Ir para baixo
Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Diário Colorado

17/4/2020, 00:36
Boa noite, pessoal! Vou começar falando o que a maioria aqui fala: meu contato com a pornografia começou no final da infância/começo da adolescência, por volta dos 9/10 anos. Eram tempos onde a pornografia não estava tão enraizada como está hoje e também não era fácil de encontrar como hoje. Existia a internet, mas eu não tinha acesso a ela, então eu tinha esse contato apenas quando algum amigo mostrava. Comecei a ter contato realmente quando meu pai me emprestou o notebook dele, eu devia ter uns 12 anos e não sabia o que era masturbação ainda, e a primeira frase dele quando me emprestou foi: tem uns filmes ai mas não é para você assistir. Bom, falar isso pra alguém é pedir para ela ir atrás, independente do conteúdo, e nem estava bem escondido, estava na pasta Vídeos em documentos. Eu comecei a masturbação com pornografia desde essa época, mas pelo que eu me lembro eu nunca entrava em vídeos online, eu sempre olhava fotos, como playboy, revista sexy, etc. Creio que eu tenha continuado assim até os meus 17 anos, depois disso eu comecei ir atrás dos vídeos e talvez tenha sido essa época que começou o que ocasionou a minha vinda aqui.

Entrei em uma faculdade em outro estado, cerca de 500km de distância da família e isso até que nunca foi um problema. Sempre fui muito tímido, um pessoal da escola me zuava bastante com coisas bestas que até hoje nunca entendi, nunca tinha beijado alguém até os meus 18 anos, situação que mudou quando conheci uma garota na faculdade. Enquanto escrevo isso e escuto uma versão jazz da música Gypsy Woman, eu lembro exatamente do dia: 24 de janeiro de 2014, foi um dos melhores dias da minha vida, além disso nós também transamos nessa data. Vou cortar uma parte que não faz sentido contar aqui. Comecei namorar essa garota no final deste mesmo ano e ocorreu tudo bem na minha sexual por um bom tempo mesmo, até que um dia depois de cerca de 1 ano de relacionamento eu percebi que eu não conseguia mais transar com tanta frequência, sendo que eu escolhia os dias que eu iria ver pornografia e os dias que iria transar e eu tinha percebido que eu tinha que deixar 1 ou 2 dias de "descanso" para tudo funcionar no sexo, como a gente se encontrava em casa apenas nos finais de semana, isso era fácil. Eu tinha uma tabela mental: segunda, terça e quarta: pornografia liberada, quinta: descanso, sexta, sábado e domingo: transávamos pelo menos 1 vez no total nesses 3 dias. E muitas vezes eu consumia pornografia no domingo, após ela ir embora de casa. Quando ela ia em casa durante a semana, eu ficava tenso, pois eu não iria conseguir transar. Eu tinha percebido que isso não era saudável, mas não pensava em como parar facilmente, apenas seguia a vida. Outra coisa que eu tinha percebido é que eu precisava ver vários vídeos para enfim ter prazer. Tudo isso mesmo sabendo de toda a violência que existe na pornografia e era uma coisa que me deixava muito mal mesmo, que vai totalmente contra o que eu penso e defendo. Um dia, rolando o feed do Facebook eu vi um vídeo do Terry Crews falando sobre um vício em pornografia e isso mexeu comigo, pois até então eu não sabia que eu podia ser um viciado. Como eu admiro muito o Terry, tanto pelos trabalhos quanto pela pessoa que ele é, eu levei muito a sério e pensei: poxa, se esse cara passou por isso, como que eu não passaria? Bom, a partir disso eu decidi parar com pornografia e consegui ficar um bom tempo sem, cerca de quase 1 ano. Não posso afirmar que parei 100%, mas reduzi cerca de 95% no mínimo. Nunca soube dessa prática de reboot, estou conhecendo hoje apenas.

Seguindo com o meu relato: uma coisa que eu percebi era que o sexo tinha tornado-se uma obrigação, tanto que eu amava fazer pela manhã para poder ver pornografia depois com a consciência limpa. Caraca, escrevendo tudo isso aqui eu percebo o quanto isso me fez mal e fez eu ficar do jeito que estou hoje. Voltando ao assunto, eu voltei a consumir pornografia no começo de 2018, eu já estava formado, morando com a minha companheira, com um cachorro adotado, um carro (no caso um carro ano 98, mas era um carro) comprado e uma casa montada, tudo com nosso esforço. Não lembro o motivo de ter voltado com a pornografia, talvez pelo estresse de uma vida adulta, pela cobrança dos outros, pela cobrança interna, mas eu sei que nada justifica. Lembro que eu assistia um e pensava: não vou me viciar, é só uma vez e quando me dei conta eu estava tendo uma discussão novamente com a minha companheira sobre eu não querer transar com ela. Eu sempre desviava dessas discussões, mas eram inevitáveis. Transar ficou muito como uma obrigação, o prazer era apenas um detalhe insignificante. Eu lembro que tinha que ter a condição perfeita para transar: dia sem estresse, casa limpa, banho tomado, etc, sendo que antes era só olhar para minha companheira que já estávamos na cama. Aconteceu o que eu mais temia: terminamos o relacionamento de quase 4 anos, pois brigavamos muito por causa disso e uma briga levava a outra que não tinha sentido e isso desgastou muito a gente. Ela sempre tentou entender o motivo de tal desinteresse pelo sexo, ela realmente sempre foi muito compreensiva comigo e eu ficava mal várias vezes por sentir que ela pensava que o problema era ela. Como estávamos quase casados, a separação é mais longa e eu acabei indo viajar para deixar ela mais tranquila. Com isso, nos aproximamos novamente e acabamos voltando, isso foi no final de 2018.

Agora eu começo a encerrar minha história. Eu havia prometido a minha companheira que iria melhorar e entender o meu desinteresse pelo sexo. Coisa que eu não fiz, caso contrário não estaria aqui. Bom, continuei com o consumo de pornografia e comecei a questionar minha orientação sexual e tenho isso até o dia de hoje. Como era de se esperar, o meu relacionamento não continuou e acabamos terminando em agosto de 2019. Isso fez eu me afundar mais na pornografia, pois eu pensei: já estou solteiro mesmo, então que se foda tudo isso. Fui bem irresponsável e acabei sofrendo mais pra frente. No final de 2019, já na cidade onde minha mãe mora, eu conheci uma garota pelo Tinder e começamos a conversar, achei e ainda acho ela incrível e assustadoramente parecida comigo com os pensamentos e jeito de agir. Ela também estava se recuperando de um relacionamento e decidimos que não era bom a gente se envolver e eu achei legal, já que eu realmente não estava ok com tudo ainda. Acabei mudando de cidade novamente, no finalzinho de 2019, por causa de um trabalho. No carnaval deste ano, essa garota que conheci veio aqui me ver e eu não consegui transar com ela, mesmo ficando excitado enquanto nos beijamos, eu me senti tão mal com isso (a garota é incrível e eu acho ela linda) que acabei tomando um remédio para disfunção erétil e por fim consegui transar no outro dia. Com isso tudo, eu comecei a pensar que eu tinha algum problema, com testosterona ou algo no coração que faz minha circulação não funcionar direito, mas com pornografia nunca tive problema, principalmente com vídeos com trans, coisa que faz eu duvidar da minha orientação sexual. O que não seria problema algum eu descobrir/perceber que não sou apenas hetero, mas sim bisexual. Porém, eu nunca tive prazer em olhar pornografia assim e nem ao mesmo tenho interesse em me relacionar com pessoas do mesmo sexo. Felizmente, hoje, enquanto eu estava no youtube apareceu um video do TEDx Talks com o título: "Como A Pornografia Quase Me Matou Como Artista", como eu não tinha nada pra fazer eu assisti o video e descobri essa técnica de reboot. Pesquisei no google e achei esse fórum, li sobre tudo que vocês recomendam e fiz meu contador, bloquiei os sites que eu acessava, no próprio sistema operacional (nunca vi pornografia no celular, então não vi necessidade de ir atrás disso), desinstalei o Tinder e talvez eu desative o Instagram (voltei essa semana pra ele, pois eu tinha desativado já, mas como só sigo contas de amigos muito próximos, tirinhas, tatuagens e cachorros, não vejo necessidade disso), não tenho Facebook faz um tempo também. Estou determinado a fazer o reboot. Meu único medo é essa quarentena que enfrentamos, não tenho onde descarregar minhas energias, eu escalava toda semana e isso está fazendo MUITA falta, talvez eu tente em andar de patins na quadra do prédio (se permitirem).

Pessoal, desculpe o texto longo, mas escrever tudo isso fez eu tirar uma tensão enorme, é como desabafar, coisa que eu nunca fiz sobre esse assunto. Caso tenham dicas para enfrentar um reboot, 100% em casa trabalhando no computador, eu aceito e agradeço de coração.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Rottweiler
Rottweiler
Mensagens : 1158
Data de inscrição : 22/07/2019
Idade : 30

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

17/4/2020, 09:13
Blz Colorado, os moderadores vão passar as instruções básicas. Que bom que percebeu o vício em PMO. Indico começar o reboot,  a P embaralha nossos pensamentos. Com um bom tempo de reboot sua mente ira limpar e vc terá mais ciência das suas escolhas. Foca na recuperação.

Acompanhando,
Abraço.

_______________________________________
Reboot:
https://www.comoparar.com/t11634p500-diario-do-rottweiler#362301



01 02 03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 32 33 34 35 36
37 38 39 40 41 42 43 44 45
46 47 48 49 50 51 52 53 54
55 56 57 58 59 60 61 62 63
64 65 66 67 68 69 70 71 72
73 74 75 76 77 78 79 80 81
82 83 84 85 86 87 88 89 90
rb1994
rb1994
Mensagens : 26
Data de inscrição : 09/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

17/4/2020, 13:19
Colorado escreveu:Boa noite, pessoal! Vou começar falando o que a maioria aqui fala: meu contato com a pornografia começou no final da infância/começo da adolescência, por volta dos 9/10 anos. Eram tempos onde a pornografia não estava tão enraizada como está hoje e também não era fácil de encontrar como hoje. Existia a internet, mas eu não tinha acesso a ela, então eu tinha esse contato apenas quando algum amigo mostrava. Comecei a ter contato realmente quando meu pai me emprestou o notebook dele, eu devia ter uns 12 anos e não sabia o que era masturbação ainda, e a primeira frase dele quando me emprestou foi: tem uns filmes ai mas não é para você assistir. Bom, falar isso pra alguém é pedir para ela ir atrás, independente do conteúdo, e nem estava bem escondido, estava na pasta Vídeos em documentos. Eu comecei a masturbação com pornografia desde essa época, mas pelo que eu me lembro eu nunca entrava em vídeos online, eu sempre olhava fotos, como playboy, revista sexy, etc. Creio que eu tenha continuado assim até os meus 17 anos, depois disso eu comecei ir atrás dos vídeos e talvez tenha sido essa época que começou o que ocasionou a minha vinda aqui.

Entrei em uma faculdade em outro estado, cerca de 500km de distância da família e isso até que nunca foi um problema. Sempre fui muito tímido, um pessoal da escola me zuava bastante com coisas bestas que até hoje nunca entendi, nunca tinha beijado alguém até os meus 18 anos, situação que mudou quando conheci uma garota na faculdade. Enquanto escrevo isso e escuto uma versão jazz da música Gypsy Woman, eu lembro exatamente do dia: 24 de janeiro de 2014, foi um dos melhores dias da minha vida, além disso nós também transamos nessa data. Vou cortar uma parte que não faz sentido contar aqui. Comecei namorar essa garota no final deste mesmo ano e ocorreu tudo bem na minha sexual por um bom tempo mesmo, até que um dia depois de cerca de 1 ano de relacionamento eu percebi que eu não conseguia mais transar com tanta frequência, sendo que eu escolhia os dias que eu iria ver pornografia e os dias que iria transar e eu tinha percebido que eu tinha que deixar 1 ou 2 dias de "descanso" para tudo funcionar no sexo, como a gente se encontrava em casa apenas nos finais de semana, isso era fácil. Eu tinha uma tabela mental: segunda, terça e quarta: pornografia liberada, quinta: descanso, sexta, sábado e domingo: transávamos pelo menos 1 vez no total nesses 3 dias. E muitas vezes eu consumia pornografia no domingo, após ela ir embora de casa. Quando ela ia em casa durante a semana, eu ficava tenso, pois eu não iria conseguir transar. Eu tinha percebido que isso não era saudável, mas não pensava em como parar facilmente, apenas seguia a vida. Outra coisa que eu tinha percebido é que eu precisava ver vários vídeos para enfim ter prazer. Tudo isso mesmo sabendo de toda a violência que existe na pornografia e era uma coisa que me deixava muito mal mesmo, que vai totalmente contra o que eu penso e defendo. Um dia, rolando o feed do Facebook eu vi um vídeo do Terry Crews falando sobre um vício em pornografia e isso mexeu comigo, pois até então eu não sabia que eu podia ser um viciado. Como eu admiro muito o Terry, tanto pelos trabalhos quanto pela pessoa que ele é, eu levei muito a sério e pensei: poxa, se esse cara passou por isso, como que eu não passaria? Bom, a partir disso eu decidi parar com pornografia e consegui ficar um bom tempo sem, cerca de quase 1 ano. Não posso afirmar que parei 100%, mas reduzi cerca de 95% no mínimo. Nunca soube dessa prática de reboot, estou conhecendo hoje apenas.

Seguindo com o meu relato: uma coisa que eu percebi era que o sexo tinha tornado-se uma obrigação, tanto que eu amava fazer pela manhã para poder ver pornografia depois com a consciência limpa. Caraca, escrevendo tudo isso aqui eu percebo o quanto isso me fez mal e fez eu ficar do jeito que estou hoje. Voltando ao assunto, eu voltei a consumir pornografia no começo de 2018, eu já estava formado, morando com a minha companheira, com um cachorro adotado, um carro (no caso um carro ano 98, mas era um carro) comprado e uma casa montada, tudo com nosso esforço. Não lembro o motivo de ter voltado com a pornografia, talvez pelo estresse de uma vida adulta, pela cobrança dos outros, pela cobrança interna, mas eu sei que nada justifica. Lembro que eu assistia um e pensava: não vou me viciar, é só uma vez e quando me dei conta eu estava tendo uma discussão novamente com a minha companheira sobre eu não querer transar com ela. Eu sempre desviava dessas discussões, mas eram inevitáveis. Transar ficou muito como uma obrigação, o prazer era apenas um detalhe insignificante. Eu lembro que tinha que ter a condição perfeita para transar: dia sem estresse, casa limpa, banho tomado, etc, sendo que antes era só olhar para minha companheira que já estávamos na cama. Aconteceu o que eu mais temia: terminamos o relacionamento de quase 4 anos, pois brigavamos muito por causa disso e uma briga levava a outra que não tinha sentido e isso desgastou muito a gente. Ela sempre tentou entender o motivo de tal desinteresse pelo sexo, ela realmente sempre foi muito compreensiva comigo e eu ficava mal várias vezes por sentir que ela pensava que o problema era ela. Como estávamos quase casados, a separação é mais longa e eu acabei indo viajar para deixar ela mais tranquila. Com isso, nos aproximamos novamente e acabamos voltando, isso foi no final de 2018.

Agora eu começo a encerrar minha história. Eu havia prometido a minha companheira que iria melhorar e entender o meu desinteresse pelo sexo. Coisa que eu não fiz, caso contrário não estaria aqui. Bom, continuei com o consumo de pornografia e comecei a questionar minha orientação sexual e tenho isso até o dia de hoje. Como era de se esperar, o meu relacionamento não continuou e acabamos terminando em agosto de 2019. Isso fez eu me afundar mais na pornografia, pois eu pensei: já estou solteiro mesmo, então que se foda tudo isso. Fui bem irresponsável e acabei sofrendo mais pra frente. No final de 2019, já na cidade onde minha mãe mora, eu conheci uma garota pelo Tinder e começamos a conversar, achei e ainda acho ela incrível e assustadoramente parecida comigo com os pensamentos e jeito de agir. Ela também estava se recuperando de um relacionamento e decidimos que não era bom a gente se envolver e eu achei legal, já que eu realmente não estava ok com tudo ainda. Acabei mudando de cidade novamente, no finalzinho de 2019, por causa de um trabalho. No carnaval deste ano, essa garota que conheci veio aqui me ver e eu não consegui transar com ela, mesmo ficando excitado enquanto nos beijamos, eu me senti tão mal com isso (a garota é incrível e eu acho ela linda) que acabei tomando um remédio para disfunção erétil e por fim consegui transar no outro dia. Com isso tudo, eu comecei a pensar que eu tinha algum problema, com testosterona ou algo no coração que faz minha circulação não funcionar direito, mas com pornografia nunca tive problema, principalmente com vídeos com trans, coisa que faz eu duvidar da minha orientação sexual. O que não seria problema algum eu descobrir/perceber que não sou apenas hetero, mas sim bisexual. Porém, eu nunca tive prazer em olhar pornografia assim e nem ao mesmo tenho interesse em me relacionar com pessoas do mesmo sexo. Felizmente, hoje, enquanto eu estava no youtube apareceu um video do TEDx Talks com o título: "Como A Pornografia Quase Me Matou Como Artista", como eu não tinha nada pra fazer eu assisti o video e descobri essa técnica de reboot. Pesquisei no google e achei esse fórum, li sobre tudo que vocês recomendam e fiz meu contador, bloquiei os sites que eu acessava, no próprio sistema operacional (nunca vi pornografia no celular, então não vi necessidade de ir atrás disso), desinstalei o Tinder e talvez eu desative o Instagram (voltei essa semana pra ele, pois eu tinha desativado já, mas como só sigo contas de amigos muito próximos, tirinhas, tatuagens e cachorros, não vejo necessidade disso), não tenho Facebook faz um tempo também. Estou determinado a fazer o reboot. Meu único medo é essa quarentena que enfrentamos, não tenho onde descarregar minhas energias, eu escalava toda semana e isso está fazendo MUITA falta, talvez eu tente em andar de patins na quadra do prédio (se permitirem).

Pessoal, desculpe o texto longo, mas escrever tudo isso fez eu tirar uma tensão enorme, é como desabafar, coisa que eu nunca fiz sobre esse assunto. Caso tenham dicas para enfrentar um reboot, 100% em casa trabalhando no computador, eu aceito e agradeço de coração.

Boa tarde Colorado, vi que você comentou lá no meu tópico falando que tínhamos histórias semelhantes, e realmente eu vi muitos pontos de interseção no que você relatou. Eu tive também um relacionamento (com a minha ex namorada), que durou 4 anos, chegamos a morar junto uma época (na casa dela, ela era 10 anos mais velha que eu). O sexo foi se deteriorando aos poucos e quando percebi só conseguia transar com ela com uso de estimulantes sexuais, ela até descobriu isso e foi muito constrangedor. Com ela eu cheguei a mencionar a pornografia, mas não tinha maturidade pra me abrir de verdade, aí acabou de uma forma bem ruim a nossa relação. Eu me mudei pra outro estado pra fazer faculdade e ela continuou vindo me visitar por quase 1 ano, mas nesse meio tempo ela descobriu todas as minhas traições da cidade que morava antes, que não eram poucas. Foi uma falha moral muito grande que eu decidi nunca mais fazer em outros relacionamentos, a sensação de trair e infidelidade era muito parecida com a adrenalina/dopamina da PMO.
Vou te falar uma coisa meu amigo, não importa quem conheçamos ou nos relacionamos, qual seja a nossa condição financeira ou social, nosso emprego, se a gente continuar utilizando a P, nossa vida vai tender pro mesmo caminho: ansiedade, frustrações, relacionamentos destruídos, tudo o que já sabemos bem.  Também acabei "evoluindo" pra gêneros de pornografia mais pesados, como trans, e em um dia que estava bêbado acabei ficando e transando com uma mulher trans. Naquele dia eu lembro que falei "eu preciso saber se é isso mesmo que eu gosto, tem tanto tempo que eu vejo P trans, tenho que tirar essa dúvida", e apesar de estar excitado por fazer algo diferente/proibido/novo, depois percebi que a experiência em si não tinha sido nem de perto tão recompensante quanto uma sessão de PMO com vídeos trans. Desse dia em diante cheguei a conclusão que sou viciado em vídeos, pornografia, não na coisa real. Sinceramente, eu não recomendo a ninguém que chegue a esse extremo. Fazer o reboot vai te mostrar que sexo é intimidade, uma troca, com uma pessoa especial, em um momento de comunhão mútua. E tudo bem se for com outro homem, uma mulher trans, qualquer que seja, mas só tem como saber isso de verdade estando livre de PMO.
Cavaleiro Oculto
Cavaleiro Oculto
Mensagens : 663
Data de inscrição : 12/10/2015
Idade : 27
Localização : Rio de Janeiro

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

17/4/2020, 14:43
Parabéns pela iniciativa.
Esse vídeo é como um furacão, que atinge não somente a nós, mas afeta as pessoas ao redor. Infelizmente você perdeu um relacionamento por conta disto. Felizmente você encontrou este fórum. Eu to nessa luta há mais de 5 anos, não tem sido fácil, é uma luta contínua, mas persevere sempre.

Realmente, enfrentar o vício nesse periodo de quarentena vai ser difícil, mas busque aproveitar esse tempo o máximo possível fazendo tarefas de casa, lendo livros, estudando, não meça esforços para bloquear pornografia e tentações para recaídas.

Boa sorte!

_______________________________________
Acompanhe o meu diário
Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

18/4/2020, 00:47
rb1994 escreveu:
Colorado escreveu:Boa noite, pessoal! Vou começar falando o que a maioria aqui fala: meu contato com a pornografia começou no final da infância/começo da adolescência, por volta dos 9/10 anos. Eram tempos onde a pornografia não estava tão enraizada como está hoje e também não era fácil de encontrar como hoje. Existia a internet, mas eu não tinha acesso a ela, então eu tinha esse contato apenas quando algum amigo mostrava. Comecei a ter contato realmente quando meu pai me emprestou o notebook dele, eu devia ter uns 12 anos e não sabia o que era masturbação ainda, e a primeira frase dele quando me emprestou foi: tem uns filmes ai mas não é para você assistir. Bom, falar isso pra alguém é pedir para ela ir atrás, independente do conteúdo, e nem estava bem escondido, estava na pasta Vídeos em documentos. Eu comecei a masturbação com pornografia desde essa época, mas pelo que eu me lembro eu nunca entrava em vídeos online, eu sempre olhava fotos, como playboy, revista sexy, etc. Creio que eu tenha continuado assim até os meus 17 anos, depois disso eu comecei ir atrás dos vídeos e talvez tenha sido essa época que começou o que ocasionou a minha vinda aqui.

Entrei em uma faculdade em outro estado, cerca de 500km de distância da família e isso até que nunca foi um problema. Sempre fui muito tímido, um pessoal da escola me zuava bastante com coisas bestas que até hoje nunca entendi, nunca tinha beijado alguém até os meus 18 anos, situação que mudou quando conheci uma garota na faculdade. Enquanto escrevo isso e escuto uma versão jazz da música Gypsy Woman, eu lembro exatamente do dia: 24 de janeiro de 2014, foi um dos melhores dias da minha vida, além disso nós também transamos nessa data. Vou cortar uma parte que não faz sentido contar aqui. Comecei namorar essa garota no final deste mesmo ano e ocorreu tudo bem na minha sexual por um bom tempo mesmo, até que um dia depois de cerca de 1 ano de relacionamento eu percebi que eu não conseguia mais transar com tanta frequência, sendo que eu escolhia os dias que eu iria ver pornografia e os dias que iria transar e eu tinha percebido que eu tinha que deixar 1 ou 2 dias de "descanso" para tudo funcionar no sexo, como a gente se encontrava em casa apenas nos finais de semana, isso era fácil. Eu tinha uma tabela mental: segunda, terça e quarta: pornografia liberada, quinta: descanso, sexta, sábado e domingo: transávamos pelo menos 1 vez no total nesses 3 dias. E muitas vezes eu consumia pornografia no domingo, após ela ir embora de casa. Quando ela ia em casa durante a semana, eu ficava tenso, pois eu não iria conseguir transar. Eu tinha percebido que isso não era saudável, mas não pensava em como parar facilmente, apenas seguia a vida. Outra coisa que eu tinha percebido é que eu precisava ver vários vídeos para enfim ter prazer. Tudo isso mesmo sabendo de toda a violência que existe na pornografia e era uma coisa que me deixava muito mal mesmo, que vai totalmente contra o que eu penso e defendo. Um dia, rolando o feed do Facebook eu vi um vídeo do Terry Crews falando sobre um vício em pornografia e isso mexeu comigo, pois até então eu não sabia que eu podia ser um viciado. Como eu admiro muito o Terry, tanto pelos trabalhos quanto pela pessoa que ele é, eu levei muito a sério e pensei: poxa, se esse cara passou por isso, como que eu não passaria? Bom, a partir disso eu decidi parar com pornografia e consegui ficar um bom tempo sem, cerca de quase 1 ano. Não posso afirmar que parei 100%, mas reduzi cerca de 95% no mínimo. Nunca soube dessa prática de reboot, estou conhecendo hoje apenas.

Seguindo com o meu relato: uma coisa que eu percebi era que o sexo tinha tornado-se uma obrigação, tanto que eu amava fazer pela manhã para poder ver pornografia depois com a consciência limpa. Caraca, escrevendo tudo isso aqui eu percebo o quanto isso me fez mal e fez eu ficar do jeito que estou hoje. Voltando ao assunto, eu voltei a consumir pornografia no começo de 2018, eu já estava formado, morando com a minha companheira, com um cachorro adotado, um carro (no caso um carro ano 98, mas era um carro) comprado e uma casa montada, tudo com nosso esforço. Não lembro o motivo de ter voltado com a pornografia, talvez pelo estresse de uma vida adulta, pela cobrança dos outros, pela cobrança interna, mas eu sei que nada justifica. Lembro que eu assistia um e pensava: não vou me viciar, é só uma vez e quando me dei conta eu estava tendo uma discussão novamente com a minha companheira sobre eu não querer transar com ela. Eu sempre desviava dessas discussões, mas eram inevitáveis. Transar ficou muito como uma obrigação, o prazer era apenas um detalhe insignificante. Eu lembro que tinha que ter a condição perfeita para transar: dia sem estresse, casa limpa, banho tomado, etc, sendo que antes era só olhar para minha companheira que já estávamos na cama. Aconteceu o que eu mais temia: terminamos o relacionamento de quase 4 anos, pois brigavamos muito por causa disso e uma briga levava a outra que não tinha sentido e isso desgastou muito a gente. Ela sempre tentou entender o motivo de tal desinteresse pelo sexo, ela realmente sempre foi muito compreensiva comigo e eu ficava mal várias vezes por sentir que ela pensava que o problema era ela. Como estávamos quase casados, a separação é mais longa e eu acabei indo viajar para deixar ela mais tranquila. Com isso, nos aproximamos novamente e acabamos voltando, isso foi no final de 2018.

Agora eu começo a encerrar minha história. Eu havia prometido a minha companheira que iria melhorar e entender o meu desinteresse pelo sexo. Coisa que eu não fiz, caso contrário não estaria aqui. Bom, continuei com o consumo de pornografia e comecei a questionar minha orientação sexual e tenho isso até o dia de hoje. Como era de se esperar, o meu relacionamento não continuou e acabamos terminando em agosto de 2019. Isso fez eu me afundar mais na pornografia, pois eu pensei: já estou solteiro mesmo, então que se foda tudo isso. Fui bem irresponsável e acabei sofrendo mais pra frente. No final de 2019, já na cidade onde minha mãe mora, eu conheci uma garota pelo Tinder e começamos a conversar, achei e ainda acho ela incrível e assustadoramente parecida comigo com os pensamentos e jeito de agir. Ela também estava se recuperando de um relacionamento e decidimos que não era bom a gente se envolver e eu achei legal, já que eu realmente não estava ok com tudo ainda. Acabei mudando de cidade novamente, no finalzinho de 2019, por causa de um trabalho. No carnaval deste ano, essa garota que conheci veio aqui me ver e eu não consegui transar com ela, mesmo ficando excitado enquanto nos beijamos, eu me senti tão mal com isso (a garota é incrível e eu acho ela linda) que acabei tomando um remédio para disfunção erétil e por fim consegui transar no outro dia. Com isso tudo, eu comecei a pensar que eu tinha algum problema, com testosterona ou algo no coração que faz minha circulação não funcionar direito, mas com pornografia nunca tive problema, principalmente com vídeos com trans, coisa que faz eu duvidar da minha orientação sexual. O que não seria problema algum eu descobrir/perceber que não sou apenas hetero, mas sim bisexual. Porém, eu nunca tive prazer em olhar pornografia assim e nem ao mesmo tenho interesse em me relacionar com pessoas do mesmo sexo. Felizmente, hoje, enquanto eu estava no youtube apareceu um video do TEDx Talks com o título: "Como A Pornografia Quase Me Matou Como Artista", como eu não tinha nada pra fazer eu assisti o video e descobri essa técnica de reboot. Pesquisei no google e achei esse fórum, li sobre tudo que vocês recomendam e fiz meu contador, bloquiei os sites que eu acessava, no próprio sistema operacional (nunca vi pornografia no celular, então não vi necessidade de ir atrás disso), desinstalei o Tinder e talvez eu desative o Instagram (voltei essa semana pra ele, pois eu tinha desativado já, mas como só sigo contas de amigos muito próximos, tirinhas, tatuagens e cachorros, não vejo necessidade disso), não tenho Facebook faz um tempo também. Estou determinado a fazer o reboot. Meu único medo é essa quarentena que enfrentamos, não tenho onde descarregar minhas energias, eu escalava toda semana e isso está fazendo MUITA falta, talvez eu tente em andar de patins na quadra do prédio (se permitirem).

Pessoal, desculpe o texto longo, mas escrever tudo isso fez eu tirar uma tensão enorme, é como desabafar, coisa que eu nunca fiz sobre esse assunto. Caso tenham dicas para enfrentar um reboot, 100% em casa trabalhando no computador, eu aceito e agradeço de coração.

Boa tarde Colorado, vi que você comentou lá no meu tópico falando que tínhamos histórias semelhantes, e realmente eu vi muitos pontos de interseção no que você relatou. Eu tive também um relacionamento (com a minha ex namorada), que durou 4 anos, chegamos a morar junto uma época (na casa dela, ela era 10 anos mais velha que eu). O sexo foi se deteriorando aos poucos e quando percebi só conseguia transar com ela com uso de estimulantes sexuais, ela até descobriu isso e foi muito constrangedor. Com ela eu cheguei a mencionar a pornografia, mas não tinha maturidade pra me abrir de verdade, aí acabou de uma forma bem ruim a nossa relação. Eu me mudei pra outro estado pra fazer faculdade e ela continuou vindo me visitar por quase 1 ano, mas nesse meio tempo ela descobriu todas as minhas traições da cidade que morava antes, que não eram poucas. Foi uma falha moral muito grande que eu decidi nunca mais fazer em outros relacionamentos, a sensação de trair e infidelidade era muito parecida com a adrenalina/dopamina da PMO.
Vou te falar uma coisa meu amigo, não importa quem conheçamos ou nos relacionamos, qual seja a nossa condição financeira ou social, nosso emprego, se a gente continuar utilizando a P, nossa vida vai tender pro mesmo caminho: ansiedade, frustrações, relacionamentos destruídos, tudo o que já sabemos bem.  Também acabei "evoluindo" pra gêneros de pornografia mais pesados, como trans, e em um dia que estava bêbado acabei ficando e transando com uma mulher trans. Naquele dia eu lembro que falei "eu preciso saber se é isso mesmo que eu gosto, tem tanto tempo que eu vejo P trans, tenho que tirar essa dúvida", e apesar de estar excitado por fazer algo diferente/proibido/novo, depois percebi que a experiência em si não tinha sido nem de perto tão recompensante quanto uma sessão de PMO com vídeos trans. Desse dia em diante cheguei a conclusão que sou viciado em vídeos, pornografia, não na coisa real. Sinceramente, eu não recomendo a ninguém que chegue a esse extremo. Fazer o reboot vai te mostrar que sexo é intimidade, uma troca, com uma pessoa especial, em um momento de comunhão mútua. E tudo bem se for com outro homem, uma mulher trans, qualquer que seja, mas só tem como saber isso de verdade estando livre de PMO.

Valeu pelas palavras, me ajuda a ficar mais tranquilo com isso tudo.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

18/4/2020, 00:49
Cavaleiro Oculto 2.0 escreveu:Parabéns pela iniciativa.
Esse vídeo é como um furacão, que atinge não somente a nós, mas afeta as pessoas ao redor. Infelizmente você perdeu um relacionamento por conta disto. Felizmente você encontrou este fórum. Eu to nessa luta há mais de 5 anos, não tem sido fácil, é uma luta contínua, mas persevere sempre.

Realmente, enfrentar o vício nesse periodo de quarentena vai ser difícil, mas busque aproveitar esse tempo o máximo possível fazendo tarefas de casa, lendo livros, estudando, não meça esforços para bloquear pornografia e tentações para recaídas.

Boa sorte!

Valeu! Vou tentar me concentrar nas outras coisas para não ficar pensando em pornografia enquanto tenho que ficar em casa na quarentena, o bom é que eu moro com outras pessoas, então não é tão solitário.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

18/4/2020, 00:54
DIA 1:

Acordei com esse assunto de parar com a pornografia na cabeça. Fiz minha rotina normal quando acordo, ligo o computador, vejo se tem algo de errado no trabalho, vou tomar um banho, preparo um café e vou trabalhar de fato. De manhã eu costumo ficar bem lerdo, eu fico mais ligado só de tarde mesmo. Então eu acabei resolvendo coisas simples do trabalho pela manhã e na hora do almoço surgiu um problema pra resolver que eu acabei 15 minutos atrás, às 00:30. Com isso, eu não pensei em nada além de resolver o problema do trabalho, estou tão cansado que talvez eu escreva algo sem sentido por aqui.

É isso ai pessoal, estou motivado para continuar e obter os resultados que eu quero.

Valeu! Cool

_______________________________________
* Acesse meu diário *

SCANOR
SCANOR
Mensagens : 22
Data de inscrição : 14/04/2020
Idade : 30
Localização : Minas Gerais

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

18/4/2020, 01:59
Colorado escreveu:Boa noite, pessoal! Vou começar falando o que a maioria aqui fala: meu contato com a pornografia começou no final da infância/começo da adolescência, por volta dos 9/10 anos. Eram tempos onde a pornografia não estava tão enraizada como está hoje e também não era fácil de encontrar como hoje. Existia a internet, mas eu não tinha acesso a ela, então eu tinha esse contato apenas quando algum amigo mostrava. Comecei a ter contato realmente quando meu pai me emprestou o notebook dele, eu devia ter uns 12 anos e não sabia o que era masturbação ainda, e a primeira frase dele quando me emprestou foi: tem uns filmes ai mas não é para você assistir. Bom, falar isso pra alguém é pedir para ela ir atrás, independente do conteúdo, e nem estava bem escondido, estava na pasta Vídeos em documentos. Eu comecei a masturbação com pornografia desde essa época, mas pelo que eu me lembro eu nunca entrava em vídeos online, eu sempre olhava fotos, como playboy, revista sexy, etc. Creio que eu tenha continuado assim até os meus 17 anos, depois disso eu comecei ir atrás dos vídeos e talvez tenha sido essa época que começou o que ocasionou a minha vinda aqui.

Entrei em uma faculdade em outro estado, cerca de 500km de distância da família e isso até que nunca foi um problema. Sempre fui muito tímido, um pessoal da escola me zuava bastante com coisas bestas que até hoje nunca entendi, nunca tinha beijado alguém até os meus 18 anos, situação que mudou quando conheci uma garota na faculdade. Enquanto escrevo isso e escuto uma versão jazz da música Gypsy Woman, eu lembro exatamente do dia: 24 de janeiro de 2014, foi um dos melhores dias da minha vida, além disso nós também transamos nessa data. Vou cortar uma parte que não faz sentido contar aqui. Comecei namorar essa garota no final deste mesmo ano e ocorreu tudo bem na minha sexual por um bom tempo mesmo, até que um dia depois de cerca de 1 ano de relacionamento eu percebi que eu não conseguia mais transar com tanta frequência, sendo que eu escolhia os dias que eu iria ver pornografia e os dias que iria transar e eu tinha percebido que eu tinha que deixar 1 ou 2 dias de "descanso" para tudo funcionar no sexo, como a gente se encontrava em casa apenas nos finais de semana, isso era fácil. Eu tinha uma tabela mental: segunda, terça e quarta: pornografia liberada, quinta: descanso, sexta, sábado e domingo: transávamos pelo menos 1 vez no total nesses 3 dias. E muitas vezes eu consumia pornografia no domingo, após ela ir embora de casa. Quando ela ia em casa durante a semana, eu ficava tenso, pois eu não iria conseguir transar. Eu tinha percebido que isso não era saudável, mas não pensava em como parar facilmente, apenas seguia a vida. Outra coisa que eu tinha percebido é que eu precisava ver vários vídeos para enfim ter prazer. Tudo isso mesmo sabendo de toda a violência que existe na pornografia e era uma coisa que me deixava muito mal mesmo, que vai totalmente contra o que eu penso e defendo. Um dia, rolando o feed do Facebook eu vi um vídeo do Terry Crews falando sobre um vício em pornografia e isso mexeu comigo, pois até então eu não sabia que eu podia ser um viciado. Como eu admiro muito o Terry, tanto pelos trabalhos quanto pela pessoa que ele é, eu levei muito a sério e pensei: poxa, se esse cara passou por isso, como que eu não passaria? Bom, a partir disso eu decidi parar com pornografia e consegui ficar um bom tempo sem, cerca de quase 1 ano. Não posso afirmar que parei 100%, mas reduzi cerca de 95% no mínimo. Nunca soube dessa prática de reboot, estou conhecendo hoje apenas.

Seguindo com o meu relato: uma coisa que eu percebi era que o sexo tinha tornado-se uma obrigação, tanto que eu amava fazer pela manhã para poder ver pornografia depois com a consciência limpa. Caraca, escrevendo tudo isso aqui eu percebo o quanto isso me fez mal e fez eu ficar do jeito que estou hoje. Voltando ao assunto, eu voltei a consumir pornografia no começo de 2018, eu já estava formado, morando com a minha companheira, com um cachorro adotado, um carro (no caso um carro ano 98, mas era um carro) comprado e uma casa montada, tudo com nosso esforço. Não lembro o motivo de ter voltado com a pornografia, talvez pelo estresse de uma vida adulta, pela cobrança dos outros, pela cobrança interna, mas eu sei que nada justifica. Lembro que eu assistia um e pensava: não vou me viciar, é só uma vez e quando me dei conta eu estava tendo uma discussão novamente com a minha companheira sobre eu não querer transar com ela. Eu sempre desviava dessas discussões, mas eram inevitáveis. Transar ficou muito como uma obrigação, o prazer era apenas um detalhe insignificante. Eu lembro que tinha que ter a condição perfeita para transar: dia sem estresse, casa limpa, banho tomado, etc, sendo que antes era só olhar para minha companheira que já estávamos na cama. Aconteceu o que eu mais temia: terminamos o relacionamento de quase 4 anos, pois brigavamos muito por causa disso e uma briga levava a outra que não tinha sentido e isso desgastou muito a gente. Ela sempre tentou entender o motivo de tal desinteresse pelo sexo, ela realmente sempre foi muito compreensiva comigo e eu ficava mal várias vezes por sentir que ela pensava que o problema era ela. Como estávamos quase casados, a separação é mais longa e eu acabei indo viajar para deixar ela mais tranquila. Com isso, nos aproximamos novamente e acabamos voltando, isso foi no final de 2018.

Agora eu começo a encerrar minha história. Eu havia prometido a minha companheira que iria melhorar e entender o meu desinteresse pelo sexo. Coisa que eu não fiz, caso contrário não estaria aqui. Bom, continuei com o consumo de pornografia e comecei a questionar minha orientação sexual e tenho isso até o dia de hoje. Como era de se esperar, o meu relacionamento não continuou e acabamos terminando em agosto de 2019. Isso fez eu me afundar mais na pornografia, pois eu pensei: já estou solteiro mesmo, então que se foda tudo isso. Fui bem irresponsável e acabei sofrendo mais pra frente. No final de 2019, já na cidade onde minha mãe mora, eu conheci uma garota pelo Tinder e começamos a conversar, achei e ainda acho ela incrível e assustadoramente parecida comigo com os pensamentos e jeito de agir. Ela também estava se recuperando de um relacionamento e decidimos que não era bom a gente se envolver e eu achei legal, já que eu realmente não estava ok com tudo ainda. Acabei mudando de cidade novamente, no finalzinho de 2019, por causa de um trabalho. No carnaval deste ano, essa garota que conheci veio aqui me ver e eu não consegui transar com ela, mesmo ficando excitado enquanto nos beijamos, eu me senti tão mal com isso (a garota é incrível e eu acho ela linda) que acabei tomando um remédio para disfunção erétil e por fim consegui transar no outro dia. Com isso tudo, eu comecei a pensar que eu tinha algum problema, com testosterona ou algo no coração que faz minha circulação não funcionar direito, mas com pornografia nunca tive problema, principalmente com vídeos com trans, coisa que faz eu duvidar da minha orientação sexual. O que não seria problema algum eu descobrir/perceber que não sou apenas hetero, mas sim bisexual. Porém, eu nunca tive prazer em olhar pornografia assim e nem ao mesmo tenho interesse em me relacionar com pessoas do mesmo sexo. Felizmente, hoje, enquanto eu estava no youtube apareceu um video do TEDx Talks com o título: "Como A Pornografia Quase Me Matou Como Artista", como eu não tinha nada pra fazer eu assisti o video e descobri essa técnica de reboot. Pesquisei no google e achei esse fórum, li sobre tudo que vocês recomendam e fiz meu contador, bloquiei os sites que eu acessava, no próprio sistema operacional (nunca vi pornografia no celular, então não vi necessidade de ir atrás disso), desinstalei o Tinder e talvez eu desative o Instagram (voltei essa semana pra ele, pois eu tinha desativado já, mas como só sigo contas de amigos muito próximos, tirinhas, tatuagens e cachorros, não vejo necessidade disso), não tenho Facebook faz um tempo também. Estou determinado a fazer o reboot. Meu único medo é essa quarentena que enfrentamos, não tenho onde descarregar minhas energias, eu escalava toda semana e isso está fazendo MUITA falta, talvez eu tente em andar de patins na quadra do prédio (se permitirem).

Pessoal, desculpe o texto longo, mas escrever tudo isso fez eu tirar uma tensão enorme, é como desabafar, coisa que eu nunca fiz sobre esse assunto. Caso tenham dicas para enfrentar um reboot, 100% em casa trabalhando no computador, eu aceito e agradeço de coração.

Bom dia colorado, me vejo no seu relato principalmente na parte de relacionamento. Minha esposa também ficava frustrada por eu não querer sexo ela me procurava mas eu sempre dava desculpas. Eu felizmente ainda consegui continuar o relacionamento. Continue firme.

_______________________________________
Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

20/4/2020, 00:03
DIA 3

Estou me sentindo bem e não estou tenho vontade de abrir material de P. Porém, aparecem certos flashes relacionados a isso, é um coisa chata as vezes ter que lutar contra isso, quando tenho isso estou procurando fazer outras coisas.

Outra coisa que gostaria de relatar, hoje comecei a ter certos sonhos que eu tinha quando não era viciado em P. Sonhos com fantasias com pessoas que eu estou interessado, eu lembro que isso acontecia bastante antes e sempre achei normal, pois refletia algo que eu queria de verdade. Além disso, também estou tendo ereções matinais bem mais frequentes. Quando eu estava consumindo P, dificilmente eu estava tendo, o que foi um dos motivos a ficar preocupado com minha saúde. Em contrapartida, não estou tendo ereções ao longo do dia, uma coisa que já estava acontecendo faz bastante tempo e também me incomodava, pois eu lembro de que antes do vício em P, eu tinha ereções involuntárias e muitas por querer transar com minha namorada na época. A libido continua igual antes, estava baixa e continua a mesma coisa. É possível a flatline no começo?

Tirando uma leve ansiedade de que isso passe logo, está tudo ocorrendo bem, eu costumo me livrar da ansiedade pensando no benefício que terei no futuro, com as minhas escolhas e procura de melhora na minha vida.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

21/4/2020, 20:17
DIA 5

Feriado, dia parado e com bastante sono. Li umas páginas de um livro e percebi que minha concentração está melhor e eu gostei bastante, já que eu sempre gostei de ler e nos últimos anos eu li muito pouco. Ainda tenho praticamente zero libido, o que eu to achando bom, já que não tenho vontade de nada relacionado a isso. Irei assistir um filme agora, ler e depois dormir para amanhã voltar a rotina de trabalho normal.

Rumo a 1a semana!

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty 1 SEMANA

23/4/2020, 20:18
7 DIAS - 1 SEMANA

Completei uma semana sem PMO e estou bem feliz com essa marca. Hoje não consegui fazer muita coisa pq deu uns problemas no trabalho e acabei ficando tenso o dia todo, mas fazer o que, coisas assim acontecem. Ainda estou passando por uma flat-line (eu acho), já que não tenho libido, mas eu já estava assim antes, só tinha um certo prazer com P.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

9/10/2020, 23:17
Olá, meus amigos! Depois de muito tempo sem visitar aqui eu voltei para contar uma história bem ruim que aconteceu comigo.

Bom, como pode ser visto no meu relato principal, eu estava consumindo muito conteúdo com trans e isso me deixava com muitas dúvidas na cabeça, cheguei até comentar isso. Eu nunca mais assisti nem procurei P, apenas cheguei a ter acesso a isso por alguns apps (tipo whatsapp) mas nunca cheguei a utilizar isso para os fins que eu usava antes. Bom, essa semana eu acabei visitando um site de acompanhantes trans e fiquei muito curioso para realmente tentar e eu acabei marcando um encontro com uma. O que aconteceu: eu cheguei a ter um contato com ela (sexualmente falando) por uns 2 minutos e eu percebi que eu não estava gostando daquilo. Eu realmente não gostei de nenhuma sensação, não houve ejaculação, nem nada, nem fiquei excitado igual eu ficava vendo os videos/fotos. Bom, até ai vc pensa: Ok, o cara pagou e vazou. Quem dera, eu falei para ela que eu não estava gostando e que eu queria pagar e ir embora, não fui rude em nenhum momento, apenas falei que não estava curtindo. O problema foi que ela ficou extremamente agressiva, fez eu pagar um valor quase 3x maior que haviamos combinado, foi algo bem frustrante, ela me ameaçou e fez todo um show. Eu realmente não fiz nada de falar que não estava gostando e queria ir embora, eu estava extremamente nervoso/ansioso com tudo isso e até pedi desculpas e tentava explicar tudo o que eu estava passando, mas ela simplesmente agiu da pior maneira, aparementemente ficou extremamente ofendida com isso, ficou falando que eu tava roubando ela e que não queria pagar, sendo que desde o momento que eu não quis mais eu falei que iria pagar e ir embora.

Eu não sei com quem falar sobre e acho que nem tenho coragem no momento para falar, mas achei muito importante vim aqui meio que desabafar e talvez contar com a ajuda de vcs para só me responderem aqui. Bom, essa foi a história e estou bem estranho agora, talvez mais pelo fato de ter um receio dessa pessoa simplesmente "expor" isso de alguma forma, mesmo ela não sabendo nem meu nome.

Vou encerrar esse comentário e comentar outro sobre os 170 dias sem P.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

9/10/2020, 23:27
170 dias sem P

Aconteceu muita coisa nesse tempo que eu fiquei afastado. Alias, eu me afastei daqui por motivos de ler os relatos estavam me deixando um pouco ruim (nada pessoal). Bom, eu troquei de emprego 2 vezes nesse tempo, trabalhei no maior banco daqui por uns meses e hoje eu voltei a trabalhar com a minha área que sempre gostei e estou extremamente feliz com isso. Estou com um salário muito bacana, irei me mudar no final do ano para um canto só meu, sem dividir mais o ap com colegas. Eu li mais de 12 livros nesse tempo, fiz uns exercicios em casa mas acabei parando por motivos de preguiça. Não fiquei com ninguém nesse tempo, apenas flertei com a mesma garota que eu estava no começo do ano, mas nada rolou por motivos de não termos os mesmos estilos de vida e ela morar 400 km daqui. Me libertar da P foi algo muito, mas muito bom. Um dos livros que eu li nesse tempo foi sobre neuroplasticidade e nele tem 1 cap exclusivo sobre como o cerébro funciona com coisas relacionadas ao sexo e aborta também o vicio em P. Recomendo vcs a lerem ele: O Cerébro que se transforma.

Bom, se não leram o meu comentário anterior, leia para entender o que vou falar aqui.
Esse ep que aconteceu essa semana fez eu dar um refletida em como o meu cerébro "moldou" os meus gostos baseado em P e tive essa experiência da pior forma mesmo, conforme podem ver no que eu falei. Conforme eu havia falado, eu não tenho preconceito com isso, eu apenas estava confuso sobre o que eu gostava, eu sempre senti atração por mulheres a vida inteira e do nada eu começo talvez a não ter. Isso me deixou bem estranho, pois eu não sabia o que fazer. Mas agora, talvez eu tenha uma luz no fim do tunel e posso colocar minha cabeça no lugar em relação a isso. Talvez eu ainda não esteja curado da P e ela ainda tenha efeito sobre meu cerébro, talvez por não tido experiência com outras mulheres nesse tempo tb contribuiu para o meu cerébro não se adequar ainda para o que ele sempre foi antes.

Baseado nisso tudo, eu devo resetar meu contador?

Abraços ,galera!

_______________________________________
* Acesse meu diário *

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

9/10/2020, 23:49
headbanger escreveu:Normal mano, você foi extorquido, apenas.
Ela viu que você era meio bobo (desculpe por isso) e aproveitou pra ganhar um trocado em cima de você.
Agora fica duas lições, a primeira é que você não curte trans, e a segunda é a manter sempre o pé atrás ao lidar com gente que vende o próprio corpo.

Sim, fui extremamente bobo e inocente. Não sei se fico feliz (por saber o que gosto) ou triste (por perder um bom dinheiro).

_______________________________________
* Acesse meu diário *

avatar
rebooterconvicto
Mensagens : 114
Data de inscrição : 30/08/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

10/10/2020, 10:38
Colorado escreveu:Olá, meus amigos! Depois de muito tempo sem visitar aqui eu voltei para contar uma história bem ruim que aconteceu comigo.

Bom, como pode ser visto no meu relato principal, eu estava consumindo muito conteúdo com trans e isso me deixava com muitas dúvidas na cabeça, cheguei até comentar isso. Eu nunca mais assisti nem procurei P, apenas cheguei a ter acesso a isso por alguns apps (tipo whatsapp) mas nunca cheguei a utilizar isso para os fins que eu usava antes. Bom, essa semana eu acabei visitando um site de acompanhantes trans e fiquei muito curioso para realmente tentar e eu acabei marcando um encontro com uma. O que aconteceu: eu cheguei a ter um contato com ela (sexualmente falando) por uns 2 minutos e eu percebi que eu não estava gostando daquilo. Eu realmente não gostei de nenhuma sensação, não houve ejaculação, nem nada, nem fiquei excitado igual eu ficava vendo os videos/fotos. Bom, até ai vc pensa: Ok, o cara pagou e vazou. Quem dera, eu falei para ela que eu não estava gostando e que eu queria pagar e ir embora, não fui rude em nenhum momento, apenas falei que não estava curtindo. O problema foi que ela ficou extremamente agressiva, fez eu pagar um valor quase 3x maior que haviamos combinado, foi algo bem frustrante, ela me ameaçou e fez todo um show. Eu realmente não fiz nada de falar que não estava gostando e queria ir embora, eu estava extremamente nervoso/ansioso com tudo isso e até pedi desculpas e tentava explicar tudo o que eu estava passando, mas ela simplesmente agiu da pior maneira, aparementemente ficou extremamente ofendida com isso, ficou falando que eu tava roubando ela e que não queria pagar, sendo que desde o momento que eu não quis mais eu falei que iria pagar e ir embora.

Eu não sei com quem falar sobre e acho que nem tenho coragem no momento para falar, mas achei muito importante vim aqui meio que desabafar e talvez contar com a ajuda de vcs para só me responderem aqui. Bom, essa foi a história e estou bem estranho agora, talvez mais pelo fato de ter um receio dessa pessoa simplesmente "expor" isso de alguma forma, mesmo ela não sabendo nem meu nome.

Vou encerrar esse comentário e comentar outro sobre os 170 dias sem P.

Estimado Colorado, bom dia.

Esse caminho é realmente perigoso, agradeço todos os dias por nunca ter me aventurado por ele. Pensa pelo lado positivo: você percebeu, mesmo que da pior forma, que não sente atração real por ts. Tente extrair uma lição disso, para que você nunca mais se arrisque dessa forma, já que esses desejos são apenas fantasias de sua mente dessensibilizada pela P. Nossa mente está acostumada com as situações fantasiosas e super produzidas da P, mas quando chega na vida real, temos um choque de realidade e nos frustramos.
Não deixe isso atrapalhar seu reboot, você já fez um progresso incrível ao ficar 170 dias livre da P. Algumas consequências negativas da P demoram muito mais de 90 dias para sumirem, é normal, já que os longos anos atolados no vício acabam com nossa mente.
Ademais, não se culpe demais pelo que aconteceu. Entenda que isso foi apenas um momento de fraqueza, em que você cedeu aos impulsos do seu cérebro, que ainda está com o circuito de recompensas desregulado, procurando por novidades e coisas "proibidas" para liberar dopamina.  
No mais, nos diga como andam as suas atividades de religação. Tem se dedicado a quais atividades extranet?


Última edição por rebooterconvicto em 10/10/2020, 11:17, editado 2 vez(es)

EU01 gosta desta mensagem

Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

10/10/2020, 11:11
rebooterconvicto escreveu:
Colorado escreveu:Olá, meus amigos! Depois de muito tempo sem visitar aqui eu voltei para contar uma história bem ruim que aconteceu comigo.

Bom, como pode ser visto no meu relato principal, eu estava consumindo muito conteúdo com trans e isso me deixava com muitas dúvidas na cabeça, cheguei até comentar isso. Eu nunca mais assisti nem procurei P, apenas cheguei a ter acesso a isso por alguns apps (tipo whatsapp) mas nunca cheguei a utilizar isso para os fins que eu usava antes. Bom, essa semana eu acabei visitando um site de acompanhantes trans e fiquei muito curioso para realmente tentar e eu acabei marcando um encontro com uma. O que aconteceu: eu cheguei a ter um contato com ela (sexualmente falando) por uns 2 minutos e eu percebi que eu não estava gostando daquilo. Eu realmente não gostei de nenhuma sensação, não houve ejaculação, nem nada, nem fiquei excitado igual eu ficava vendo os videos/fotos. Bom, até ai vc pensa: Ok, o cara pagou e vazou. Quem dera, eu falei para ela que eu não estava gostando e que eu queria pagar e ir embora, não fui rude em nenhum momento, apenas falei que não estava curtindo. O problema foi que ela ficou extremamente agressiva, fez eu pagar um valor quase 3x maior que haviamos combinado, foi algo bem frustrante, ela me ameaçou e fez todo um show. Eu realmente não fiz nada de falar que não estava gostando e queria ir embora, eu estava extremamente nervoso/ansioso com tudo isso e até pedi desculpas e tentava explicar tudo o que eu estava passando, mas ela simplesmente agiu da pior maneira, aparementemente ficou extremamente ofendida com isso, ficou falando que eu tava roubando ela e que não queria pagar, sendo que desde o momento que eu não quis mais eu falei que iria pagar e ir embora.

Eu não sei com quem falar sobre e acho que nem tenho coragem no momento para falar, mas achei muito importante vim aqui meio que desabafar e talvez contar com a ajuda de vcs para só me responderem aqui. Bom, essa foi a história e estou bem estranho agora, talvez mais pelo fato de ter um receio dessa pessoa simplesmente "expor" isso de alguma forma, mesmo ela não sabendo nem meu nome.

Vou encerrar esse comentário e comentar outro sobre os 170 dias sem P.

Estimado Colorado, bom dia.

Esse caminho é realmente perigoso, agradeço todos os dias por nunca ter me aventurado por ele. Pensa pelo lado positivo: você percebeu, mesmo que da pior forma, que não sente atração real por ts. Tente extrair uma lição disso, para que você nunca mais se arrisque dessa forma, já que esses desejos são apenas fantasias de sua mente dessensibilizada pela P. Nossa mente está acostumada com as situações fantasiosas e super produzidas da P, mas quando chega na vida real, temos um choque de realidade e nos frustramos.
Não deixe isso atrapalhar seu reboot, você já fez um progresso incrível ao ficar 170 dias livre da P. Algumas consequências negativas da P demoram muito mais de 90 dias para sumirem, é normal, já que os longos anos atolados no vício acabam com nossa mente.
Como andam as atividades de religação?

Opa, bom dia!

Obrigado a todos ai pelas palavras, fico extremamente mais leve em poder compartilhar isso e ter uma visão das outras pessoas.

Sobre as atividades de religação, eu estou fazendo o que recomendam (leitura, atividade, etc) mas alguns dias não faço muito mas acho meio que natural isso. Não tenho ainda confiança em voltar para os esportes que eu praticava antes por causa do covid, vou aguardar um pouco mais.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

rebooterconvicto e EU01 gostam desta mensagem

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

avatar
rebooterconvicto
Mensagens : 114
Data de inscrição : 30/08/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

10/10/2020, 22:27
Colorado escreveu:170 dias sem P

Aconteceu muita coisa nesse tempo que eu fiquei afastado. Alias, eu me afastei daqui por motivos de ler os relatos estavam me deixando um pouco ruim (nada pessoal). Bom, eu troquei de emprego 2 vezes nesse tempo, trabalhei no maior banco daqui por uns meses e hoje eu voltei a trabalhar com a minha área que sempre gostei e estou extremamente feliz com isso. Estou com um salário muito bacana, irei me mudar no final do ano para um canto só meu, sem dividir mais o ap com colegas. Eu li mais de 12 livros nesse tempo, fiz uns exercicios em casa mas acabei parando por motivos de preguiça. Não fiquei com ninguém nesse tempo, apenas flertei com a mesma garota que eu estava no começo do ano, mas nada rolou por motivos de não termos os mesmos estilos de vida e ela morar 400 km daqui. Me libertar da P foi algo muito, mas muito bom. Um dos livros que eu li nesse tempo foi sobre neuroplasticidade e nele tem 1 cap exclusivo sobre como o cerébro funciona com coisas relacionadas ao sexo e aborta também o vicio em P. Recomendo vcs a lerem ele: O Cerébro que se transforma.

Bom, se não leram o meu comentário anterior, leia para entender o que vou falar aqui.
Esse ep que aconteceu essa semana fez eu dar um refletida em como o meu cerébro "moldou" os meus gostos baseado em P e tive essa experiência da pior forma mesmo, conforme podem ver no que eu falei. Conforme eu havia falado, eu não tenho preconceito com isso, eu apenas estava confuso sobre o que eu gostava, eu sempre senti atração por mulheres a vida inteira e do nada eu começo talvez a não ter. Isso me deixou bem estranho, pois eu não sabia o que fazer. Mas agora, talvez eu tenha uma luz no fim do tunel e posso colocar minha cabeça no lugar em relação a isso. Talvez eu ainda não esteja curado da P e ela ainda tenha efeito sobre meu cerébro, talvez por não tido experiência com outras mulheres nesse tempo tb contribuiu para o meu cerébro não se adequar ainda para o que ele sempre foi antes.

Baseado nisso tudo, eu devo resetar meu contador?

Abraços ,galera!

Você deve resetar o contador se recair em PMO (Pornografia, Masturbação e Orgasmo). Por recaída entende-se a procura, deliberada, por qualquer forma de estimulação artificial, tais como sites pornográficos, imagens eróticas, vídeos eróticos, contos eróticos, fotos sensuais, nudes, conversas picantes, fantasias mentais com sexo/pornografia, sites e anunciados de acompanhantes, apps e sites de relacionamentos e etc. Isso ocorre pois, ao se submeter a esses estímulos de forma intencional, você estará reforçando o caminho neural da P em seu cérebro, prejudicando o reboot e a neuroplasticidade.


Última edição por rebooterconvicto em 10/10/2020, 22:43, editado 1 vez(es)

Vitoriosa e MEMENTO MORI gostam desta mensagem

MEMENTO MORI
MEMENTO MORI
Mensagens : 145
Data de inscrição : 02/10/2020
Idade : 26

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

10/10/2020, 22:42
rebooterconvicto escreveu:[Você deve resetar o contador se recair em PMO (Pornografia, Masturbação e Orgasmo). Por recaída entende-se a busca e/ou consumo, deliberados, de qualquer forma de estimulação artificial, tais como sites pornográficos, imagens eróticas, vídeos eróticos, contos eróticos, fotos sensuais, nudes, conversas picantes, fantasias mentais com sexo/pornografia, sites e anunciados de acompanhantes, apps e sites de relacionamentos e etc. Isso ocorre pois, ao se submeter a esses estímulos de forma intencional, você estará reforçando o caminho neural da P em seu cérebro, prejudicando o reboot.

Interessante mencionar isso, pois acabamos nos esquecendo da imensa gama de possibilidades que podem nos fazer recair! Estarei ainda mais atento a todas as iscas...

_______________________________________


MEU DIÁRIO

"O verdadeiro prazer é aquele no qual a dor vem antes! Se o prazer não for conquistado sem dor e suor anterior, este prazer causará muita dor posteriormente!"

"Não importa o quanto você pode bater, mas sim o quanto você aguenta apanhar e continuar lutando. O quanto pode suportar e continuar seguindo em frente. Só assim se consegue a vitória."

Vitoriosa e rebooterconvicto gostam desta mensagem

avatar
rebooterconvicto
Mensagens : 114
Data de inscrição : 30/08/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

10/10/2020, 23:10
Como você acessou site de acompanhantes, que é um estímulo artificial, recomendo que seja sincero consigo e zere seu contador. Esses sites possuem galerias com uma enorme variedade de fotos eróticas, o que gera descarga de dopamina no cérebro e fortifica o caminho neural da P.
Mas torno a repetir: não deixe isso atrapalhar seu reboot, você já fez um progresso incrível ao ficar 170 dias livre da P. Tente ser mais ativo aqui no fórum, relatando suas experiências ao longo reboot, a fim de que possamos auxiliar melhor você.
Acompanharei seu diário. Siga firme na batalha!
MEMENTO MORI
MEMENTO MORI
Mensagens : 145
Data de inscrição : 02/10/2020
Idade : 26

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

11/10/2020, 09:28
BOM DIA GUERREIRO!

Hoje eu irei compartilhar nos diários de vocês uma mensagem forte, profunda e honesta que eu carrego dentro de mim e estou levando comigo durante o meu reboot e que ontem durante a noite escrevi e compartilhei no diário de um outro usuário. Eu sinto que essa mensagem é motivadora, verdadeira e que pode realmente tocar em você, para que desenvolva uma nova perspectiva de vida, portanto, vou deixa-la fixa aqui no meu diário, para que vocês leiam e isso entre em suas mentes para sempre!

Sucessso em seu reboot! Você já é um campeão só pelo fato de estar lutando!

Guerreiros, é extremamente importante para nós firmar como convicção todos os benefícios que o reboot contra DROGA chamada Pornografia pode nos presentear! E para reforçar mais ainda isto, basta que nos recordemos dos fracassos, dos arrependimentos, das angústias, dos sofrimentos e dos vexames que ela já nos provocou ao longo desses anos, e então, teremos motivos de sobra pra abadoná-la! Não existem pontos positivos em utilizá-la, todos os pontos positivos da vida estão nas coisas reais da vida! Que realmente tem valor e propósito! Emoções reais que nos recomensam de verdade e nos trazem felicidade legítima. Todo o resto é uma fraude, uma mentira e uma enganação. Sofremos uma lavagem cerebral e uma manipulação das nossas mentes para dar dinheiro para alguns caras que, eles sim, vão desfrutar, conhecer mulheres de verdade, viver o melhor da vida, às custas de todos nós, que destruímos nossas vidas, perdemos momentos felizes com pessoas que amamos, perdemos nosso bem estar, nossa saúde, nossa masculinidade, nossa honra e dignidade, nossa paz interior, nossa espiritualidade, nosso caráter, nossas convicções e personalidade, nossos ideais, nosso amor próprio, nosso bom senso, nossa inteligência emocional, nossa sociabilidade, nossos amigos, nossas namoradas ou potenciais paqueras, PERDEMOS TUDO! Para que eles aproveitem a vida a deles, ricos e cheios de saúde, energia, dinheiro e virilidade! Pense nisso e tomará raiva desses filhos da p*** que estão nos escravizando para lucrarem e ficarem ricos, enquanto nós nos tornamos homens fracos, deprimidos e mortos por dentro.

_______________________________________


MEU DIÁRIO

"O verdadeiro prazer é aquele no qual a dor vem antes! Se o prazer não for conquistado sem dor e suor anterior, este prazer causará muita dor posteriormente!"

"Não importa o quanto você pode bater, mas sim o quanto você aguenta apanhar e continuar lutando. O quanto pode suportar e continuar seguindo em frente. Só assim se consegue a vitória."
Rottweiler
Rottweiler
Mensagens : 1158
Data de inscrição : 22/07/2019
Idade : 30

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

11/10/2020, 18:58
Blz Colorado, como um brother falou aí,
acho que você deve resetar o contador como forma de ser sincero.
O evento que ocorreu, o dinheiro é o de menos mesmo.
Fica o aprendizado. Minha opinião!

Flw.

_______________________________________
Reboot:
https://www.comoparar.com/t11634p500-diario-do-rottweiler#362301



01 02 03 04 05 06 07 08 09
10 11 12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 32 33 34 35 36
37 38 39 40 41 42 43 44 45
46 47 48 49 50 51 52 53 54
55 56 57 58 59 60 61 62 63
64 65 66 67 68 69 70 71 72
73 74 75 76 77 78 79 80 81
82 83 84 85 86 87 88 89 90
avatar
rebooterconvicto
Mensagens : 114
Data de inscrição : 30/08/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

12/10/2020, 11:55
Caríssimo Colorado.

Passando aqui só para deixar algumas orientações sobre o reboot, que costumam ser repassadas aos novos usuários do fórum. Elas podem ser úteis na sua luta contra esse vício devastador.


  • Conheça o Guia Introdutório e aprenda o básico sobre o processo de reversão do vício ou adquira o Curso Online Programa Revert (Super Recomendado) para ter acesso a informações mais completas.

  • Confira o arsenal tecnológico para te auxiliar na proteção contra o vício: Configuração do Clean Browsing; Bloqueamento via Hosts; Inter App Control Pro (Pago); Blok Supreme (Pago); Download do Qustodio (A versão gratuita já é suficiente). Para maiores informações e/ou encontrar outras opções acesse a Seção Ferramentas e Bloqueadores.

  • Conheça os navegadores (para smartphone) que já vem com proteção contra o vício e escolha um: Spin, Kids Safe Browser (Pago) e Mobicip. Instale o NetAngel para bloquear a pornografia em seu smartphone, bem como o AppLock que pode ser utilizado para bloquear o serviço de distribuição de aplicativos, as configurações do smarthpone, dentre outras coisas. Para maiores informações e/ou encontrar outras opções para Android, iOS ou Windows Phone acesse a Seção Ferramentas e Bloqueadores.

  • Dica: Cadastre um e-mail temporário descartável em seus softwares, pois, assim, você evita uma possível recuperação da senha. Utilize também um método de ocultação de senha, para evitar que você desative os bloqueadores em um momento de fissura. Acesse: Método para esconder a senha.

  • Instale um contador de dias: Tutorial Contador de Dias, para te situar em sua jornada.

    Avalie também a necessidade de abandono de outros vícios que podem de alguma forma te atrapalhar no processo, como masturbação, álcool, outras drogas lícitas e ilícitas, games, comidas e outros.

  • Priorize as atividades de religação, tais como: socialização, trabalho voluntário, trabalho manual prazeroso, leitura de livros, mindfulness, meditação, yoga, musculação, natação, ciclismo, pilates, hidroginástica, crossfit, boxe, lutas diversas, dança, caminhada, corrida, zumba, voleibol, futebol e muitas outras. Não foque muito em quantidade, mas na qualidade.

  • Não desperdice o seu tempo em redes sociais, pois muitas delas atuam como verdadeiras "playboys digitais", tais como: facebook, instagram, twitter, pinterest e outras. Evite também a navegação a esmo.

  • Não abandone o fórum, atualize constantemente o seu diário. Certifique-se de ter relatado toda a sua história de envolvimento com a PMO, para que, assim, possamos ajudá-lo(a) da melhor forma. Iremos empenhar todos os nossos esforços para te assistir, e sempre que puder ajude outros aqui também.

Siga firme na batalha!

_______________________________________


Arrow DIÁRIO DA MINHA BATALHA
Colorado
Colorado
Mensagens : 17
Data de inscrição : 16/04/2020

Diário Colorado Empty Re: Diário Colorado

12/10/2020, 18:56
Olá, pessoal!

Resetei meu contador mais por parecer algo muito mais importante do que tudo por aqui. Eu realmente não me importo com isso, eu me sinto extremamente bem por ter me livrado de P sem nem ao mesmo ter bloqueador de site e consegui ficar desde abril desse ano sem acessa-los. O que me levou a ir atrás do que eu fui na semana passada foi simplesmente a dúvida na cabeça, passar por tudo isso sozinho, estar isolado da civilização desde março (quarentena) faz vc ficar meio estranho. Eu queria realmente tirar essa dúvida da cabeça e eu consegui, não foi da melhor maneira, na veradade foi da pior maneira, mas infelizmente cometemos erros.

Analisando esse episódio que eu passei: cheguei na conclusão que foi realmente a dúvida, porém a dúvida é algo normal, mas quando vc estimula essa dúvida ela vai ficando cada vez maior e um dos locais que eu mais alimentei foi o tinder (fiquei sem usar no começo, mas voltei pq estava realmente dificil conhecer alguém trancado em casa por meses). Bom, com isso eu acabei desinstalando o tinder no sábado e dei uma pausa no instagram (eu ficava uns 20 minutos por dia no max, eu sigo apenas conhecidos e memes, então não tenho muito o que fazer por lá). O facebook eu já não uso faz um bom tempo, as vezes eu reativo ele quando preciso ver algo de útil em uns grupos que eu participo e logo desativo novamente. A minha alimentação melhorou bastante, eu consumo muito pouco açúcar industrializado na minha dieta, meus exames estão tudo ok, mudei meus hábitos do sono (acordo todos os dias no mesmo horário) e sinto que falta apenas uma atividade física regular.

O que eu pretendo fazer nos próximos dias/semanas: lidar com esse episódio traumático que passei, já estou bem melhor do que estava no sábado, onde eu passei o dia inteiro colorindo pixel naqueles joguinhos color by number equanto escutava podcast (o que foi algo bem relaxante, já que me deixou tranquilo, fez o tempo passar rápido e eu não conseguia ficar pensando no que ocorreu). Pretendo avaliar um esporte para fazer pelo menos 2x na semana e que não me coloque em risco de contaminação de covid (talvez comprar um bicicleta). Pretendo também realizar meus objetivos da semana que eu estou fazendo todo domingo e que contempla o que eu tenho que fazer que geralmente eu esqueço se eu não anotar, como treinar inglês lendo um livro.

_______________________________________
* Acesse meu diário *

Lima Gomes gosta desta mensagem

Ir para o topo
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos