Ir em baixo
Harvey Reginald Specter
Harvey Reginald Specter
Mensagens : 978
Data de inscrição : 23/10/2019
Localização : New York

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

em 31/7/2020, 11:58
MegaDrive escreveu:Nem é papo de P,  mas capaz que quem tá entrando no mundo adulto agora e às vezes lembra um pouco da adolescência e escola se identifique um pouco.

Amizades ruins.

Escolher errado. É nisso que se baseou boa parte do que acordei pensando hoje. Já disse que na escola eu nunca fui a criança que tinha muitos amigos e era seguida pelos outros. Eu era um bocado sozinho para falar a verdade. Estudei em 2 escolas na minha vida. A escola A eu permaneci desse o  meu jardim de infância até a minha quinta série, na escola B da sexta até a oitava série e voltei para a escola A no ensino médio. As coisas começam Quando eu saí da escola A pela primeira vez, deixei um par de amigos bons lá, um garoto e uma garota. Nos anos seguintes eu até tentei manter contato com eles, apesar de que não tinha direito essa estrutura de hoje, que as pessoas conversam a distância fácil assim.

Quando voltei para a escola A no ensino médio, eles estavam lá, mas parecia que não estavam. Um tinha crescido mais que eu,  a menina agora era uma moça e eles eram completamente alheio a mim, sendo que ainda os considerava ótimos amigos, pelo que aconteceu na infância. Decidi deixar a carência de lado e esquecê-los de uma vez, achando outras companhias, dessa vez menos "populares". Meu pecado aconteceu por causa dessa palavra. Com o tempo fui trocando de companhias, sempre sendo alguém ali da média, até chegar no terceiro ano e "encontrar" de volta essa garota aí que tinha sido a minha amiga. Nós voltamos a conversar, a diferença era que naquela vez ela era a "popularzinha" da turma.

Fizemos uma panelinha e eu entrei nela. Eu era popular. Menininhas andando junto, os caras mais famosinhos, os "bonitos". Pra mim tudo estava sendo incrível. Claro que agora tudo é muito mais evidente, mas desde aquela época eu sentia que existia algo errado naqueles indivíduos que eu me familiarizei. Eu sentia como se estivesse lá, mas não me identificava com nenhum. As minhas conversas não eram as mesmas que as deles, os olhares, tudo. Insistindo de volta naquilo que comentei, eu mais seguia eles do que era amigo mesmo.

O lado negativo de tudo isso era que existiam boas pessoas lá na escola, mas eu não podia andar com elas. Pois não eram as mais "bonitas", "populares", "ricas" ou influentes. Acontece que 3 anos depois você se lembra de uma coisa assim e um vazio muito grande se levanta da sua alma: ter escolhido errado. Pela forma que eu tratei algumas pessoas, eu sou só um canalha de merda que enxergava os outros mais pela aparência do que qualquer outra coisa. Mas isso se virou contra mim, porque eu fiquei sem amigos e consegui entender melhor o que algumas dessas pessoas as quais eu tratei mal sentiam. Falei de alguns pelas costas, "zoei" e até isolei outras, deixando-as sozinhas no canto.

Eu não sei dizer se essas pessoas teriam sido boas companhias, não tenho como confirmar nada. Mas a alma guarda um sentimento ruim ao ver que eu escolhi o pior caminho. Me importei muito com as aparências dos outros e do que iam dizer de mim caso eu andasse com certos indivíduos. Mas eu daria tudo para ter alguns deles de volta, principalmente duas moças muito, muito bacanas que passaram  por mim. Eu não tenho como voltar no tempo, a merda já está feita e me resta apenas refletir e me arrepender de tais erros.

Mas se eu pudesse dar uma dica para qualquer um que ainda está nessa época de escola, eu diria para tomar cuidado com as aparências. Popularidade é o caralho. Todas essas pessoas vão sumir da sua vida e sendo bem sincero você nem sequer deve culpa-las pois a vida funciona dessa maneira. Eu andei com indivíduos terríveis quando era mais novo, mas reclamar não vai adiantar, pois eu tive a escolha de me relacionar com eles ou não. No fim a aparência não vale a pena, você termina sozinho e com arrependimentos.

Saudações, Mega!

Primeiro quero te falar que sempre que você olhar pra trás com os olhos da atualidade você irá se arrepender de algo, o grande erro é se sentir mal e se martelar por isso, por que você não pode mudar nada, você só pode refletir e aprender com isso, e dessa forma pegar essa situação como um impulso para procurar seguir sempre o melhor caminho, mas como saber fazer boas escolhas? Ficar aberto para o conhecimento, ler bons livros, buscar bons amigos e mais milhares de coisas.

Quero te levar a uma reflexão aqui, você me falou que se sente mal pelos seus amigos, mas me conta uma coisa, se você continuar praticando PMO por mais 10 anos e chegar aos 30/32 com esse vício, como que você vai olhar pra trás? Será que não vai se arrepender tb? Eu tenho certeza que sim. 

O que quero dizer é que o passado já ficou pra trás, e você não tem mais ele em suas mãos, a única coisa que você tem é o presente, então dessa forma aprenda com a situação, e procure sempre fazer boas escolhas, pois isso vai fazer de você um ser humano melhor, e com certeza você irá olhar pra trás com bem menos arrependimento.

Eu falei "bem menos" por que sempre vamos nos arrepender de algo... E assim funciona a vida.

Um abraço do Harv

_______________________________________


Acesse o meu diário.
Lembre-se da pessoa que você vai se tornar após se libertar desse vício, acredite em si, você é bem MAIOR do que simples doses de prazer.

Vagabond gosta desta mensagem

MegaDrive
MegaDrive
Mensagens : 175
Data de inscrição : 05/06/2020

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

em 31/7/2020, 14:00
Harvey Reginald Specter escreveu:
MegaDrive escreveu:Nem é papo de P,  mas capaz que quem tá entrando no mundo adulto agora e às vezes lembra um pouco da adolescência e escola se identifique um pouco.

Amizades ruins.

Escolher errado. É nisso que se baseou boa parte do que acordei pensando hoje. Já disse que na escola eu nunca fui a criança que tinha muitos amigos e era seguida pelos outros. Eu era um bocado sozinho para falar a verdade. Estudei em 2 escolas na minha vida. A escola A eu permaneci desse o  meu jardim de infância até a minha quinta série, na escola B da sexta até a oitava série e voltei para a escola A no ensino médio. As coisas começam Quando eu saí da escola A pela primeira vez, deixei um par de amigos bons lá, um garoto e uma garota. Nos anos seguintes eu até tentei manter contato com eles, apesar de que não tinha direito essa estrutura de hoje, que as pessoas conversam a distância fácil assim.

Quando voltei para a escola A no ensino médio, eles estavam lá, mas parecia que não estavam. Um tinha crescido mais que eu,  a menina agora era uma moça e eles eram completamente alheio a mim, sendo que ainda os considerava ótimos amigos, pelo que aconteceu na infância. Decidi deixar a carência de lado e esquecê-los de uma vez, achando outras companhias, dessa vez menos "populares". Meu pecado aconteceu por causa dessa palavra. Com o tempo fui trocando de companhias, sempre sendo alguém ali da média, até chegar no terceiro ano e "encontrar" de volta essa garota aí que tinha sido a minha amiga. Nós voltamos a conversar, a diferença era que naquela vez ela era a "popularzinha" da turma.

Fizemos uma panelinha e eu entrei nela. Eu era popular. Menininhas andando junto, os caras mais famosinhos, os "bonitos". Pra mim tudo estava sendo incrível. Claro que agora tudo é muito mais evidente, mas desde aquela época eu sentia que existia algo errado naqueles indivíduos que eu me familiarizei. Eu sentia como se estivesse lá, mas não me identificava com nenhum. As minhas conversas não eram as mesmas que as deles, os olhares, tudo. Insistindo de volta naquilo que comentei, eu mais seguia eles do que era amigo mesmo.

O lado negativo de tudo isso era que existiam boas pessoas lá na escola, mas eu não podia andar com elas. Pois não eram as mais "bonitas", "populares", "ricas" ou influentes. Acontece que 3 anos depois você se lembra de uma coisa assim e um vazio muito grande se levanta da sua alma: ter escolhido errado. Pela forma que eu tratei algumas pessoas, eu sou só um canalha de merda que enxergava os outros mais pela aparência do que qualquer outra coisa. Mas isso se virou contra mim, porque eu fiquei sem amigos e consegui entender melhor o que algumas dessas pessoas as quais eu tratei mal sentiam. Falei de alguns pelas costas, "zoei" e até isolei outras, deixando-as sozinhas no canto.

Eu não sei dizer se essas pessoas teriam sido boas companhias, não tenho como confirmar nada. Mas a alma guarda um sentimento ruim ao ver que eu escolhi o pior caminho. Me importei muito com as aparências dos outros e do que iam dizer de mim caso eu andasse com certos indivíduos. Mas eu daria tudo para ter alguns deles de volta, principalmente duas moças muito, muito bacanas que passaram  por mim. Eu não tenho como voltar no tempo, a merda já está feita e me resta apenas refletir e me arrepender de tais erros.

Mas se eu pudesse dar uma dica para qualquer um que ainda está nessa época de escola, eu diria para tomar cuidado com as aparências. Popularidade é o caralho. Todas essas pessoas vão sumir da sua vida e sendo bem sincero você nem sequer deve culpa-las pois a vida funciona dessa maneira. Eu andei com indivíduos terríveis quando era mais novo, mas reclamar não vai adiantar, pois eu tive a escolha de me relacionar com eles ou não. No fim a aparência não vale a pena, você termina sozinho e com arrependimentos.

Saudações, Mega!

Primeiro quero te falar que sempre que você olhar pra trás com os olhos da atualidade você irá se arrepender de algo, o grande erro é se sentir mal e se martelar por isso, por que você não pode mudar nada, você só pode refletir e aprender com isso, e dessa forma pegar essa situação como um impulso para procurar seguir sempre o melhor caminho, mas como saber fazer boas escolhas? Ficar aberto para o conhecimento, ler bons livros, buscar bons amigos e mais milhares de coisas.

Quero te levar a uma reflexão aqui, você me falou que se sente mal pelos seus amigos, mas me conta uma coisa, se você continuar praticando PMO por mais 10 anos e chegar aos 30/32 com esse vício, como que você vai olhar pra trás? Será que não vai se arrepender tb? Eu tenho certeza que sim. 

O que quero dizer é que o passado já ficou pra trás, e você não tem mais ele em suas mãos, a única coisa que você tem é o presente, então dessa forma aprenda com a situação, e procure sempre fazer boas escolhas, pois isso vai fazer de você um ser humano melhor, e com certeza você irá olhar pra trás com bem menos arrependimento.

Eu falei "bem menos" por que sempre vamos nos arrepender de algo... E assim funciona a vida.

Um abraço do Harv

Valeu pela força mano, eu não vou me punir por ter feito algo no passado que a minha consciência de hoje não concorda. Só estou tentando aprender mesmo, ver o que poderia ter sido feito e começar a praticar. Passado é passado e acabou. Tudo de bom meu amigo!

_______________________________________
Zero

Pakit gosta desta mensagem

Lupus Red Bellator
Lupus Red Bellator
Mensagens : 340
Data de inscrição : 26/03/2020
Idade : 19
Localização : KLUANE NATIONAL PARK – YUKON

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

em 31/7/2020, 15:08
MegaDrive escreveu:
Lupus Red Bellator escreveu:
Spoiler:
Vou me intrometer porque a discussão é muito interessante kkkkk Sobre essa perspectiva de voltar a examinar nosso passado: Creio que pode sim ser útil, mas antes de querer examinar nossas atitudes passadas é necessário aprender a ser sinceros com nós mesmos(uma das parte mais difíceis). Sem exagerar as circunstâncias ou nossas motivações e a partir disso, fazer um julgamento daquele momento, para podermos ser melhores agora. Mas como podemos ser juízes de nós mesmos se nosso juízo é fraco e muda constantemente? Acredito que esse problema pode ser resolvido quando adotamos uma assembleia de vozes. Quando escolhemos certas pessoas para serem nossos juízes e conselheiros (de preferência pessoas mortas, pois temos menos risco de errar. Essas pessoas tem que ter tido uma vida que admiramos e com uma moral que acreditamos e a partir daí conseguimos fazer mudanças verdadeiras na nossa personalidade.). Toda vez que nos expomos com sinceridade diante dessa assembleia de vozes e contamos nossa história, de alguma forma aprendemos mais sobre nós mesmos. No seu caso Mega Drive (das amizades), você pode ter errado? Sim, mas isso de fato não importa muito. O que importa é o que você faz agora, com o que você tem agora. Se você se sente solitário, procure amizades(algum clube com pessoas que amem as mesmas coisas e repudiem as mesmas coisas que você, em ultima análise uma amizade verdadeira é baseado nisso.), se você quer namorar, namore.(procure a pessoa que vai de encontro com o que você acredita.) Você e seu irmão são pessoas diferentes, só porque ele errou não quer dizer que acontecerá o mesmo com você. Só porque algo não foi feito por alguém que conhecemos, não quer dizer que torna aquilo impossível(no caso de conciliar namoro-estudo.). A internet está aí para abrir fronteiras, pesquise sobre "como conciliar namoro-estudo.". Muitas vezes criamos desculpas para nós fechar e nós poupar. Talvez você esteja esperando as circunstâncias ideais para tentar um relacionamento, mas e se essas circunstâncias nunca acontecerem? "Viva o provisório, como permanente." Enfim espero ter contribuído para essa discussão maravilhosa, embora 90% do que eu disse não foram minhas palavras e sim do Dr. Ítalo Marsilli e de outros filósofos. Bem, é isso. Força! Fique com Deus e até!


Eu te xingo quando cai, fique a vontade para dar uns pitacos kkkk.

Pois bem, eu acho que é muito importante mesmo você maneirar na questão do julgamento. Importante é refletir sobre o que a gente fez, e não remoer. O nosso julgamento pode sim ser inconsistente de certa forma, mas penso que o tempo e determinados estímulos fazem ele evoluir. É diferente eu querer fazer esse tipo de reflexão antes do reboot, algo que serviria apenas para me julgar, e agora, com uma certa ajuda do pessoal, servindo como uma maneira de encontrar uma saída. Eu agradeço a advertência mesmo porque eu acho que nunca me valorizei do lado do resto do mundo de certa forma, eu nunca me achei capaz de fazer muita coisa atrelada a relacionamentos ou algo parecido, costumo pegar meio pesado. Talvez eu seja meio perfeccionista no mau sentido da palavra, tendo modelos demais para SEGUIR.

Eu falei várias a palavra "seguir", porque é isso que eu sempre fiz. Minhas amizades eram uma merda nesse sentido, eu diria. Deixando muito claro: Eu definitivamente não estou culpando minhas antigas companhias de nada, elas não são más pessoas ou coisa parecida. Se alguém entendeu errado, fui eu. E nessa conclusão é muito fácil eu querer me sentenciar, daí a razão para eu precisar de cuidado. Talvez eu me julgue muito mesmo.

Sobre o namoro,, é algo a mais para eu pensar. Foi muito comum eu ficar arrumando desculpas pra cobrir a minha insegurança. Saio falando que não namoro por causa do exemplo do meu irmão e de meu estudo mas é um baita migué ridículo .Tenho é vergonha e ansiedade mesmo. É claro que todos temos algumas preferências ou algo parecido, mas muitos dos meus "filtros" eram na verdade desculpas travestidas de "condições ideais" de namorada. Acho que criei uma visão de que o mundo é um vilão que me julga, e mudar isso é uma das coisas que quero fazer durante o meu processo. Sei lá, talvez todos tenham o seu valor para alguém, e mesmo que esse alguém seja difícil de encontrar, importante é assimilar esse valor dentro de nós mesmos.Com isso eu tento pegar sentimentos ruins como timidez, ansiedade e baixa auto-estima e atenuá-los para interagir mais, conhecer mais gente, histórias, vidas e mais. O outro ser humano nos enriquece espiritualmente, sendo ele um amigo ou uma namorada. Por isso, eu não vou mais me isolar.

Agradeço as ideias, clarearam muita coisa. Fique com Deus, Lúpus. Tudo de bom!  


kkkkkkkkkk Mds

Sim, acho que tem razão em relação esse ponto. Eu entendo sobre o perfeccionismo! É você está sendo um pouco cruel consigo mesmo rs. Pense sim, falo isso porque é algo que eu pensei muito também, será que não estou usando meu estudo de escudo? As conclusões começaram a ficar mais claras depois. Eu te entendo nessa questão do "parceiro perfeito" kkkkk tem um quadro que acho que se encaixa perfeitamente nessa situação, eu não me recordo o nome, mas ele basicamente fazia um referencia a nós recusarmos o real e amar um mito da nossa cabeça. Isso aí! Quem agradece sou eu! Fique com Deus Mega Drive! Força e tudo de bom para você também!

_______________________________________
Frodo:"Queria que o anel nunca tivesse sido dado a mim e que nada disso tivesse acontecido."

Gandalf:"Assim como todos que testemunham tempos sombrios como este, mas não cabe a eles decidir, o que os cabe é decidir o que fazer com o tempo que nos é dado."

_Senhor dos Anéis: A sociedade do Anel_J.R.R. Tolkien
avatar
Pakit
Mensagens : 33
Data de inscrição : 15/07/2020

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

em 31/7/2020, 17:58
Boa tarde gente. Muito legal a contribuição e reflexões que vocês trouxeram. Nosso papo ia muito longe se tivéssemos em um bar hahaha
Realmente é isso, o Reboot precisa ser uma cura de dentro para fora.

Affs, tenho uma relação complicada com fóruns. Pois escrever ideias de um jeito que fiquem concatenado e coerente, para mim é um grande obstáculo haha.

Ao ler as respostas de todos vocês, concordei com tudo. Costumo pensar que a vida não é sobre ter controle do ambiente e das coisas as nossas voltas, e sim, ter controle das nossas próprias reações e nosso próprio autocontrole de lidar com o que o ambiente nós entrega. Você não pode evitar que seu amigo ou esposa brigue com você, mas como você pode reagir como resposta a agressão do outro? Mesma coisa no trabalho, na faculdade, nos relacionamentos afetivos ou amorosos. Não podemos manipular tudo a nossa volta, mas te garanto que controlar as próprias respostas diante do fenômeno, é possível e muito libertador. Parar o PMO é isso.

Como falei antes, eu tenho uma visão um pouco diferente sobre o irmão do Mega. Não acho que ele errou, e sim, baseado no repertório dele, ele provavelmente fez ações que eram interessantes e eficazes para ele naquele momento. Só que mesmo nós achando que estamos fazendo o certo, podemos gerar resultados pouco bacanas e aí bate o arrependimento. "O que eu poderia fazer de diferente?" Não sei se teve muita coisa a se fazer. Se ele percebesse antes que os amigos não eram bacanas e as namoradas não eram as melhores escolhas, duvido muito que ele ia permanecer. Tinha algo ali que fez ele errar e continuar persistindo no erro.

Mas é algo que a gente acabou falando aqui: a merda só se deu depois das consequências não serem muito as esperadas. Podemos sentar e chorar quando algo dar errado, e permanecer no erro, procurando justificativa para continuar.
Ou podemos fazer melhor melhor, e tentar colocar tudo em pespectiva. Perceber onde erramos, como podemos lidar melhor da próxima vez e não nós julgar tanto. Não existe isso de segunda chance, porque estamos errando e acertando todos os dias. Temos muitas CHANCES, só não percebemos. Principalmente, de ser diferente do que fomos ontem.

Abraços!! Vai dá tudo certo no final. Resiliência e paciência, sempre.

Urso Polar e Lupus Red Bellator gostam desta mensagem

MegaDrive
MegaDrive
Mensagens : 175
Data de inscrição : 05/06/2020

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Zero

em 3/8/2020, 00:57
Zero

_______________________________________
Zero
Lupus Red Bellator
Lupus Red Bellator
Mensagens : 340
Data de inscrição : 26/03/2020
Idade : 19
Localização : KLUANE NATIONAL PARK – YUKON

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

Ontem à(s) 00:26
MegaDrive escreveu:Zero

Força! Continue lutando! Fique com Deus e até.

_______________________________________
Frodo:"Queria que o anel nunca tivesse sido dado a mim e que nada disso tivesse acontecido."

Gandalf:"Assim como todos que testemunham tempos sombrios como este, mas não cabe a eles decidir, o que os cabe é decidir o que fazer com o tempo que nos é dado."

_Senhor dos Anéis: A sociedade do Anel_J.R.R. Tolkien

Urso Polar gosta desta mensagem

avatar
Pakit
Mensagens : 33
Data de inscrição : 15/07/2020

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

Ontem à(s) 11:15
É Mega, não desista. Eu cair também recentemente(semana passada) e voltei a consumir PMO de um jeito bem compulsivo.
Prometi para mim que iria voltar no começo desse mês com tudo. E estou aqui comentando no tópico no meu dia três de reboot! Bacana que a gente tem dias parecidos agora. Não é o fim do mundo fazer o reset, e sim, um novo recomeço. E quanto mais dias no fórum tentando fazer acontecer esse reboot, mais você treina seu corpo a criar autocontrole. Mas isso não é de um dia para o outro, a gente consumia P todos os dias, o corpo está bem acostumado com essa fonte de dopamina. É uma luta árdua e difícil de segurar, mas no final das contas, geralmente é mais de vitórias. Olha o dias que você ficou sem P e isso já prova que você consegue.

O negócio é levantar a cabeça e se erguer. Vamos nos ajudando já que eu também reiniciei meu dias 😉. E tô de boa sobre isso, agora vamos conseguir, não é mesmo?
Resiliência, Mega.

Urso Polar gosta desta mensagem

Urso Polar
Urso Polar
Mensagens : 582
Data de inscrição : 01/09/2017
Idade : 32

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

Ontem à(s) 14:35
MegaDrive escreveu:Zero

Tá certo, irmão: Zero.

Mas e o 1, 2, 3, e assim por diante.

Força brother, todos nós aqui erramos. Poucos são os que engatam o reboot de primeira. Mas não dá para sumir.

_______________________________________


"Venho entendendo que as coisas são como são. (...) Logo, não há razão para procurar abrigos em PMO. Não vou jamais mudar a natureza delas, mas posso mudar a minha forma de vê-las, de percebê-las. Posso aceitá-las (não se trata de uma mera aceitação conformativa, mas uma aceitação que desencadeia mudanças), assim, não dando poder aos sentimentos. Controlando-os, convivendo com eles - em paz". 5&4

Pakit gosta desta mensagem

Revy
Revy
Mensagens : 56
Data de inscrição : 16/11/2019
Idade : 21

O que eu sinto é ódio - Página 8 Empty Re: O que eu sinto é ódio

Ontem à(s) 18:25
Força aí mano, também recaí a poucos dias, espero que você não se afunde como eu me afundo quando recaio, recomponha-se o mais rápido possível e volte para a sua caminhada.

_______________________________________
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum