Ir em baixo
avatar
newman2020
Mensagens : 1
Data de inscrição : 23/08/2020

Diário da minha libertação Empty Diário da minha libertação

em 23/8/2020, 19:59
Boa noite Rebooters. Vou contar a minha história.
Fui criado numa família religiosa, onde sexo era de certo modo tabu. Minha mãe me incentivava a não fazer nada que aflorasse desejos sexuais. Meu pai me proibia de fazer quase tudo (sair, socializar, brincar, fazer esportes...) por um medo pessoal ilógico. Eu sempre fui obediente, e fui fervoroso na minha fé até no meio da minha adolescência. Foi ai que me desiludi. Vi que não tinha amigos e ninguém se importava comigo. Isso foi o gatilho pra eu entrar de cabeça no mundo da PMO.
Desde de pequeno eu tinha uma certa perversão sexual, e as vezes me masturbava e via mulheres seminuas. Eu sempre fantasiava as mulheres e o sexo com elas. Fazia muito isso já que nunca tive de fato algum contato feminino sequer (beijos, conversa, caricias etc). A P a principio me deu um conhecimento que eu não tinha, e por muito tempo, apesar de eu saber que era errado segundo os principios que me foram ensinados e dizer que ia parar, não me fez tanto mal. Mais de um ano na pornografia e agora eu tive minhas primeiras experiências com sexo oposto, no fim do ensino médio: fiquei com algumas garotas, conversei mais com o sexo oposto, me senti desejado e causei ciumes ( coisas que inflaram meu ego), e tive um romance com uma garota no fim do ano (usei ela pra saciar algumas das minhas fantasias).
Logo em seguida me vi solitário, sem amigos, em casa, esperando algo acontecer, eu já pensava não mais pelos meus pais e sim por mim mesmo. Comecei a definir metas, estabelecer alvos. E comecei a perceber a minha indisposição pra alcançá-los. Percebi que meu cabelo diminuiu bastante de volume, eu sempre acordava cansado, e procastinava tudo. Eu já sentia isso mas agora como adulto o peso disso começou a me esmagar. Percebi também sintomas de DE induzida por pornografia. Vi que não era capaz de criar laços afetivos com outras pessoas, que toda interação social, até com meus pais, era extremamente exaustiva.
O peso disso tudo me fez ver que algo precisava mudar. O habito da PMO controlava minha vida e me distanciava cada vez mais do futuro que eu queria ter. Sei que por causa da minha criação por pais superprotetores eu fiquei debilitado socialmente e busquei na P uma realidade mais desejavel que a minha. Mas agora vejo que cabe a mim tomar uma atitude e mudar meus hábitos, abandonar este vício que acredito ser a raiz dos meus principais defeitos e começar a construir uma realidade que me dê prazer em viver.
Cansei de ver os outros como objetos, de me sentir sempre deslocado, de ficar em casa fim de semana esperando o tempo passar na angústia da minha própria existência inútil. Cansei de me sentir vazio.
Ja fiz metas e defini alguns passos. Mas principal e mais urgente é me libertar da minha maior prisão, a que eu acabei me colocando. Esse é meu primeiro dia de Reboot.
Conto com o apoio de vocês. Estou aberto a dicas, conselhos e experiências. Pretendo entrar aqui pelo menos uma vez na semana pra relatar meu progresso.
Bom reboot para todos.
avatar
Lorenzo Mitielli
Mensagens : 23
Data de inscrição : 01/01/2020
Idade : 45

Diário da minha libertação Empty Não desista

em 24/9/2020, 12:32
Bem-vindo Newman!
Parabéns pela iniciativa e determinação para parar com esse lixo que é a P
Sou pai e entendo sua situação.
Faça de tudo para abandonar esse vício. Você vai ter uma mente mais clara e objetiva para sua vida.
Grande abraço!

_______________________________________
EU01
EU01
Mensagens : 81
Data de inscrição : 21/09/2020
Idade : 20

Diário da minha libertação Empty Re: Diário da minha libertação

em 24/9/2020, 16:34
newman2020 escreveu:Boa noite Rebooters. Vou contar a minha história.
Fui criado numa família religiosa, onde sexo era de certo modo tabu. Minha mãe me incentivava a não fazer nada que aflorasse desejos sexuais. Meu pai me proibia de fazer quase tudo (sair, socializar, brincar, fazer esportes...) por um medo pessoal ilógico. Eu sempre fui obediente, e fui fervoroso na minha fé até no meio da minha adolescência. Foi ai que me desiludi. Vi que não tinha amigos e ninguém se importava comigo. Isso foi o gatilho pra eu entrar de cabeça no mundo da PMO.
Desde de pequeno eu tinha uma certa perversão sexual, e as vezes me masturbava e via mulheres seminuas. Eu sempre fantasiava as mulheres e o sexo com elas. Fazia muito isso já que nunca tive de fato algum contato feminino sequer (beijos, conversa, caricias etc). A P a principio me deu um conhecimento que eu não tinha, e por muito tempo, apesar de eu saber que era errado segundo os principios que me foram ensinados e dizer que ia parar, não me fez tanto mal. Mais de um ano na pornografia e agora eu tive minhas primeiras experiências com sexo oposto, no fim do ensino médio: fiquei com algumas garotas, conversei mais com o sexo oposto, me senti desejado e causei ciumes ( coisas que inflaram meu ego), e tive um romance com uma garota no fim do ano (usei ela pra saciar algumas das minhas fantasias).
Logo em seguida me vi solitário, sem amigos, em casa, esperando algo acontecer, eu já pensava não mais pelos meus pais e sim por mim mesmo. Comecei a definir metas, estabelecer alvos. E comecei a perceber a minha indisposição pra alcançá-los. Percebi que meu cabelo diminuiu bastante de volume, eu sempre acordava cansado, e procastinava tudo. Eu já sentia isso mas agora como adulto o peso disso começou a me esmagar. Percebi também sintomas de DE induzida por pornografia. Vi que não era capaz de criar laços afetivos com outras pessoas, que toda interação social, até com meus pais, era extremamente exaustiva.
O peso disso tudo me fez ver que algo precisava mudar. O habito da PMO controlava minha vida e me distanciava cada vez mais do futuro que eu queria ter. Sei que por causa da minha criação por pais superprotetores eu fiquei debilitado socialmente e busquei na P uma realidade mais desejavel que a minha. Mas agora vejo que cabe a mim tomar uma atitude e mudar meus hábitos, abandonar este vício que acredito ser a raiz dos meus principais defeitos e começar a construir uma realidade que me dê prazer em viver.
Cansei de ver os outros como objetos, de me sentir sempre deslocado, de ficar em casa fim de semana esperando o tempo passar na angústia da minha própria existência inútil. Cansei de me sentir vazio.
Ja fiz metas e defini alguns passos. Mas principal e mais urgente é me libertar da minha maior prisão, a que eu acabei me colocando. Esse é meu primeiro dia de Reboot.
Conto com o apoio de vocês. Estou aberto a dicas, conselhos e experiências. Pretendo entrar aqui pelo menos uma vez na semana pra relatar meu progresso.
Bom reboot para todos.

Olá, newman. Parabéns por ter a força de começar essa recuperação, que não vai ser nem um pouco fácil. No começo, ainda será muito difícil. Recomendo que pelo menos nos primeiros 20 dias, realize ao menos uma postagem por dia no seu diário, relatando suas dificuldades e sentimentos de cada dia, acredite, isso será precioso pra você revisitar sentimentos que te movem a lutar contra a pmo, identificar gatilhos, criar novas estratégias, tudo isso podera ser trabalhado por meio do seu diário. Precisando de ajuda, tirar dúvidas, eu e outros membros do fórum estamos aqui pra ajudar. Você pode encontrar meu diário nessa mesma seção, onde podera encontrar meu histórico de luta e quem sabe achar algumas dicas, experiências e inspirações pro seu próprio reboot. No mais, estarei acompanhando.

_______________________________________
Diário e contagem de dias (No P,M,O)
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum