Diário - Vierkenes

+24
Druidzin
Gardenzio Angelone
Neo11
Bico
Zaheer
freedom.ever
Tiago M
Rottweiler
DarthVaderMax99
Eddie Red Pill
Caio_o
Samir
chopin
Drew
o2Lázaro
The Rorschach
Dead
PILGRIM
Origami
VanGogh
Justiceiro do Sertão
Mike
Logos
vierkenes
28 participantes
Ir para baixo
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

13/5/2021, 18:45
Caro, li seu diário e gostei de sua energia, porém não postei nada. O farei em breve.

Sobre o que você falou, há um erro ai.

De modo nenhum uma queda significa uma volta ao começo.

O cérebro registra cada período limpo. 9 dias longe de porn é valioso. É aprendizado. E nunca uma queda vai tirar seu aprendizado. No máximo, indicar que tal aprendizado ainda não está firme o suficiente para metas maiores.

Não se trata de 67 dias de reboot, mas de 4 anos de fórum! Percebe a diferença?

Vamos a mais um post, direto de um smartphone.

Dia 67 do reboot

Não estou nada satisfeito com meu processo, mesmo com essa marca. E embora eu tenha feito conquistas muito importantes.

Ainda me encontro consideravelmente estagnado, em especial no que diz respeito ao corpo e as forças criativas. Isso pra não falar na questão sexual.

Felizmente, minha ânsia em relação a sexo vem diminuindo. O que é muito bom, pois estava me tirando muita energia. No entanto, a frustração sexual ainda persiste, pelo simples fato de que o número de relações sexuais ou parceiras que tive nunca corresponderam ao meu desejo. É, eu aos 20 anos tava louco pra transar, mas isso só foi acontecer aos 28. Não foi fácil, sabem.

Ontem estive com um amigo, e esse cara "catou" todas as mulheres do meu círculo. Digamos que em um período de 15 dias, ele transou com 5 mulheres diferentes.

Sabem, é um cara bacana e ok. Felizmente, não tem aquele comportamento babaca de ficar contando vantagem e se gabando de suas experiências. Ainda bem, porque senão eu nem andava com ele.

Sabem, o fato é que eu fiquei com inveja do cara. Algo como: "essa mina que ele tá pegando é bonitinha. Eu devia estar transando um pouco também".

É, o cara tem o jeito. Eu tenho pouco. Sei lá.

Sabem, apesar de ainda considerar que faço pouco sexo (ou seja, eu precisaria de mais regularidade pra me sentir bem), eu consegui reverter antigos padrões, muito graves.

Até os 28 anos, eu achava que era algo impossível pra mim.

Hoje eu vejo que eu posso sim, conseguir uma parceira. E estou em busca de possíveis indícios de bloqueio. Por que, me perdoem a expressão, mas vai tomar no cu porra de bloqueio sexual. Farei o possível e o impossível pra acabar definitivamente com essa porra, essa chaga na minha vida.

Quem acompanha meu diário sabe o quanto eu já sofri por isso.

No mais, hoje retomei uns exercícios de escrita. Eles são fundamentais, pois percebo que é algo que, se feito regularmente, acelera meu desenvolvimento de forma absurda! É tiro e queda, simplesmente! Então continuarei nesses exercícios, pra decolar de vez.

Percebo também que estou absurdamente estagnado em meus planos.

Não tenho aproveitado algumas coisas como deveria. Nunca mais fui tomar sol no rio, por exemplo.

Muitas vezes me vejo perdido em pequenas miudezas cotidianas, sem de fato nada fazer de muito útil...

Também obtive vitórias psicológicas importantes. Tem a ver com meus pais. Não quero entrar nesses detalhes aqui, mas poderia recomendar a vocês para que tentem aceita-los como são. Não adianta ficar tentando empurrar algo quadrado em um buraco circular, nem esmurrar ou esbravejar por causa disso.

A gente tem que aceitar as coisas como elas são. As que estão fora do nosso alcance, acima de tudo.

Hoje eu liguei o torrent pra baixar uma série que gosto muito.

O torrent, pra mim, é um gatilho. Pois como se sabe, é um meio muito fácil de baixar qualquer coisa, incluindo P.

Devia ter anos que eu não usava um torrent. Pensei em não baixar a série, simplesmente pra não abrir uma excessão pra esse programa. Porém, queria muito ver. Baixei e excluí o programa, sem deixar vestígio.

Também tenho me sentido um pouco perdido na vida.

Não tenho feito e praticado as coisas que me fazem bem. O que é evidentemente, um erro. Sao justamente essas coisas que dão sentido as nossas vidas, afinal.

Em resumo, estou me sentindo frustrado porque não estou conseguindo agir em direção aos meus planos. É como se eu estivesse num pause.

Também tenho sentido uma forte necessidade de meditar. Embora não só não esteja meditando, como até o contrário. Destraido demais. Um pouco afastado das coisas que realmente importam.

Quero, como falei antes, voltar a parar de beber.

Fiquei 1 mês sem beber, me senti muito bem mesmo. Mas aí voltei e pronto. Porra. É muito melhor dar mais um tempo de álcool. É o que sinto. E para lá vou caminhar.

Fico por aqui hoje.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

16/5/2021, 00:38
Dia 70 do reboot

Estou pra lá de chapado. Vejam como é a vida.

Assisti 24 episódios seguidos de uma série que eu gosto muito. E ainda por cima, se trata de uma série com um conteúdo emocionalmente denso. "Paulada na mente", digamos assim. Bom, é óbvio que isso não é saudável. Não recomendo mesmo! Eu certa vez li 300 páginas dos Irmãos Karamazov, do Dostoievski, de uma vez só e passei mal. Enfim, não façam essas coisas.

No meio de série, resolvi pegar 20 gramas de maconha, aí fiquei assistindo a série e fumando maconha o dia inteiro, um episódio atrás do outro.

No dia seguinte, encontrei um amigo em um lugar pouco provável... e ele estava fazendo um churrasco. Tinha muita cerveja. Daí eu fiquei bebendo o dia inteiro com ele, praticamente. Fiquei pra lá de alcoolizado mesmo.

Hoje, o dia foi de ressaca, e mais maconha.

Bom, eu espero que não me julguem muito em relação a isso de drogas. É claro que eu sei que desse jeito, não é saudável. E pra mim, ao menos, atrapalha BASTANTE o reboot, especialmente o álcool. A erva eu ainda consigo lidar melhor, mas o álcool as vezes complica mesmo as coisas.

Portanto, hoje foi o dia inteiro em casa, fumando maconha, ouvindo Neil Young e só. Não fiz absolutamente nada mesmo.

Me masturbei umas 3 ou 4 vezes pensando na minha última transa - deve ter uns 2 meses já. Cheguei a conclusão de que quero MUITO transar mais com ela de novo, porque gosto MUITO dela. Não sei se vai rolar, ela tem os problemas dela e pode não estar disponível, mas eu não vou deixar de tentar, tenham a certeza. Hehe.

Isso tudo fora meus projetos: totalmente parados. E vejam, nem são coisas que tem a ver com a pandemia. Eu podia estar trabalhando, mas não faço NADA.

Acho que meu cérebro está derretendo por falta de trabalho, basicamente (isso é bem sério).

Tenho a sensação de que estou fugindo do óbvio. Tentando pegar o vento. Enfim, estou me sentindo totalmente iludido e inútil...

Bom, só pra terminar o post, eu sei que se eu continuar nessa em que estou agora, em pleno dia 70, as coisas correm o risco de dar errado.

Sim, amigos, se eu entrar de novo nesse esquema de ficar me drogando o tempo todo, o risco de recair em P é REAL. Sabem, eu tenho experiência o suficiente pra poder afirmar isso. Não foram poucas as vezes em que tentei negar o óbvio e fiquei nadando contra a maré.

Não tenho nenhum plano em mente pra sair dessa. Talvez até passe depois de um tempo, quem, sabe. As coisas estão o tempo todo em movimento, companheiros. Se lembrem disso.

Não vou prometer que vou correr ou malhar amanhã, pois talvez eu não cumpra. Ou pior, talvez eu nem mesmo queira fazer isso.

Sinto que estou perdendo tempo. Eu poderia estar muito mais adiantado nos meus projetos e planos de vida. Nas coisas que eu quero realmente me dedicar. Mas não estou conseguindo agir de fato, concretizar as coisas. Isso está me causando angústia.

Há uma "força" digamos assim (dentro de mim mesmo? hehe) que me diz pra ficar em casa me drogando e ouvindo música o dia inteiro. Tá osso.

A sorte é que estou sem internet. Porque isso aqui que descrevi é ZONA DE RISCO, simplesmente. Em pleno dia 70.

Hoje eu assisti um filme, um filme comum, uma ficção. Só que a protagonista era uma...adolescente de 15 anos. E eu fiquei excitado, acreditam? O filme não tinha nada demais. Sei lá, poderia ser a novela das 7, ou até um telejornal, eu ia ficar excitado do mesmo jeito. Sensibilidade, volta da mentalidade e do olhar pornográfico, ou o que? Não é sempre que eu vejo uma mulher na televisão que eu fico assim.

Bom, escrevi de forma bem livre. Pra desabafar. Me aliviar. Organizar as ideias.

Não vou cair, porém. Mesmo que as coisas estejam aos trancos e barrancos.

Vou pegar um caderno e organizar ainda mais as ideias. Porque há algo de desorganizado aí. Não quero continuar bebendo e sem fazer nada, ao contrário. Quero fazer o que eu gosto, pra me sentir bem e não ter que ficar bebendo. Simples, não é?

Não sei o que dizer mais. Dia 70, e seguindo....

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
Dead
Dead
Mensagens : 120
Data de inscrição : 03/05/2021

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

16/5/2021, 15:49
Lendo essa postagem eu até fiquei com um pouco de inveja e me ajudou a tentar subir esse meu "reboot", se é que posso chamar assim. Por que você vê, se eu estivesse nessa situação que tu relata, só fumando maconha e ouvindo música o dia todo mesmo sabendo que tenho um curso e meus estudos para trabalhar em cima, eu acho que estaria bem mal, mesmo chapado ou o que fosse, então me parece que o reboot realmente deixa o cara com mais ânimo, eu já não lembro mais porque faz muito tempo. Minha pior pesadelo nos tempos recentes está sendo maconha e recair em pmo, é a receita pra depressão total Você fala que se masturbou 4 vezes, isso foi recente? seu reboot é só sem pornografia?
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/5/2021, 10:05
Caro Dead, obrigado pela mensagem.

Sim, meu reboot é só sem pornografia. Sou viciado em pornografia, não em masturbação. Mas levo o hard mode o quanto dá. Bom, não sou monge, sabem. Não tenho vida sexual, logo, não quero passar 200, 300 dias sem um orgasmo. Está fora da minha realidade.

Dia 71 do reboot

Estou em crise, e com algum risco de cair. Por isso estou escrevendo.

O que me conteve até agora foi primeiramente, uma firme convicção em parar com porra de pornografia.

Esse negócio fodeu minha vida. De todas as drogas que eu já usei, foi a que mais me causou dano. Afirmo isso, sem tirar nem por uma vírgula.

Outro fator motivacional é que eu coloquei na cabeça que meu cérebro adoece com pornografia.

10 segundos de pornografia fazem meu cérebro entrar em parafuso, literalmente. É risco grave. Ou seja, parar com porra de pornografia, porque mesmo que eu tenha alguns problemas, eu ainda quero viver bem, me sentir bem, ter de tudo do bom e do melhor que a vida pode oferecer. E essas coisas, como é fato notório, não existem enquanto persistir o vício em porn.

Pois bem, hoje aconteceram várias coisas.

Eu ainda estou no ritmo das drogas. Muito álcool e muita maconha esses dias todos. Óbvio, eu sei que meu compromisso com o reboot implica diretamente em cortar o álcool. Eu já sei que isso vai dar merda, que isso pode terminar com pornografia. Acho que é muita agressão pro corpo, muito estímulo. Enfim, o caminho puro e autêntico da compulsão. Sabemos como é.

Hoje de manhã a primeira coisa que fiz foi fumar um beck. É curioso, porque no auge do vício em pornografia era exatamente isso que eu fazia. Assim que eu acordava, já mandava uma bronha com porn. Porra, é foda. E lembrar que eu já fui assim um dia.

TENHAM ESPERANÇAS, AMIGOS, pois com trabalho duro e paciência, AS COISAS DÃO FRUTOS.

Eu JÁ NÃO SOU MAIS ESSE CARA QUE FAZIA ISSO. É fundamental lembrar dessas coisas.

Outra coisa importante de lembrar antes de continuar o relato é que TUDO ESTÁ EM MOVIMENTO. Não se enganem: as coisas estão acontecendo, mesmo que muito lentamente.

Continuando, eu passei os últimos 2 ou 3 dias totalmente chapado. Hoje não foi diferente.

De tarde, fui na casa de uma amiga. Ai chegou outro amigo, um cara muito bacana, acompanhado de outra pessoa da casa. Ele não conhecia minha amiga. Sabem o que ele falou? "Muito linda, sua amiga X, maravilhosa mesmo". Bom, eu já sabia que esse cara é "pegador". Mesmo que ele se diga tímido. Eu não consigo entender como alguém que transa com várias mulheres diz ser tímido pra dar em cima de mulher. Não consigo mesmo entender, não entra na minha cabeça de jeito nenhum. Só se ele estiver mentindo, mas ele não tem motivo pra mentir. Então minha cabeça entra em parafuso com essas coisas.

Rapazes, eu sei que 10 minutos depois dele falar isso, já estava beijando ela.

Bom, minha relação com essa amiga é a seguinte (só pra deixar a coisa mais clara). Eu sempre achei ela linda, maravilhosa e muita atraente. E admito ter pensado várias em vezes em tentar ficar com ela. Porém, todas as vezes que eu pensava isso, minha mente racional chegava a conclusão de que o melhor era não dar em cima dela. Por alguns motivos. 1) eu já tinha me acostumado a presença dela como amiga 2) eu nunca vi nenhum mínimo sinal dela em relação a isso, ou seja, ela nunca me deu mole de forma explícita.

De modo que eu simplesmente não dei em cima dela. E na época, isso me pareceu uma atitude ok e harmonica. Ou será que eu estava mentindo pra mim mesmo? Quando eu vejo ela de bikini, eu sempre ficava excitado e pensava "que mulher fantástica, meu Deus". Mas depois, pelo meu histórico de viciado em porn, eu olhava pro rosto dela, e esses pensamentos desapareciam.

Sabem, provavelmente eu fui sutilmente sabotado por mim mesmo, sob um argumento racional e plausível, porém, totalmente falso, pois eu transaria facilmente com essa tal amiga desde o inicío.

Não vou mentir e dizer que não me senti um pouco mal com isso tudo. Me lembrou meus traumas de adolescência (e de juventude, porque até pouco tempo atrás isso acontecia comigo). Ficar ouvindo os dois se beijando na cozinha, mulher merda. Mas no final das contas, entendi que a responsabilidade disso tudo foi somente minha, que eu que não agi, e que se eles querem se pegar, que se peguem e sejam felizes. Não moro com eles, então nunca vai acontecer de eu ouvir eles transando (outra situação que me fere muito; isso já me ocorreu enquanto eu consumia porn sozinho no quarto, ao som do gozo dos outros, dezenas de vezes).

Bom, isso não me afetou tanto. Foi apenas um momento - como tudo é, na verdade, apenas um momento mesmo.

De noite, me encontrei com outro amigo, mas aí que eu entendi minha situação claramente.

Eu estava drogado e chapado a um ponto que nem sei explicar. Já tava rindo sozinho e tudo.

Lógico, eu não preciso disso. É um momento.

Eu sei perfeitamente as coisas que eu preciso fazer. Sim, eu sei mesmo o caminho e a direção!

Mas estou enfrentando uma resistência brutal. Uma parte de mim que não quer se mexer e só quer continuar se drogando.

Duas coisas me atingem com mais força nesse momento.

1) a frustração sexual (isso me acompanha desde sempre, aos 15 anos de idade eu já queria ficar com as meninas e nunca fiquei com praticamente ninguém)

2) falta de trabalho, falta de movimento, ausência de força criativa

3) compulsão. Não em porn, mas em álcool, maconha e cigarro

A segunda é mais fácil de resolver, e eu estou mesmo em vias de fazer isso. Eu estou dependendo do trabalho de outra pessoa pra começar a trabalhar. Só posso esperar, fazer o que? Mas já tem uma previsão para isso.

A frustração, é um sentimento muito velho. Já falei disso em uns posts atrás.

Em termos de paquera, hoje eu estou pessimista e diria que isso praticamente não existe pra mim. Desconheço o que é paquerar. Experiência zero. Isso com mais de 30 anos de idade. Acho isso uma merda, uma verdadeira bosta, porque eu queria mesmo experimentar o que é pegar uma mulher, pegar ela pela cintura, beijar na boca, em uma festa, etc. Eu nunca tive essa experiência.

Porém, eu gosto MUITO, MUITO mesmo da última mulher com quem transei.

Pra simplificar ao máximo as coisas, acho que tenho que ser bem direto com ela. Diretão mesmo. Algo do tipo: "quero muito transar com você de novo. Seria realmente incrível". Tenho intimidade com ela pra falar assim mesmo. Acho que seria uma boa.

Não gostaria no entanto, de ficar preso a ela nesse sentido. Porém, eu sou mesmo devagar. Fazer o que? Brincadeira, tem muito a ser feito. Se eu corrigir algumas coisas, eu posso melhorar nisso.

Pra fechar esse assunto, muitas vezes eu realmente acho que eu sou um doente de merda.

As pessoas que eu conheço estão TRANSANDO. Sim, estão mesmo. Umas mais, outras menos. E enquanto elas transam, eu estou ME MASTURBANDO SOZINHO NO QUARTO - SEM PORRA DE PORN. Sei lá, eu acho isso doentio caras. Ficar se masturbando, com vida sexual zero. É bizarro. Porra. Vivi 90% de minha vida assim. E ainda acho que isso é um problema sério, grave. Eu não quero e não vou ser um masturbador solitário. Nem fodendo que eu quero isso pra mim. Vai se foder, porra de masturbardor solitário. Eu vou dar um jeito de romper seja lá que barreira for - mental ou psicológica - pra conseguir dar em cima de alguma mulher, conseguir uma parceira, fazer sexo de vez em quando.

Bom, quem achar que eu estou exagerando, pode achar, mas problema de quem fizer isso. Só eu sei o quanto isso me fez sofrer. Eu fui, literalmente, um "masturbador solitário". Vocês não conseguem ter noção do quanto isso me feriu ao longo de minha vida. Fora os pensamentos misóginos que vem, quando bate essa frustração. A primeira coisa que eu penso, quando vejo uma mulher que me atrai, é: "essa p..., vababunda, vai rebolar no pau dos outros, por mim cortava a minha garganta, e a dela também".

É, eu sei que é ridículo e distorcido da realidade, extremista e até mesmo meio infantil e bobo ,mas é o que causa esse comportamento que eu falei acima, ao longo de uma vida inteira. Acreditem em mim. É nisso que dá, ser um homem adulto, incapaz de tocar em uma mulher e se satisfazer sexualmente, alguém que se nega o tempo inteiro, sabe-se Deus a que preço (vários becks por dia e 2 litro de cerveja toda noite, esse é o preço por uma negação tão absurda e extrema).

Mudando de assunto, eu percebo algumas coisas, em pleno dia 70 do reboot

1) ainda me encontro emocionalmente e espiritualmente muito adoecido - o que inclui muita compulsão

2) vivo num nível de escravidão mental muito alto, coisa que eu não devo me contentar, PORQUE EU QUERO SER LIVRE

3) Ainda sangro com alguma regularidade, ainda sou um cara muito ferido, ainda tenho um nível de sofrimento razoável, o qual pode perfeitamente ser diminuído mediante um trabalho intenso e corretamente feito.

Eu poderia até falar mais, mas o que eu quero mesmo dizer é que HÁ MUITA COISA A SER FEITA AINDA.

Sabem, até se eu quiser mesmo atingir marcas tais como 180 dias, por exemplo, tem muito chão pela frente ainda.

Eu quero ACABAR TOTALMENTE COM ESSA PORRA DESSE VÍCIO MALDITO DE MERDA QUE DESTRUIU MINHA VIDA.

Então é hora de trabalhar.

Vou aproveitar que estou no dia 70, mesmo que eu me encontre, no momento, meio destruído e bastante fragilizado.

Eis o plano.

1) Voltar a fazer os exercícios diários de escrita

2) Ir no rio, tomar banho, pegar sol

3) Revisar que tipo de atividade me faz bem, voltar a me jogar nas coisas que eu gosto

4) meditar e refletir sobre minhas questões

5) cortar porra de álcool!!!

6) retornar pro hard mode

Bom, é claro que só escrever aqui pode ser nada. Principalmente em relação ao álcool. Tá meio foda parar esse processo. Sério, está difícil mesmo de parar.

Compulsão é complicado. O que significa sofrer com isso? É uma pergunta importante a se fazer.

Bom, não vou dizer que estou bem. Mas talvez não esteja tão mal assim. Tenho uma conhecida que tá surtando, entrando em parafuso mesmo. Eu não. Só tenho que tomar cuidado pro meu corpo não enferrujar, correr, malhar, e usar mais meu pênis pra fazer sexo. Além de trabalhar mais também. Muito mais na verdade, porque eu quase não trabalho e isso também é um problema sério. Mas de resto, eu estou indo.

Os próximos dias vão ser foda, porque vai ser difícil eu sair desse ciclo de merda em que me meti e retomar a normalidade. Aconteça o que acontecer, não irei recair. Já disse que vou me dar os 90 dias de presente. 180 é minha meta, na verdade.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
Dead
Dead
Mensagens : 120
Data de inscrição : 03/05/2021

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/5/2021, 11:30
Cara, desculpa o que vou falar agora, mas senti uma necessidade de responder e tentar te atentar a uma coisa. Se não for ajudar, peço que ignore e tá valendo, não to aqui pra diminuir nem manipular ninguém, só tentando ajudar.
Tenho duas perguntas a você: primeiramente, você se masturbou 4 vezes num único dia, é isso que entendi? Segundo, quando você usava essa pornografia, você só assistia ou assistia e se masturbava? Responda essas perguntas pra si mesmo, não precisa botar no diário. É um diálogo interno que te proponho a fazer. Primeiro, você não acha que 4 punhetas num único dia é muito e caracteriza que você está viciado em masturbação também? Segundo, se você assistia porno e se masturbava, aí a casa caí, pois você está sim viciado em masturbação e está mentindo pra si mesmo! Veja bem, em um dos seus relatos iniciais dessa streak você comenta que tinha falta de sensibilidade peniana, e um cara assim eu te digo, é impossível se masturbar sem fantasiar. E fantasiar pra um cérebro dominado pela pornografia é só trocar o meio de transmissão da mesma da tela pra mente.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/5/2021, 11:53
Discordo completamente de você, no que diz respeito a comparar fantasia com pornografia

Claro, tem casos e casos. Consigo imaginar alguém que fica se lembrando dos vídeos e se masturbando pensando neles. Porém não é meu caso.

Acredito que o porn é um estímulo externo. Estímulo aliás, muito poderoso e viciante. Comparável a qualquer outra droga - e os relatos aqui provam que é um vício que pode ser tão grave quanto qualquer outro.

Então, quando eu consumia porn, era como se eu estivesse realmente ingerindo uma droga. Um estímulo externo, que estava fora de mim e que coloquei pra dentro pelos olhos.

Eu nunca me masturbo pensando nos vídeos. Sempre me masturbo pensando nas minhas transas reais - que diga-se de passagem, são lembranças escassas, já que eu praticamente não tenho vida sexual.

Acho que o lance do reboot é parar com a pornografia. É o que diz o nome do fórum. Parar de se masturbar tem sim seus benefícios, mas é um bônus.

Também entendo, claro, aqueles que necessariamente terão que parar com masturbação também. Ou os que são viciados mesmo. Mas tenho plena e total consciência de que não é meu caso, e estou convicto e em paz com essa consciência.

Sim, me masturbei 4 vezes num dia.

Não, não me vejo como viciado em masturbação.

A de se levar em conta que estou numa crise daquelas, que bebi e fumei até apagar, que não estou me exercitando, nada mesmo. Fruto de certo descontrole emocional,e dos males, o menor.

Eu nem ligo pra sensibilidade peniana. Nem pra ER. Se eu não tenho vida sexual nenhuma? Parte de minha cabeça ainda opera nessa lógica. Não é totalmente verdade, mas também não é totalmente mentira.

No mais, a única coisa que eu quero é conseguir ficar sem beber.

Sem polêmicas, Dead. Agradeço suas colocações, mas tenho minha posição, e estou realmente bem com ela.

Em breve apareço no seu diário.

Quem tiver uma palavra útil, por favor se aproxime. Tô meio desesperado.

Gracias.

_______________________________________
Dead
Dead
Mensagens : 120
Data de inscrição : 03/05/2021

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/5/2021, 13:11
Sim, amigo, você está viciado em masturbação também. É uma pena que não quer perceber e mudar isso por enquanto, espero que logo mude de ideia, vai te fazer bem, eu acho; tudo a seu tempo. Qualquer um que tu perguntar aqui do fórum vai dizer o mesmo, e cuidado meu amigo, pois na próxima vez que você for transar esse vício em masturbação pode te atrapalhar novamente com uma ejaculação retardada ou disfunção erétil. Vou continuar acompanhando, bom que está levando no espírito de progressão do fórum, por enquanto não vou comentar mais com você nesse ponto, acredito em sua história e em sua decisão por agora. Força pra nós, colega.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

18/5/2021, 22:37
Obrigado pela mensagem, Dead.

Dia 72 do reboot

Não bebi álcool hoje.

Eu quero MUITO parar de beber. MUITO MESMO.

No mais, espero voltar ao controle, e a um reboot de qualidade.

Eu quero estar BEM aos 90 dias. Não acabado, destruído, me chapando todo dia dia todo.

Não. Eu quero ESTAR BEM.

Hoje dei uma sinalizada na mina que eu gosto. Não estou com expectativas (isso é fundamental). Simplesmente chamei ela pra sair. Se eu estiver com mais coragem, posso até chamar ela pra lá pra casa. Ver um filme, fazer uma comida. Sei lá.

Perder qualquer inibição com mulheres, sexualmente também, faz parte ativa de minha cura.

Não me vejo curado e em paz, enquanto eu não agir de modo harmônico comigo mesmo no sentido sexual.

Finalmente, estou sem beber hoje. Viva.

Até a próxima!

_______________________________________

Vitoriosa gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

20/5/2021, 17:55
Não sei ao certo qual dia do reboot estou, mas é mais de 70. São 10 dias a menos do que consta no contador, eu acho.

Estou hoje, postando aqui para não cair. Literalmente isso.

Meu estado não está nada legal. Estou mesmo com um risco moderado/alto de cair. E consigo até mesmo detectar o porque disso.

Bom, estou passando por uma fase depressiva. Isso pra não falar na ânsia, na compulsão, em um certo enfraquecimento espiritual.

Tenho vontade de dormir o dia inteiro. Se pudesse, eu realmente faria isso.

Não estou fazendo absolutamente nada da vida. Não trabalho em nada, nem em casa.

Passo horas jogando paciência e ouvindo música.

Enfim, a sensação é de total desperdicio de minha energia vital. Uma sensação que não é nova pra mim - sinto isso desde os 14 anos de idade. Porém, tem os ciclos. As vezes melhora, outras vezes piora.

Religação caiu a menos -10.

Não vou beber de jeito nenhum, pois além de representar um risco grande de queda em porn, iria descarregar completamente minhas baterias, que já estão muito esvaziadas.

Também não preciso dizer que meu intuito é permanecer no hard mode o máximo possível. A uns dias atrás eu tava muito mal, totalmente chapado, e me masturbei várias vezes. Respondi o colega do fórum, mas quero deixar claro que nunca foi meu intuito ficar me masturbando a torto e a direito. Ao contrário, fico no hard mode o quanto posso. A questão é que como minha vida sexual é escassa, eu simplesmente me masturbo em algum momento.

Sair pra caminhar na rua me parece um sacrifício. Correr e malhar então, nem se fala. Impossível.

Lógico, em um estado desses, a fissura bate mesmo. É normal, não é?

Agora a tarde fui acometido de fissuras. Usei minha estratégia de emergência, que consiste em desligar todos os dispositivos imediatamente. Comigo funciona muito bem, essa técnica.

Há uma parte de mim que está MORTA.

Porém, ela pode ser RESGATADA, porque não está MORTA, mas apenas GRAVEMENTE ADORMECIDA. É fundamental estabelecer essa diferença.

Estou precisando URGENTE de uma intervenção externa. Já encomendei uns remédios que eu sei que vão praticamente salvar minha pele nesse momento. O mal é que são coisas difíceis de conseguir aqui, já que moro em um interior muito pequeno, em que não tem quase nada.

Ontem, encontrei uma mulher que conheci outro dia na rua. Ela me cumprimentou de um jeito meio estranho. Depois que eu fui pensar que ela podia estar me dando mole (sim!). Podia mesmo! Se eu fosse mais esperto com essas coisas, podia ter descolado algo. Porém, apesar da questão sexual me incomodar bastante, isso está LONGE de ser meu maior problema agora. Muito embora saibamos que sexo dá uma boa ativada na energia e tudo o mais. Seria bom, mas não é o principal agora.

Acho que é hora do auto cuidado, e de buscar meios terapeuticos pra eu voltar ao normal. Não é hora de ficar procurando isso em...sexo, ou em coisas externas.

Estou consumindo uma quantidade grande de estimulantes nos últimos dias. Muito cigarro, ao ponto de me sufocar. E muitos doces também. Estou comendo muito chocolate. É quase como se o chocolate fosse a barra de stamina, daqueles jogos em que o personagem "descarrega". Mas sabemos que isso é meio falso e ilusório. Quem vive a base de estimulantes - café, chocolate, cigarro, drogas, etc - pode até seguir em frente e cumprir suas tarefas, mas bem mesmo de saúde, não está.

Estimulante deveria ser caminhar num lugar bacana e se sentir bem. Conseguir fazer sexo de forma livre, saudável e amorosa. Se sentir bem comendo uma refeição equilibrada. E não fumar 30 cigarros por dia, enchendo o rabo de chocolate ou açucar, se masturbando com porn, e engolindo os salgados da tia da esquina sem mal sentir o gosto.

Sem dúvidas, falho profundamente no quesito RELIGAÇÃO, e isso não é de hoje.

Acho que todo viciado tem problemas no quesito religação.

Quem fica muito preso a um vício é porque perdeu sua sensibilidade pras coisas boas da vida. Disso, ninguém mais tem dúvidas.

Graças a Deus, eu ainda tenho SONHOS e PROPÓSITOS.

Sei o que eu quero da vida.

Sei onde quero chegar.

Não quero duvidar da minha capacidade de chegar onde eu quero, mesmo que os dias estejam sendo difíceis.

Pelos meus SONHOS E PROPÓSITOS, NÃO IREI RECAIR EM PORN.

Porém, se eu permanecer nesse estado depressivo, as coisas podem ficar realmente ruins.

Na verdade, eu to aqui LOUCO pra consumir porn.

Meu principal objetivo agora é REVERTER esse estado depressivo em que estou.

Estou literalmente, me sentindo uma pedra. Estagnado, completamente. Me sentindo capaz de ficar o dia inteiro em casa sem fazer absolutamente nada, deitado na cama, simplesmente. Só fumando cigarro e comendo coisas prontas, que eu não precise me mexer muito pra fazer.

Desse jeito, não vai dar certo. Tão simples como 2 e 2 são 4.

Esperarei meus remédios - que não são remédios psiquiatricos, mas fitoterápicos e homeopáticos. Eu já sei que eles são altamente efetivos porque os conheço bem, então é estar na minha mão pra eu começar a tomar.

Ontem, dei uma boa meditada no rio. Me confrontei um pouco comigo mesmo. E senti uma certa liberação de energia, seguida de ansiedade. Pode acontecer...

Também, estou no processo de liberação de mágoas de uma pessoa que me fez muito mal. Felizmente, ela foi embora da cidade ontem. Causou muitos problemas pra muita gente. Cheguei até a comemorar ontem, esse fato. Mas preciso me livrar das mágoas e das feridas deixadas. Felizmente, não foram de extrema profundidade, mas ainda assim, me deixou razoavelmente no negativo.

A mina que eu gosto deu sinal positivo pra mim. Ela topou sair comigo. Ainda não sei o que fazer, mas vou tentar surpreender ela de algum modo. Espero que eu esteja um pouco melhor quando for me encontrar com ela. Porque hoje, estou realmente me sentindo morto. E o mais fundamental, permanecer sem expectativas. Dar em cima dela na hora certa, mas não ficar fantasiando com um futuro que ainda não existe. Esse é o segredo pra paz, amigos.

Como estou muito mal, não tenho muito o que dizer, a não ser que tomarei os remédios. E que sempre vou recorrer ao procedimento de emergência em caso de fissura. Desligar tudo e pronto. Admito pra vocês que estou COM MEDO de ficar na frente do computador. Sim, é isso mesmo que vocês leram. É melhor eu ficar olhando pro teto do que na frente do PC, mesmo que eu esteja fazendo algo útil e construtivo, como ver os diários do fórum, por exemplo.

Acima de tudo, não esquecer que isso é apenas um momento, e que virão outros momentos depois.

Que eu tenho sonhos.

Que não estou morto coisa nenhuma, só bloqueado. E que bloqueios podem ser desfeitos.

Aos 90 dias eu chegarei. Vou me dar esse presente.

Posso não estar no meu auge, nem pulando de alegria. Mas também não chegarei lá destruído, me chapando todo dia, etc. Quero chegar lá com um mínimo de estabilidade, sabem?

Minha meta mesmo é 180 dias. Então tem muito chão pela frente.

Pra finalizar, importante falar que a essa altura do campeonato, QUALIDADE É MUITO MAIS IMPORTANTE QUE QUANTIDADE.

Sabem, eu comecei essa tentativa NAS MIL MARAVILHAS. Foram 30 dias em hard mode, sem tocar em álcool - um exemplo. Eu tava COM TUDO. Mas ai lá pro dia 50 eu dei uma boa desandada. Na faixa do dia 60, eu estava em plena crise. E agora estou na ressaca disso tudo.

Por hoje é só.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/5/2021, 19:29
Dia 77 do reboot

Mais um dia.

Minha situação se estabilizou mais, e estou consideravelmente melhor do que no último post. Também consigo detectar perfeitamente onde estou errando, o que é ótimo e meio caminho andado para a melhora.

Eis algumas questões.

Conclui que o fato de não estar trabalhando a mais de 1 ano (com o início da pandemia) está me jogando num grande vazio. Felizmente, eu não passo por privações materiais, nem dificuldades financeiras, ou seja, tenho como me manter, mas o fato de não utilizar minha energia em nada complica muito as coisas. De fato, dá uma sensação de inutilidade, de estagnação. E para além da pandemia, é também um problema de natureza psicológica, que já carrego comigo a muito tempo. Um bloqueio das forças criativas. Pois é, bloqueio é um problema chave pra mim. Sofro com vários bloqueios.

Estou em vias de resolver esse problema, que tem se mostrado um dos principais. Claro, tem algumas coisas que poderia fazer...mas está muito difícil se movimentar. Um dos meus trabalhos é escrever, e quem escreve sabe que é uma tarefa solitária e imersiva. Exige um nível alto de concentração, algumas horas parado diante de uma tela de computador, dentro da própria imaginação. No entanto, não estou conseguindo atingir tal estado. Óbvio, é algum tipo de preguiça ou desculpa (eu trabalho com isso!), ou coisa de iniciante (não sou profissional, apenas um aspirante ao ofício), no entanto sem dúvidas é algo que eu poderia estar fazendo. Em resumo, espero estar com a solução disso muito em breve.

Também refleti um pouco sobre a questão sexual, o que me levou a não ter aproveitado a vida nesse sentido, e cheguei a conclusões meio óbvias. Posto aqui porque pode ajudar alguém. Porque isso de não transar com ninguém?

1 - auto estima extremamente baixa, abaixo de zero
2 - uma crença de que não mereço prazer ("ficar tranquilo no colo de uma mulher, transar, curtir, gozar? Bom demais para mim. Eu não mereço isso.")
3 - concepções extremamente equivocadas sobre sexo e prazer, fruto inclusive de uma educação religiosa (é, algumas coisas de religião me prejudicaram muito....porém, nada contra)
4 - algum trauma com toque físico, ponto esse que ainda não explorei o suficiente. O que inclui a ideia de que ao tocar em uma mulher, mesmo com consentimento, seria como se eu estivesse "invadindo" ela.
5 - o próprio consumo massivo de pornografia, o qual me fez ter uma visão absolutamente distorcida da coisa, além de me encher de vergonha, de coisas bizarras, violentas, etc
6 - medo, retraimento, timidez, falta de auto confiança em mim mesmo

Eis alguns dos motivos que me levaram a ter uma vida sexual nula durante a maior parte de minha vida. Se alguém passa por um problema parecido, considere atentamente esses itens que pontuei. Resolvendo essas coisas, com certeza podemos ter uma vida sexual plena, bacana e prazerosa.

Ontem eu conheci umas mulheres, e fiquei EXTREMAMENTE FELIZ ao perceber que, ainda que lentamente, tudo isso ESTÁ FICANDO PARA TRÁS.

Claro, não sou o especialista em paquera, até mesmo porque eu quase não tenho prática, mas estar com um grupo de mulheres e sentir que eu era sim, capaz de dar em cima de uma delas, me deixou feliz pra caramba. Não rolou nada, mas eu me senti bem. Acredito que estou recuperando minha saúde nessa área sexual, mesmo que a passos lentos. A melhora é visível e não tem como negar. Isso tudo me fez sofrer DEMAIS, sendo portanto, DA MAIOR IMPORTÂNCIA que essa questão fique bem resolvida pra mim.

No mais, embora por muito tempo eu tenha ficado muito ansioso por sexo, as coisas parecem estar sob controle ultimamente. A última mulher com quem fiquei disse que se sente muito bem comigo. E que se sente próxima de mim. Ouvir isso dela me deu uma sensação muito boa. Que vai na contramão dos problemas que eu citei anteriormente. E curiosamente, embora queira MUITO transar com ela de novo, não me sinto ansioso.

No mais, percebo que tenho grandes desafios no que diz respeito ao movimento e em sair da zona de conforto.

Não sei como não caí ainda, pois estou levando uma vida imóvel em muitos sentidos. Minha rotina não está nem um pouco favorável ao reboot. Ao contrário, está bastante viciada, no sentido negativo da coisa. Como eu quero MUDAR DE VIDA, e também atingir 180 dias, tem muita coisa pela frente ainda. É preciso ajustar as coisas.

Exceto por alguns momentos excepcionais - como quando o desespero me domina por algum motivo -as fissuras estão praticamente zero. Só tenho fissura em momentos extremos, no resto do tempo, é quase zero mesmo.

No entanto, sinto que ainda não reverti bem esses caminhos do vício. E eu tenho outros vícios (álcool, cigarro, etc). Quero largar todos eles, então é realmente fundamental que eu ajuste mais minha rotina a uma vida saudável.

Isso inclui exercícios físicos constantes. É um sonho meu, ter uma vida ativa, e me exercitar constantemente. Pra ser um cara ativo e saudável. Pra envelhecer bem mesmo.

Ontem, corri por quase 20 minutos seguidos (tinha um bom tempo que eu não corria). Hoje, construi um peso com cimento e uma garrafa de 1 litro e meio. Funciona bem.

A casa anda um tanto quanto abandonada. Nunca recebo ninguém aqui, e isso me incomoda.

Em resumo amigos, mesmo com essa marca em que estou, ainda tem realmente muito o que fazer. Especialmente quando o objetivo é viver bem.

Tenho também meditado com mais constância. Bom...isso exige prática. E alguma concentração também. Nem sempre é fácil. Muitas vezes a mente divaga muito....e eu tento colocar ela de novo no eixo. Porém, mesmo tendo poucas vezes, eu consigo sentir algum benefício. E consigo sentir o poder disso também, ainda que tenha feito tão pouco. Continuarei a aprimorar isso, pois é algo que só faz bem.

Sigo também na "escrito terapia". É, pois é, dá pra usar a escrita como ferramenta terapêutica, pra resolver problemas, diminuir ansiedade, auto conhecimento, etc. Bom, recomendo que pesquisem sobre, pois é algo ALTAMENTE EFICIENTE. Pra quem gosta de escrever, se jogue, sem medo!

Eis meus passos futuros - que na verdade são meio que os mesmos de sempre.

1 - me manter no hard mode
2 - me exercitar, prefencialmente todo dia (meu foco agora é nesse quesito!)
3 - finalizar meu produto pra finalmente poder voltar a trabalhar (fundamental!)
4 - ajudar mais os colegas do fórum
5 - meditar com constância, tanto pra diminuir a ansiedade, quanto para auto conhecimento, afim de resolver os meus problemas

Sigo amigos. Os 90 dias estão logo ali (minha meta é 180, como falei). Se tudo der certo, escrevei minha história de sucesso - depois de mais de 4 anos de fórum e depois de ter atingido os 90 dias umas 3 vezes, se não me engano.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________

VanGogh e Origami gostam desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

25/5/2021, 12:59
Mais um post. Indo pro dia 80 do reboot.

Escrevo porque sinto que posso ajudar alguém com minhas palavras. Tenho algumas reflexões a fazer aqui.

Agora pela manhã, me bateu uma leve fissura. Pensando um pouco, conclui que a causa é a falta de direcionamento pra minha energia. Esse é o ponto central.

Ontem estava com dois amigos, incluindo uma menina com quem trabalho junto uma vez por semana. Eu falei dela uns posts atrás. Ela ficou com um amigo meu dia desses.

Bom, eu estava sem fumar cigarro a mais de 24 horas. Estava indo bem, contendo a ansiedade. Dai fomos pro rio e ficamos lá um tempo. Depois de um tempo me bateu a vontade de fumar. Sabem por que? Porque eu sinto que eu me reprimo diante da tal menina.

Embora eu não sinta um desejo ardente e incendiário por ela, sem dúvidas eu sinto um nível de desejo alto sim. Eu simplesmente vacilei em não dar em cima dela antes, ou até em não dar agora, quem sabe. Percebam, eu nem mesmo estou falando de transar com ela - isso só dá saber, tentando de fato! - mas simplesmente da minha expressão por ela.

Daí eu fumei o cigarro, na clara consciência de que me "contenho" constantemente, e em um grau elevado.

Parei pra pensar como eu consegui viver assim por tanto tempo. Um nível de tensão absurdo, extremo. E eu vivi assim por anos, de forma contínua.

Caras, somos mais resistentes do que imaginamos. Estamos vivos e com perspectiva de melhoras, afinal. Mesmo com o uso diário e massivo de porn, por aproximadamente a metade da minha vida.

Por fim, eu, essa menina e meu outro amigo começamos a falar de sexo. Foi muito produtivo.

Eu fiquei pensando que a energia é uma só.

Sabem, eu não entendo muito de psicanálise, mas quando Freud fala em libido, é equivocado pensar que ele está falando exclusivamente em sexo. Ele está falando de energia vital, amigos.

A energia que usamos pra transar provavelmente é a mesma energia que usamos para outras coisas vitais, que nos são altamente benéficas. Sem dúvidas!

Isso ajuda a nos libertar da visão de que sexo é tudo, e etc. Embora eu não deixe de reconhecer que é algo extremamente poderoso, de fato.

Ontem eu fiz uma corrida, e depois fiz uma sessão de alongamento.

Quando faço corrida e alongamento, ainda mais se eu juntar um trabalho respiratório junto, eu estou sem dúvidas mexendo a energia vital dentro de mim.

Não duvido nada que depois de 30 dias dessa prática, eu simplesmente estivesse bem mais solto sexualmente, e transando um pouco.

Bom, não tenho perspectiva de sexo. Embora eu esteja meio encantando por uma mulher, a ultima com quem fiz sexo. O problema é que ela foge de mim um pouco. Não sei. Mas estou tranquilo.

Pra ficar totalmente relax mesmo, de negócio de sexo, tem que puxar uns pesos. Não tem jeito. Ainda mais se eu seguir no hard mode, como é meu plano.

O hard mode pode ser muito difícil pra quem não usa bem a própria energia. Quando a pessoa trabalha, se mantém ocupada, malha, é bem mais fácil.

Logo, já sei o caminho a seguir...

Bom, dia 29 vou tomar ayahuasca, mais uma vez. Acredito no potencial terapêutico disso.

Afim de ter mais benefícios, entrarei em um esquema meditativo. Vou sair o mínimo possível, ir muito pra natureza, ficar longe de álcool e ter uma alimentação desintoxicante.

Vida segue. Bom reboot pra todos!

_______________________________________

Origami gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

30/5/2021, 23:33
Dia 84 do reboot

Não sei bem o que dizer hoje.

Uma pequena parte de mim gostaria de cometer uma loucura (consumir porn). Mas sei que a questão não é essa.

Estou me sentindo morto por dentro. E olha que devo estar a uns 10 dias no hard mode, mais ou menos.

Estou muito mal, a muito tempo amigos. Vocês não tem noção de como vivi de forma absolutamente esmagadora e opressora até aqui. Não a toa tantos vícios, é o mínimo que se poderia esperar de alguém que vive assim. Isso pra não falar de outras doenças, da loucura, da morte mesmo.

Enfim, é uma situação chata, que causa bastante infelicidade.

Está na hora de bolar um plano pra sair dessa. Afinal, eu ainda quero ser feliz, e gozar do que a vida tem de bom e do melhor.

Vejam como é curioso eu estar fazendo um post desses, com 84 dias. Pois é.

No momento, estou um pouco doente da parte respiratória. Não consegui parar de fumar (o que tá me destruindo no momento), e também me preocupo com os vírus. Se esse que anda por aí me afetar, eu vou morrer rapidinho.

Eu já tenho ideia do que farei. Sim, do que farei.

Porque se tornaram coisas imperiosas para minha vida. Ou é isso, ou vou morrer, me acabar, sei lá.

Sabem, eu estou no fundo do poço, mas o grande lance é que eu só estou vendo a subida de volta. Não tenho opção. Sei que estou no fundo, e que não tem como ir mais pra baixo, porque o chão é sólido. E sei que dá pra subir tentando se agarrar nas pedras. Claro que é difícil, talvez eu até me machuque tentando, mas temos que tentar, não é? Não quero morrer parado, quando posso tentar fazer algum movimento.

Bom, o jogo segue....

Tenho um plano bem definido de coisas práticas que farei pra tentar viver bem de novo.

Vou colocar aqui, pra me organizar, pra compartilhar com vocês.

1 - Continuar escrevendo todos os dias de manhã (um tipo de terapia, por conta própria e altamente eficiente!
2 - Fazer exercícios para liberar e fortalecer meu corpo TODOS OS DIAS

Em relação a esse item 2, vou entrar no desafio dos 30 dias com esse objetivo.

A grande questão é que eu PRECISO disso. Vocês entendem? Não é questão de escolha, de gostar ou de não gostar. É REMÉDIO. É o único jeito de recuperar meu bem estar. Entendem isso?

Poderia falar várias outras coisas, mas acho que vou parar por aqui.

Embora as vezes eu tenha umas fissuras leves - especialmente quando to parado, quando não to fazendo nada - acho que as probabilidades deu cair são baixas.

Não me deixei dominar pelo desespero, dessa vez. Aliás, acho que já passei pelo pior. Ficar batendo punheta todo dia foi realmente a pior parte, mas tem um tempo já que eu sai dessa. Possivelmente com minha entrada no fórum. Aliás, o fórum foi sem dúvidas um divisor de águas na minha vida. Fez 5 anos no mês março desse ano.....

Muita luz pra todos vocês, e que esse fórum possa se manter sempre, para todos os que buscam uma saída, uma solução pro vício em porn.

Um forte abraço, e bom reboot pra vocês.

_______________________________________

Spartacuz, Vitoriosa e The Rorschach gostam desta mensagem

The Rorschach
The Rorschach
Mensagens : 171
Data de inscrição : 23/05/2021
Idade : 22
Localização : Araras, São Paulo.

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

31/5/2021, 00:56
Olá Vierkenes. Congratulações pelos 84 dias. Você, como vários outros, que já chegaram ou estão perto de chegar ao reboot são inspirações para mim. Fico com o ânimo renovado em saber que é possível sim chegar a isso. Os exercícios diários com certeza ajudarão, os tenho feito a uma semana e já vejo os resultados. Desejo-lhe toda a força do universo para que concretize sua jornada.

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t11904-diario-do-rorschach
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

1/6/2021, 19:37
Obrigado pela mensagem, Unknown Guy! Eu te desejo também uma bela jornada!

Dia 86 do reboot

Esse vai ser um post bastante pessoal e psicológico, então quem tiver sem paciência pode clicar no x. (apesar de que pode ter algo de útil e relevante nessas minhas palavras). Estou, conforme as palavras do Marco (onde ele anda?), abrindo minha alma no diário. Isso não deixa de ser um exercício de meditação, sendo portanto da maior utilidade para mim, enquanto ferramenta pra eu superar definitivamente o vício.

Bom, eu não to bem. Sinto que ainda corro um risco moderado de cair - na verdade estou a beira de uma queda. Estou vivendo numa ânsia, numa tensão muito forte. O que é pior: provavelmente eu vivo assim de forma contínua a uns 20 anos já.

Vejam, eu tenho problemas muito sérios. Não estou escrevendo aqui esperando ajuda ou respostas; sei que são coisas que escapam do âmbito do fórum, e também de vocês, pois vocês só conhecem de mim o que está no diário. Não obstante, existe todo um universo que vocês não tem ideia do que seja. Nem mesmo sabem o estado onde moro, nem minha aparência, nem nada. Por outro lado, uma leitura muito atenta de um diário pode ser verdadeiramente a fonte da luz. Pois querendo ou não, padrões estão definidos nessas páginas. Podem ver, por exemplo, que eu reclamo de não ter uma vida sexual razoável desde a primeira página do diário. A 5 anos. Se a 5 anos isso me incomoda (a muito mais!!), significa que isso verdadeiramente é uma questão a ser resolvida.

É observando os padrões que a gente começa a resolver as coisas. O próprio vício em pornografia...é um padrão. O negócio é esmiuçar essas coisas, até entende-las completamente.

Minhas últimas reflexões começaram quando eu adoeci da parte respiratória. Foi bem ruim, e não foi covid, creio. A grande questão, ao que parece - conforme sinto no meu íntimo, na minha intuição - foi o tabaco.

É, meu corpo tá começando a rejeitar o tabaco, porque tá me agredindo demais. É, fumar cigarro tá me matando mesmo, literalmente. Eu consigo sentir a morte quando eu fumo um cigarro. É foda.

Fiquei pensando em como somos ignorantes, pois reclamamos das dores e continuamos a usar o que nos agride. Louco, isso.

Refletindo um pouco sobre o porque de tanto cigarro, eu conclui algumas coisas.

A primeira, é que vale totalmente a pena eu me dedicar a tentar parar de fumar, mesmo que eu não pare de vez ou tenha recaídas - como no reboot! Sabem, eu pensei: "cara, veja como eu consumia porn de manhã, assim que acordava, várias vezes por dia. Eu consegui superar isso. Se eu fiquei mais de 3 meses sem consumir porn, eu consigo perfeitamente ficar mais de 3 meses sem fumar cigarro, se eu simplesmente tentar, tentar, e tentar de novo até conseguir. É simples". É basicamente o caminho do reboot aplicado a outros vícios. Sabemos que funciona.

Depois, pensando mais profundamente, achei que tanto fumo tinha uma relação direta com a minha região do peito.

Meu nível de repressão emocional é muito extremo.

Eu carrego uma quantidade de mágoa que não tem tamanho, dentro de mim...ontem mesmo estava com vontade de metralhar meus pais. E se eu pudesse, talvez eu fizesse mesmo isso, quem sabe.

Porém, isso é pra quem age no calor do momento e não vê um palmo além do próprio nariz.

A questão é que eu percebi que cada palavra negativa, cada mágoa que eu carrego, vão me sufocando por dentro....e me prejudicando. Atrapalhando a minha vida. Percebem? Eu mesmo estou amarrando a minha vida, estou reforçando as correntes, ao invés de aliviar elas...

Vou ter que abrir mão da mágoa e do ódio, se eu quiser ficar bem. Não tem outro caminho.

Ontem, eu estava tentando respirar fundo e lento, ao invés de simplesmente fumar o primeiro cigarro que me viesse a boca. Uma hora não resisti e fumei um cigarro. Fiquei pensando que aquilo significava apego as mágoas e ao ódio. Um desejo deliberado por metralhar alguém. "É isso. Eu não estou deixando ir, por isso estou sofrendo. A hora que eu soltar isso, vou ficar em paz".

Isso pra não falar do fato da auto responsabilidade.

Quando a gente está mesmo dirigindo o barco da gente, não ficamos colocando a culpa em outras pessoas, situações do passado, etc.

É, ainda não adquiri maestria em viver a minha própria vida. Mesmo me encaminhando mais uma vez para mais de 90 dias de reboot.

Ponto 1 - trabalhar as mágoas e essas feridas mais profundas

Pois então. Ontem eu também conversei com um amigo, e ao partilhar algo com ele, que tem a ver com a parte sexual, ele disse que eu penso demais nisso...

Isso é outra coisa que me dá vontade de metralhar a pessoa. Quando alguém diz que eu exagero ao me sentir extremamente mal por ter uma vida sexual quase que nula. E sinto ainda mais vontade de metralhar quando sei que é uma pessoa que sempre teve uma vida sexual ativa, várias namoradas, transas eventuais, etc. Quando é alguém assim, realmente me dá vontade de torturar a pessoa, pendurar ela de ponta cabeça e ir abrindo aos poucos a pele dela com uma faca.

Foi o que senti em relação ao meu pai, por exemplo. O velho sempre me contava umas histórias de que aos 18 anos, tinha 3 mulheres diferentes. E que quando conheceu minha mãe, com 20 e poucos, tava ficando com outras 3 e teve que escolher qual mulher queria. Fora que casou depois, e ainda teve amantes! Ou seja, o velho sempre teve uma vida sexual ativa, desde adolescente, praticamente, a vida inteira. Aí a mesma pessoa que me conta essas histórias, me diz o seguinte depois: "veja, eu nunca precisei de mulher não. Você tem que aprender a se controlar um pouco. Está pensando demais nisso. Está exagerando." Etc. Porra caras, sinceramente, dentro do explicado, como não encarar um comentário desses como mentira, hipocrisia e má fé? É como se, por exemplo, eu dentro de minha casa, quente e confortável, com TUDO, falasse pra um morador de rua: "cara, é só dormir! Não tá vendo que é tranquilo? Você tem esse agasalho, tem o chão, é só relaxar mano! Você tá reclamando demais! Realmente está exagerando mesmo! Nada demais pô, dormir na rua!"

Bom, então com alguma frequência vejo uns comentários assim. Até aqui no fórum mesmo. Costumo reagir com agressividade quando ouço algo assim, pois 90% das vezes me cheira a hipocrisia e mentira.

Bom, por incrível que pareça, isso não tem ocupado taaaaanto assim de minha cabeça.

Estou atravessando uma flatline que não tem fim....e além do mais estou EXTREMAMENTE DEPRIMIDO. Isso tem a ver com falta de sexo, quem sabe. Sabemos que sexo tem gosto de vida, ativa a pessoa, ativa a circulação, nos deixa mais animados, mais leves.

Em relação a isso, 2 coisas.

Primeiro, que desisti da última mulher com quem transei, a uns 3 meses atrás quase - lembro que estava com 6 dessa tentativa do reboot. Eu gosto muito dela, tenho um carinho grande por ela, e seria maravilhoso expressar isso fisicamente, porém, ela foge de mim e me evita. Bom, a mente humana é simplesmente complexa demais pra eu me dedicar a entender porque ela faz isso. Vejam, eu já tenho que fazer a minha prática de auto conhecimento, entender minhas reações. O que já é muito. Então, não quero perder tempo com ela. Muito embora, amigos, se eu encontrar ela pessoalmente, vou dar em cima dela com certeza! (isso se eu não estiver naquele estado deprimido....porque aí é foda).

A outra coisa é mais bizarra.

Eu ando constantemente com uma mulher - minha amiga, digamos assim - mas o ponto é que eu sinto um desejo grande por ela. E....eu ainda não dei em cima dela! Isso é rídiculo, meus amigos, porque a sensação que eu tenho é que estou me contendo, me prendendo!

Vejam, nem estou falando de ficar com ela - isso só da prá saber tentando! - mas simplesmente de expressar esse meu desejo!

Se ela topar, ótimo! A gente transa gostoso e vai ser ótimo. Se ela não topar, ótimo também! Porque eu continuo andando com ela, porém, totalmente aliviado em relação a isso.

Sabem, sem dúvidas há uma força inconsciente que atua na direção contrária da minha vontade consciente. E ainda por cima, o inconsciente - que é a parte maior, e mais desconhecida - é a mais forte!

Minha vontade era de transar um monte, simplesmente. E isso desde adolescente! Experimentar mesmo, sabem? Me envolver. Me jogar. Eu sempre quis ser essa pessoa. Livre - sexualmente, inclusive. Isso corresponde a quem eu realmente sou, a quem eu realmente quero ser.

Porém, parece que diante do mundo, minha personalidade se travestiu de padre...

Eu lembro sempre do Padre Amaro, do livro do Eça de Queiroz. As vezes me vejo nele.

A mãe do Amaro faz uma promessa de botar o filho pra virar padre. E ela faz isso....contra a vontade do garoto....

Ele cresce, vira padre, e tem muitas dificuldades com as "questões da carne"...

Depois (ATENÇÃO, SPOILER) ele seduz uma garota da vila, mais jovem. Ilude ela, prometendo largar a batina pra se casar....mas ele simplesmente "come" ela algumas vezes, e quando ela engravida, ele dá no pé, deixando a pobre moça grávida para trás....

Ou seja, o caminho da desgraça e da tragédia.

Voltando um pouco, é extremamente doentia essa desarmonia interna.

Ontem mesmo eu estava com ela, e algumas vezes a gente se olhava "no olho". As vezes até com uma proximidade física. Bom, isso me dá arrepios... estar com meu rosto muito perto do rosto uma mulher que me atrai e me excita, e olhar no fundo do olho dela. Dá uma sensação de intimidade. Eu quase senti a respiração dela no meu rosto, só pra vocês terem ideia.

Bom, algo está errado aí. Vamos tentar resolver.

Questão 2 - aprofundar mais o auto conhecimento, afim de entender essa questão sexual


Outra coisa reparei é que fiz 5 anos de fórum por esses dias...

Leiam essa parte que eu garanto que é útil e importante.

Uma vez eu desenvolvi uma teoria de que existe um tempo "médio", digamos assim, pra conseguir desenvolver algumas coisas na vida.

Digamos por exemplo, que eu queira aprender a tocar violão. Pra eu ficar BOM MESMO, podemos colocar aí uns 3 anos de prática, no mínimo. Claro que se eu tocasse todos os dias, por várias horas, talvez até 1 ano! Quem sabe? Mas vamos trabalhar com um tempo médio de dedicação. Digamos que 2 horas, 3 vezes na semana.

Os números são apenas exemplos, mas o que eu quero dizer é o seguinte:

Lançamos as sementes agora, para colher os frutos daqui a um tempo. Daqui a alguns anos.

Vejam, quando eu entrei no fórum e fiz meu primeiro post, eu já estava disposto a ir até o fim. Uma vez fiquei 4 meses longe do fórum...logo no primeiro ano. E esse foi o máximo de tempo que fiquei distante. Todo o resto do tempo ao longo desses 5 anos e 3 meses, eu estava aqui....postando...

Levou 5 anos pra eu adquirir competência no reboot....estar aqui hoje com quase 90 dias, e isso ser uma coisa normal. Diria que os primeiros 2 anos foram de total aprendizado. Eu decerto devo ter levado quase 2 anos pra superar a marca dos 30 dias. Eu colocaria aqui alguns dados, mas o computador tá lento e não tenho como fazer isso agora.

Então, é basicamente isso.

Plantar a semente HOJE para colher DAQUI A UNS ANOS. E tem que regar com regularidade, senão a planta morre! Vai levar um tempo. Dedicação. Com o reboot, é exatamente o mesmo que com qualquer outra atividade que você queira ficar bom. É bom pensar nisso. Questão de prioridades.

Existem outras coisas que valem tanto a pena quanto o reboot, sem dúvidas...

O reboot é uma base para mim, porém, não o suficiente pra eu me sentir em paz. Tá na hora de plantar mais em outros campos, pra só começar a colher daqui a um tempo.

Minha meta é 180 dias, meus amigos. Se estou assim, quase caindo perto do dia 90, é sinal de que os mecanismos do vício precisam ser mais enfraquecidos na minha cabeça...

De um certo modo, é como se eu estivesse começando agora...isso não é exagero...

Eu tinha mais coisas pra falar, mas vou ficar por aqui.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________

Rottweiler e The Rorschach gostam desta mensagem

o2Lázaro
o2Lázaro
Mensagens : 63
Data de inscrição : 01/11/2020

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

2/6/2021, 19:15
vierkenes escreveu:Obrigado pela mensagem, Unknown Guy! Eu te desejo também uma bela jornada!

Dia 86 do reboot

Esse vai ser um post bastante pessoal e psicológico, então quem tiver sem paciência pode clicar no x. (apesar de que pode ter algo de útil e relevante nessas minhas palavras). Estou, conforme as palavras do Marco (onde ele anda?), abrindo minha alma no diário. Isso não deixa de ser um exercício de meditação, sendo portanto da maior utilidade para mim, enquanto ferramenta pra eu superar definitivamente o vício.

Bom, eu não to bem. Sinto que ainda corro um risco moderado de cair - na verdade estou a beira de uma queda. Estou vivendo numa ânsia, numa tensão muito forte. O que é pior: provavelmente eu vivo assim de forma contínua a uns 20 anos já.

Vejam, eu tenho problemas muito sérios. Não estou escrevendo aqui esperando ajuda ou respostas; sei que são coisas que escapam do âmbito do fórum, e também de vocês, pois vocês só conhecem de mim o que está no diário. Não obstante, existe todo um universo que vocês não tem ideia do que seja. Nem mesmo sabem o estado onde moro, nem minha aparência, nem nada. Por outro lado, uma leitura muito atenta de um diário pode ser verdadeiramente a fonte da luz. Pois querendo ou não, padrões estão definidos nessas páginas. Podem ver, por exemplo, que eu reclamo de não ter uma vida sexual razoável desde a primeira página do diário. A 5 anos. Se a 5 anos isso me incomoda (a muito mais!!), significa que isso verdadeiramente é uma questão a ser resolvida.

É observando os padrões que a gente começa a resolver as coisas. O próprio vício em pornografia...é um padrão. O negócio é esmiuçar essas coisas, até entende-las completamente.

Minhas últimas reflexões começaram quando eu adoeci da parte respiratória. Foi bem ruim, e não foi covid, creio. A grande questão, ao que parece - conforme sinto no meu íntimo, na minha intuição - foi o tabaco.

É, meu corpo tá começando a rejeitar o tabaco, porque tá me agredindo demais. É, fumar cigarro tá me matando mesmo, literalmente. Eu consigo sentir a morte quando eu fumo um cigarro. É foda.

Fiquei pensando em como somos ignorantes, pois reclamamos das dores e continuamos a usar o que nos agride. Louco, isso.

Refletindo um pouco sobre o porque de tanto cigarro, eu conclui algumas coisas.

A primeira, é que vale totalmente a pena eu me dedicar a tentar parar de fumar, mesmo que eu não pare de vez ou tenha recaídas - como no reboot! Sabem, eu pensei: "cara, veja como eu consumia porn de manhã, assim que acordava, várias vezes por dia. Eu consegui superar isso. Se eu fiquei mais de 3 meses sem consumir porn, eu consigo perfeitamente ficar mais de 3 meses sem fumar cigarro, se eu simplesmente tentar, tentar, e tentar de novo até conseguir. É simples". É basicamente o caminho do reboot aplicado a outros vícios. Sabemos que funciona.

Depois, pensando mais profundamente, achei que tanto fumo tinha uma relação direta com a minha região do peito.

Meu nível de repressão emocional é muito extremo.

Eu carrego uma quantidade de mágoa que não tem tamanho, dentro de mim...ontem mesmo estava com vontade de metralhar meus pais. E se eu pudesse, talvez eu fizesse mesmo isso, quem sabe.

Porém, isso é pra quem age no calor do momento e não vê um palmo além do próprio nariz.

A questão é que eu percebi que cada palavra negativa, cada mágoa que eu carrego, vão me sufocando por dentro....e me prejudicando. Atrapalhando a minha vida. Percebem? Eu mesmo estou amarrando a minha vida, estou reforçando as correntes, ao invés de aliviar elas...

Vou ter que abrir mão da mágoa e do ódio, se eu quiser ficar bem. Não tem outro caminho.

Ontem, eu estava tentando respirar fundo e lento, ao invés de simplesmente fumar o primeiro cigarro que me viesse a boca. Uma hora não resisti e fumei um cigarro. Fiquei pensando que aquilo significava apego as mágoas e ao ódio. Um desejo deliberado por metralhar alguém. "É isso. Eu não estou deixando ir, por isso estou sofrendo. A hora que eu soltar isso, vou ficar em paz".

Isso pra não falar do fato da auto responsabilidade.

Quando a gente está mesmo dirigindo o barco da gente, não ficamos colocando a culpa em outras pessoas, situações do passado, etc.

É, ainda não adquiri maestria em viver a minha própria vida. Mesmo me encaminhando mais uma vez para mais de 90 dias de reboot.

Ponto 1 - trabalhar as mágoas e essas feridas mais profundas

Pois então. Ontem eu também conversei com um amigo, e ao partilhar algo com ele, que tem a ver com a parte sexual, ele disse que eu penso demais nisso...

Isso é outra coisa que me dá vontade de metralhar a pessoa. Quando alguém diz que eu exagero ao me sentir extremamente mal por ter uma vida sexual quase que nula. E sinto ainda mais vontade de metralhar quando sei que é uma pessoa que sempre teve uma vida sexual ativa, várias namoradas, transas eventuais, etc. Quando é alguém assim, realmente me dá vontade de torturar a pessoa, pendurar ela de ponta cabeça e ir abrindo aos poucos a pele dela com uma faca.

Foi o que senti em relação ao meu pai, por exemplo. O velho sempre me contava umas histórias de que aos 18 anos, tinha 3 mulheres diferentes. E que quando conheceu minha mãe, com 20 e poucos, tava ficando com outras 3 e teve que escolher qual mulher queria. Fora que casou depois, e ainda teve amantes! Ou seja, o velho sempre teve uma vida sexual ativa, desde adolescente, praticamente, a vida inteira. Aí a mesma pessoa que me conta essas histórias, me diz o seguinte depois: "veja, eu nunca precisei de mulher não. Você tem que aprender a se controlar um pouco. Está pensando demais nisso. Está exagerando." Etc. Porra caras, sinceramente, dentro do explicado, como não encarar um comentário desses como mentira, hipocrisia e má fé? É como se, por exemplo, eu dentro de minha casa, quente e confortável, com TUDO, falasse pra um morador de rua: "cara, é só dormir! Não tá vendo que é tranquilo? Você tem esse agasalho, tem o chão, é só relaxar mano! Você tá reclamando demais! Realmente está exagerando mesmo! Nada demais pô, dormir na rua!"

Bom, então com alguma frequência vejo uns comentários assim. Até aqui no fórum mesmo. Costumo reagir com agressividade quando ouço algo assim, pois 90% das vezes me cheira a hipocrisia e mentira.

Bom, por incrível que pareça, isso não tem ocupado taaaaanto assim de minha cabeça.

Estou atravessando uma flatline que não tem fim....e além do mais estou EXTREMAMENTE DEPRIMIDO. Isso tem a ver com falta de sexo, quem sabe. Sabemos que sexo tem gosto de vida, ativa a pessoa, ativa a circulação, nos deixa mais animados, mais leves.

Em relação a isso, 2 coisas.

Primeiro, que desisti da última mulher com quem transei, a uns 3 meses atrás quase - lembro que estava com 6 dessa tentativa do reboot. Eu gosto muito dela, tenho um carinho grande por ela, e seria maravilhoso expressar isso fisicamente, porém, ela foge de mim e me evita. Bom, a mente humana é simplesmente complexa demais pra eu me dedicar a entender porque ela faz isso. Vejam, eu já tenho que fazer a minha prática de auto conhecimento, entender minhas reações. O que já é muito. Então, não quero perder tempo com ela. Muito embora, amigos, se eu encontrar ela pessoalmente, vou dar em cima dela com certeza! (isso se eu não estiver naquele estado deprimido....porque aí é foda).

A outra coisa é mais bizarra.

Eu ando constantemente com uma mulher - minha amiga, digamos assim - mas o ponto é que eu sinto um desejo grande por ela. E....eu ainda não dei em cima dela! Isso é rídiculo, meus amigos, porque a sensação que eu tenho é que estou me contendo, me prendendo!

Vejam, nem estou falando de ficar com ela - isso só da prá saber tentando! - mas simplesmente de expressar esse meu desejo!

Se ela topar, ótimo! A gente transa gostoso e vai ser ótimo. Se ela não topar, ótimo também! Porque eu continuo andando com ela, porém, totalmente aliviado em relação a isso.

Sabem, sem dúvidas há uma força inconsciente que atua na direção contrária da minha vontade consciente. E ainda por cima, o inconsciente - que é a parte maior, e mais desconhecida - é a mais forte!

Minha vontade era de transar um monte, simplesmente. E isso desde adolescente! Experimentar mesmo, sabem? Me envolver. Me jogar. Eu sempre quis ser essa pessoa. Livre - sexualmente, inclusive. Isso corresponde a quem eu realmente sou, a quem eu realmente quero ser.

Porém, parece que diante do mundo, minha personalidade se travestiu de padre...

Eu lembro sempre do Padre Amaro, do livro do Eça de Queiroz. As vezes me vejo nele.

A mãe do Amaro faz uma promessa de botar o filho pra virar padre. E ela faz isso....contra a vontade do garoto....

Ele cresce, vira padre, e tem muitas dificuldades com as "questões da carne"...

Depois (ATENÇÃO, SPOILER) ele seduz uma garota da vila, mais jovem. Ilude ela, prometendo largar a batina pra se casar....mas ele simplesmente "come" ela algumas vezes, e quando ela engravida, ele dá no pé, deixando a pobre moça grávida para trás....

Ou seja, o caminho da desgraça e da tragédia.

Voltando um pouco, é extremamente doentia essa desarmonia interna.

Ontem mesmo eu estava com ela, e algumas vezes a gente se olhava "no olho". As vezes até com uma proximidade física. Bom, isso me dá arrepios... estar com meu rosto muito perto do rosto uma mulher que me atrai e me excita, e olhar no fundo do olho dela. Dá uma sensação de intimidade. Eu quase senti a respiração dela no meu rosto, só pra vocês terem ideia.

Bom, algo está errado aí. Vamos tentar resolver.

Questão 2 - aprofundar mais o auto conhecimento, afim de entender essa questão sexual


Outra coisa reparei é que fiz 5 anos de fórum por esses dias...

Leiam essa parte que eu garanto que é útil e importante.

Uma vez eu desenvolvi uma teoria de que existe um tempo "médio", digamos assim, pra conseguir desenvolver algumas coisas na vida.

Digamos por exemplo, que eu queira aprender a tocar violão. Pra eu ficar BOM MESMO, podemos colocar aí uns 3 anos de prática, no mínimo. Claro que se eu tocasse todos os dias, por várias horas, talvez até 1 ano! Quem sabe? Mas vamos trabalhar com um tempo médio de dedicação. Digamos que 2 horas, 3 vezes na semana.

Os números são apenas exemplos, mas o que eu quero dizer é o seguinte:

Lançamos as sementes agora, para colher os frutos daqui a um tempo. Daqui a alguns anos.

Vejam, quando eu entrei no fórum e fiz meu primeiro post, eu já estava disposto a ir até o fim. Uma vez fiquei 4 meses longe do fórum...logo no primeiro ano. E esse foi o máximo de tempo que fiquei distante. Todo o resto do tempo ao longo desses 5 anos e 3 meses, eu estava aqui....postando...

Levou 5 anos pra eu adquirir competência no reboot....estar aqui hoje com quase 90 dias, e isso ser uma coisa normal. Diria que os primeiros 2 anos foram de total aprendizado. Eu decerto devo ter levado quase 2 anos pra superar a marca dos 30 dias. Eu colocaria aqui alguns dados, mas o computador tá lento e não tenho como fazer isso agora.

Então, é basicamente isso.

Plantar a semente HOJE para colher DAQUI A UNS ANOS. E tem que regar com regularidade, senão a planta morre! Vai levar um tempo. Dedicação. Com o reboot, é exatamente o mesmo que com qualquer outra atividade que você queira ficar bom. É bom pensar nisso. Questão de prioridades.

Existem outras coisas que valem tanto a pena quanto o reboot, sem dúvidas...

O reboot é uma base para mim, porém, não o suficiente pra eu me sentir em paz. Tá na hora de plantar mais em outros campos, pra só começar a colher daqui a um tempo.

Minha meta é 180 dias, meus amigos. Se estou assim, quase caindo perto do dia 90, é sinal de que os mecanismos do vício precisam ser mais enfraquecidos na minha cabeça...

De um certo modo, é como se eu estivesse começando agora...isso não é exagero...

Eu tinha mais coisas pra falar, mas vou ficar por aqui.

Bom reboot pra todos!

Fala amigo!

Primeiramente, parabéns pela marca alcançada
Me chamou atenção quando você comentou sobre essas histórias do seu pai, e o fato dele comentar que você pensava muito nesse problema e que de alguma forma deveria relaxar sobre isso. Por mais difícil que possa parecer, eu tendo a concordar com ele. Veja bem, muitos aqui quando começaram a sofrer dos malefícios de PMO, disfunções sexuais principalmente, sofrem desesperadamente por que afinal a parte sexual é algo mais que fundamental em nossas vidas. Ter isso comprometido na juventudade é uma das coisas mais incômodas que pode ocorrer. E esse incômodo te leva a um ciclo cada vez mais autodestrutivo que só te prende naquilo que se quer se ver livre. Se você pensa todo o tempo que quer ser rico, só reforça o tempo todo o seu incômodo por ser pobre. Se você pensa todo o tempo que quer ter uma vida sexual livre e saudável, só alimenta constantemente o desconforto por não ter saúde nessa área.
É claro que isso que estou falando está muito longe de ser algo fácil de se pôr em prática mas podemos tentar. Alguns dias eu tento e funciona, e outros eu falho.
O ponto é você já está investido no reboot e tendo sucesso, tente colocar seu foco em outras atividades e deixar o tempo rolar, estude, trabalhe, faça uma atividade física, algo ao ar livre, distensionando essa situação e por consequência facilitando sua cura. Esqueça o contador e siga em frente, você está indo bem. Espero que você não queira me matar por esse papo Rs

E sobre sua amiga, eu acredito que o reboot funciona muito menos se a gente não consegue avançar em termos sociais, afetivos e de relacionamento.
É muito difícil se libertar dessas amarras que nossa mente se acostumou, mas pelo reboot acredito que você pode ter confiança para tentar um aproximação. Só essa iniciativa tanto com essa colega, quanto com outras mulheres, independente da resposta dela, vai te impulsionar ainda mais.
Boa sorte! tamo junto

The Rorschach gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

4/6/2021, 12:54
O QUE!!!? VOCÊ OUSOU FALAR DE MEUS TRAUMAS?? GRRRR!!!!

Brincadeirinha, hehehehehehe.

Bom, Lázaro, muito obrigado por sua mensagem. Muito útil e relevante.

O velho é hipócrita e está errado. Isso por que ele diz que "não precisa de mulher", mas as cuecas dele são lavadas por uma mulher, e a comida que ele come também. Fora que ele nunca conseguiu ficar sozinho. Precisa de uma escrava - do sexo feminino, pra ele "dar uma" também - pra fazer as coisas pra ele. Ou seja, ZERO autoridade moral pra dizer as coisas que ele me disse. Ele é tão "controlado" que teve várias amantes, enquanto era casado!!

Porém, isso já foge muito ao fórum.

Mas, você Lázaro, está correto, mesmo que meu ego não goste de admitir isso. Em verdade e em profundidade, eu sei e sinto que você está correto. Na verdade, você foi muito perspicaz, e conseguiu expor claramente um dos mecanismos da mente, que se bem compreendido, pode mesmo nos aliviar absurdamente.

Meu irmão, sua mensagem foi da maior valia que você possa imaginar....me fez muito bem. Obrigado!!

Dia 89 - praticamente 90 do reboot

Pois é, completei os 90 dias....

Porém, estou extremamente capenga....simplesmente sinto que ainda corro o risco de cair. A qualquer momento, talvez.

Sinto que o modo "compulsão" continua muito ativo. Apesar do fato de que eu eliminei uma variante, a P. Mas o modo compulsão continua ativo, mesmo sem porn. Isso é chato, e vai me exigir ainda mais esforços.....pra me ver realmente livre, de verdade.

Uma parte de mim ainda se identifica com o antigo Vierkenes. Uma parte de mim está agarrada a essa imagem, do punheteiro que não pega ninguém, que tem que lamber a tela do computador, porque é incapaz de tocar em uma mulher. Isso é passado, pois eu não sou mais essa pessoa, definitivamente. No entanto, sabemos que o tempo passa de forma diferente do ponto de vista emocional. Pode-se levar anos para superar um único fato, por exemplo.

Lógico, o que o Lázaro falou é um fato. Da maior valia. Vejam, eu fico cada vez menos nesse estado referido. Se ainda volto a ele, é porque foi tempo demais sendo essa pessoa (mais de 20 anos.....), e porque ainda não resolvi meus problemas.

Ao que parece, na parte sexual, é como se eu tivesse parado aos 15 anos. Tem adolescentes de 18 anos que são muito mais bem resolvidos do que eu, nessa área.

Claro, surge um certo mal estar ao pensar nessas coisas. Mas o lance é exatamente o que o Lázaro falou acima.

Nem sempre é fácil controlar as coisas.

Eu admito que ainda me pego em correntes negativas em certas situações.....situações que não deveriam me afetar, caso eu fosse mais bem resolvido, ou talvez simplesmente mais relaxado, como o colega sugeriu. Estou - acreditem - muito aos poucos vendo como essas coisas são ilusórias, e em como perco grandes quantidades de energia, de uma forma estúpida, simplesmente...

Em suma, meus amigos, estou sentindo uma resistência muito grande em largar certas coisas, fontes de sofrimento, para conseguir voar bem. Parece que as forças das sombras estão me rondando, e eu estou lentamente cedendo a elas.

Mas vejo luz no fim do túnel, sim. Obviamente.

Sigo meu caminho.

Pra finalizar, deixo aqui uma ferramenta DE VALOR INESTIMÁVEL (!!!!!) que descobri recentemente. Compartilho porque É COISA BOA e porque de repente pode até salvar a vida de alguém.

Pathwork Brasil  (pesquisem no google, tem site próprio)

É uma ferramenta de auto conhecimento. Não vou falar sobre. Quem tiver interesse, que olhe o site.

Fico por aqui.

Quem tiver aquelas imagens comemorativas dos 90 dias, se prepara pra postar, hehhehehehehe.

Acho que deve ser, se não me engano, a quarta vez que chego aos 90 dias....

Minha maior marca foi 120 dias, se não me engano...

Minha meta agora é 180.

O antigo Vierkenes está ficando para trás, mas o sofrimento foi tamanho que concluímos que tem que haver um reboot definitivo dessa vez.

A vida pode não estar resolvida, mas a pior parte - é, aquelas humilhações típicas do vício - ficou para trás.

Vou repetir o que disse no outro post, mesmo sendo algo estranho e difícil de entender: é como se eu estivesse começando agora, simplesmente.

Não desistam do reboot e sigam nessa, que dá certo!

Luz e um forte abraço pra vocês todos.

Bom reboot!

_______________________________________

The Rorschach gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

8/6/2021, 05:30
Dia 93 do reboot

Bom amigos, acredito que entrei em uma nova fase do reboot - a manutenção.

O grosso da compulsão já sumiu. Também consigo ter um grau de controle alto diante de gatilhos ou até mesmo diante de eventuais situações de estresse.

Pretendo também focar em eliminar ao máximo a masturbação. Pra usufruir de possíveis benefícios do hard mode, pra exercitar a vontade, pra preservar minha energia sexual, curar uma possível ER, ou simplesmente aumentar minha energia geral. Claro que o hard mode é muito mais difícil, mas acho que é jogo pra mim embarcar nessa, nesse momento.

Hoje me encontrei com alguns amigos e fui muito elogiado por um trabalho que fiz. É realmente muito gratificante e muito lindo quando isso acontece. Eu cheguei até a me emocionar um pouco. Essas coisas que nos dão coragem pra seguir no ofício.

No mais, descobri um caminho espiritual muito autêntico, o qual pretendo seguir. Recebi realmente o "chamado", como dizem. Uma dessas coisas vitais que sentimos que vamos até o fim - como foi o caso do próprio reboot e do fórum.

Desde de que postei aqui pela primeira vez, eu já sabia que ia até o fim.

Por isso, recomendo que não fiquem excessivamente ansiosos quanto ao tempo de recuperação. Só sigam o caminho que as coisas vão dar certo.

Pretendo também me dedicar mais a ajudar os colegas aqui no fórum. Dar uma palavra de ânimo pra quem tiver precisando. Luz pros desesperados, no fundo do poço do vício. E postar menos nesse diário aqui.

Minha meta é 180 dias. A propósito, o contador está ajustado corretamente.

Também estou com um forte foco na parte espiritual....

Tenho sentido vontade de dar meu melhor pra servir o mundo, com as minhas habilidades, que Deus me deu. Com minha missão, e com minhas tarefas.

Ainda posso fazer muito mais, pra ficar legal mesmo.

Essa tentativa, os 30 primeiros dias foram em hard mode, com exercícios físicos constantes. Depois o caminho desandou muito. Em alguns momentos eu corri o risco de cair, mas na realidade, ainda que esse terror ainda passe pela minha cabeça muito de vez em quando, honestamente, acho que minhas chances de cair são muito baixas.

Deixo meus profundos agradecimentos ao Projeto, que permitiu que essa idéia do fórum seguisse adiante.

E também, meus desejos de paz e luz para todos desse fórum. Todos os que postaram aqui no meu diário - foram muitos.

Gente, vamos seguir o caminho do reboot PORQUE FUNCIONA.

Veja, dá pra ser feliz, porra! Dá até pra curar DE induzida por porn e ter uma vida sexual saudável! Assim como ter energia, disposição, se sentir bem. BEM MESMO!

Legal e massa, só sem porn.

Quem tiver na dúvida, entra logo no barco.

Quem tiver no barco do reboot, só saí quando tiver em porto seguro.

O fórum é um porto seguro para nós.

Realmente, meus profundos sentimentos de gratidão a todos aqui.

Very Happy Very Happy

Vocês não estão sozinhos.

Fiquem com Deus.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________

Rottweiler e The Rorschach gostam desta mensagem

The Rorschach
The Rorschach
Mensagens : 171
Data de inscrição : 23/05/2021
Idade : 22
Localização : Araras, São Paulo.

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

8/6/2021, 19:30
vierkenes escreveu:Dia 93 do reboot

Bom amigos, acredito que entrei em uma nova fase do reboot - a manutenção.

O grosso da compulsão já sumiu. Também consigo ter um grau de controle alto diante de gatilhos ou até mesmo diante de eventuais situações de estresse.

Pretendo também focar em eliminar ao máximo a masturbação. Pra usufruir de possíveis benefícios do hard mode, pra exercitar a vontade, pra preservar minha energia sexual, curar uma possível ER, ou simplesmente aumentar minha energia geral. Claro que o hard mode é muito mais difícil, mas acho que é jogo pra mim embarcar nessa, nesse momento.

Hoje me encontrei com alguns amigos e fui muito elogiado por um trabalho que fiz. É realmente muito gratificante e muito lindo quando isso acontece. Eu cheguei até a me emocionar um pouco. Essas coisas que nos dão coragem pra seguir no ofício.

No mais, descobri um caminho espiritual muito autêntico, o qual pretendo seguir. Recebi realmente o "chamado", como dizem. Uma dessas coisas vitais que sentimos que vamos até o fim - como foi o caso do próprio reboot e do fórum.

Desde de que postei aqui pela primeira vez, eu já sabia que ia até o fim.

Por isso, recomendo que não fiquem excessivamente ansiosos quanto ao tempo de recuperação. Só sigam o caminho que as coisas vão dar certo.

Pretendo também me dedicar mais a ajudar os colegas aqui no fórum. Dar uma palavra de ânimo pra quem tiver precisando. Luz pros desesperados, no fundo do poço do vício. E postar menos nesse diário aqui.

Minha meta é 180 dias. A propósito, o contador está ajustado corretamente.

Também estou com um forte foco na parte espiritual....

Tenho sentido vontade de dar meu melhor pra servir o mundo, com as minhas habilidades, que Deus me deu. Com minha missão, e com minhas tarefas.

Ainda posso fazer muito mais, pra ficar legal mesmo.

Essa tentativa, os 30 primeiros dias foram em hard mode, com exercícios físicos constantes. Depois o caminho desandou muito. Em alguns momentos eu corri o risco de cair, mas na realidade, ainda que esse terror ainda passe pela minha cabeça muito de vez em quando, honestamente, acho que minhas chances de cair são muito baixas.

Deixo meus profundos agradecimentos ao Projeto, que permitiu que essa idéia do fórum seguisse adiante.

E também, meus desejos de paz e luz para todos desse fórum. Todos os que postaram aqui no meu diário - foram muitos.

Gente, vamos seguir o caminho do reboot PORQUE FUNCIONA.

Veja, dá pra ser feliz, porra! Dá até pra curar DE induzida por porn e ter uma vida sexual saudável! Assim como ter energia, disposição, se sentir bem. BEM MESMO!

Legal e massa, só sem porn.

Quem tiver na dúvida, entra logo no barco.

Quem tiver no barco do reboot, só saí quando tiver em porto seguro.

O fórum é um porto seguro para nós.

Realmente, meus profundos sentimentos de gratidão a todos aqui.

Very Happy Very Happy

Vocês não estão sozinhos.

Fiquem com Deus.

Bom reboot pra todos!

Fala Vierkenes, tudo em ordem? Gostaria de começar elogiando seu diário, li-o o mais que pude (considerando as 42 sessões) e dos diários do fórum o seu é um dos mais profundos. Posso dizer que você parece escrever com o coração na mão (gostaria de me expressar assim). Me identifiquei muito com alguns dos seus (provavelmente antigos) problemas: dificuldade em se relacionar com o sexo oposto, sentir que certos dogmas da religião influenciaram negativamente nossa vida e etc. Sinto que para além da pmo esses parecem ser meus problemas mais profundos, o que me rendeu até um certo ranço muito bem guardado a respeito da religião e uma timidez que ocasionalmente prende minha vida. Espero que com o tempo me venha uma luz a respeito disso. Parabéns pelos 93 dias, tenho certeza que conseguira os 180 que deseja. Enfim amigo, no mais é um forte abraço. Boa manutenção.

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t11904-diario-do-rorschach
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Carl Jonh gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

12/6/2021, 17:29
Cai no dia 97, amigos.

Frustração sexual pesada + ressaca de álcool + ilusões sobre a vida e como ela funciona + ser fraco e cair no vício. Eis o resumo.

Bom, ainda tenho muitos problemas na minha vida, e deixei de ter vontade de falar deles aqui no fórum.

A meta de 180 dias fica pra uma próxima.

Vou retomar o reboot imediatamente, e não cair mais.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

13/6/2021, 03:19
Mais algumas considerações sobre minha queda.

A primeira coisa é que eu não caí só uma vez, mas umas quatro vezes, (quatro PMO, ao invés de uma só).

Já sabemos como isso funciona. É como se o cérebro, diante de um pedacinho de estímulo, quisesse logo tudo. O máximo que ele puder de uma vez só. Se pudesse bater 20 em 1 hora, ele assim faria. Insaciável.

Diante disso, admito que cai no "se hoje eu cai, hoje é o dia da farra. Vamos aproveitar e meter logo o pé na jaca. Meter o louco mesmo! Amanhã eu acordo, corro de manhã e avalio melhor as coisas. Hoje é dia de "matar a saudade" dos vídeos que você não vê a vários meses. Amanhã. recomeçamos o reboot na fé, e com Deus no comando".

Acreditem, hoje estou na farra masturbatoria, mas tenho o sério compromisso de continuar o reboot, não cair mais amanhã, fazer o necessário pra continuar no mesmo ritmo em que eu vinha ( 97 dias é uma ótima marca!!).

Pretendo também focar menos na parte psicológica (dos meus problemas pessoais) e mais no reboot em si. Ou seja, focar no método. Simples assim. Eu tenho plena consciência de que ninguém aqui vai resolver meus problemas psicológicos. Que eu busque isso em outro lugar. Talvez seguir o método "pornografia: como parar" seja útil pra mim. Não interessa que tipo de problema você enfrenta. Pode ter sido estuprado quando criança, ser virgem aos 40 anos, ter várias broxadas, ser rico, pobre, bonito ou feio. Ser branco ou preto. Não interessa. O negócio é parar com a pornografia, meus irmãos!

Bom, hoje eu estou muito chapado de álcool.

Resumindo a ópera:

Ponto número: cortar o álcool o máximo que puder.

Vejam. Eu acabei de cair na farra masturbatoria, porém sinto que ainda posso manter o barco no caminho do reboot. Perfeitamente.

Algo que me preocupa é que mesmo tendo eliminado o fator pornografia (97 dias....) o modo COMPULSÃO continua ATIVO

Ou seja, mesmo cortando a pornografia, o modo compulsão continua ativo por outras drogas (álcool, maconha, etc). Resumindo: ficar extremamente chapado de álcool ou de maconha é queda certa. Não tem muito erro.

Caras, eu não to afim de ficar chapado pela rua, de bobeira. Se for um uso ocasional e "social", tudo bem, mas ficar mal, vomitar, e ficar de bobeira na rua....honestamente, eu não tenho mais idade pra isso

Está tudo muito claro. Tem que parar de beber. Ir na raiz da compulsão. Seja por porn, álcool ou maconha, deve ter algo na origem disso. Preciso atingir um nível de harmonia interno, de modo a não fugir de mim mesmo pelo uso de qualquer substância que me desperte prazer, ou alienação.

Graças a Deus, mesmo tendo caído hoje, acredito que atingi um relativo sucesso em cortar o fator pornografia. Quero engatar logo uns 20 dias em hard mode, pra mandar isso de P pra bem longe. Mas tem os outros fatores, que fatalmente afetam as mesmas áreas do cérebro. Compulsão é compulsão, meus amigos. Quem sofre disso deve ficar bem longe de qualquer tipo de droga e estimulante. Acaba que no fundo, tudo dá na mesma coisa. É foda.

Devo dizer também que eu falhei "miseravelmente" em um desafio que a vida me deu.

Pra quem acompanha meu diário, já deve saber o quanto certas coisa pesam pra mim. Timidez. Insegurança. Sentir muito desejo por uma mulher e ficar calado. Não me expressar. Medo de amar. Medo profundo e intenso de tocar em uma mulher que está literalmente pedindo pra eu penetrar ela.

Bom, a vida me deu a oportunidade de aprender essa lição. Colocou uma mulher muito atraente, bacana, e legal pra mim. Eu sinto desejo por ela. Isso é um fato e não tenho como negar. Vejam que eu consigo ser minimamente honesto comigo mesmo.

Porém, o medo venceu, meus amigos. O medo, como sabemos (ao menos para mim!) tem tudo a ver com o porn. Quem consome muito porn é porque tem medo de viver a vida. Não tenham dúvidas quanto a isso, meus irmãos!

O tempo passou e um amigo meu acabou ficando com ela. Conversando com ele, ele acabou falando dela. Que iam viajar pra tal lugar, ficar tranquilo. Transar um monte, é claro. E como vocês podem supor, fui tomado de um tipo de inveja. Alta negatividade.

Claro, tentei abrandar isso. Afinal, cada um transa com quem quiser, eu não tenho nada a ver com isso. Muito menos tenho intuito de deixar más energias para os casais que se gostam. Porém, a sensação é que minha alma GRITA E BERRA. É como se fosse algo do tipo:" O QUE!!!!??? VOCÊ NÃO DEU EM CIMA DELA???? AI CARALHO!!!!!! mulher QUE PARIU MEU!!!! OLHA COMO ESSA MINA É GATA E MARAVILHOSA!!!! OLHA O QUANTO PODERIA DAR CERTO SE VOCÊ SIMPLESMENTE TIVESSE DADO EM CIMA DELA! PORRA MEU! VOCÊ É UM MERDA DE UM FODIDO DO CARALHO, PORQUE VOCÊ FICOU COM MEDO DE DAR A IDEIA NA MINA!!!! mulher MERDA MEU!!! IMPERDOÁVEL, CARALHO! PORRA! AGORA SÓ TOMANDO UMA CACHAÇA PRA SUPORTAR ESSE FRACASSO DE VOCÊ PARA COM VOCÊ MESMO!!!! DE NOVO ESSA PORRA! VAI SE FODER PORRA!

Acreditem, eu não ligo se vocês acham que eu exagero ou não, mas esse tipo de situação faz, literalmente, minha alma sangrar. É sério mesmo, meus amigos.

Resumo até aqui

1) cortar o álcool máximo que puder. SOBRIEDADE!!!!

2) Acabar com porra de auto estima baixa, com insegurança, com isso de não transar com ninguém. Porra caras, claro que eu mereço uma namorada, por exemplo. Acreditem, eu sou um cara show de bola, hehe. Só preciso acabar com essa desgraça de insegurança e de medo! Chega de ser escravo, meus amigos! Vocês não tem noção do peso que isso tem para mim!!!! Pra mim é algo vital!!!!! Da maior importância!!!! Estou exausto de viver refém do medo!!!!! Medo de viver a vida! De aproveitar o que a vida tem de melhor! Não é nem medo de transar necessariamente, mas medo de viver a vida mesmo! De sentir prazer e ficar legal! Será que vocês entendem isso?

Claro, tudo isso é um problema psicológico, que foge um pouco da competência do fórum. Vou falar em termos mais práticos adiante.

Vejam, eu tenho planos de manter o hard mode pelo máximo de tempo que puder.

Isso vai me exigir, necessariamente, uma rotina de exercícios físicos. Não tem pra onde fugir. Claro, isso é difícil pra mim (na contramão da zona de conforto) mas o reboot é isso, não é mesmo? Não se iludam quanto a isso.

Tenho motivos espirituais para ter certa disciplina quanto a certas coisas. Ultrapassa o reboot até. Quero mesmo desenvolver isso o quanto der. Mesmo que eu tenha caído e esteja enfraquecido hoje.

No mais, tenho meditado nos últimos dias.

Essa é realmente uma prática que quero levar comigo, pois é MEU MOMENTO, em que NADA MAIS IMPORTA A NÃO SER EU. Esqueço de todas as pressões, ansiedades, pessoas, familiares, enfim, eu fico COMIGO MESMO E MAIS NINGUÉM.

Acredito piamente que tais momentos são FUNDAMENTAIS para o fortalecimento da gente. Acredito mesmo!!

No mais, ainda tenho questões relativas a trabalho para resolver. Não me banco por conta própria, e isso me deixa um tanto quanto inseguro. Preciso prestar atenção nisso também.

Em resumo, mais maturidade, meus irmãos!!!!

Retomo o reboot imediatamente.

Pretendo realmente diminuir o número de posts, esquecer um pouco a quantidade de dias e focar mais na QUALIDADE.

Isso é o que conta!

Bom reboot pra todos!!!!

_______________________________________

The Rorschach gosta desta mensagem

Drew
Drew
Mensagens : 1396
Data de inscrição : 09/08/2020
Idade : 25
Localização : Brooklyn 1986

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/6/2021, 17:34
Iae mano.
Ninguém começa do zero depois de tanto tempo, tenha certeza que você não retrocedeu tudo e não perdeu os benefícios que conquistou todo esse tempo.
Eu acredito no seu propósito mesmo com as quedas seguidas, porque ele parte da nossa razão e as quedas são irracionais.
Elimine a baixa auto estima sendo alguém digno de estima, as pessoas pensam em auto estima sem pensar que devemos ter de fato algo pra estimar em nós mesmos. Não tem auto estima se eu sou um fracassado, só se for uma coisa forçada e artificial.
Força, tmj!!

_______________________________________



O alívio de poder "realizar" suas fantasias naqueles poucos segundos nunca será maior que a frustração de passar o resto do tempo sabendo que não realizou coisa alguma e que ainda está preso nesse vício maldito e cada vez mais longe de realmente ter uma satisfação sexual ao lado de uma boa mulher.

The Rorschach gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

18/6/2021, 11:42
Valeu pela presença, Drew! Fortaleceu!

Bom, estou despreocupado com os dias, e certo de que retornarei a uma vida livre de P.

Estou doente esses dias. Eu pensei até que poderia ser covid...porém os sintomas estão leves. Não precisei fazer nada, a não ser chá e umas coisas naturais, e tá dando certo. Ainda não to bem, mas acredito que não vou ficar pior. Como não houve gravidade no meu quadro, não fui no médico nem nada. Apenas estou recolhido em casa, evitando sair.

Ficar em casa o dia todo me deixou no computador por muito mais tempo do que o normal.

Ontem eu acabei acessando uns sites que dá pra conversar com pessoas aleatórias na internet. Passei umas 4 horas nesse site. Conversei com várias pessoas. Até que reparei  que a coisa era meio viciante. Algo do tipo "estou aqui a 2 horas, preciso sair", e ficava mais 2 horas.

Pensei em bloquear e restringir mais o acesso do computador. Não pensando em P, mas em outras coisas que possam ser viciantes, que possam me fazer perder muito tempo no computador. Como jogos, por exemplo. Fora que eu tenho uns trabalhos pra fazer, e não estou fazendo por pura procrastinação. Bloquear algumas coisas no computador sem dúvidas iria me ajudar muito nesse momento. Vejam, eu poderia até ser radical - fechar tudo e só liberar por 2 horas por dia. Do ponto de vista do vício, não preciso de tais medidas, mas do ponto de vista da preguiça, da procrastinação e da produtividade, com certeza seria muito útil.

Sobre a questão sexual, opto por evitar falar em profundidade desse assunto aqui....porque são coisas que, a meu ver, pouco tem a ver com o reboot. Dia desses alertei um usuário aqui, que estava com a expectativa de que com o reboot, ia resolver os problemas de insegurança e pegar um monte de mulher. Nada mais ilusório, meus amigos. Caiam fora desse tipo de pensamento, porque a decepção pode ser muito grande.

Ontem uma amiga veio falar comigo na madrugada.

Eu conheço ela faz muito tempo. A 10 anos atrás, ela tentou transar comigo, mas como eu tinha meus problemas - todos aqui carecas de saber.... -  não rolou. Eu gosto dela, a conversa flui bem. Pensei que poderia perfeitamente tirar uma "casquinha" dela, sabem? Seria praticamente uma transa amiga. Ela é minha amiga, e eu tenho zero interesse de namorar ela, ou algo do tipo. Só queria transar com ela algumas poucas vezes e ficar tranquilo, sabem? O legal dela é que a gente tem uma certa intimidade. E ela me incentiva a tentar dar em cima das minas. Sempre que tenho alguma questão amorosa, eu peço conselho pra ela. Uma opinião feminina, sabem? Bom, encontrando ela, vou propor essa transa amiga. Curioso, porque eu não sinto nenhum medo dela.

Resolver esses problemas de insegurança e auto estima baixa, que me impediram de ter uma vida sexual e muitas outras coisas, constitui um dos principais desafios da minha vida. Nem falo do reboot, mas da minha vida mesmo, como um todo.

Ontem eu soube que um conhecido morreu de câncer, aos 35 anos. Isso me deixou muito reflexivo. Fiquei pensando que temos menos tempo do que achamos. E que sem dúvidas preciso me esforçar mais. Em meus planos e projetos. Tenho que terminar algumas coisas aqui na Terra...e como nunca se sabe quando se vai, eu acho bom não procrastinar ou evitar tanto. Ao contrário. Quanto mais se esforçar melhor, não é?

Parei todas as minhas práticas que levam ao bem estar, porque estou realmente meio mal. Supostamente eu estaria em um período frágil, mas acho que não vou sofrer mais de fissuras, nem sofrer quedas.

Se eu cai, é porque agredi profundamente a minha alma com o que falei no último post. Senti uma dor sem tamanhos. Espero não cometer o mesmo erro mais uma vez.....até mesmo pra não cair, mais uma vez....são coisas que eu não aguento mais passar, e que me fazem entrar em desespero mesmo. Pra mim é pior do que cair em porn, simplesmente. Só pra vocês terem ideia.

No mais, os efeitos do consumo de porn são BRUTAIS.

Nos 2 dias posteriores a queda, eu passei muito mal com sentimentos de frustração sexual. Porém, o que eu percebo é que esses sentimentos são diretamente causados pelo consumo de porn.

Durante muitos e muitos anos, eu achava que passava mal porque não tinha uma vida sexual....

A realidade dos fatos é que eu passava mal porque estava enchendo a cabeça de pornografia....

São coisas que exigem um pouco de maturidade para entender. Só estou chegando nesse ponto por agora.

Sigo no hard mode.

Estou louco não vou dizer para fazer sexo, mas para dar em cima de alguma mulher. Percebem a diferença? Não estou pensando em transar, em ter um orgasmo. Estou pensando em desenvolver meu papo, em perder o medo, em ganhar habilidade no flerte. Essas coisas são da maior importância pra mim. Eu ficaria feliz até com negativas! Eu quero perder o medo entendem? Não estou pensando nas consequências. Por favor, me desejem sucesso nessa tarefa!

Hoje eu acordei um pouco melhor do que ontem, e se eu me cuidar, acredito que não vou piorar. Vou aproveitar e arrumar a casa, que está um lixo.

Os próximos dias serão de resguardo.

Por hoje é só.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/6/2021, 14:49
Cai de novo, e feio.

Tudo começou quando entrei num site de sexo virtual.

Acabei fazendo isso com uma mulher de são paulo, por chamada de vídeo e tudo. Primeira vez na vida que faço isso. Masturbação a dois, a distância, com um celular como intermediário.

É MUITO PRAZEROSO. Mais até do que consumir porn. Mas não precisa ser inteligente pra saber que isso seria minha ruína completa. Isso decerto ia me levar a loucura completa em muito pouco tempo. E de novo ao vício em porn.

Claro, o fato de que eu sou incapaz de arranjar uma parceira real é o pior de tudo.

Muito já falei disso aqui, mas os meus problemas são extremamente graves. Não sei se vou resolver isso um dia. Talvez fosse melhor usar um cinto de castidade, daqueles que se usavam na idade média. Cortar meu pênis fora (se eu não uso? kkk). Tentar virar um brahmacharya. Sei lá.

Eu sou absolutamente incapaz de conseguir uma parceira e de interagir com ela na realidade. Ok, estou exagerando um pouco, porque enchi a cabeça de porn e isso distorce nossa percepção das coisas. Porém, meu percurso e meu histórico de vida permitem afirmar algo do tipo. Isso se chama ISOLAMENTO. Pra mim é UM TIPO DE DOENÇA. Eu nunca QUIS ME ISOLAR. Ao contrário.

Perdi a virgindade (e o bv!!!!!!!!!) com 28 anos. Não porque "não era minha hora" ou "eu estava me guardando pra Deus", mas simplesmente porque as coisas foram MUITO DESASTROSAS pra mim, nessa área da vida. Namorei por 6 meses. Depois que ela terminou comigo foram 4 FODENDO ANOS sem tocar em mais ninguém. Nunca na minha vida eu imaginei que depois de perder a virgindade, ia passar 4 anos sem sexo. Ao contrário. Quando perdi, eu pensei: "oba! vida nova! finalmente vou curtir um pouco a vida, do ponto de vista sexual!". Mas não aconteceu. Dai depois de 4 anos transei com outra mulher, uma única vez...e isso tem uns 4 meses já.

Largar a pornografia assim fica muito mais difícil hein. Sério mesmo. Meu cérebro sabe muito pouco ou quase nada o que é prazer real. Isso é uma desvantagem. A mim parece óbvio que fazer sexo real com pessoas reais é muito bom para poder conseguir parar de ver pessoas fazendo sexo numa tela. Porém, são coisas que não fazem parte da minha realidade. Nunca fizeram, praticamente. Vocês não tem noção de como isso me machuca e me fere. Mas vou parar de falar dessas coisas. Ninguém aqui vai resolver isso por mim.

Eu gostei MUITO da experiência virtual. Fazer o que, se isso é o máximo de intimidade que eu consigo ter com uma mulher? Através de uma tela? Foi muito bom mesmo. Mas como eu disse antes, estou brincando não com fogo, mas com o próprio tridente do capeta, que já está entrando nas minhas partes baixas, querendo atravessar até o alto da garganta, pra me deixar empalado, girando como um espeto, pros demônios comerem depois.

Bom, também sabemos que o vício em porn aumenta VEZES 1 MILHÃO qualquer tipo de sentimento relacionado a frustração sexual.

Eu não quero ser a porra de um frustrado. Se sofri muito com isso, ok. É passado. Mas não quero isso pro meu futuro.

Se eu tiver que passar mais 7 anos sem transar - não seria uma surpresa pra mim, porque a gente se habitua - tudo bem. Não é bom, porque não é mesmo, mas mesmo assim, eu não quero ser engolido e dominado por porra de sentimento de frustração.

O pior é que eu admito que eu ZOEI COMPLETAMENTE MEU CÉREBRO. Sexo virtual É MIL VEZES PIOR DO QUE FAP COM PORN. BEM PIOR.

Só faria isso se eu optasse que levaria uma vida de isolamento. Sei lá. Vai que eu conseguiria viver assim. O dia inteiro trancado em casa, com o pau na mão. Desistindo completamente de interagir na realidade. Sem ligar a mínima se tenho amigos, se não tenho, se alguma gatinha ta afim de mim. Aliás, capaz deu virar um grande misógino. Dar logo um tapa na cara da tal gatinha que ia se interessar por mim. Coisas sombrias, que me lembram o auge do vício, a muito tempo atrás.

Amigos, estou FODIDO porque desregulei de um modo absurdo e extremo meu cérebro, com algumas mulheres que conheci na internet.

Seria muito bom se meu cérebro fosse regulado, e eu conseguisse fazer isso "de vez em quando", só pra dar uma aliviada. Mas isso não existe.

Eu ainda não quero me matar, então estou optando por nunca mais me envolver com essas coisas. Não dá pra mim.

Vou voltar a minha vida normal, que não tem sexo real, nunca. Eu já me habituei (fazer o que, a gente se habitua mesmo, é a vida). Sem sexo nenhum, com ninguém. Meu lema é: solteiro sim, sozinho sempre. Sem porra de namorada, nem amante, nem contato, nem transa eventual. NADA. ZERO MESMO.

E tentar parar com esse diabo de porn.

Peço que perdoem qualquer eventual pessimismo ou auto flagelo. Eu zoei muito as coisas hoje. Foi complicado.

Eu nem vou falar coisas que eu poderia fazer, porque não sei se estou em condições de nada.

O que vou fazer por enquanto é bloquear tudo do melhor modo que puder, e não deixar nenhuma brecha.

Acho que vou precisar de no mínimo uns 10 dias no hard mode, pra começar a me recuperar.

Sei que vai ser foda, pois vou sofrer de fissuras pesadas. Com certeza absoluta.

Continuo no barco do reboot.

Não quero a pornografia na minha vida.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 790
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

27/6/2021, 13:37
Mísero dia 1 do reboot.

Bom, começo dizendo que nada na minha vida vai dar certo enquanto eu permanecer no vício.

E que alcancei a pouco tempo 97 dias. Os benefícios foram em boa parte embora, porque eu me acabei fazendo sexo virtual com mulheres desconhecidas na internet. Fora os vários e vários dias bebendo. Pois é.

Também o fato de que tenho uma incapacidade brutal em arranjar parceiras na vida real, e ter uma vida sexual regular. Isso é foda e machuca demais. É problemático. Eu abri um diário aqui hoje, e quando li os comentários do colega dizendo que transava com uma, com outra, que gozava de tal e tal forma, eu simplesmente fechei. Um misto de inveja e mal estar. Fiquei achando que o usuário exagerou nos comentários - alguns detalhes são mesmo desnecessários - mas por outro lado, sexo é normal, as pessoas transam e isso faz parte da vida. Mas não faz parte da minha.

Eu penso demais nisso? Provavelmente. Por outro lado, já é um problema e um padrão muito antigo que carrego comigo. Mais de 15 anos sendo sexualmente frustrado, de forma quase que ininterrupta, e quase que sem alívios.

Eu nem mesmo sei porque estou escrevendo aqui. Minha vontade se encontra totalmente esvaziada, e não tenho no momento a firmeza de dizer a vocês que farei o necessário para acabar com o vício. Estou nas mãos dos bloqueadores, que aliás, estão funcionando com 100% de eficiência. Muito pouco provável que eu caia, com os dispositivos bem configurados.

Também, vejo cada vez menos sentido em ficar expondo meus problemas aqui.

Tenho 5 anos de fórum, já atingi mais de 90 dias umas 3 ou 4 vezes. Sei o que devo fazer. Já passei da época de arranjar desculpas ou coisas do tipo. O negócio é arregaçar as mangas e ir pelo caminho mais difícil. O resto é papo furado.

Auto estima lá embaixo. Também é o esperado, pra quem está com 1 dia limpo.

Ontem de noite troquei ideia com a última mina com quem fiz sexo - a uns 4 ou 5 meses atrás.

Coloquei na minha cabeça que não me cabe tentar entender ou julgar os que os outros fazem. Mas o fato é que eu gosto demais dela. Eu podia ter feito sexo com outra pessoa que eu não gostasse tanto, e então eu nem mesmo estaria pensando na pessoa.

Conversando com ela, eu consegui sentir afeto e intimidade. Apenas com uma conversa por whatsapp.

Ela resiste as minhas investidas. Eu acharia uma pena se o motivo dela se recusar a ficar comigo fosse por medo. Digo isso porque eu fui escravo do medo a minha vida inteira, eu perdi a minha vida pro medo. E me enche de tristeza quando eu percebo que alguém está fazendo a mesma coisa. Mas como eu disse, não me cabe tentar entender a motivação do outro pras suas ações.

Eu tenho o intuito de continuar dando em cima dela. De forma cada vez mais firme, inclusive. Só vou desistir ou parar se ela falar com todas as letras que não tem interesse em ficar comigo. Aí é outra coisa.

É estranho, porque as vezes eu sinto como se eu estivesse morrendo de sede a muito tempo. Aí quando alguém chega com um copo de água, eu fico meio desesperado. Querendo mais. Acho que isso é ruim, pra não dizer péssimo. Não quero passar a ideia de que estou desesperado. Quando na verdade eu estou. Mas o objetivo é tentar ocultar um pouco isso.

Talvez eu esteja desesperado justamente porque enchi a cabeça de porn recentemente.

Quando eu tava com 97 dias, eu me sentia frustrado também, mas era diferente.

Eu não me sentia desesperado. Ao contrário, conseguia manter a cabeça no lugar, fazer as coisas que eu tinha que fazer. Conseguia até relaxar. Ficar tranquilo e confiante. Outra coisa completamente diferente, meus amigos.

Temos que ter paciência com nossos processos. Com os dos outros também.

Vai levar um tempo até eu atingir uma meta razoável de novo. Sempre penso nos relatos que leio, dos caras que tem DE e ficam querendo fazer sexo antes da hora. Aí se decepcionam e se desesperam ainda.

Pra mim, ter DE nem mesmo faz diferença. Porque eu não tenho uma vida sexual ativa. Essa é sem dúvidas uma das minhas maiores frustrações, enquanto homem adulto. Se é que sou adulto mesmo. Digo isso só pela idade, mas talvez isso não signifique nada. Conheço um cara de 50 anos que transa um monte, porém, vive a vida de forma totalmente irresponsável. Não trabalha, é bancado pela família e é um grande curtidor. Tem uma filha, mas acha mais interessante ficar viajando por ai transando com todas as mulheres que puder, enquanto passa longos períodos sem ver a filha, que é pequena. O trabalho de cuidar da criança fica todo para a esposa.

Ter conversado com a mina que eu falei me fez pensar em muitas coisas.

Primeiro, que eu tenho uma certa tendência a ser obsessivo. O que é péssimo. A ficar girando em torno do mesmo ponto.

Segundo, que as pessoas tem problemas demais. Claro, existem as pessoas que tem habilidade para o prazer - como o cara que eu falei acima - mas eu não concordo muito com isso. Gostaria de ter mais prazer, curtir mais, inclusive transar mais? É claro que sim! Mas gostaria também que isso fosse equilibrado com todas as outras coisas da vida. Como trabalho, por exemplo. Não é como se eu estivesse na época de universidade, em que dá pra ficar tranquilo e tudo o mais. Não foi meu caso. Meu período universitário foi um desastre, e em 90% dele eu estava consumindo porn todos os dias, bebendo todo dia, e ouvindo com alguma frequência meus colegas de república transando.

Um dia desses alguém me falou sobre desistir do que não se teve no passado. Isso me chamou a atenção, pois sem dúvidas diz respeito aos meus desafios.

Pra mim é o dilema da criança órfã, que vê todos os dias as outras crianças com seus pais, com suas mães. Enquanto ela não tem pai ou mãe pra ir buscar elas na escola. Até coisas muito pequenas e simples se tornam um motivo de grande dor. Eu nunca passei por isso, mas por alguma estranha razão, consigo intuir como é esse sentimento.

Bom, isso pode doer demais, e deixar marcas muito profundas. Mas é FUNDAMENTAL que um dia a criança (ou adolescente, ou adulto) abdique desse sonho infantil que nunca foi e nunca será realizado.

Ele nunca teve um pai ou mãe pra ir buscar ele em algum lugar, dar uma atenção ou algo do tipo. Nem nunca terá.

Pode, no entanto, ter outras coisas maravilhosas. Pode arranjar um parceiro ou parceira de quem goste muito, se casar e ter uma vida amorosa e sexual boa. Isso foi só um exemplo.

Enquanto ele não largar essa ideia e essa ferida antiga, talvez a vida dessa pessoa não ande muito pra frente. Porque ela está sem dúvidas, presa ao passado.

Acho que isso ocorre comigo. Eu sem dúvidas estou preso ao passado. Com muita força, aliás.

Fora coisas psicológicas, eu não tenho muito mais o que falar sobre o reboot. Isso me dá vontade de parar por aqui. Não estou em condições de prometer ir correr, ou malhar com afinco para mandar o vício embora.

Eu estou muito mal, essa é a verdade.

A realidade das coisas está me parecendo um pouco dura no momento.

E não adianta bater de frente com a realidade. Não adianta mesmo.

É melhor aceitar que doí menos. Eis um fato. Não só doí menos, como as coisas fluem com mais facilidade e naturalidade.

Por fim, eu gostaria de nunca mais na minha vida me negar, como aconteceu poucos dias antes deu cair.

Se acontecer de novo, eu acho que eu simplesmente me mataria. É uma dor grande para suportar. E foi um erro que eu já cometi demais em minha vida.

Evidentemente, eu estou cego em relação a alguma coisa.

E consumir porn só vai me deixar mais cego.

Eu adoraria não ter problemas com sexo virtual e poder fazer de vez em quando pra me aliviar. Eu acho que até prefiro isso do que prostituição, por exemplo. Não consigo engolir prostituição. Embora as vezes eu ache que poderia ser uma solução para parte dos meus problemas.

Não estou conseguindo trabalhar nem nada do tipo.

Não to conseguindo fazer nada. To me sentindo um inútil.

Só não digo que minha situação é a pior possível porque eu tenho uma condição muito confortável, e devo estar melhor do que 80% da população brasileira nesse momento.

Curiosamente, acho que se algumas coisas fossem mais difíceis para mim, no fundo seria algo que me faria bem. É isso mesmo que vocês leram: se eu passasse mais dificuldades em outros setores da vida, sem dúvidas eu seria forçado a me desenvolver mais, a deixar de preguiça e correr atrás.

Espero humildemente chegar aos 10 dias e não perder muito tempo nesse intervalo pós queda.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
avatar
chopin
Mensagens : 232
Data de inscrição : 31/12/2020

Diário - Vierkenes - Página 2 Empty Re: Diário - Vierkenes

27/6/2021, 17:16
vierkenes escreveu:Mísero dia 1 do reboot.

Bom, começo dizendo que nada na minha vida vai dar certo enquanto eu permanecer no vício.

E que alcancei a pouco tempo 97 dias. Os benefícios foram em boa parte embora, porque eu me acabei fazendo sexo virtual com mulheres desconhecidas na internet. Fora os vários e vários dias bebendo. Pois é.

Também o fato de que tenho uma incapacidade brutal em arranjar parceiras na vida real, e ter uma vida sexual regular. Isso é foda e machuca demais. É problemático. Eu abri um diário aqui hoje, e quando li os comentários do colega dizendo que transava com uma, com outra, que gozava de tal e tal forma, eu simplesmente fechei. Um misto de inveja e mal estar. Fiquei achando que o usuário exagerou nos comentários - alguns detalhes são mesmo desnecessários - mas por outro lado, sexo é normal, as pessoas transam e isso faz parte da vida. Mas não faz parte da minha.

Eu penso demais nisso? Provavelmente. Por outro lado, já é um problema e um padrão muito antigo que carrego comigo. Mais de 15 anos sendo sexualmente frustrado, de forma quase que ininterrupta, e quase que sem alívios.

Eu nem mesmo sei porque estou escrevendo aqui. Minha vontade se encontra totalmente esvaziada, e não tenho no momento a firmeza de dizer a vocês que farei o necessário para acabar com o vício. Estou nas mãos dos bloqueadores, que aliás, estão funcionando com 100% de eficiência. Muito pouco provável que eu caia, com os dispositivos bem configurados.

Também, vejo cada vez menos sentido em ficar expondo meus problemas aqui.

Tenho 5 anos de fórum, já atingi mais de 90 dias umas 3 ou 4 vezes. Sei o que devo fazer. Já passei da época de arranjar desculpas ou coisas do tipo. O negócio é arregaçar as mangas e ir pelo caminho mais difícil. O resto é papo furado.

Auto estima lá embaixo. Também é o esperado, pra quem está com 1 dia limpo.

Ontem de noite troquei ideia com a última mina com quem fiz sexo -  a uns 4 ou 5 meses atrás.

Coloquei na minha cabeça que não me cabe tentar entender ou julgar os que os outros fazem. Mas o fato é que eu gosto demais dela. Eu podia ter feito sexo com outra pessoa que eu não gostasse tanto, e então eu nem mesmo estaria pensando na pessoa.

Conversando com ela, eu consegui sentir afeto e intimidade. Apenas com uma conversa por whatsapp.

Ela resiste as minhas investidas. Eu acharia uma pena se o motivo dela se recusar a ficar comigo fosse por medo. Digo isso porque eu fui escravo do medo a minha vida inteira, eu perdi a minha vida pro medo. E me enche de tristeza quando eu percebo que alguém está fazendo a mesma coisa. Mas como eu disse, não me cabe tentar entender a motivação do outro pras suas ações.

Eu tenho o intuito de continuar dando em cima dela. De forma cada vez mais firme, inclusive. Só vou desistir ou parar se ela falar com todas as letras que não tem interesse em ficar comigo. Aí é outra coisa.

É estranho, porque as vezes eu sinto como se eu estivesse morrendo de sede a muito tempo. Aí quando alguém chega com um copo de água, eu fico meio desesperado. Querendo mais. Acho que isso é ruim, pra não dizer péssimo. Não quero passar a ideia de que estou desesperado. Quando na verdade eu estou. Mas o objetivo é tentar ocultar um pouco isso.

Talvez eu esteja desesperado justamente porque enchi a cabeça de porn recentemente.

Quando eu tava com 97 dias, eu me sentia frustrado também, mas era diferente.

Eu não me sentia desesperado. Ao contrário, conseguia manter a cabeça no lugar, fazer as coisas que eu tinha que fazer. Conseguia até relaxar. Ficar tranquilo e confiante. Outra coisa completamente diferente, meus amigos.

Temos que ter paciência com nossos processos. Com os dos outros também.

Vai levar um tempo até eu atingir uma meta razoável de novo. Sempre penso nos relatos que leio, dos caras que tem DE e ficam querendo fazer sexo antes da hora. Aí se decepcionam e se desesperam ainda.

Pra mim, ter DE nem mesmo faz diferença. Porque eu não tenho uma vida sexual ativa. Essa é sem dúvidas uma das minhas maiores frustrações, enquanto homem adulto. Se é que sou adulto mesmo. Digo isso só pela idade, mas talvez isso não signifique nada. Conheço um cara de 50 anos que transa um monte, porém, vive a vida de forma totalmente irresponsável. Não trabalha, é bancado pela família e é um grande curtidor. Tem uma filha, mas acha mais interessante ficar viajando por ai transando com todas as mulheres que puder, enquanto passa longos períodos sem ver a filha, que é pequena. O trabalho de cuidar da criança fica todo para a esposa.

Ter conversado com a mina que eu falei me fez pensar em muitas coisas.

Primeiro, que eu tenho uma certa tendência a ser obsessivo. O que é péssimo. A ficar girando em torno do mesmo ponto.

Segundo, que as pessoas tem problemas demais. Claro, existem as pessoas que tem habilidade para o prazer  -  como o cara que eu falei acima - mas eu não concordo muito com isso. Gostaria de ter mais prazer, curtir mais, inclusive transar mais? É claro que sim! Mas gostaria também que isso fosse equilibrado com todas as outras coisas da vida. Como trabalho, por exemplo. Não é como se eu estivesse na época de universidade, em que dá pra ficar tranquilo e tudo o mais. Não foi meu caso. Meu período universitário foi um desastre, e em 90% dele eu estava consumindo porn todos os dias, bebendo todo dia, e ouvindo com alguma frequência meus colegas de república transando.

Um dia desses alguém me falou sobre desistir do que não se teve no passado. Isso me chamou a atenção, pois sem dúvidas diz respeito aos meus desafios.

Pra mim é o dilema da criança órfã, que vê todos os dias as outras crianças com seus pais, com suas mães. Enquanto ela não tem pai ou mãe pra ir buscar elas na escola. Até coisas muito pequenas e simples se tornam um motivo de grande dor. Eu nunca passei por isso, mas por alguma estranha razão, consigo intuir como é esse sentimento.

Bom, isso pode doer demais, e deixar marcas muito profundas. Mas é FUNDAMENTAL que um dia a criança (ou adolescente, ou adulto) abdique desse sonho infantil que nunca foi e nunca será realizado.

Ele nunca teve um pai ou mãe pra ir buscar ele em algum lugar, dar uma atenção ou algo do tipo. Nem nunca terá.

Pode, no entanto, ter outras coisas maravilhosas. Pode arranjar um parceiro ou parceira de quem goste muito, se casar e ter uma vida amorosa e sexual boa. Isso foi só um exemplo.

Enquanto ele não largar essa ideia e essa ferida antiga, talvez a vida dessa pessoa não ande muito pra frente. Porque ela está sem dúvidas, presa ao passado.

Acho que isso ocorre comigo. Eu sem dúvidas estou preso ao passado. Com muita força, aliás.

Fora coisas psicológicas, eu não tenho muito mais o que falar sobre o reboot. Isso me dá vontade de parar por aqui. Não estou em condições de prometer ir correr, ou malhar com afinco para mandar o vício embora.

Eu estou muito mal, essa é a verdade.

A realidade das coisas está me parecendo um pouco dura no momento.

E não adianta bater de frente com a realidade. Não adianta mesmo.

É melhor aceitar que doí menos. Eis um fato. Não só doí menos, como as coisas fluem com mais facilidade e naturalidade.

Por fim, eu gostaria de nunca mais na minha vida me negar, como aconteceu poucos dias antes deu cair.

Se acontecer de novo, eu acho que eu simplesmente me mataria. É uma dor grande para suportar. E foi um erro que eu já cometi demais em minha vida.

Evidentemente, eu estou cego em relação a alguma coisa.

E consumir porn só vai me deixar mais cego.

Eu adoraria não ter problemas com sexo virtual e poder fazer de vez em quando pra me aliviar. Eu acho que até prefiro isso do que prostituição, por exemplo. Não consigo engolir prostituição. Embora as vezes eu ache que poderia ser uma solução para parte dos meus problemas.

Não estou conseguindo trabalhar nem nada do tipo.

Não to conseguindo fazer nada. To me sentindo um inútil.

Só não digo que minha situação é a pior possível porque eu tenho uma condição muito confortável, e devo estar melhor do que 80% da população brasileira nesse momento.

Curiosamente, acho que se algumas coisas fossem mais difíceis para mim, no fundo seria algo que me faria bem. É isso mesmo que vocês leram: se eu passasse mais dificuldades em outros setores da vida, sem dúvidas eu seria forçado a me desenvolver mais, a deixar de preguiça e correr atrás.

Espero humildemente chegar aos 10 dias e não perder muito tempo nesse intervalo pós queda.

Bom reboot pra todos!

Gostaria muito de te ajudar, mas não sei muito o que falar. Pessoalmente, gosto muito de meditar para poder me equilibrar, funciona muito bem, mas já vi que você conhece a meditação. Talvez devesse praticar mais.

Algo que eu pude perceber é que você está focado muito em 1 coisa: sexo.

Vou falar um pouco sobre mim. Eu nunca fiz sexo, sei que deve ser muito bom, mas, apesar de ter tido oportunidades, acabei negando. Ainda é algo que eu quero fazer no futuro, caso esteja em um relacionamento, apenas. Tenho muitos objetivos, tive minha primeira aula de piano e estou prestes a comprar o meu piano digital, piano é algo que eu acho muito bonito e pretendo focar nisso diariamente. Estou começando a faculdade em breve, já estou estudando diariamente para me adiantar. Estou correndo e caminhando com certa frequência, junto com o meu cachorro que eu tanto gosto. Isso me faz desestressar e me sentir melhor.

Penso em sexo? Sim. Ando pensando bastante em sexo ultimamente, até porque já estou um tempo sem PMO. Porém, veja, tenho várias outras coisas para me distrair e gastar meu tempo, tanto as que eu citei quanto outras que não deu pra contar. Acho que talvez fosse bom você encontrar outras coisas interessantes para fazer, para focar, gastar seu tempo e energia. Coisas que você gostasse. Sexo deveria ser uma pequena parte de sua vida, sabe? Apenas uma pequena fração. Mas você, sem nem mesmo fazer sexo, está fazendo toda sua vida, atualmente, sobre ele. Isso não é saudável. Se eu estivesse pensando nisso da mesma forma que você está, tenho certeza de que eu estaria atormentado e muito estressado, e é muito difícil viver dessa maneira.

Não há uma solução definitiva, absoluta, a qual você seguirá e ficará bem, porém, seria interessante se você desviasse o foco da sua vida para outras coisas. Poxa, será, realmente, que não há nada por ai que seja legal e que vá te fazer muito bem? Ou será que a sua vida será apenas sobre ser sexualmente frustrado? Enquanto você está usando uma viseira olhando apenas para esse fato, o mundo a sua volta está passando e várias oportunidades estão sendo deixadas para trás.

A vida não é apenas sobre encontrar uma parceira, apesar de eu admitir que isso é algo bom. E outra coisa, como você tem tanta certeza de que é incapaz em arranjar parceiras? Não li todo seu diário, li apenas o primeiro comentário e os últimos e vi que você começou aos 27. Posteriormente, arranjou uma namorada. Depois, ficou com outra garota. Que história é essa de incapacidade? Você é claramente capaz. Já fez mais do que eu, inclusive, e olha que eu me sinto muito capaz. Se já fez uma vez, consegue fazer de novo, mas está sendo refém de seus pensamentos limitantes que te colocam pra baixo e te atormentam.

Talvez você devesse encontrar uma maneira diferente de se relacionar com os pensamentos que chegam a sua mente. Não há pra que se preocupar tanto com tal questão. É um problema? Sim, é um problema. Contudo, você faz ele ser 10x pior do que realmente é. Encare as coisas como elas são, se você não vai resolver o problema de maneira direta, indo atrás de uma parceira, pelo menos se esforce para ficar em paz, dando pouca atenção a esse assunto e mais atenção a outros assuntos.

Sei que não devo ter ajudado muito pois a sua situação parece ser complicada, mas eu não conseguia ficar sem falar nada vendo você nessa situação. Tinha que falar alguma coisa, pelo menos tentar. Não te conheço muito bem, mas desejo, com muita sinceridade, que o seu problema seja resolvido, ou pelo menos atenuado.
Espero que as coisas melhorem, até mais.

_______________________________________


Meu diário: https://www.comoparar.com/t11847-diario-do-chopin
Ir para o topo
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos