Ir em baixo
Carioca31
Carioca31
Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/11/2020
Idade : 31

Diário de Carioca31 - Retomando as rédeas da minha vida! Empty Diário de Carioca31 - Retomando as rédeas da minha vida!

5/11/2020, 10:10
Olá Guerreiros, vim criar o meu diário para me ajudar a combater um mal que eu já desconfiava que tinha mas não sabia quão grave era.
Moro no Rio, tenho 31 anos e como a maioria dos jovens dessa idade, acho que fui pego pela armadilha da pornografia achando que era algo normal e que estava fazendo bem pra mim e pra minha saúde, comecei aos 12 ou 13 anos com a masturbação, desde sempre gostei muito disso e pela cultura dos anos 90 era mais do que certo, sempre fui muito alto e pra frente com tudo, então fazia mais amizade com os irmãos dos amigos de escola do que eles mesmo, um deles de 19 anos foi quem me emprestou a primeira fita VHS que eu vi, eu lembro exatamente como foi a primeira vez, meu irmão já estava na rua até tarde e meu pai foi busca-lo, então eu coloquei a fita de vídeo e comecei a me mastubar, depois de alguns minutos daquilo eu me senti estranho e ejaculei, meio que não tinha entendido o que houve, mas gostei. Daí pra frente vieram mais e mais fitas e o processo se repetia sempre pois meus pais trabalhavam o dia todo e eu ficava com meu irmão em casa, que ficava sempre na rua brincando e eu em casa assistindo a essas fitas e me masturbando, ao passar dos anos, comecei a alugar fitas na locadora, que depois passaram pra dvd, e mais pra frente ganhamos um computador bem veloz e uma internet banda larga, na época a banda larga era de 300kb de velocidade rs, mais do que suficiente para baixar vídeos, eu usava o computador para jogar jogos online e masturbação, quase não saia de casa, com 18 anos eu tive a primeira relação sexual real da minha vida, não sabia o que fazer ou o que pensar, só fui deixando acontecer, a menina fez sexo oral em mim e depois eu penetrei ela por umas meia hora, e nada de gozar, o que eu achei estranho porque era bom mas não era tão incrível e satisfatório como a masturbação, daí eu achei que o motivo era por eu ter muito prepúcio no pênis, achava que aquilo não dava a sensibilidade pra me fazer gozar tão rápido quanto a masturbação, mas ao mesmo tempo sempre ouvia falar que o homem que goza rápido não satisfaz as mulheres, então meio que me sentia bem por controlar a hora que eu ia gozar(com a masturbação), mas com o passar do tempo comecei a perceber que eu NUNCA conseguia gozar com penetração, e a sensação da masturbação era pelo menos 10x melhor do que a da penetração e do sexo oral, mas sempre acreditando na questão da pele a mais que atrapalhava, depois de vários relacionamentos, com 24 anos comecei a namorar uma mulher de 34 anos, que era muito ativa sexualmente e que desde o começo colocou na minha cabeça que eu tinha que operar o pênis para começar a gozar durante a transa e não só com masturbação pois aquilo a deixava muito frustrada e que a estética do meu pênis também não era muito boa pra ela, concordei em operar e fiz os procedimentos, mas quando chegou próximo a cirurgia tivemos uma briga e terminamos, e não cheguei a operar.
Pouco tempo depois conheci a mulher que hoje é minha esposa, e estamos a 5 anos juntos, desde o primeiro dia que tivemos relações ela já se sentiu incomodada por não conseguir me fazer chegar lá sem masturbação e sempre falava na mesma operação que a minha ex, eu sempre aceitava operar mas ficava postergando, depois de um tempo de namoro fomos morar junto, e com a proximidade ficou mais difícil esconder o vício em pornografia, ela já tinha me flagrado várias vezes se masturbando, no começo ficava triste e chorava e eu tentava contornar dizendo que era algo normal entre os homens e que não fazia sempre (nessa época eu já não passava mais de 1 dia sem me masturbar.), com o tempo ela foi se acostumando e até me zoando quando chegava e encontrava uma situação suspeita, a pouco tempo ela organizou tudo da operação e fui ao médico para tirar a pelo do pênis com uma postectomia, daí fui procurar um grupo de postectomia no facebook para saber mais informações e trocar conhecimento sobre a operação que eu ia fazer, nesse grupo indaguei sobre a sensibilidade na glande depois da cirurgia e se a pessoa conseguia ejacular sem masturbação, a resposta foi o que me chocou: TODOS CONSEGUIAM EJACULAR NORMALMENTE! uns disseram que depois da cirurgia passaram a demorar mais pois a glande perde parte da sensibilidade após a cirurgia, (no caso eu deveria ejacular mais fácil antes da cirurgia do que depois dela.) ao conversar sobre com a minha esposa, ela também ficou espantada e foi pesquisar sobre, daí descobrimos a real causa do meu problema de ejaculação, eu tenho a síndrome de Death grip(punho de ferro), por ter me masturbado tanto em todos esses anos cada vez mais forte e rápido(para não ser pego) perdi grande parte da sensibilidade no pênis e por isso o sexo oral e penetração não me faziam sentir o mesmo prazer da masturbação, aquilo meio que me devastou, mas o apoio da minha esposa me deu um levante e uma motivação de procurar ajuda, daí cheguei aqui nesse fórum que ví dezenas de casos como o meu ou diferente, mas que tudo girava em torno da PMO, também ao assistir os videos do Gary, eu entendi que toda minha vida sexual foi devastada pela PMO, pelo fato de que quando eu tive a minha primeira transa real, meu pênis já não tinha a sensibilidade normal e o único prazer que eu senti a minha vida toda, foi artificial. Mas ao ler o Ebook e ver bastante relatos e vídeos sobre o assunto, decidi mudar minha história e retomar as rédeas da minha vida, não só pelo sexo, mas pela minha esposa, e a minha vida pessoal, vendo o quão devastador pode ser esse vício além de sexo, a procrastinação, a objetificação, a vontade de que a minha mulher vá trabalhar logo pra eu ficar sozinho e passar a tarde na PMO, tudo isso eu quero FORA DA MINHA VIDA! e vou lutar pra isso, conto com a ajuda de vocês ! REBOOT É A PALAVRA!!!
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum