo curso que eu e não sei ainda encara-la. Fico achando que todo mundo está falando da minha DE pelas minhas costas, tenho vergonha de ir para a sala de aula e mais ainda de encontrar as amigas dela. Penso em trancar o curso por um semestre e retornar no seguinte quando meu reboot já deve ter terminado (se eu ainda tiver essa vergonha fudida vou me matricular em um horário diferente do dela que é atualmente o meu horário também).

_______________________________________


Meu diário
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 23/11/2019, 16:37
Renascente escreveu:

Eu só de olhar pra camisinha já dá DE kkk

Pois é! Só não tive DE quando tentei usar camisinha na primeira vez que transei, depois disso nunca consegui transar com camisinha. Já devia ter percebido que havia algo de errado nessa época, mas infelizmente P não é vista ou divulgada como algo potencialmente nocivo como o cigarro ou o álcool

_______________________________________


Meu diário
avatar
Renascente
Mensagens : 51
Data de inscrição : 18/10/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 23/11/2019, 21:22
atípico escreveu:
Renascente escreveu:

Eu só de olhar pra camisinha já dá DE kkk

Pois é! Só não tive DE quando tentei usar camisinha na primeira vez que transei, depois disso nunca consegui transar com camisinha. Já devia ter percebido que havia algo de errado nessa época, mas infelizmente P não é vista ou divulgada como algo potencialmente nocivo como o cigarro ou o álcool

Pelo contrário, sempre foi e é divulgada como algo bom e saudável. Acho que é uma influência desse modelo de ensino esquerdista e "libertador", e também do forte lobby da industria pornografica. Acho que 99% dos médicos diriam pra gente continuar se masturbando e vendo pornô, pq era algo que não prejudicava. Nossa sorte foi o São Gary Wilson e esses foruns.
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 23/11/2019, 23:19
Renascente escreveu:
atípico escreveu:
Renascente escreveu:

Eu só de olhar pra camisinha já dá DE kkk

Pois é! Só não tive DE quando tentei usar camisinha na primeira vez que transei, depois disso nunca consegui transar com camisinha. Já devia ter percebido que havia algo de errado nessa época, mas infelizmente P não é vista ou divulgada como algo potencialmente nocivo como o cigarro ou o álcool

Pelo contrário, sempre foi e é divulgada como algo bom e saudável. Acho que é uma influência desse modelo de ensino esquerdista e "libertador", e também do forte lobby da industria pornografica. Acho que 99% dos médicos diriam pra gente continuar se masturbando e vendo pornô, pq era algo que não prejudicava. Nossa sorte foi o São Gary Wilson e esses foruns.

Olha, como estudioso do tema devo dizer que não tem nada de "esquerda" no modelo de ensino brasileiro, especialmente no ensino publico. O modelo é extremamente ortodoxo. No entanto, acho que o problema da desinformação existe e não é só pelo lobby, acredito que a falta de pesquisas nesse tema tão recente contribui muito para essa falsa percepção quanto a P. É como o cigarro nos anos 10 e 20 (1910~20), que era visto como bom para a saúde dos dentes e um poderoso expectorante.

_______________________________________


Meu diário
avatar
Renascente
Mensagens : 51
Data de inscrição : 18/10/2019

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 24/11/2019, 11:31
atípico escreveu:
Renascente escreveu:
atípico escreveu:
Renascente escreveu:

Eu só de olhar pra camisinha já dá DE kkk

Pois é! Só não tive DE quando tentei usar camisinha na primeira vez que transei, depois disso nunca consegui transar com camisinha. Já devia ter percebido que havia algo de errado nessa época, mas infelizmente P não é vista ou divulgada como algo potencialmente nocivo como o cigarro ou o álcool

Pelo contrário, sempre foi e é divulgada como algo bom e saudável. Acho que é uma influência desse modelo de ensino esquerdista e "libertador", e também do forte lobby da industria pornografica. Acho que 99% dos médicos diriam pra gente continuar se masturbando e vendo pornô, pq era algo que não prejudicava. Nossa sorte foi o São Gary Wilson e esses foruns.

Olha, como estudioso do tema devo dizer que não tem nada de "esquerda" no modelo de ensino brasileiro, especialmente no ensino publico. O modelo é extremamente ortodoxo. No entanto, acho que o problema da desinformação existe e não é só pelo lobby, acredito que a falta de pesquisas nesse tema tão recente contribui muito para essa falsa percepção quanto a P. É como o cigarro nos anos 10 e 20 (1910~20), que era visto como bom para a saúde dos dentes e um poderoso expectorante.

Creio que as pesquisas não existam também porque ninguém quer ser taxado de "retrógrado" ou fundamentalista religioso ao dizer que essa porcaria pode destruir vidas, já que tudo que envolva sexualidade, ainda que fantasioso e irreal como a P, é fomentado pelo senso comum como sendo algum bom e libertador. Temos também outra cultura bastante reducionista na nossa comunidade científica, que é a de fazer uma afirmação pura e simplesmente baseada na ausência de evidências científicas sobre um fato (ainda que por falta de pesquisas nesse sentido), como "se a ciência ainda não disse que é ruim, é porque é bom", um culto cego ao cientificismo próprio de um positivismo rasteiro.

Mas nós vítimas temos que nos antecipar a eles, talvez sejamos a primeira geração mortalmente ferida por essa praga, e estamos aqui aos milhares, comungando dos mesmos sintomas e encontrando material estrangeiro pra aprender mais sobre o assunto. Infelizmente, muitos retornarão ao vício após procurarem um médico ou psicologo daqui e ele dizer que masturbação é bom pra saúde e previne câncer, e que pornografia ajuda a abrir nossa mente para o sexo... Não caiam nessa, eles não sabem o que estão dizendo. Louvado seja Deus no céu e Gary Wilson na terra!
atípico
atípico
Mensagens : 48
Data de inscrição : 02/11/2019
Idade : 23

Diário de um viciado: DE, apatia e depressão Empty Re: Diário de um viciado: DE, apatia e depressão

em 24/11/2019, 16:01
KKKK calma cara! Não tem nada necessariamente nocivo com a masturbação (sobre isso existem exaustivos trabalhos científicos), inclusive o e-book trata disso. O problema é a P, especialmente nessa era de internet rápida. Mas em fim, se você percebe a masturbação como algo nocivo em si mesmo para a sua vida, que não se masturbe. Eu só não estou me masturbando porque to no reboot, mas não é algo que pretendo tirar da minha vida, apesar de querer diminuir bastante. Meu foco é tirar a P (o que eu não tenho muita dificuldade de fazer, meu problema maior são contos eróticos e minhas fantasias).

_______________________________________


Meu diário
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum