Ir em baixo
avatar
canudin
Mensagens : 9
Data de inscrição : 29/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 12:40
Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!

Fseler e Tiago* gostam desta mensagem

Fseler
Fseler
Mensagens : 370
Data de inscrição : 18/10/2020
Idade : 40

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 14:39
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!
.... tarde canudinho blz.. cara me identifiquei 100% com tudo seu relato amigão.. sempre fui homem,
Sempre sofri por mulher, ex namoradas, me rebaixava pra te-lá de volta.. e desde o ano passado comecei a sofrer de HOCD TBM.. faço acompanhamento com psiquiatra, tomo medicação, tenho histórico de ansiedades e pânicos no passado, e etc.. com esses relatos que leio e me identifico fico cada dia mais ciente que realmente é essa doença da mente.. mas uma coisa que acontece comigo e a baixa libido e desejo sexual por mulheres... coisa que eu não tinha antes de ter hocd.. se puder veja meu diário ficaria grato, tenho já 40 anos e já sofri por isso no passado quando era mais jovem.. valeu

Tiago* gosta desta mensagem

avatar
SlaMan
Mensagens : 53
Data de inscrição : 16/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 14:55
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!

Opa mano, seu caso e vem parecido com o meu, as únicas coisa que mudam são o caso de uns amigos seus terem te beijado, nunca tive nada do tipo, e a parte de ter uma namorada kkk, tenho 15 anos e nunca fiquei com ninguém, acho q isso vai um pouco com a minha disposição, pois sempre fiquei no meu canto, nunca fui atrás das mina, achava que elas viriam até mim... Mas no resto, tenho os mesmos sintomas que você, até na parte de brochar, se eu vejo algum P, não me excito mais como antes.

Tiago* gosta desta mensagem

avatar
canudin
Mensagens : 9
Data de inscrição : 29/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 15:21
Fseler escreveu:
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!
.... tarde canudinho blz.. cara me identifiquei 100% com tudo seu relato amigão.. sempre fui homem,
Sempre sofri por mulher, ex namoradas, me rebaixava pra te-lá de volta.. e desde o ano passado comecei a sofrer de HOCD TBM.. faço acompanhamento com psiquiatra, tomo medicação, tenho histórico de ansiedades e pânicos no passado, e etc.. com esses relatos que leio e me identifico fico cada dia mais ciente que realmente é essa doença da mente.. mas uma coisa que acontece comigo e a baixa libido e desejo sexual por mulheres... coisa que eu não tinha antes de ter hocd.. se puder veja meu diário ficaria grato, tenho já 40 anos e já sofri por isso no passado quando era mais jovem.. valeu

Boa tarde, meu amigo!

Uma coisa que me tranquiliza é a questão dos sentimentos afetivos. Também sempre sofri por mulheres, me apaixonei por elas e me atrai por elas (sentimentalmente ou sexualmente). Todo esse contexto passado, com certeza contribui para o quadro atual que envolve HOCD. As medicações também fazem com que a gente perca um pouco da libido, mas elas são essenciais pra esse período de tratamento. Tenha calma, isso vai passar! Pode ser que demore, mas isso passa!

Grande abraço!

Tiago* gosta desta mensagem

avatar
canudin
Mensagens : 9
Data de inscrição : 29/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 15:25
SlaMan escreveu:
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!

Opa mano, seu caso e vem parecido com o meu, as únicas coisa que mudam são o caso de uns amigos seus terem te beijado, nunca tive nada do tipo, e a parte de ter uma namorada kkk, tenho 15 anos e nunca fiquei com ninguém, acho q isso vai um pouco com a minha disposição, pois sempre fiquei no meu canto, nunca fui atrás das mina, achava que elas viriam até mim... Mas no resto, tenho os mesmos sintomas que você, até na parte de brochar, se eu vejo algum P, não me excito mais como antes.

Opa!! Você ainda é muito novo e é bom estar procurando ajuda desde cedo. Se você ainda não fizer algum tratamento com psicólogo, tente começar. A terapia cognitivo comportamental vem me ajudando bastante, pois já estive muito pior, apesar das recaídas. Quanto mais cedo você der atenção pra isso, melhor vai ser o seu futuro. Seguimos juntos por aqui, estou sempre a disposição.

Grande abraço e se cuide

Tiago* gosta desta mensagem

avatar
SlaMan
Mensagens : 53
Data de inscrição : 16/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

29/4/2021, 15:29
canudin escreveu:
SlaMan escreveu:
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!

Opa mano, seu caso e vem parecido com o meu, as únicas coisa que mudam são o caso de uns amigos seus terem te beijado, nunca tive nada do tipo, e a parte de ter uma namorada kkk, tenho 15 anos e nunca fiquei com ninguém, acho q isso vai um pouco com a minha disposição, pois sempre fiquei no meu canto, nunca fui atrás das mina, achava que elas viriam até mim... Mas no resto, tenho os mesmos sintomas que você, até na parte de brochar, se eu vejo algum P, não me excito mais como antes.

Opa!! Você ainda é muito novo e é bom estar procurando ajuda desde cedo. Se você ainda não fizer algum tratamento com psicólogo, tente começar. A terapia cognitivo comportamental vem me ajudando bastante, pois já estive muito pior, apesar das recaídas. Quanto mais cedo você der atenção pra isso, melhor vai ser o seu futuro. Seguimos juntos por aqui, estou sempre a disposição.

Grande abraço e se cuide

Obrigado igualmente

Tiago* gosta desta mensagem

avatar
Tiago*
Mensagens : 330
Data de inscrição : 29/03/2021
Idade : 16

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

30/4/2021, 01:49
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!



Sua história e bem complicada nunca vi uma igual nesse fórum, oque pode fazer para se sentir melhor e largar a P de vez faça isso agora se não tiver feito, voltar com sua ex namorada ajuda sim porque ela pode até tentar te ajudar, já que se tornar a pessoa mais íntima na sua vida mais não apresse nada deixe o tempo resolver, o caso de aceitar esses pensamentos prejudica muito porque oque você tem que fazer e abandonar eles de vez, abandonar como assim Tiago??? abandonar os pensamentos e : parar de ficar se testando porque isso o deixa pior cada vez mais, parar com a ansiedade e preciso ter calma e paciência para conseguir oque deseja, ficar nesses pensamentos por muito tempo também piora.


Vou te dar umas dicas:


1. Eu já disse em vários tópicos que um pensamento e um pensamento e pensamento não e nada um pensamento não tem valor nenhum, tenha calma você e muito ansioso, esses pensamentos na sua cabeça e só paranóia, você está paranóico pare de dar bola para um pensamento ele não e nada.


2. Se um pensamento exemplo ( uma fantasia ) vier a sua mente e caso você não goste dele não o ignore, observe e diga o que acha sobre ele e ele logo vai sumir.


3. Se bater uma crise gigantesca de ansiedade em você, sente-se ou fique em pé se prefirir e respire e segure o ar pelo tempo que aguentar e depois solte o faça issó até se sentir melhor.


4. Procure fazer algo que deixe seu humor bem corra, faça uma caminhada ou qualquer outra coisa que estimule seu corpo a melhorar o estar.


5. Procure dormir só quando estiver bem cansado para que não tenha fantasias e tenha uma recaída.


6. Interaja com sua família com alguém que você ame tente entrar mais na vida da pessoa ou pessoas deixar ela feliz, fazendo isso também estará feliz porque estará voltando a se socializar.


7. Use bloqueadores de P no seus dispositivos, o que eu recomendo e o do Google se não souber ativar ele pesquise no YouTube como, e tem outra um bloqueador não serve para você ficar testando se ele da certo para bloquear a P ou não, ele serve para que caso você pesquise algo na internet ele bloqueará qualquer conteúdo impróprio na página.


Abraços fique com Deus 🙏
avatar
Tiago*
Mensagens : 330
Data de inscrição : 29/03/2021
Idade : 16

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

30/4/2021, 02:13
Eu já sofri por mulheres também, mais tenha uma coisa em mente enquanto você sofre ela segue a vida dela numa boa e nem se importa, agente merece isso claro que não né, não seja escravo de mulheres manos seja inteligente, mulheres só ficam com um homens que elas não querem ou querem soque eles não tem o que elas procuram enquanto não aparece um que elas querem ou procuram como famosos e ricos, homens que podem ajudar elas se tornarem famosas e populares, mulheres até se vendem para ser populares ou casam com alguém para isso, mulheres só se importam com um papel chamado dinheiro, isso eo mais importante para elas, claro que não são todas né porque tem mulheres de tribos desse planeta que nem sabem oque e dinheiro, mais na sociedade e assim que a vida funciona, o jeito e não ligar e seguir enfrente e não cair nas garras de mulheres assim, enfim não vou falar mais nada sobre isso porque os moderadores podem não gostar.
avatar
canudin
Mensagens : 9
Data de inscrição : 29/04/2021

HOCD - uma doença terrível Empty Re: HOCD - uma doença terrível

30/4/2021, 14:26
Tiago* escreveu:
canudin escreveu:Olá, pessoal. Tenho 22 anos e comecei a ter HOCD em setembro/outubro de 2020. Namorei dos meus 16 anos até os 20 e nunca havia questionado a minha sexualidade até então. Terminei o meu namoro para “curtir a vida” e entrei em uma curtição sem limites, de muito álcool, festas e pegação. Sempre me interessei por mulheres e sempre me relacionei com elas. Infelizmente, enquanto solteiro, tive 3 episódios um pouco traumáticos em que amigos homens me beijaram sem meu consentimento. Minha única reação na hora foi travar e aceitar. Sempre tive uma insegurança enorme quanto ao meu corpo e isso sempre me deixou extremamente ansioso. Já tenho um quadro de ansiedade complicado desde há alguns anos, mas quando terminei meu namoro e comecei a transar com outras mulheres, inúmeras vezes eu broxava por estar nervoso e isso acabava comigo.

Tive contato com a P muito cedo, antes dos 10 anos, e até hoje não consigo dormir sem M. Durante quase 10 anos, constituí esse vício de conseguir dormir apenas com M. Passei por momentos complicados, de me M 4 vezes seguidas em poucos minutos e isso começou a me deixar muito mal. Acredito que seja uma das causas desse HOCD. Nunca cheguei a ponto de assistir P gay.

Hoje, me encontro em um caso um pouco grave de HOCD. Faço terapia e tomo remédio, mas o processo de cura é lento e precisa ter paciência. Estou quase voltando a namorar com minha ex-namorada e essa é a melhor coisa que vem acontecendo em minha vida, pois vejo que é um sentimento real, diferente dos pensamentos intrusivos que me escravizam e me consomem. Vou compartilhar com vocês alguns dos pensamentos e sentimentos que eu tenho e gostaria de saber se vocês se identificam:

- Medo constante de estar se tornando homossexual;
- Testes de checagem a todo momento com fotos de homens e mulheres. Vejo se meu pênis está ereto ou não quando vejo fotos de homens e de mulheres;
- Parece que meu olhar se direciona automaticamente pra qualquer homem que passa na rua e isso me causa uma ansiedade muito grande, um aperto no peito, um incômodo na barriga, uma falta de ar. Logo os pensamentos já chegam: “será que estou sentindo isso porque quero beijar esse cara?”
- Se eu acho algum homem bonito, logo já acho que estou querendo beijá-lo;
- Afastamento de ambientes com homens e principalmente com homossexuais. Sempre gostei de ir à academia, mas agora não consigo mais;
- Medo de sair com meus amigos, por sempre me imaginar beijando eles, transando com eles, coisas que nunca tive antes na minha vida;
- Pensamentos constantes de estar beijando e me relacionando com outro homem;
- Reparação no corpo de outros homens, comparando sempre com o meu. Quando faço isso de forma compulsiva, acho que realmente estou virando gay. O problema é que reparo até no corpo dos meus familiares (pai, irmão, primos)
- Em alguns momentos, não consigo nem ouvir a voz de algum homem, pois me causa um desconforto muito grande por pensar que talvez eu esteja me atraindo por isso.

Sempre fui uma pessoa muito cabeça aberta, com muitos amigos homossexuais e isso nunca foi um problema pra mim. Dezenas de homossexuais já chegaram em mim em carnavais, baladas e festas e eu nunca me interessei por isso. Consigo distinguir, racionalmente, o sentimento real do irreal, mas essa doença nos faz pensar que a realidade é outra e isso acaba com a nossa vida. Infelizmente, hoje me sinto pouco motivado pra viver, as vezes tenho pensamentos suicidas e penso que isso nunca vai passar.

Venho aqui para compartilhar minha situação com vocês e amadurecermos juntos. Gostaria de saber se mais alguém vem passando por situação semelhante e se há perspectiva de melhora, pois estou desesperado.

Um grande abraço a todos e se cuidem!



Sua história e bem complicada nunca vi uma igual nesse fórum, oque pode fazer para se sentir melhor e largar a P de vez faça isso agora se não tiver feito, voltar com sua ex namorada ajuda sim porque ela pode até tentar te ajudar, já que se tornar a pessoa mais íntima na sua vida mais não apresse nada deixe o tempo resolver, o caso de aceitar esses pensamentos prejudica muito porque oque você tem que fazer e abandonar eles de vez, abandonar como assim Tiago??? abandonar os pensamentos e : parar de ficar se testando porque isso o deixa pior cada vez mais, parar com a ansiedade e preciso ter calma e paciência para conseguir oque deseja, ficar nesses pensamentos por muito tempo também piora.


Vou te dar umas dicas:


1. Eu já disse em vários tópicos que um pensamento e um pensamento e pensamento não e nada um pensamento não tem valor nenhum, tenha calma você e muito ansioso, esses pensamentos na sua cabeça e só paranóia, você está paranóico pare de dar bola para um pensamento ele não e nada.


2. Se um pensamento exemplo ( uma fantasia ) vier a sua mente e caso você não goste dele não o ignore, observe e diga o que acha sobre ele e ele logo vai sumir.


3. Se bater uma crise gigantesca de ansiedade em você, sente-se ou fique em pé se prefirir e respire e segure o ar pelo tempo que aguentar e depois solte o faça issó até se sentir melhor.


4. Procure fazer algo que deixe seu humor bem corra, faça uma caminhada ou qualquer outra coisa que estimule seu corpo a melhorar o estar.


5. Procure dormir só quando estiver bem cansado para que não tenha fantasias e tenha uma recaída.


6. Interaja com sua família com alguém que você ame tente entrar mais na vida da pessoa ou pessoas deixar ela feliz, fazendo isso também estará feliz porque estará voltando a se socializar.


7. Use bloqueadores de P no seus dispositivos, o que eu recomendo e o do Google se não souber ativar ele pesquise no YouTube como, e tem outra um bloqueador não serve para você ficar testando se ele da certo para bloquear a P ou não, ele serve para que caso você pesquise algo na internet ele bloqueará qualquer conteúdo impróprio na página.


Abraços fique com Deus 🙏

Muito obrigado, meu amigo. Realmente não é fácil, mas o que é fácil nessa vida, né? O que me conforta é perceber que existem dias muito bons, que eu consigo me reconectar com quem eu sempre fui. Assim, fica cada vez mais perceptível que a doença nos afeta muito e causa uma mudança drástica em nossas vidas. É um passo de cada vez, mas isso vai passar, assim como já aconteceu com tantas outras pessoas! Grande abraço e fique com Deus!

Fseler e Tiago* gostam desta mensagem

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum