Ir em baixo
avatar
chz
Mensagens : 1
Data de inscrição : 09/05/2020

Só mais alguém perante um vício Empty Só mais alguém perante um vício

em 9/5/2020, 18:28
Bom, como toda boa historia, preciso partir do estopim. Eu tinha apenas 9 anos de idade, e surpreendentemente a purberdade já se mostrava próxima, a minha voz havia mudado bastente, eu prestava mais atenção nas outras pessoas com uma conotação diferente, conforme as amizades foram se estabelecendo, o tema mais recorrente, era sexo, no inicio eu simplesmente não entendia o porquê da valorização de tal assunto, porque todo mundo falava disso?. Após um período comecei a entender, comecei a ganhar uma certa malícia, desde então conversar com garotas era praticamente impossivel, sempre havia segundas intenções, sempre alguem desejo a espreita, e nesse círculo de conversas descobri a masturbação, a partir desse momento o foco da minha vida aparentemente mudou, eu havia descobrido algo fascinante, que me dava prazer sem julgamento, um refúgio do meu dia.
   Essa pratica me deixou tão iludido no meu mundo de prazer, onde tudo era basicamente e até minuciosamente do jeito que eu queria, que a vida havia perdido a magica, tudo se resumia a querer se masturbar, a escola se mostrava algo entediante, comecei a ficar assustado, sempre via muitas pessoas felizes e perguntava-me de que modo que essa pessoa vivia, o que eu precisava fazer para mudar, eu estava realmente fardado a morrer triste em um banheiro com medo que descobrissem o meu vicio?.
  Dos 13 para 14 anos de idade chegou uma época sombria da minha vida, eu achava que tinha depressão, acordava, masturbava-me, ficava jogando até a hora de ir para a escola, e ficava zoando durante todo o período. Todos olhavam e pensavam que eu era feliz, o tempo todo fazendo piada, mas eu sabia que era tudo mentira, por trás dessa fachada jaz uma vida horrível, onde o pico de sentido era após uma gozada, e que cada vez se mostrava mais fraca essa sensação e com isso, o sentimento de vazio acentuavasse.
   Nesse período ganhei um iPhone e um quarto, tudo se declinou para pior, eu havia acesso a muito mais pornografia que antes, horários diferentes, eu havia ganhado um adversário, a privacidade. E também nesse período comecei a usar bastante o Facebook, conheci muitas pessoas que ajudaram a eu seguir com o meu vício, mas também conheci uma garota, que vou chamar de misaki, foi a primeira pessoa que me fez sentir uma afeição pela vida, me alegrava acordar e conversar com ela, mas infelizmente o tempo foi passando e meu vício piorando, pois, ela também havia, agora eu tinha um icentivo para continuar, tinha alguém comigo, isso me iludiu por muito tempo, após 2 anos, ela mudou, mas eu não, eu tinha atingido a minha zona de conforto.
    Conforme o tempo passava, a nossa relação havia mudado, eu simplesmente não enxergava mais humanos, apenas objetos para obter prazer, antigamente assentia que a vida não era apenas isso, agora não, o meu viés mudou completamente, havia virado algo completamente fúnebre, assustador. Brigas tornaram-se consecutivas, tal relação não tinha mais propósito, ela recusava-se a contribuir com o meu vício doentio, eu no fundo concordava com isso, mas meu orgulho não permitia eu ter humildade de assumir o erro, então terminei com ela.
   Fiquei tão frustrado com as coisas que o vício tirou-me que comecei a tentar mudar, infelizmente se resume a essa palavra, tentar, a cerca de 1 ano estou tentando, minha maior sequencia foi de 30 dias, tive boas mudanças em comparação com meu outro “eu”, hoje o meu vício se resume a 2 vezes por semana, estou mais controlado, a minha visão de mundo está bem diferente, embora que a quarentena é a quando obstaculo, ficar sozinho dificulta a perda do meu vício, então resolvi-me abrir para o fórum que leio há muito tempo, hoje tenho 17 anos, espero perder essa obsessão até os meus 18, é maçante isso na minha vida.
edukl1991
edukl1991
Mensagens : 69
Data de inscrição : 29/02/2020
Idade : 19

Só mais alguém perante um vício Empty Re: Só mais alguém perante um vício

em 9/5/2020, 18:36
chz escreveu:Bom, como toda boa historia, preciso partir do estopim. Eu tinha apenas 9 anos de idade, e surpreendentemente a purberdade já se mostrava próxima, a minha voz havia mudado bastente, eu prestava mais atenção nas outras pessoas com uma conotação diferente, conforme as amizades foram se estabelecendo, o tema mais recorrente, era sexo, no inicio eu simplesmente não entendia o porquê da valorização de tal assunto, porque todo mundo falava disso?. Após um período comecei a entender, comecei a ganhar uma certa malícia, desde então conversar com garotas era praticamente impossivel, sempre havia segundas intenções, sempre alguem desejo a espreita, e nesse círculo de conversas descobri a masturbação, a partir desse momento o foco da minha vida aparentemente mudou, eu havia descobrido algo fascinante, que me dava prazer sem julgamento, um refúgio do meu dia.
   Essa pratica me deixou tão iludido no meu mundo de prazer, onde tudo era basicamente e até minuciosamente do jeito que eu queria, que a vida havia perdido a magica, tudo se resumia a querer se masturbar, a escola se mostrava algo entediante, comecei a ficar assustado, sempre via muitas pessoas felizes e perguntava-me de que modo que essa pessoa vivia, o que eu precisava fazer para mudar, eu estava realmente fardado a morrer triste em um banheiro com medo que descobrissem o meu vicio?.
  Dos 13 para 14 anos de idade chegou uma época sombria da minha vida, eu achava que tinha depressão, acordava, masturbava-me, ficava jogando até a hora de ir para a escola, e ficava zoando durante todo o período. Todos olhavam e pensavam que eu era feliz, o tempo todo fazendo piada, mas eu sabia que era tudo mentira, por trás dessa fachada jaz uma vida horrível, onde o pico de sentido era após uma gozada, e que cada vez se mostrava mais fraca essa sensação e com isso, o sentimento de vazio acentuavasse.
   Nesse período ganhei um iPhone e um quarto, tudo se declinou para pior, eu havia acesso a muito mais pornografia que antes, horários diferentes, eu havia ganhado um adversário, a privacidade. E também nesse período comecei a usar bastante o Facebook, conheci muitas pessoas que ajudaram a eu seguir com o meu vício, mas também conheci uma garota, que vou chamar de misaki, foi a primeira pessoa que me fez sentir uma afeição pela vida, me alegrava acordar e conversar com ela, mas infelizmente o tempo foi passando e meu vício piorando, pois, ela também havia, agora eu tinha um icentivo para continuar, tinha alguém comigo, isso me iludiu por muito tempo, após 2 anos, ela mudou, mas eu não, eu tinha atingido a minha zona de conforto.
    Conforme o tempo passava, a nossa relação havia mudado, eu simplesmente não enxergava mais humanos, apenas objetos para obter prazer, antigamente assentia que a vida não era apenas isso, agora não, o meu viés mudou completamente, havia virado algo completamente fúnebre, assustador. Brigas tornaram-se consecutivas, tal relação não tinha mais propósito, ela recusava-se a contribuir com o meu vício doentio, eu no fundo concordava com isso, mas meu orgulho não permitia eu ter humildade de assumir o erro, então terminei com ela.
   Fiquei tão frustrado com as coisas que o vício tirou-me que comecei a tentar mudar, infelizmente se resume a essa palavra, tentar, a cerca de 1 ano estou tentando, minha maior sequencia foi de 30 dias, tive boas mudanças em comparação com meu outro “eu”, hoje o meu vício se resume a 2 vezes por semana, estou mais controlado, a minha visão de mundo está bem diferente, embora que a quarentena é a quando obstaculo, ficar sozinho dificulta a perda do meu vício, então resolvi-me abrir para o fórum que leio há muito tempo, hoje tenho 17 anos, espero perder essa obsessão até os meus 18, é maçante isso na minha vida.

bem vindo ao forúm mano, eu sei que é dificil e frustante ficar tentando e tentando, mas vai dar certo mano creia em nome de Jesus.
tente praticar alguns hobbies em casa ja que está tendo essa quarentena, enfim, boa sorte no reboot... estarei te acompanhando Very Happy
Rene.Gade
Rene.Gade
Moderador
Moderador
Mensagens : 1289
Data de inscrição : 06/08/2019

Só mais alguém perante um vício Empty Re: Só mais alguém perante um vício

em 9/5/2020, 20:14
Olá Chz!

Seja muito bem-vindo ao fórum! Parabéns por ter identificado que a PMO estava te atrapalhando e ter se proposto a mudar essa situação. Procure ir mudando sua vida e hábitos aos poucos, foque em atividades que te deem prazer, (hobbies, exercícios físicos, meditação, aquilo que funcionar para você) e em novos hábitos saudáveis, dessa forma você diminui as fissuras e faz seu processo fluir melhor.

Espero que tudo dê certo e que você tenha um ótimo reboot!


Confira alguns links recomendados para ficar por dentro do fórum, caso ainda não tenha lido:

Certifique-se de ler as normas do fórum por meio das Regras de Participação e das Proibições.

Para saber mais sobre o método proposto confira dúvidas básicas sobre o reboot e vício em PMO, além disso baixe o Guia Introdutório, que servirá como suporte para entender o processo de reboot, dentre outras informações importantes.

Lembre-se de estar instalando bloqueadores de P nos seus dispositivos e colocando um contador de dias na sua assinatura aqui, para te auxiliarem durante seu processo de reboot. Para instalar bloqueadores você pode seguir os tutorias dos Tópicos Recomendados, e se ficar com alguma dúvida dê uma olhadinha na Seção de Ferramentas e Bloqueadores. Para instalar um contador confira Como Instalar um Contador de Dias.

Para mais informações ou falar com a moderação visite a Seção de Orientações Básicas, e para alguma dúvida sobre o método procure, ou pergunte, na Seção de Dúvidas.

Não se esqueça de nos manter atualizados sobre seu processo aqui no seu diário.

Até maais!

_______________________________________



RECORDE SEM M.O: 51 DIAS
MEU DIÁRIO DE PRINCESA  
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum