Diário - Aliócha

+45
sparta
Einstein
soprano
DerekS.W
eduxx
Filho dos Deuses
LeoSilver
jean
Kaneki
Liszt
goth_angel_sinner
KKá
Spartacuz
Yusuke Urammeshi
Thomas Shelby 22
Diácono Lucas
5&4
@_Luan
Marcos081
Lemão
JovemRenascido
Vencedor disciplinado
Druidzin
Gardenzio
Neo11
Marverick
Zaheer
freedom.ever
Rottweiler
DarthVaderMax99
Eddie Red Pill
Caio_o
Samir
chopin
Drew
o2Lázaro
Aba Anônima
Dead
PILGRIM
Origami
VanGogh
Justiceiro do Sertão
Mike
Logos
Aliócha
49 participantes
Ir para baixo
avatar
Liszt
Mensagens : 52
Data de inscrição : 24/06/2022

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

8/8/2022, 17:27
iai mano! Como anda?

_______________________________________

Kaneki gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

10/8/2022, 19:54
Voltei pra dar uma atualizada.

Bom, como podem ver, eu recai ontem. Uma bobagem mesmo. Na verdade, eu já estava em pré queda, pois tinha recaído em sexting. Sexting é algo 9999% maléfico pra mim. Eu nunca consegui bloquear o celular - ele possui uma falha, que eu já pesquisei a rodo na internet, e nunca encontrei solução. Um bloqueio pra esse aplicativo seria maravilhoso pra mim.

Tenho a dizer também que estou trabalhando, sim! Eu, que fiquei mais de 1 ano (bem mais!!) sem fazer NADA. Deve ter sido um desvio necessário - a vida tem dessas. Nunca fez parte dos meus objetivos ser uma pessoa improdutiva e desocupada. E também, preciso aprender a não ligar pras pessoas que ficaram falando sobre minha vida. Já ouvi trilhares de coisas sobre minha condição de "desocupado". Caras....cada um tem seu tempo. Cada um é livre pra seguir do modo que quiser. Eu realmente ainda me importo muito com a opinião dos outros. Mesmo que eu fosse rico e vivesse de renda...e daí? Eu já conheci pessoas assim. Em nenhum momento eu pensava "esse cara é um vagabundo, não faz nada". E se eu dissesse isso, essa pessoa que conheci (uma em específica, que realmente não precisava trabalhar, tinha 3 mil de rendimento livre na conta dele todo mês) não ligaria a mínima pro meu comentário. Ela tinha, além de dinheiro livre, uma segurança interior que talvez eu ainda não possua. Enfim.

Essas pessoas que falam de mim não vivem a minha vida, não sabem o que eu faço em minha casa. Não sabem o que se passa dentro de mim. Mas eu posso partilhar em palavras claras e honestas o que me levou a ser um desocupado.

Uma total e absoluta falta de amor próprio e de auto estima.

Zero de auto confiança. Zero. Muita gagueira, suor frio e até fuga de seminário na faculdade.

Desprezo total por mim e pelo meu corpo. Não tomar banho, por exemplo. Ficar sem comer.

Eu me lembro perfeitamente de quando fui pedir emprego aqui na cidade onde moro pela primeira vez. Eu entrei em um estabelecimento pra deixar currículo. Tinha uma vassoura em um canto, e evidentemente alguém era pago pra varrer o chão - um trabalho, como todos os outros. Eu olhei pra vassoura enquanto esperava o gerente, quando me veio a ideia, o pensamento e a SENSAÇÃO de que eu valia menos do que a vassoura. "Eu não sou digno de varrer esse chão. Eu quero morrer. Eu não consigo e não sou capaz de fazer nada, sendo completamente inútil. Vou sair daqui agora mesmo e beber cachaça, porque minha vida não vale a pena, e eu não sirvo pra nada". Pensei com essas palavras e evidentemente "passei mal", digamos assim. Saí correndo do estabelecimento e fui beber mesmo. Nem deixei o currículo. Eu afirmo aos senhores que esse tipo de coisa, se for em um grau elevado ou forte, é incapacitante. Assim como o vício em pornografia, se estiver em um grau muito alto, também pode tornar incapacitante. Eu acredito nisso.

Esses são outros tempos. Passado. Estou em outro momento agora.

Sobre o trabalho, posso dizer que gostei muito. Estou animado, com gás, disposto a trabalhar bem, trabalhar todo dia, etc. Meu trabalho envolve lidar com pessoas. O que é realmente uma oportunidade maravilhosa de aprender mais sobre a vida e se desenvolver, etc. Enfim, estou dando um passo totalmente essencial no meu desenvolvimento. Com a mente ocupada, o diabo talvez venha me atentar menos.

Eu acredito que conforme o tempo passe e eu vá trabalhando mais, eu vou me sentir melhor com o tempo. Porra meus amigos, vocês não tem noção do quanto eu estava precisando desenvolver essa área de minha vida. Que benção!!!

Esse é um trabalho temporário. Logo logo ele vai acabar. Eu quero muito PENSAR O QUE VOU FAZER depois desse trabalho agora. Tenho duas possibilidades em mente. Ou tentar uma vaga em um mestrado, ou tentar fazer um outro concurso, cuja prova será daqui a 3 meses. Os dois objetivos seriam no "médio prazo", digamos assim, e ambos iriam me exigir DEDICAÇÃO. Fora a dúvida se eu escolho uma coisa ou outra. Eu preciso me decidir sobre isso.

Existe também a possibilidade de trabalhar em um dos estabelecimentos aqui da cidade. A essa altura todos já me conhecem. E eu vou ficar "afiado" com esse trabalho que estou fazendo agora. Meu objetivo é trabalhar, falar com um monte de gente, tomar não na cara ou ser mal tratado (pode acontecer!), e com isso PERDER O MEDO DE FALAR COM AS PESSOAS. PERDER O MEDO DE SER EU MESMO, FAZER O QUE DEVE SER FEITO, OLHAR NO OLHO DE OUTRA PESSOA E FALAR O QUE TEM QUE SER DITO DE MODO CLARO, OBJETIVO, SEM RECEIO NENHUM.

Pode ser simples para muitos, mas pra mim isso não é fácil. Cada um viveu uma vida e cada um teve dificuldades diferentes.

Mas como eu dizia, posso simplesmente pedir um trabalho por aqui. A questão é que isso não me deixaria satisfeito profissionalmente. Eu tenho outras ambições, entendem? Não seria grandes problemas trabalhar em uma loja, ou uma pousada, por exemplo, mas eu realmente tenho outros planos pra mim. Isso aí pode ficar como segunda (ou terceira, hehe) opção.

Eu gostaria de não parar de trabalhar por um tempo, meus amigos. Não quero voltar a viver como eu estava antes. Sem objetivos. Sem metas. Sem hora pra acordar, nem pra dormir. Sem comer. Sem propósito. O dia todo deitado. Porra, eu realmente não quero isso pra mim. Estou justamente saindo dessa fase. Uma rotina ocupada é o contrário de tudo isso. Ótimo que vou ocupar minha rotina com algo que eu gosto, e receber dinheiro por isso.

Por fim, embora minha perspectiva no momento esteja boa, ainda me sinto infeliz em algum grau.

Tenho algo pra falar vocês. Algo que eu já disse milhares de vezes aqui, mas que faço questão de repetir.

Enquanto eu ficar recaindo em pornografia, TODOS os meus planos vão afundar. Concurso vai afundar. Mestrado vai afundar. Fazer musculação vai afundar. TUDO vai afundar se eu continuar nesse ciclo de quedas.

Eu estou recaindo aproximadamente a cada 7 dias. Eu estou nessa a 8 meses. O nível de estagnação está ALTÍSSIMO - apesar deu ter passado no concurso e etc.

Eu ainda me sinto infeliz.

Voltei a fazer umas leituras "espirituais", digamos assim. E como minhas fontes são do maior nível, cada página que eu leio fica na meditação por dias...

Basicamente, temos um tesouro dentro de nós, meus amigos. Só que temos de desenterrar ele.

Eu sou plenamente capaz de fazer tudo o que estou fazendo agora - falar com qualquer tipo de pessoa, etc. Quantos anos da minha vida eu vivi achando que eu era incapaz de fazer isso? MUITOS ANOS. Vejam, a CAPACIDADE SEMPRE ESTEVE PRESENTE. Eu apenas não tinha entendido ou descoberto isso. São coisas que vem com o AMADURECIMENTO EMOCIONAL. Com o tempo.

Termino dizendo que, de acordo com minhas leituras, eu percebo que o objetivo mais nobre e mais recompensador que se pode ter nessa vida é se auto conhecer, se auto descobrir, e ativar suas potências internas. São coisas que o dinheiro jamais poderá comprar. Só se conquista essas coisas com esforço pessoal e trabalho interior. E a recompensa sem dúvidas é a maior de todas. Eu realmente acredito nisso. O maior tesouro é aquele que o ladrão não rouba, e o vento não leva.

Eu gostaria de seguir esse caminho de um modo mais firme. Ele é desafiante. Não é fácil. Mas também não é tão difícil. Exige muito boa vontade e honestidade. Exige muita coragem - pois trata-se de enfrentar a si mesmo, afinal.

Ainda não retornei para a musculação, infelizmente. Já disse aqui se tratar de uma ferramenta básica pro meu bem estar, desenvolvimento e equilíbrio, em todos os sentidos. Tenho planos sim, mas ainda não retornei. Cada coisa tem seu tempo. Só eu posso ir lá e malhar, ninguém mais.

Em suma, minha rotina mudou bastante com esse trabalho. Parei de beber, porque agora tenho compromissos. Preciso planejar meu próximo trabalho depois desse. Ainda me sinto muito infeliz. E é necessário seguir com o reboot, caso eu queira realmente chegar a algum lugar. Seguirei, pois não quero uma vida medíocre, e ainda tenho metas e ideiais. Os quais estou despertando aos poucos.

Fico por aqui.

Até a próxima.

_______________________________________

Mike e Rottweiler gostam desta mensagem

Kaneki
Kaneki
Moderador
Moderador
Mensagens : 4396
Data de inscrição : 27/10/2015
Idade : 26
Localização : MG

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

13/8/2022, 16:21
vierkenes escreveu:Voltei pra dar uma atualizada.

Bom, como podem ver, eu recai ontem. Uma bobagem mesmo. Na verdade, eu já estava em pré queda, pois tinha recaído em sexting. Sexting é algo 9999% maléfico pra mim. Eu nunca consegui bloquear o celular - ele possui uma falha, que eu já pesquisei a rodo na internet, e nunca encontrei solução. Um bloqueio pra esse aplicativo seria maravilhoso pra mim.

Tenho a dizer também que estou trabalhando, sim! Eu, que fiquei mais de 1 ano (bem mais!!) sem fazer NADA. Deve ter sido um desvio necessário - a vida tem dessas. Nunca fez parte dos meus objetivos ser uma pessoa improdutiva e desocupada. E também, preciso aprender a não ligar pras pessoas que ficaram falando sobre minha vida. Já ouvi trilhares de coisas sobre minha condição de "desocupado". Caras....cada um tem seu tempo. Cada um é livre pra seguir do modo que quiser. Eu realmente ainda me importo muito com a opinião dos outros. Mesmo que eu fosse rico e vivesse de renda...e daí? Eu já conheci pessoas assim. Em nenhum momento eu pensava "esse cara é um vagabundo, não faz nada". E se eu dissesse isso, essa pessoa que conheci (uma em específica, que realmente não precisava trabalhar, tinha 3 mil de rendimento livre na conta dele todo mês) não ligaria a mínima pro meu comentário. Ela tinha, além de dinheiro livre, uma segurança interior que talvez eu ainda não possua. Enfim.

Essas pessoas que falam de mim não vivem a minha vida, não sabem o que eu faço em minha casa. Não sabem o que se passa dentro de mim. Mas eu posso partilhar em palavras claras e honestas o que me levou a ser um desocupado.

Uma total e absoluta falta de amor próprio e de auto estima.

Zero de auto confiança. Zero. Muita gagueira, suor frio e até fuga de seminário na faculdade.

Desprezo total por mim e pelo meu corpo. Não tomar banho, por exemplo. Ficar sem comer.

Eu me lembro perfeitamente de quando fui pedir emprego aqui na cidade onde moro pela primeira vez. Eu entrei em um estabelecimento pra deixar currículo. Tinha uma vassoura em um canto, e evidentemente alguém era pago pra varrer o chão - um trabalho, como todos os outros. Eu olhei pra vassoura enquanto esperava o gerente, quando me veio a ideia, o pensamento e a SENSAÇÃO de que eu valia menos do que a vassoura. "Eu não sou digno de varrer esse chão. Eu quero morrer. Eu não consigo e não sou capaz de fazer nada, sendo completamente inútil. Vou sair daqui agora mesmo e beber cachaça, porque minha vida não vale a pena, e eu não sirvo pra nada". Pensei com essas palavras e evidentemente "passei mal", digamos assim. Saí correndo do estabelecimento e fui beber mesmo. Nem deixei o currículo. Eu afirmo aos senhores que esse tipo de coisa, se for em um grau elevado ou forte, é incapacitante. Assim como o vício em pornografia, se estiver em um grau muito alto, também pode tornar incapacitante. Eu acredito nisso.

Esses são outros tempos. Passado. Estou em outro momento agora.

Sobre o trabalho, posso dizer que gostei muito. Estou animado, com gás, disposto a trabalhar bem, trabalhar todo dia, etc. Meu trabalho envolve lidar com pessoas. O que é realmente uma oportunidade maravilhosa de aprender mais sobre a vida e se desenvolver, etc. Enfim, estou dando um passo totalmente essencial no meu desenvolvimento. Com a mente ocupada, o diabo talvez venha me atentar menos.

Eu acredito que conforme o tempo passe e eu vá trabalhando mais, eu vou me sentir melhor com o tempo. Porra meus amigos, vocês não tem noção do quanto eu estava precisando desenvolver essa área de minha vida. Que benção!!!

Esse é um trabalho temporário. Logo logo ele vai acabar. Eu quero muito PENSAR O QUE VOU FAZER depois desse trabalho agora. Tenho duas possibilidades em mente. Ou tentar uma vaga em um mestrado, ou tentar fazer um outro concurso, cuja prova será daqui a 3 meses. Os dois objetivos seriam no "médio prazo", digamos assim, e ambos iriam me exigir DEDICAÇÃO. Fora a dúvida se eu escolho uma coisa ou outra. Eu preciso me decidir sobre isso.

Existe também a possibilidade de trabalhar em um dos estabelecimentos aqui da cidade. A essa altura todos já me conhecem. E eu vou ficar "afiado" com esse trabalho que estou fazendo agora. Meu objetivo é trabalhar, falar com um monte de gente, tomar não na cara ou ser mal tratado (pode acontecer!), e com isso PERDER O MEDO DE FALAR COM AS PESSOAS. PERDER O MEDO DE SER EU MESMO, FAZER O QUE DEVE SER FEITO, OLHAR NO OLHO DE OUTRA PESSOA E FALAR O QUE TEM QUE SER DITO DE MODO CLARO, OBJETIVO, SEM RECEIO NENHUM.

Pode ser simples para muitos, mas pra mim isso não é fácil. Cada um viveu uma vida e cada um teve dificuldades diferentes.

Mas como eu dizia, posso simplesmente pedir um trabalho por aqui. A questão é que isso não me deixaria satisfeito profissionalmente. Eu tenho outras ambições, entendem? Não seria grandes problemas trabalhar em uma loja, ou uma pousada, por exemplo, mas eu realmente tenho outros planos pra mim. Isso aí pode ficar como segunda (ou terceira, hehe) opção.

Eu gostaria de não parar de trabalhar por um tempo, meus amigos. Não quero voltar a viver como eu estava antes. Sem objetivos. Sem metas. Sem hora pra acordar, nem pra dormir. Sem comer. Sem propósito. O dia todo deitado. Porra, eu realmente não quero isso pra mim. Estou justamente saindo dessa fase. Uma rotina ocupada é o contrário de tudo isso. Ótimo que vou ocupar minha rotina com algo que eu gosto, e receber dinheiro por isso.

Por fim, embora minha perspectiva no momento esteja boa, ainda me sinto infeliz em algum grau.

Tenho algo pra falar vocês. Algo que eu já disse milhares de vezes aqui, mas que faço questão de repetir.

Enquanto eu ficar recaindo em pornografia, TODOS os meus planos vão afundar. Concurso vai afundar. Mestrado vai afundar. Fazer musculação vai afundar. TUDO vai afundar se eu continuar nesse ciclo de quedas.

Eu estou recaindo aproximadamente a cada 7 dias. Eu estou nessa a 8 meses. O nível de estagnação está ALTÍSSIMO - apesar deu ter passado no concurso e etc.

Eu ainda me sinto infeliz.

Voltei a fazer umas leituras "espirituais", digamos assim. E como minhas fontes são do maior nível, cada página que eu leio fica na meditação por dias...

Basicamente, temos um tesouro dentro de nós, meus amigos. Só que temos de desenterrar ele.

Eu sou plenamente capaz de fazer tudo o que estou fazendo agora - falar com qualquer tipo de pessoa, etc. Quantos anos da minha vida eu vivi achando que eu era incapaz de fazer isso? MUITOS ANOS. Vejam, a CAPACIDADE SEMPRE ESTEVE PRESENTE. Eu apenas não tinha entendido ou descoberto isso. São coisas que vem com o AMADURECIMENTO EMOCIONAL. Com o tempo.

Termino dizendo que, de acordo com minhas leituras, eu percebo que o objetivo mais nobre e mais recompensador que se pode ter nessa vida é se auto conhecer, se auto descobrir, e ativar suas potências internas. São coisas que o dinheiro jamais poderá comprar. Só se conquista essas coisas com esforço pessoal e trabalho interior. E a recompensa sem dúvidas é a maior de todas. Eu realmente acredito nisso. O maior tesouro é aquele que o ladrão não rouba, e o vento não leva.

Eu gostaria de seguir esse caminho de um modo mais firme. Ele é desafiante. Não é fácil. Mas também não é tão difícil. Exige muito boa vontade e honestidade. Exige muita coragem - pois trata-se de enfrentar a si mesmo, afinal.

Ainda não retornei para a musculação, infelizmente. Já disse aqui se tratar de uma ferramenta básica pro meu bem estar, desenvolvimento e equilíbrio, em todos os sentidos. Tenho planos sim, mas ainda não retornei. Cada coisa tem seu tempo. Só eu posso ir lá e malhar, ninguém mais.

Em suma, minha rotina mudou bastante com esse trabalho. Parei de beber, porque agora tenho compromissos. Preciso planejar meu próximo trabalho depois desse. Ainda me sinto muito infeliz. E é necessário seguir com o reboot, caso eu queira realmente chegar a algum lugar. Seguirei, pois não quero uma vida medíocre, e ainda tenho metas e ideiais. Os quais estou despertando aos poucos.

Fico por aqui.

Até a próxima.
bora pra frente amigo, invista em você mesmo, não deixe esse vício prevalecer em sua vida, abçs.

_______________________________________


Meta: 7 dias

Links:
Contador principal:

Aliócha gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

17/8/2022, 09:49
Como podem ver, recai de novo.

Eu estou me sentindo profundamente triste, meus amigos. Com a minha vida mesmo.

Esse trabalho foi um sonho realizado. Está me deixando bem mais solto e mais confiante. Está me fazendo muito bem mesmo. Pena que é temporário.

Não estou tendo clareza do meu projeto de mestrado. E ainda não providenciei o material de estudo pro concurso que eu quero. Sabem, eu me considero inteligente (do ponto de vista da absorção de conteúdo, estudo, etc). Eu tenho bastante facilidade com isso, e tal característica me coloca em vantagem no quesito "concurso". Eu tenho plena capacidade de passar no concurso que eu quiser. Então quero investir nessa carreira de concurseiro, pois sei que é só questão de tempo pra aparecer algo que me interesse, e que eu realmente tenho facilidade com estudo, seja português, legislação ou matemática.

Mas retornando, eu estou me sentindo muito infeliz.

Retomei algumas leituras espirituais. O material a que eu tenho acesso é uma "bomba" espiritual. No melhor dos sentidos. As vezes tenho a impressão de que um pouco da cortina do véu da ilusão é erguido, sempre que leio um pouco desse material. Como o texto tem um teor meditativo, ler ele já é a meditação. Leitura pra se fazer em silêncio, entendendo bem cada palavra, refletindo sobre cada frase. Isso acalma e faz bem, sem dúvidas.

Sabem, em algumas tradições espirituais, se diz que cada um tem um caminho, e que cada um é "encaminhado", digamos assim, para as pessoas, lugares e situações que irão lhe favorecer. Como as pessoas são diferentes - constituição, corpo, cultura, contexto, alimentação, hábitos, gosto sexual e um vasto etc - cada uma delas precisa de um tipo específico de ajuda. Desse jeito, uns vão pra igreja católica, outros pro centro espírita. Há o pessoal do candomblé e das religiões de matriz afro, assim como indígenas. Há quem encontre grande ajuda espiritual no AA. Outros, encontram grandes profissionais da saúde pelo caminho - um terapeuta - e esses lhe auxiliam enormemente. Por fim, muitos de nós fomos encaminhados para esse fórum. Aqui também é um hospital espiritual - para pessoas que estão profundamente tristes, que se enredaram em um vício e precisam de auxílio e apoio. Pra quem acredita no "espiritual", essas coisas não acontecem por acaso. Nem um pouco.

O caminho que eu encontrei é um caminho muito honesto e nobre. Nada de engano, mentiras, ilusão. Nada de promessas fáceis e fórmulas mágicas. Nem colocar dinheiro em algum tipo de altar. Nada de repetir palavras, ou desenhar símbolos. Nenhuma dessas coisas.

Amigos, eu estou no limiar de uma grande decisão. Porra.....

Esse é um caminho que prega práticas da ampliação da consciência. Nada de lsd, cogumelo ou ayahuasca. Se trata de outra coisa.

Eu tenho a firme convicção de que esse caminho iria solucionar os meus problemas psicológicos, e por consequência, destravar a minha vida, para que eu possa me permirtir as coisas boas da vida. Encontrar níveis razoáveis de satisfação com a minha vida, ter controle sobre meu barco. Entender meu barco, suas reações, seus vícios, seus pontos fracos, os tipos de desculpa que ele usa, suas falhas. Conhecer bem o barco, eis um requisito básico pra quem quiser ir longe, se aventurar em altos mares!

Isso aconteceria rapidamente? Claro que não! Eu já disse aqui várias vezes. Não acreditem em nenhuma solução fácil para problemas crônicos e complicados.

Eu estou aqui enrolando para ir trabalhar. Estou pegando 2 turnos, manhã e tarde. Estou trabalhando mais ou menos umas 7 horas por dia. Gosto do trabalho, e gostaria de me planejar pra trabalhar melhor, uma vez que só recebo o dinheiro quando finalizar 100% tudo. Daí a necessidade de regras, metas e horários.

Eu percebi que todo esse trabalho ao qual me referi, de seguir esse caminho "espiritual", EXIGE e REQUER algum tempo DIÁRIO para a VIDA INTERIOR.

Acredito que é o único modo deu resolver a minha vida. Outras pessoas podem encontrar outros caminhos. Mas eu acredito que esse é o meu caminho. Foi o mais coerente, afinado, e verdadeiro que encontrei. É o que faz meu coração bater e minha alma vibrar, digamos assim.

Isso foi uma espécie de desabafo. Eu não tenho muito com quem falar dessas coisas. Espero que seja útil pra alguém.

Fiquem bem. Até a próxima.

Excelente reboot para todos nós.

_______________________________________

Gardenzio e Rottweiler gostam desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

18/8/2022, 20:16
Recai mais uma vez.

Pelo que eu vejo, eu simplesmente permiti que o padrão do vício retornasse para minha vida.

Talvez eu repita algumas das coisas que disse nos posts anteriores. Isso não é um problema. Existem coisas que precisam mesmo ser repetidas para serem compreendidas. E muitas vezes são coisas óbvias, as quais não obstante, continuamos sem compreender bem.

Eu já disse aqui que estou me sentindo profundamente infeliz.

Também já disse que me sinto profundamente grato pela oportunidade de trabalho que estou tendo, pois isso sem dúvidas está fazendo meu desenvolvimento avançar muito, em áreas as quais eu era enfraquecido. Ou seja, estou sim, me desenvolvendo a pleno vapor.

A questão é que tirando o trabalho - o qual eu gosto e faço com gosto - no resto me sinto infeliz. Sabem, trabalho de dia e na rua, e me sinto bem. Sou bem recebido, ouço palavras e histórias bacanas das pessoas, etc. Mas quando chega em casa, mergulho nas trevas.

Nas trevas dos problemas psicológicos. Quando eu digo problema, claro que isso implica sofrimento, mas por outro lado, é simplesmente uma questão que se apresenta diante de nós, esperando resoluções. Pra mim, um problema psicológico é quase uma equação matemática. Você vai somando, fatorando, fazendo as operações, diminuindo o número de termos, equilibrando os dois lados da equação, até chegar a um resultado. O que antes era caótico, grande e duvidoso, se torna simples, pequeno e correto.

Acredito firmemente, meus amigos, que podemos sim acessar a nossa mente, ter acesso aos nossos sentimentos, entender as nossas questões, e assim poder ser feliz. Aí eu falo por mim, evidentemente. Porque felicidade pra mim é isso aí: paz interior, livre de vícios e compulsões, um bom nível de auto conhecimento e saber como estou de fato me sentindo. Isso pra mim é felicidade. Se eu estiver equilibrado e bem, eu não tenho medo do futuro. Eu livre desses problemas jamais passaria fome. Porque eu passaria fome, se sou um cara cheio de talentos e com várias habilidades. Meu pai me criou de modo a me fazer desacreditar das minhas capacidades. Ele ficava me falando essas coisas. Eu ainda não superei esses padrões. De um certo modo, é como se algumas falas e situações tivessem ficado "travadas" na minha mente, de modo que eu continuo operando sobre a influência dessas coisas.

Eu ainda não descobri meu caminho. Eu ainda não sou uma pessoa livre. Para isso, tenho que afirmar meus próprios valores (como diria Nietzsche, hehe) e viver a minha vida. Não a vida que os outros disseram pra eu viver. Ou segundo os valores que os outros disseram que é bom.

Acho que é impossível ser feliz quando se segue uma outra lógica, que não é a sua própria. Acredito que o bem estar mesmo provém do processo de nutrição de si mesmo.

O foda é que isso não é tão fácil. Quer dizer, por um lado é simples, mas por outro lado, existe muito medo, insegurança, preguiça e indisciplina envolvido nisso tudo.

Bom amigos, eu preciso parar de consumir pornografia.

Eu sempre vi a pornografia como uma consequência da nossa disposição interior. Pra mim, o vício está dentro de mim, e não fora. Restringir o acesso pode funcionar temporariamente, mas não chega a raiz da questão. A raiz da questão continua atuando sobre mim, muito fortemente, inclusive.

Mas também, parar de ver pornografia implica diretamente na ampliação da consciência. Pois sem dúvidas, durante o reboot, em algum momento somos forçados a ver as coisas de frente. Ver de frente e sem medo o que queremos ignorar. Isso acontece em algum momento do reboot. Isso também é um jeito de ampliar a consciência.

Por fim, queria dizer que eu cometi o equivoco de pensar que apenas um emprego seria o suficiente pra mim. Algo do tipo: "é, sou autônomo em relação aos meus pais, está tudo bem". Bom, a coisa é bem mais complicada. Sabem, na minha opinião pessoal - a qual eu formei conforme as experiências que tive, que são únicas, diferentes das outras pessoas - o dinheiro não importa NADA. O que importa é o DESENVOLVIMENTO INTERIOR. Se eu estiver equilibrado por dentro, e livre da pornografia, por exemplo, eu tenho certeza que consigo fazer qualquer coisa. Qualquer concurso, qualquer trabalho, qualquer coisa.

Não estou estudando pro outro concurso que quero fazer.

Não estou estudando pra entrar no mestrado.

Estou consumindo pornografia ainda. A energia da minha vida ainda está sendo vazada na pornografia. Minha energia vital.

Pra terminar, queria dizer que o nível de frustração e insatisfação sexual na minha vida é infinita. Já falei mil vezes disso aqui. Não vou ficar me lamentando. Uma parte de mim até quer fazer isso, pra ser honesto. Mas eu digo aos senhores que não é nem um pouco fácil estar 100% FECHADO, INDISPONÍVEL, INTOCÁVEL pra qualquer mulher que me ache gatinho, bonitinho, atraente ou coisas do tipo. Isso me gera um grau de sofrimento, sem dúvidas. Coitada da sexualidade das pessoas, tão desprezada. Muita pornografia de um lado. Repressão sexual do outro. Sexo degenerador pelas ruas e prostibulos. Pouco amor próprio. Transar bem que é bom, nada.

Não teria como não sofrer imensamente, ao perceber que eu sou quase um ouriço, desses cheios de espinhos. Com a pérola no meio. Eu sou sem dúvidas muito valioso, meus amigos. Mas coloquei espinhos em volta do meu corpo, e não permito que os outros me toquem. Isso é chato.

Fico por aqui. Espero ter ajudado alguém com esse post. Algumas opiniões ai são estritamente pessoais. Descubram por conta própria o que serve ou não serve para vocês.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________

Kaneki, Gardenzio e Rottweiler gostam desta mensagem

Kaneki
Kaneki
Moderador
Moderador
Mensagens : 4396
Data de inscrição : 27/10/2015
Idade : 26
Localização : MG

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

19/8/2022, 10:06
vierkenes escreveu:Recai mais uma vez.

Pelo que eu vejo, eu simplesmente permiti que o padrão do vício retornasse para minha vida.

Talvez eu repita algumas das coisas que disse nos posts anteriores. Isso não é um problema. Existem coisas que precisam mesmo ser repetidas para serem compreendidas. E muitas vezes são coisas óbvias, as quais não obstante, continuamos sem compreender bem.

Eu já disse aqui que estou me sentindo profundamente infeliz.

Também já disse que me sinto profundamente grato pela oportunidade de trabalho que estou tendo, pois isso sem dúvidas está fazendo meu desenvolvimento avançar muito, em áreas as quais eu era enfraquecido. Ou seja, estou sim, me desenvolvendo a pleno vapor.

A questão é que tirando o trabalho - o qual eu gosto e faço com gosto - no resto me sinto infeliz. Sabem, trabalho de dia e na rua, e me sinto bem. Sou bem recebido, ouço palavras e histórias bacanas das pessoas, etc. Mas quando chega em casa, mergulho nas trevas.

Nas trevas dos problemas psicológicos. Quando eu digo problema, claro que isso implica sofrimento, mas por outro lado, é simplesmente uma questão que se apresenta diante de nós, esperando resoluções. Pra mim, um problema psicológico é quase uma equação matemática. Você vai somando, fatorando, fazendo as operações, diminuindo o número de termos, equilibrando os dois lados da equação, até chegar a um resultado. O que antes era caótico, grande e duvidoso, se torna simples, pequeno e correto.

Acredito firmemente, meus amigos, que podemos sim acessar a nossa mente, ter acesso aos nossos sentimentos, entender as nossas questões, e assim poder ser feliz. Aí eu falo por mim, evidentemente. Porque felicidade pra mim é isso aí: paz interior, livre de vícios e compulsões, um bom nível de auto conhecimento e saber como estou de fato me sentindo. Isso pra mim é felicidade. Se eu estiver equilibrado e bem, eu não tenho medo do futuro. Eu livre desses problemas jamais passaria fome. Porque eu passaria fome, se sou um cara cheio de talentos e com várias habilidades. Meu pai me criou de modo a me fazer desacreditar das minhas capacidades. Ele ficava me falando essas coisas. Eu ainda não superei esses padrões. De um certo modo, é como se algumas falas e situações tivessem ficado "travadas" na minha mente, de modo que eu continuo operando sobre a influência dessas coisas.

Eu ainda não descobri meu caminho. Eu ainda não sou uma pessoa livre. Para isso, tenho que afirmar meus próprios valores (como diria Nietzsche, hehe) e viver a minha vida. Não a vida que os outros disseram pra eu viver. Ou segundo os valores que os outros disseram que é bom.

Acho que é impossível ser feliz quando se segue uma outra lógica, que não é a sua própria. Acredito que o bem estar mesmo provém do processo de nutrição de si mesmo.

O foda é que isso não é tão fácil. Quer dizer, por um lado é simples, mas por outro lado, existe muito medo, insegurança, preguiça e indisciplina envolvido nisso tudo.

Bom amigos, eu preciso parar de consumir pornografia.

Eu sempre vi a pornografia como uma consequência da nossa disposição interior. Pra mim, o vício está dentro de mim, e não fora. Restringir o acesso pode funcionar temporariamente, mas não chega a raiz da questão. A raiz da questão continua atuando sobre mim, muito fortemente, inclusive.

Mas também, parar de ver pornografia implica diretamente na ampliação da consciência. Pois sem dúvidas, durante o reboot, em algum momento somos forçados a ver as coisas de frente. Ver de frente e sem medo o que queremos ignorar. Isso acontece em algum momento do reboot. Isso também é um jeito de ampliar a consciência.

Por fim, queria dizer que eu cometi o equivoco de pensar que apenas um emprego seria o suficiente pra mim. Algo do tipo: "é, sou autônomo em relação aos meus pais, está tudo bem". Bom, a coisa é bem mais complicada. Sabem, na minha opinião pessoal - a qual eu formei conforme as experiências que tive, que são únicas, diferentes das outras pessoas - o dinheiro não importa NADA. O que importa é o DESENVOLVIMENTO INTERIOR. Se eu estiver equilibrado por dentro, e livre da pornografia, por exemplo, eu tenho certeza que consigo fazer qualquer coisa. Qualquer concurso, qualquer trabalho, qualquer coisa.

Não estou estudando pro outro concurso que quero fazer.

Não estou estudando pra entrar no mestrado.

Estou consumindo pornografia ainda. A energia da minha vida ainda está sendo vazada na pornografia. Minha energia vital.

Pra terminar, queria dizer que o nível de frustração e insatisfação sexual na minha vida é infinita. Já falei mil vezes disso aqui. Não vou ficar me lamentando. Uma parte de mim até quer fazer isso, pra ser honesto. Mas eu digo aos senhores que não é nem um pouco fácil estar 100% FECHADO, INDISPONÍVEL, INTOCÁVEL pra qualquer mulher que me ache gatinho, bonitinho, atraente ou coisas do tipo. Isso me gera um grau de sofrimento, sem dúvidas. Coitada da sexualidade das pessoas, tão desprezada. Muita pornografia de um lado. Repressão sexual do outro. Sexo degenerador pelas ruas e prostibulos. Pouco amor próprio. Transar bem que é bom, nada.

Não teria como não sofrer imensamente, ao perceber que eu sou quase um ouriço, desses cheios de espinhos. Com a pérola no meio. Eu sou sem dúvidas muito valioso, meus amigos. Mas coloquei espinhos em volta do meu corpo, e não permito que os outros me toquem. Isso é chato.

Fico por aqui. Espero ter ajudado alguém com esse post. Algumas opiniões ai são estritamente pessoais. Descubram por conta própria o que serve ou não serve para vocês.

Excelente reboot para todos.

Olá amigo, na minha concepção a p. para nós é uma fuga da realidade. Você está tendo acompanhamento psicológico?
Ela é muito autolimitante, é muito bem que você esteja saindo bem no trabalho. Mas é muito importante você avaliar e se dedicar à outros aspectos da sua vida.
É muito triste isso que tu disse sobre você ter sido criado de modo a desacreditar em você, mas é totalmente o contrário, acho que antes de tudo você tem que estar bem consigo mesmo. Tente fazer mudanças em sua própria casa mesmo, não deixe o vicio controlar você, controle ele de modo que você se sinta bem e confiante em continue firme, abçs.

_______________________________________


Meta: 7 dias

Links:
Contador principal:
Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

26/8/2022, 20:01
Sim, estou frequentando psicólogo, mas e daí?

Bom amigos, eu simplesmente chutei o balde geral e estou consumindo pornografia quase que normalmente mesmo.

É isso. Estou entregue ao vício.

Continuo trabalhando uma média de 4,5 horas por dia.

Eu tenho certeza de que estou bem melhor em muitos aspectos. Sem dúvidas. Mas agora, estou afundado na pornografia. Fato.

Não sei bem o que farei. Nem sei se quero fazer alguma coisa. Eu estou infeliz, Consumir pornografia normalmente, pra mim, significa necessariamente infelicidade.

Ainda não tomei algumas decisões fundamentais. Vitais. As quais vão necessariamente significar uma melhora na minha vida....

Fiquem bem.

Volto quando estiver mais sério e comprometido.

Excelente reboot pra todos.

PS: o excesso do consumo de pornografia pode sem dúvidas levar a profunda infelicidade e quadros psico-emocionais graves, com muito sofrimento.

Excelente reboot para todos.....para se sentir bem e deixar de sofrer. Viver bem.

Até a próxima.

_______________________________________

Kaneki gosta desta mensagem

LeoSilver
LeoSilver
Mensagens : 135
Data de inscrição : 05/10/2021

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

26/8/2022, 22:51
vierkenes escreveu:Sim, estou frequentando psicólogo, mas e daí?

Bom amigos, eu simplesmente chutei o balde geral e estou consumindo pornografia quase que normalmente mesmo.

É isso. Estou entregue ao vício.

Continuo trabalhando uma média de 4,5 horas por dia.

Eu tenho certeza de que estou bem melhor em muitos aspectos. Sem dúvidas. Mas agora, estou afundado na pornografia. Fato.

Não sei bem o que farei. Nem sei se quero fazer alguma coisa. Eu estou infeliz, Consumir pornografia normalmente, pra mim, significa necessariamente infelicidade.

Ainda não tomei algumas decisões fundamentais. Vitais. As quais vão necessariamente significar uma melhora na minha vida....

Fiquem bem.

Volto quando estiver mais sério e comprometido.

Excelente reboot pra todos.

PS: o excesso do consumo de pornografia pode sem dúvidas levar a profunda infelicidade e quadros psico-emocionais graves, com muito sofrimento.

Excelente reboot para todos.....para se sentir bem e deixar de sofrer. Viver bem.

Até a próxima.
É preciso enxergar através da ilusão pra você perceber que não está perdendo nada longe desse vício brother. E uma vez feito isso, será quase impossível cair nas mesmas armadilhas. Como algo pode ser bom se você se sente infeliz depois de faze-lo ? Como a pornografia pode ser um prazer genuíno ? Entenda, a pornografia causa os efeitos que ela mesma alivia. É como usar sapatos apertados apenas para ter o prazer de tira-los, saca ? Se você realmente quer ser livre, de uma chance a esse livro que vou te recomendar, e é totalmente grátis : metodofacil.org
Filho dos Deuses
Filho dos Deuses
Mensagens : 79
Data de inscrição : 10/08/2022

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

27/8/2022, 11:16
Fala, cara.

Quero oferecer alguns pensamentos mas quero deixar claro que não tenho nenhuma intenção de cagar regra. Você não me conhece e eu não o conheço então não sou ninguém pra dizer o que tem ou deixar de fazer. Saiba que tudo que vou dizer aqui é nas melhores das intenções. Dito isso, vamos ao que interessa:

Eu não sei como a maioria das pessoas que existem hoje tem um total desprezo pela vida. E isso é verdade. A maioria das pessoas cospem em suas vidas achando que viver é uma maldição. Não é. Viver é um presente. Porém, a maioria das pessoas estão mais concentradas em gastar sua vida trabalhando igual escravos (sei que porque a maioria precisa), e no poucos momentos de descanso tentando fugir da realidade com uso de todo tipo de droga (álcool, maconha, pornografia e etc). Uma pessoa não vive. Viver dentro de um vício não é vida. É apenas uma sobrevivência. Nós temos que ser completamente apaixonados pela vida porque a vida apesar de ter muito sofrimento é CHEIA de felicidade, glória e amor.

Pior que o desprezo a vida, é o desprezo por si. E isso é o mais inaceitável. Nós nunca vamos nos separar de nós mesmos. Nós sempre vamos estar com nós mesmos não importa a situação do começo ao fim. Então por que diabos a gente não se ama ao máximo? Eu não acredito em amor por si sem fazer nada. Acredito no entanto, em um amor tão profundo por si que vamos sempre tentar nos elevar ao máximo. Eu vejo pessoas na rua colocando qualquer tipo de porcaria no corpo, sem qualquer tipo de amor com a única pessoa que estará conosco em todos os momentos; NÓS MOMENTOS.

Não existe isso cara de entregue ao vício. Vejo que tá na luta a muito tempo. Mas entenda: Nós estamos passando por algo que a humanidade jamais viu. Um vício tão poderoso e grátis a qualquer momento. O ritual de passagem do menino para homem no mundo moderno é o mais difícil de todos, que é vencer esse vício. Temos que entender que estamos em uma guerra dificílima. Mas que não existe uma outra opção para nós se não lutar. Devemos lutar mesmo quando não há mais esperança. Mesmo que nunca mais exista possibilidade de vitória.

Caiu? Levanta. Forja tua mente. Muda tua vida completamente. Mesmo que tenha que arrancar tua mão (tá exagerei)... mas você entendeu. Pensa comigo cara. Um dia você vai morrer. Um dia eu vou morrer. Um dia todos nós vamos morrer. Pelo amor de Deus homem, o que é que você vai lembrar da sua vida no momento da morte? "Estou totalmente entregue ao vício?"

Você é um homem. O homem foi construído para coisas tão gloriosas. Persiga isso. Não se entregue.


Enfim, isso foram só pensamentos. Espero que volte para briga.

Que os Deuses te abençoem sempre.

Rottweiler gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

30/8/2022, 22:38
Obrigado pela sua mensagem. Filho dos deuses. Fez todo o sentido pra mim.

Se você tiver interesse, recomendo a obra do Nietzsche. Ele é um cara que explica muito bem essa questão do desprezo por si. Vai inclusive nas raízes culturais, sociológicas e psicológicas disso ai. Acredite, é um fenômeno antigo. E não me surpreende em absolutamente nada. Como diz uma frase do Zaratustra, do filosofo bigodudo, "quanto amor próprio o homem precisa! Pois como é imenso o desprezo que ele tem por si próprio!".

Grato pela mensagem.

Caras, eu gosto muito de rap. Acho uma música boa pra ficar mais ligado na realidade, ampliar a perspectiva, etc. Eu percebo que várias dessas músicas possuem uma conotação ou um teor de "guerreiro". Tipo, do cara (ou mulher) que batalha todos os dias pra sustentar a família. Uma visão de mundo do guerreiro. De quem persiste e continua. E não desiste.

Sabem, eu devo dizer aos senhores que eu sofro ou tenho sofrido com uma visão derrotista da vida. Absolutamente.

Em meu coração, eu sei o porque disso. Não seria o caso de explicar aqui. São coisas que só eu conheço. (e que os outros não param de julgar o tempo todo, kkkk)..

Sabem, são coisas reversíveis. Isso não é definitivo. Eu posso "abrir mão" das coisas. De qualquer coisa. Não sem esforço, é claro. As vezes abrir mão é f*****, kkkkk. Mas com boa vontade, sempre é possível.

Antes de terminar o post, vou contar uma história que soube, que ocorreu em um centro espírita. É uma história real e muito interessante.

Uma mulher chegou no centro extremamente mal. Com vários problemas e etc. No centro espírita, oferecem tratamento espiritual. Passes, etc. Como no espiritismo se lida com espíritos, faz parte do trabalho dos médiuns que ali trabalham lidar também com os espíritos desencarnados. Existem casos de obsessões, por exemplo. Pois bem, os médiuns logo perceberam que algum espírito estava perturbando insistentemente aquela mulher. Questionaram a esse ser o porque disso.

Sabem o que o "ser" respondeu? Ele disse que "não sou eu que penso nela, é ela que pensa insistentemente, o tempo inteiro, em mim!".

Porra. Essa história foi foda.

Quer dizer, não é que o espírito estava perturbando a mulher a toa. Ela passava horas e horas com pensamentos de ódio, mágoa, revolta e ressentimento contra o finado. Isso o deixava atado a ela.

Tudo se trata de abrir mão, meus amigos. Tudo pode ser resumido a isso. TUDO.

Abrir mão do que achamos que somos.

Abrir mão de nossas certezas absolutas.

Abrir mão da ideia de que estamos certos - se estivéssemos, estaríamos LONGE DE PORN.

Abrir mão da nossa certeza de nossas mágoas.

Enfim, acho que tudo, tudo mesmo pode ser resumido nisso.

Uma alma limpa de sentimentos negativos, com certeza é uma alma limpa de pornografia. Isso ai eu não tenho nenhuma dúvida.

Meu lado guerreiro é fraco, meus amigos. Devo dizer isso a vocês.

Eu já alcancei 110 dias e já estive bem melhor do que agora. Basta retornar e ler páginas anteriores do diário.

Eu continuo trabalhando, aproximadamente 6 horas por dia. A questão pra mim não é apenas a porra do trabalho. É equilíbrio emocional. Eu quero viver bem. Não passar mal e querer me matar sentado em cima do dinheiro. Eu não vou passar fome, eu acho. Tenho família. E alguma inteligência. Eu vou é virar concurseiro, meus amigos. Hehe.

Pois bem, a ÚNICA COISA QUE IMPORTA É FICAR UNS DIAS LIMPOS.

Eu estou fraco.

A depressão tá pegando pesada. Foi difícil levantar da cama e ir trabalhar, mas uma vez que comecei, a coisa fluiu bem. Exatamente como eu esperava.

Quero o hard mode.

Se bater a vontade, o negócio é 10 FLEXÕES, NA HORA. E MAIS 10, 1 UM MINUTO DEPOIS. Acho que esse é o remédio pra qualquer fissura. Pra mim funciona bem.

Teoricamente eu não poderia beber. Eu ainda estou fraco e frágil. Hoje eu bebi uma lata. Ou seja, uma quantidade pequena. Quantidades pequenas são bem mais tranquilas e fáceis de lidar.

Continuo sendo uma pessoa extremamente frustrada do ponto de vista sexual. É foda passar anos e mais anos sem transar.

Sabem, na verdade até apareceu umas duas ou três meninas por quem me interessei, kkkk. Uma delas me atrai MUITO mesmo. Mas porra, meu nível de depressão está tão extremo que realmente, mal dá pra qualquer coisa. Falo a sério. Ontem eu cheguei no local de trabalho com a cara total da depressão e da derrota. Ela sorriu pra mim, e eu achei tão lindo que sorri de volta.

Mas falo a sério, esse estado depressivo é desfavorável para tentar dar em cima de alguém. O que predomina é a preguiça, o tédio e a falta de vontade. Nos piores casos, o desprezo e o nojo.

Por fim, boa parte disso se deu pelas quedas em pornografia.....

Só deus sabe quanta punheta eu bati de 10 dias pra cá...

Só nós sabemos o quanto isso é destrutivo e dilacerante. Só nós. Quem não passou, não sabe como é.

É isso.

Espero retornar, senhores.

Ainda estou fraco.

Ainda posso retornar pro meu melhor.

Até a próxima. Excelente reboot para todos.

_______________________________________
Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

1/9/2022, 20:02
Mais um post.

Seria muita pretensão minha querer ser compreendido aqui em minhas questões particulares. Esse fórum tem uma variedade de gente muito grande e cada um leva um tipo de vida diferente. Deve ter gente branca, preta, parda. Deve ter gente rica e pobre. Deve ter gente do norte e do sul do país. Muita variedade.

Sem essa pretensão de entrar em detalhes específicos, eu afirmo aos senhores que minha vida está totalmente fora de controle.

Isso não é algo apenas do presente. Apesar de que é assim que as coisas estão agora - e não é pouca coisa entender isso a fundo.

Seria interessante reconhecermos que estamos fracos, imaturos, preguiçosos e de má vontade. Mas nosso orgulho não deixa. Nosso orgulho nos faz achar que somos mais do que realmente somos. Isso se torna um problema.

Eu estou começando a achar - baseado em leituras que tenho feito e observações pessoais - que uma grande parte da coisa se resume em VONTADE. BOA VONTADE OU MÁ VONTADE. Ou ainda FALTA DE VONTADE.

Sendo honesto, eu me enquadro mais nos últimos dois tipos de vontade. Minha boa vontade está fraca e escassa. Isso é realmente verdade. Mas é algo que pode ser fortalecido.

Com boa vontade se consegue qualquer coisa. Eu acredito nisso. É evidente que existe uma má vontade em mim, pra que eu não consiga míseros 21 dias longe de pornografia. Houve tempo em que isso era normal pra mim - só ler páginas passadas do meu diário. Sem dúvidas, minhas recaídas tem apenas um nome: MÁ VONTADE. Esse é um tema complexo. Muitos filósofos, psicólogos e outros estudiosos ainda se debruçam sobre a VONTADE.

Eu acredito ter enlouquecido um pouco com a questão sexual. Não espero que ninguém me entenda. As coisas são um encadeamento de coisas. Eu tenho o conhecimento de quais são os elos da cadeia, os outros não tem. Na verdade, nem eu tenho, visto que me desconheço AMPLAMENTE. Se eu tivesse mesmo a consciência total dos elos, eu já estaria livre. Sem dúvidas.

Hoje eu fumei uma maconha muito forte, que um amigo me deu. Muito forte mesmo. Daí resolvi ir tomar banho de rio, em um estado em que seria difícil ou inconveniente ter que interagir com alguém.

A maconha me deu uma percepção espiritual ampla. É sério....

Sabem, eu estava indo pro rio, altamente introspectivo, quando vi uma menina que me atrai muito, indo exatamente pro mesmo lugar que eu.

Eu estou partilhando essas coisas, meus amigos, porque é absolutamente vital pra mim eu falar pra essa mulher que ela me atrai muito. Isso significa  minha cura. O contrário disso significa adoecimento emocional, e por consequência, pornografia.

Eu honestamente, meus amigos, não me vejo livre da pornografia, enquanto eu continuar a mentir pra mim mesmo de um modo tão grosseiro e estúpido. Mentir pra si mesmo significa doença. Porra. É isso. Pra quem for corajoso e quiser profundamente se livrar da pornografia mas não estiver conseguindo, recomendo que se perguntem onde estão mentindo pra si mesmos....

Não vou ser hipócrita: isso é muito difícil. Por isso que o reboot pode ser tão complicado pra alguns. Tudo é questão de abrir mão do velho e se abrir pro novo. Renascer. É a metáfora da Fênix. Ela renasce das cinzas. O reboot tem um pouco disso. Vai necessariamente haver dor envolvida, não tem jeito. Pena que meu lado guerreiro anda fraco. Isso aqui não deixa de ser uma batalha.

Percebam que minha questão não tem nada a ver com sexo em si (apesar deu insistentemente me referir a isso como "eu não transo" ou coisas do tipo) Isso é um erro. Nada a ver com sexo em si. Tem a ver com emoções. Com saúde emocional. Com expressão. Com ser honesto comigo mesmo. Não é porra de sexo. Eu posso falar isso pra ela e ela dizer que não tem nenhum interesse em mim. Não vou transar, mas... Eu não vou me sentir mal. Não vou me sentir frustrado. Não vou consumir pornografia quando eu chegar em casa. Sem transar e me sentindo incrível e maravilhoso, com o peito livre e a consciência limpa. Eu vou consumir pornografia se eu não falar nada pra ela, e depois ter que ver ela se beijando com alguém que eu conheço. Ai sim. Vou me sentir oprimido. Vou sentir ressentimento. Arrependimento. Vou me envenenar. Mas se eu falar pra ela o que eu sinto e ela recusar, eu vou ficar tranquilo. Zero frustração. Não vou ligar a mínima se ela ta se beijando com quem for. Eu vou é ser feliz. Porque fui honesto. Porque fui eu mesmo. Porque sou livre. É tudo sobre meu coração, e não sobre meu pênis. É sobre respirar aliviado e não sobre gozar.

Pra mim tudo se resume nisso aí. Esse é o ponto central, principal, o mais importante pra minha cura.

Nunca negar meus sentimentos. É basicamente isso. Jamais.

No mais, continuo trabalhando por volta de 6 horas por dia.

Eu estou MUITO, MUITO melhor em alguns aspectos. O reboot não acompanhou essa evolução, pois só ando recaindo faz tempo. Mas acreditem, eu cresci bastante nesse tempo. Mesmo imerso na pornografia, eu consegui me desenvolver bem por outro lado.

Trabalho e dinheiro não é tudo. Acho que crescemos em uma sociedade que enfatiza muito isso. Mas eu acho um equívoco. Claro, eu falo da minha realidade. Não tive que trabalhar com 14 anos da idade. Mas enfim.

Do que adianta trabalho e dinheiro, se a saúde emocional do cara é zero? Ai ele gasta todo o dinheiro com drogas - incluindo o álcool, que também é uma droga. Muitos conseguem acordar e ir trabalhar de novo no dia seguinte. É isso que é a vida? Deve ter MUITA GENTE que vive assim. É a condição de realmente, uma quantidade grande de pessoas. Eu não gostaria de viver desse jeito, realmente.

Só tem um caminho pra não viver desse jeito.

Cuidando dos meus sentimentos.

Principalmente, não negando meus sentimentos.

São desafios particulares meus. Nem todos vão se identificar. Espero ter ajudado os que partilharam um pouco do meu entendimento.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________

Liszt gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

6/9/2022, 20:24
Recomeçando mais uma vez, com a humildade que ainda tenho.

Ontem eu fiz algumas besteiras, mas quando cheguei em casa, recorri à minha fonte de conhecimento espiritual. No caso, coisas escritas, que induzem realmente à reflexão profunda. Eu me identifico totalmente com essa fonte específica. É a que melhor se afinou a mim, de todas as que eu já tive acesso.

Sabem, eu estou tendo atitudes psicológicas totalmente equivocadas, e ainda, lidando falsamente com a realidade das coisas, em uma escala ampla. Tipo vivendo na ilusão, de uma certa forma.

A questão da ilusão é que a gente só descobre que é ilusão depois que o véu cai. Antes do véu cair, a gente tem certeza absoluta de que é do jeito que a gente afirma.

Ontem encontrei um amigo na rua, que está tendo problemas sérios com drogas "químicas". Eu já fiz a minha parte, sabem. Tento orientar sempre que posso. Pois ontem eu orientei ele um pouco mais. O que eu percebi é que ele realmente, não tem nenhuma visão ou consciência do que ele está fazendo. Nem do que está sentindo. Eu diria que está em estado grave, já que fica pedindo dinheiro pelas ruas, pra comprar mais drogas. Ver ele me fez refletir sobre mim mesmo. Eu também estou agindo sem consciência nenhuma, ao recair frequentemente em pornografia.

A pornografia me torna um cara muito escroto. Um babaca mesmo.

Eu trabalhei agora pela manhã. Trabalho com o público, visitando a casa das pessoas. Pois bem, hoje vi uma moça bonita, em uma dessas casas. Ela era casada e o marido estava lá também. Imaginem que tipo de coisa eu pensei. É, pois é. Ninguém lê pensamento de ninguém, mas eu não conseguiria disfarçar um pequeníssimo constrangimento, em alguma das covinhas do meu rosto. Coisa bem discreta e leve. De qualquer modo, eu gostaria de me livrar 100% e pra sempre, desse tipo de situação. É muito ruim.

Acontece que eu não sou isso. Quer dizer, isso faz parte de mim, assim como o vício em pornografia faz parte de mim. Porém, quando estou longe de porn, eu nunca penso esse tipo de coisa. Nunca mesmo. Esse tipo de pensamento aí é totalmente fruto do vício em porn, no meu caso.

Resumindo: porn aumenta em 10000% a frustração sexual.

Sabem, eu não tenho vida sexual, mas mesmo assim, eu diria que uma grossa parte desse sentimento se deve exclusivamente ao vício em porn. Exclusivamente mesmo.

Amigos, eu preciso retomar o bom caminho. Eu preciso levar o reboot a sério. Já são 9 meses nessa brincadeira aqui. Não tá nada legal. 9 meses sem marcas maiores.

9 meses vivendo seco de amor e de energia, já que é isso que a pornografia faz. Mata o amor. O amor próprio, e consequentemente, pelo outro. Tira a energia todinha. Meu deus do céu.

Vício em porn afeta a gente de um modo muito, muito profundo. Integralmente. Isso afeta o tipo de pensamento que você vai ter. Seus sonhos. O modo como você olha as coisas - literalmente. Isso afeta a porra toda. E só negativamente. É incrível como não sobra nada de benéfico e de útil na pornografia. Porn é pior até do que refrigerante. O refri pelo menos pode dar aquela energia rápida, o que pode ser útil em algumas situações. Mas porn só drena, só suga. Ai é complicado.

Amigos, eu percebo que estou imerso nisso, em parte, por equívocos psicológicos e emocionais.

Eu preciso urgentemente abrir mão de algumas crenças, de algumas certezas. Esses apegos estão me deixando escravo. Tenho que desapegar dessas coisas, urgente mesmo....

Não conheço outro modo de me ajudar com esse objetivo, a não ser orações. Terapia convencional com psicólogo ajuda um pouco, mas só um pouco. Acho que oração deve ser mais eficiente. Orar pela minha libertação, afinal de contas. Deixar que Deus e o universo me mostrem como são as coisas, ao invés deu achar que, de repente, eu sou o centro do universo, que eu estou certo e o mundo errado, etc. Eu não me considero uma pessoa livre. E sou eu mesmo que me mantenho preso, voluntariamente, a essas correntes. Por uma crença. Por uma ideia. Por uma certeza absoluta de que estou certo e tem que ser do meu jeito.

Tudo isso é um longo trabalho, amigos. São coisas lentas. Estamos aqui pra isso mesmo, pra aprender.

Hoje vi um vídeo numa rede social. Uma propaganda de um livro, algo muito na linha "coach", que se fala por aí. Bom, essa "pegada" de coach não me serve em nada. Tenho outro estilo, bem diferente. Muitas dessas pessoas fazem propagandas apelativas, prometendo soluções fáceis e simples. Eu não acredito em soluções fáceis e simples, para problemas antigos e complexos. Sigamos.

Como disse, eu não gosto da linguagem e do estilo. Mas assistindo o vídeo, eu vi que tudo que o cara estava falando era realmente verdade. São coisas constatáveis (talvez não cientificamente, mas pela experiência pessoal e íntima), e que evidentemente, não foi ele que inventou ou criou essas ideias.

Em resumo, ele fala algo meio óbvio, que eu particularmente já sabia. Nossos pensamentos - que são energia, impulsos elétricos, etc - criam uma frequência e uma vibração no nosso corpo, a nossa volta. Essa vibração é semelhante ao pensamento que se tem. Assim, pensamentos de ódio vão criar uma vibração de ódio. E pensamentos de amor vão criar uma vibração de amor. Em resumo, nossos pensamentos nos definem muito mesmo, e certamente criam uma parte muito significativa da nossa realidade. São pra mim um dos melhores indícios de como anda nossa saúde. É que geralmente não temos o hábito da auto observação, mas pelos nossos pensamentos, é fácil ver como estamos de fato.

Eu concordo com o que ele falou, mas acredito que existe uma camada mais profunda do que o pensamento. É o que eu chamo de sentimento.

É aquilo: orar. Pode-se orar de vários modos. Inclusive mecanicamente. Dizem que palavras tem poder, e eu realmente acredito nisso, mas qual o poder de palavras vazias? Uma oração meramente mecânica não vai ter poder nem ser efetiva. Falta-lhe o que? O sentimento.

Repetimos as mesmas palavras, dessa vez colocando nossa alma nelas. Com sentimentos. É outra coisa, não é?

E não dá pra forçar sentimentos. Podemos forçar palavras e atitudes externas, mas os sentimentos é muito mais difícil. Podemos falar eu te amo pra alguém, podemos até agir de forma doce, amorosa. Agir externamente, mas o sentimento mesmo, esse não podemos nos forçar a sentir. É bem mais complicado.

Já falei um bocado, e ainda teria mais a falar.

Eu preciso urgentemente meditar....

Eu estou caótico por dentro. Muito. Preciso me organizar, digamos assim. Internamente.

Eu larguei boa parte das minhas práticas pessoais de auto cuidado e de expansão da consciência. Eu larguei isso tudo, menos a psicóloga do SUS. Acaba que ajuda sim. Quando falamos, organizamos nosso pensamento. E também, podemos exercitar um lugar de honestidade e de não ser julgado. Podemos nos expressar sem receio, digamos assim. Claro que precisa ter um vínculo de confiança pra fluir legal. Isso acontece com o tempo.

Tenho ferramentas bem mais efetivas. Mas eu simplesmente larguei elas.

Por má vontade, sem dúvidas. Má vontade em crescer e se desenvolver. É isso.

Mas eu quero retomar o reboot agora mesmo....

Cansei de desperdiçar minha vida. Eu estou me sentindo realmente fraco, mas eu não quero ser assim. Eu só preciso de um tempo de reboot pra voltar a sonhar, ser feliz. É impossível ser feliz com pornografia. Impossível.

Pois bem, vou almoçar e trabalhar agora a tarde, amigos.

Sabem, eu não estou levando esse trabalho tão a sério como eu gostaria. Claro, eu não tenho que bater ponto, mas eu fiquei sem trabalhar por 3 dias seguidos, por exemplo. Eu não fui chamado a atenção, mas acredito que não devo proceder assim. Trabalho é pra levar a sério. Não é pra ficar faltando a toa. Algumas dessas vezes eu posso não ter ido por estar me sentindo fraco, de tanta masturbação...

Vou seguir e pegar o trabalho até o fim.

Como já disse aqui algumas vezes, eu estou 200% melhor em atendimento ao publico. Eu tinha MUITA DIFICULDADE com isso, mas agora isso sumiu mesmo. Porra, desse ponto de vista eu to feliz pra caramba. Isso é sem dúvidas uma grande conquista pra mim.

Fico por aqui.

Obrigado a quem acompanha.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________
Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

15/9/2022, 19:48
Retornando a boa luta.

La se vão praticamente 9 meses com constantes recaídas. Pois é.

No entanto, não deixei de crescer durante esse tempo. Que fique registrado. Obtive conquistas importantes. E estou bem melhor que a 6 meses atrás.

Eu oriento minha vida muito pela filosofia, e estou começando a estudar dois caminhos importantes.

Um cara que me interessa muito é um holandês chamado Baruch de Spinoza. É bem difícil de ler, é pra quem gosta de lógica e de fritar o cérebro. Porém, sua leitura parece ser o puro ouro. Para quem entende suas ideias.

Ele tem uma frase que diz mais ou menos assim: "Não rir, não lamentar, nem odiar, mas compreender". Só essa frase me fez ir longe. Acompanhem meu pensamento.

As coisas que nos afetam podem ser chamadas de afetos. São os sentimentos, por assim dizer. Raiva. Ódio. Amor. Paixão. Tesão. Alegria. Tristeza. Essas coisas nos afetam, e isso é normal. Nada de errado com essas coisas.

Porém, para Spinoza, essas coisas não combinam com a atitude do conhecimento.

Para conhecer algo, é necessário olhar de modo mais distanciado.

A paixão nos faz, de fato, perder mesmo a cabeça. Com raiva, agimos no impulso e podemos fazer algo que iremos nos arrepender - por exemplo, matar alguém, sei lá. Como eu disse, eu não acho que é pra negar essas coisas. Ao contrário. Negar essas coisas é a pior coisa que se pode fazer. Mas acredito que é preciso CULTIVAR uma atitude de conhecimento.

Se lamentar por consumir pornografia, odiar a pornografia. Sentir culpa, raiva, etc. Eu entendo essas coisas porque sou humano, mas como eu disse, isso não condiz com a atitude de quem quer CONHECER. Entender o vício e dele tirar a mais valiosa lição.

Porque nossas fraquezas podem se transformar em nossa força, se entendermos bem tudo. Isso não é fácil, mas é possível.

Pois bem, estou falando isso em resumo, porque quero voltar a ter uma vida interior. Vida interior. Meditação. Etc.

Pra mim, resumidamente, a meditação consiste em elevar minha mente para além de todos os problemas. Que são coisas muitíssimos pequenas e miúdas, diante do movimento das estrelas, ou diante de uma cidade inteira, etc. Eu sou só um grão de areia, entendem? Mas isso são coisas que só entendemos quando "elevamos" o espírito. No estado comum das coisas, talvez eu esteja morrendo de raiva porque não tem chocolate aqui em casa.

Uma vez com a mente elevada -e por consequência, tranquilo e em paz - a coisa consiste em ver as minhas falhas de um modo distanciado.

Basicamente, amigos, é como se eu pudesse ver de fora o vierkenes ferido, que está se masturbando com pornografia. Ver de longe. Sem rir nem chorar. Sem lamentar. Apenas ver. Ver e entender. Eu mesmo me vendo de uma perspectiva distanciada. Sem nenhum tipo de julgamento sobre isso.

Eu acredito que isso poderia levar a minha plena compreensão e cura do vício em pornografia, se praticado regularmente. Sem dúvidas. Inclusive, é por causa desse tipo de conhecimento que eu tenho, que eu desconsidero tanto a terapia convencional, a psicoterapia. Eu acho isso ai trilhões de vezes mais poderoso e potente. Mas mesmo assim, continuo indo na psicóloga no SUS.

Ainda sobre esse lance de vida interior, eu descobri algo chamado gnosticismo.

É basicamente um conjunto bastante sincrético de conhecimentos, baseado no cristianismo primitivo. Uma mistura de médio-platonismo com o cristianismo dos primeiros tempos.

Pois bem, eu digo aos senhores que minha ligação com a religião nunca foi boa. Com o catolicismo então, nem se fala. Infelizmente, o que eu mais vi e ouvi foi gente pilantra usar esses nomes em vão, para seu próprio benefício. Isso me fez ficar com uma visão negativa da coisa.

Porém, lendo as coisas do gnosticismo, as coisas ganham um outro sentido. Retornei para a leituras dos evangelhos.

Sabem, os evangelhos do NV são textos difíceis. Tem muito simbolismo. Não considero textos fáceis. Sem dúvidas, é preciso ir sempre à fonte, e não se deixar levar pela palavra dos outros. Os analfabetos estão em grande desvantagem, nesse sentido. Muitos que usam esses nomes sagrados para seu próprio benefício só o fazem porque uma boa parte das pessoas não consegue entender bem os textos. Que são difíceis!

Acaba que estou tirando amplo proveito das boas novas do Jesus. Com um complemento das tradições gnósticas, sim,  mas as escrituras são maravilhosas. Para quem as entende.

Vale absolutamente a pena seguir esse caminho ai.

Deveria mesmo ser a base de nossas vidas. Para quem acredita, é claro.

O Bhagavad Gita me ensinou que nós apenas usufruímos das coisas de Deus. Nenhuma das coisas nos pertencem. Ele é o senhor da lei. Seguir sua lei deveria ser a base de nossas vidas. Porque a recompensa é a mais valiosa de todas. Deus é plena fé, segurança, força e potência. É o criador de todas as coisas. Portanto, o que é dedicar trinta minutos por dia ao criador de todas as coisas? Apenas 30 minutos por dia.

E lembrar sempre que, embora o louvor a Deus seja muito bonito, é preciso acima de tudo AS OBRAS. Não é só a fé sem obras que é morta. Tudo sem obras é morto.

Não é só orar. É preciso por a mão na massa. As vezes essa massa não é agradável, mas é nosso trabalho por a mão mesmo assim.

E ainda sobre Deus, lembrar que podemos exercitar PLENA HONESTIDADE PARA COM ELE. O quero dizer com isso?

Que podemos abrir nosso coração para ele. Mas de forma honesta.
Podemos pedir auxílio. Sempre de forma honesta.
Tudo que Deus pede é honestidade e boa vontade, nada mais.
Ele sabe o que nós precisamos, antes de nós mesmos.
Sabe o que se passa em cada célula e em cada pensamento nosso.
Então com ele podemos nos abrir. Nos aliviar. Ser acolhido. Realmente acolhido. Expor nossas dores. Pedir compreensão. Pedir até ajuda mesmo.
Essas coisas, se praticadas a sério, levam à cura emocional, meus amigos. Isso é a cura para todo o mal.
Buscando, como dito antes, sempre um estado elevado. Um estado acima dos pequenos problemas.
Porque a obra de Deus é muito grande, e nem sempre teremos chocolate, leite quente, roupas limpas, comida boa.
E isso é afinal, para nosso próprio crescimento. Porque precisamos também servir a Deus - para quem acredita.
E para isso precisamos desenvolver a força e a responsabilidade.
Isso é plena cura emocional, se levado a sério.

Jamais iremos fugir dessa batalha para nos encontrar.

Pornografia? Eu me livrarei disso um dia. A questão é quando. São coisas inevitáveis.

Já passei 120 dias, se não me engano, foi meu recorde. Meu sonho é chegar a 180 dias, metade de um ano.

Continuo trabalhando. Bem abaixo da média, é verdade. Estou em uma parte desanimadora do trabalho. Que está pagando muito pouco. Isso está só para os idealistas! Vou continuar, porque pra mim é vantagem, simplesmente. É melhor fazer alguma coisa, do que não fazer nada. Melhor receber alguma coisa, do que não receber nada.

Quero me preparar para um concurso cuja prova é daqui a 3 meses. É urgente eu começar agora. Eu sou um estudante extremamente talentoso, então meu potencial é alto. Preciso ir rápido atrás da apostila pra esse concurso.

Fiquem bem.

Excelente reboot para todos.

Até a próxima.

_______________________________________

Gardenzio e eduxx gostam desta mensagem

eduxx
eduxx
Mensagens : 388
Data de inscrição : 20/07/2022
Idade : 29
Localização : Brasil

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

15/9/2022, 23:35
Boa Noite meu amigo, deixando minha mensagem pra acompanhar seu diário, seja forte e não desanime, grande abraço!


Torcendo por você!!!

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t12707-depoimento-de-um-viciado-diario-eduxx


Aliócha gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

18/9/2022, 20:11
Infelizmente, recai novamente.

Eu também devo dizer aos senhores que retornei aos hábitos alcoólicos...

Caras, eu não quero bater ponto no bar depois do trabalho. Não quero mesmo.

Bebi muito nos últimos dias, e hoje, percebi como estava, digamos assim, "exposto" e até "emocionalmente muito ferido".

Eu tive um pequeno desentendimento com um cara - realmente foi coisa pequena mesmo. Ele veio querer me cobrar algo que não era devido, e realmente não era e pronto. Expliquei ponto por ponto. Ele pareceu entender. Mas resolveu ficar me oprimindo na rua. Me encarando. Etc. Não chegou a falar nem fazer nada comigo, mas está expressando isso pela postura física dele.

Eu sei que esse cara tem sérios problemas. Realmente, eu estou muito, muito longe de ser um problema na vida dele. Soube que ele passou por acontecimentos trágicos e pesados. Etc.

Ontem eu tava bêbado e esse cara tava lá. Alguém na minha mesa tocou no nome dele. Eu expliquei rapidamente a situação e falei que ele não parecia estar agindo de boa fé comigo.  Ele ouviu o comentário. Veio na mesa, falou alguma coisa comigo. Eu pedi desculpas pra ele - de forma honesta e sincera, foi realmente muito deselegante e incorreto falar algo dele pelas costas. Pedi desculpas. Ele pareceu se acalmar um pouco e saiu da mesa. Depois outra pessoa me falou que ele comentou que ia me quebrar na porrada ou algo do tipo. O melhor que eu faço é esquecer isso e seguir em frente. E tratar ele com o máximo respeito. Dificilmente ele faria algo comigo aqui, pois a cidade é pequena e todos me conhecem.

Resumo da ópera, meus amigos: um monte de gente emocionalmente adoecida, fragilizada, ou com sérios problemas, consumindo uma substância que tem o potencial de elevar todos esses afetos.

E que pra mim acaba causando efeitos físicos danosos, pois fico de ressaca, me deixa indisposto, e eu SEMPRE acabo recaindo com porn depois de beber. Isso é foda....

A grande sabedoria seria beber a quantidade correta. Com o estômago "forrado". E consumindo água junto. Isso é sabedoria, porque aí dá pra usufruir do efeito do álcool, sem se sentir mal depois. A diferença entre o veneno e o remédio é a dose.

Pra saber beber "na sabedoria", tem que ter auto conhecimento porra. Se não, não tem como.

Ou seja, eu tenho que ter uma noção mínima do COMO EU ESTOU REALMENTE ME SENTINDO, e diria até mesmo, QUEM EU REALMENTE SOU.

Sabendo quem você é, qual o seu propósito, e como você está realmente se sentindo no momento - sem mentiras e sem máscaras! - você consegue tirar proveito e benefício de absolutamente qualquer coisa na vida. Quem chega nesse nível aí consegue tirar leite de pedra.

Isso é auto conhecimento. Não vêm de graça. Tem que querer e ir atrás. E ir atrás dentro de você mesmo, pois que está dentro de você e não fora. Eu insisto nisso, porque acredito verdadeiramente que ISSO é o maior tesouro que uma pessoa pode conquistar. É o que vai dar TUDO a ela. Quando Jesus fala em "juntar tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não o destroem, e nem os ladrões o roubam", é exatamente a isso que ele se refere.

Isso envolve claramente o vício em pornografia também.

Ontem eu sai na rua completamente inquieto....

E ai acabei bebendo até as 4 da manhã....

Minha alma queria expressar a sua dor, gostaria que eu parasse, respirasse, relaxasse. Sentir a dor. Apenas isso. Sem rir, nem chorar. Com todo o respeito. Ouvir os sinais da alma. Mas a parte que não queria ouvir, porque estava muito magoada, impaciente, triste ou ferida, venceu. E eu fui beber.

Temos medo do que existe dentro de nós....

Por isso fugimos constantemente de nós mesmos.....

E por isso as pessoas usam tantas drogas, dos mais variados tipos. Hoje em dia existe drogas para todos os públicos e perfis de pessoas.

Essas coisas são em parte, fenômenos naturais. Acredito que tudo isso deriva da própria estrutura psicológica do ser humano.

A propósito, psicologicamente, eu sinto que estou andando em círculos.....

Isso é foda. Eu tenho consciência de que estou dando voltas e mais voltas, no quesito psicológico. Isso fode tudo. Isso é falta de saúde mental.

Uma saúde mental boa envolve alguma fluidez de sentimentos, de sensações.

Ficar agarrado a algo não é bom sinal....e isso pode ser qualquer coisa. Pode ser uma pessoa. Uma mágoa. Um desejo de vingança. Alguém que já não está presente. Ou pornografia. O vício em pornografia é um apego, amigos. Algo que parte de nós não quer abrir mão.

Fora o rancor e o ressentimento. São dois dos maiores venenos que existem para os seres humanos. Pra mim, mais venenoso e tóxico do que qualquer droga. E se não tenho argumentos científicos pra comprovar isso, posso usar as palavras de Jesus. Que disse que "não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai dela. O que entra pela boca desce pro ventre e é lançado fora. Mas o que sai da boca procede do coração."

No fundo, eu continuo preso nessas mesmas coisas. Essa é a verdade.

São problemas psicológicos. Não só "psicológicos", mas de vida. Isso fode tudo. Tudo.

O jeito é voltar a encarar mais uma vez as práticas de auto conhecimento. É o único caminho e solução que eu conheço pra isso.

Claro, vou na psicóloga no SUS, e até que ajuda, mas é preciso mobilização interna para retornar para as práticas de REAL PODER. Quando acessamos a nós mesmos em plenitude. Eu simplesmente prefiro resolver esses problemas sozinho do que com um terapeuta tradicional. Eu tenho os meios para isso. E muitas vezes, amigos, penso que estou muito aquém do que me foi ofertado.

Eu tive acesso a muitas coisas muito interessantes. Mas acho que ainda não estou a altura das coisas que eu tive acesso. O puro ouro. Eu ainda desperdiço muito a minha vida. Em ilusões.

Que Deus me dê coragem para compreender. É aquela frase do Spinoza, que pra mim foi realmente um achado. "Não rir, não lamentar, nem odiar, mas compreender".

Talvez só com ajuda espiritual mesmo. Porque é simplesmente muito difícil, meus amigos, abrir mão de nossas certezas, digamos assim. Abrir mão de nosso riso, do nosso lamento ou do nosso ódio.

Se quisermos entender o vício e vencer ele, temos que aprender a nos colocar acima dessas coisas. Mesmo que seja por poucos minutos por dia.

Amigos, eu poderia falar muitas coisas interessantes e úteis, mas a verdade mesmo é que eu não estou bem.

Tem meses que eu não fico mais de 20 dias sem essa porcaria de porn. Porra. Minha vida está zoada.

Eu vou continuar meus estudos de filosofia antiga, pois encontro nesses textos soluções para todas as coisas.

Tem que ter paciência, porque viver é isso. 1 dia de cada vez.

Ainda pode levar um tempo pra minha casa - eu, meu corpo - ficar confortável.

Eu preciso levar o reboot com seriedade.

Preciso parar de beber.

Ou melhor falando, preciso entender o que ganho ou perco quando faço essa ESCOLHA.

O único jeito de sair do círculo é percorrendo ele muitas e muitas vezes, entendendo cada ponto dele. Não existe outra forma de sair do círculo.

Fiquem bem. Excelente reboot para todos.

_______________________________________

DerekS.W e eduxx gostam desta mensagem

avatar
DerekS.W
Mensagens : 53
Data de inscrição : 02/05/2022

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

18/9/2022, 22:20
vierkenes escreveu:Infelizmente, recai novamente.

Eu também devo dizer aos senhores que retornei aos hábitos alcoólicos...

Caras, eu não quero bater ponto no bar depois do trabalho. Não quero mesmo.

Bebi muito nos últimos dias, e hoje, percebi como estava, digamos assim, "exposto" e até "emocionalmente muito ferido".

Eu tive um pequeno desentendimento com um cara - realmente foi coisa pequena mesmo. Ele veio querer me cobrar algo que não era devido, e realmente não era e pronto. Expliquei ponto por ponto. Ele pareceu entender. Mas resolveu ficar me oprimindo na rua. Me encarando. Etc. Não chegou a falar nem fazer nada comigo, mas está expressando isso pela postura física dele.

Eu sei que esse cara tem sérios problemas. Realmente, eu estou muito, muito longe de ser um problema na vida dele. Soube que ele passou por acontecimentos trágicos e pesados. Etc.

Ontem eu tava bêbado e esse cara tava lá. Alguém na minha mesa tocou no nome dele. Eu expliquei rapidamente a situação e falei que ele não parecia estar agindo de boa fé comigo.  Ele ouviu o comentário. Veio na mesa, falou alguma coisa comigo. Eu pedi desculpas pra ele - de forma honesta e sincera, foi realmente muito deselegante e incorreto falar algo dele pelas costas. Pedi desculpas. Ele pareceu se acalmar um pouco e saiu da mesa. Depois outra pessoa me falou que ele comentou que ia me quebrar na porrada ou algo do tipo. O melhor que eu faço é esquecer isso e seguir em frente. E tratar ele com o máximo respeito. Dificilmente ele faria algo comigo aqui, pois a cidade é pequena e todos me conhecem.

Resumo da ópera, meus amigos: um monte de gente emocionalmente adoecida, fragilizada, ou com sérios problemas, consumindo uma substância que tem o potencial de elevar todos esses afetos.

E que pra mim acaba causando efeitos físicos danosos, pois fico de ressaca, me deixa indisposto, e eu SEMPRE acabo recaindo com porn depois de beber. Isso é foda....

A grande sabedoria seria beber a quantidade correta. Com o estômago "forrado". E consumindo água junto. Isso é sabedoria, porque aí dá pra usufruir do efeito do álcool, sem se sentir mal depois. A diferença entre o veneno e o remédio é a dose.

Pra saber beber "na sabedoria", tem que ter auto conhecimento porra. Se não, não tem como.

Ou seja, eu tenho que ter uma noção mínima do COMO EU ESTOU REALMENTE ME SENTINDO, e diria até mesmo, QUEM EU REALMENTE SOU.

Sabendo quem você é, qual o seu propósito, e como você está realmente se sentindo no momento - sem mentiras e sem máscaras! - você consegue tirar proveito e benefício de absolutamente qualquer coisa na vida. Quem chega nesse nível aí consegue tirar leite de pedra.

Isso é auto conhecimento. Não vêm de graça. Tem que querer e ir atrás. E ir atrás dentro de você mesmo, pois que está dentro de você e não fora. Eu insisto nisso, porque acredito verdadeiramente que ISSO é o maior tesouro que uma pessoa pode conquistar. É o que vai dar TUDO a ela. Quando Jesus fala em "juntar tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não o destroem, e nem os ladrões o roubam", é exatamente a isso que ele se refere.

Isso envolve claramente o vício em pornografia também.

Ontem eu sai na rua completamente inquieto....

E ai acabei bebendo até as 4 da manhã....

Minha alma queria expressar a sua dor, gostaria que eu parasse, respirasse, relaxasse. Sentir a dor. Apenas isso. Sem rir, nem chorar. Com todo o respeito. Ouvir os sinais da alma. Mas a parte que não queria ouvir, porque estava muito magoada, impaciente, triste ou ferida, venceu. E eu fui beber.

Temos medo do que existe dentro de nós....

Por isso fugimos constantemente de nós mesmos.....

E por isso as pessoas usam tantas drogas, dos mais variados tipos. Hoje em dia existe drogas para todos os públicos e perfis de pessoas.

Essas coisas são em parte, fenômenos naturais. Acredito que tudo isso deriva da própria estrutura psicológica do ser humano.

A propósito, psicologicamente, eu sinto que estou andando em círculos.....

Isso é foda. Eu tenho consciência de que estou dando voltas e mais voltas, no quesito psicológico. Isso fode tudo. Isso é falta de saúde mental.

Uma saúde mental boa envolve alguma fluidez de sentimentos, de sensações.

Ficar agarrado a algo não é bom sinal....e isso pode ser qualquer coisa. Pode ser uma pessoa. Uma mágoa. Um desejo de vingança. Alguém que já não está presente. Ou pornografia. O vício em pornografia é um apego, amigos. Algo que parte de nós não quer abrir mão.

Fora o rancor e o ressentimento. São dois dos maiores venenos que existem para os seres humanos. Pra mim, mais venenoso e tóxico do que qualquer droga. E se não tenho argumentos científicos pra comprovar isso, posso usar as palavras de Jesus. Que disse que "não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai dela. O que entra pela boca desce pro ventre e é lançado fora. Mas o que sai da boca procede do coração."

No fundo, eu continuo preso nessas mesmas coisas. Essa é a verdade.

São problemas psicológicos. Não só "psicológicos", mas de vida. Isso fode tudo. Tudo.

O jeito é voltar a encarar mais uma vez as práticas de auto conhecimento. É o único caminho e solução que eu conheço pra isso.

Claro, vou na psicóloga no SUS, e até que ajuda, mas é preciso mobilização interna para retornar para as práticas de REAL PODER. Quando acessamos a nós mesmos em plenitude. Eu simplesmente prefiro resolver esses problemas sozinho do que com um terapeuta tradicional. Eu tenho os meios para isso. E muitas vezes, amigos, penso que estou muito aquém do que me foi ofertado.

Eu tive acesso a muitas coisas muito interessantes. Mas acho que ainda não estou a altura das coisas que eu tive acesso. O puro ouro. Eu ainda desperdiço muito a minha vida. Em ilusões.

Que Deus me dê coragem para compreender. É aquela frase do Spinoza, que pra mim foi realmente um achado. "Não rir, não lamentar, nem odiar, mas compreender".

Talvez só com ajuda espiritual mesmo. Porque é simplesmente muito difícil, meus amigos, abrir mão de nossas certezas, digamos assim. Abrir mão de nosso riso, do nosso lamento ou do nosso ódio.

Se quisermos entender o vício e vencer ele, temos que aprender a nos colocar acima dessas coisas. Mesmo que seja por poucos minutos por dia.

Amigos, eu poderia falar muitas coisas interessantes e úteis, mas a verdade mesmo é que eu não estou bem.

Tem meses que eu não fico mais de 20 dias sem essa porcaria de porn. Porra. Minha vida está zoada.

Eu vou continuar meus estudos de filosofia antiga, pois encontro nesses textos soluções para todas as coisas.

Tem que ter paciência, porque viver é isso. 1 dia de cada vez.

Ainda pode levar um tempo pra minha casa - eu, meu corpo - ficar confortável.

Eu preciso levar o reboot com seriedade.

Preciso parar de beber.

Ou melhor falando, preciso entender o que ganho ou perco quando faço essa ESCOLHA.

O único jeito de sair do círculo é percorrendo ele muitas e muitas vezes, entendendo cada ponto dele. Não existe outra forma de sair do círculo.

Fiquem bem. Excelente reboot para todos.
Uma coisa eu te digo cara, a pornografia nunca é a resposta pra nada. O mesmo vale para o seu vício em álcool. Não existe isso de "grau de um viciado", todos agem da mesma maneira, usam seus problemas como desculpas para se manter no mesmo estado ou até mesmo piorar. Mas a verdade nua e crua e que não há nada exterior a nós mesmos que tenha poder sobre isso. O vício mente pra nós, e nos inflinge medo, medo de que a vida não será tão boa sem ele. Este medo está submerso em nós, ele não quer ser enfrentado. Ao emergirmos esse medo de dentro de nós e encararmos como as coisas realmente são, aí sim estaremos livres.

eduxx gosta desta mensagem

eduxx
eduxx
Mensagens : 388
Data de inscrição : 20/07/2022
Idade : 29
Localização : Brasil

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

19/9/2022, 10:04
vierkenes escreveu:Infelizmente, recai novamente.

Eu também devo dizer aos senhores que retornei aos hábitos alcoólicos...

Caras, eu não quero bater ponto no bar depois do trabalho. Não quero mesmo.

Bebi muito nos últimos dias, e hoje, percebi como estava, digamos assim, "exposto" e até "emocionalmente muito ferido".

Eu tive um pequeno desentendimento com um cara - realmente foi coisa pequena mesmo. Ele veio querer me cobrar algo que não era devido, e realmente não era e pronto. Expliquei ponto por ponto. Ele pareceu entender. Mas resolveu ficar me oprimindo na rua. Me encarando. Etc. Não chegou a falar nem fazer nada comigo, mas está expressando isso pela postura física dele.

Eu sei que esse cara tem sérios problemas. Realmente, eu estou muito, muito longe de ser um problema na vida dele. Soube que ele passou por acontecimentos trágicos e pesados. Etc.

Ontem eu tava bêbado e esse cara tava lá. Alguém na minha mesa tocou no nome dele. Eu expliquei rapidamente a situação e falei que ele não parecia estar agindo de boa fé comigo.  Ele ouviu o comentário. Veio na mesa, falou alguma coisa comigo. Eu pedi desculpas pra ele - de forma honesta e sincera, foi realmente muito deselegante e incorreto falar algo dele pelas costas. Pedi desculpas. Ele pareceu se acalmar um pouco e saiu da mesa. Depois outra pessoa me falou que ele comentou que ia me quebrar na porrada ou algo do tipo. O melhor que eu faço é esquecer isso e seguir em frente. E tratar ele com o máximo respeito. Dificilmente ele faria algo comigo aqui, pois a cidade é pequena e todos me conhecem.

Resumo da ópera, meus amigos: um monte de gente emocionalmente adoecida, fragilizada, ou com sérios problemas, consumindo uma substância que tem o potencial de elevar todos esses afetos.

E que pra mim acaba causando efeitos físicos danosos, pois fico de ressaca, me deixa indisposto, e eu SEMPRE acabo recaindo com porn depois de beber. Isso é foda....

A grande sabedoria seria beber a quantidade correta. Com o estômago "forrado". E consumindo água junto. Isso é sabedoria, porque aí dá pra usufruir do efeito do álcool, sem se sentir mal depois. A diferença entre o veneno e o remédio é a dose.

Pra saber beber "na sabedoria", tem que ter auto conhecimento porra. Se não, não tem como.

Ou seja, eu tenho que ter uma noção mínima do COMO EU ESTOU REALMENTE ME SENTINDO, e diria até mesmo, QUEM EU REALMENTE SOU.

Sabendo quem você é, qual o seu propósito, e como você está realmente se sentindo no momento - sem mentiras e sem máscaras! - você consegue tirar proveito e benefício de absolutamente qualquer coisa na vida. Quem chega nesse nível aí consegue tirar leite de pedra.

Isso é auto conhecimento. Não vêm de graça. Tem que querer e ir atrás. E ir atrás dentro de você mesmo, pois que está dentro de você e não fora. Eu insisto nisso, porque acredito verdadeiramente que ISSO é o maior tesouro que uma pessoa pode conquistar. É o que vai dar TUDO a ela. Quando Jesus fala em "juntar tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não o destroem, e nem os ladrões o roubam", é exatamente a isso que ele se refere.

Isso envolve claramente o vício em pornografia também.

Ontem eu sai na rua completamente inquieto....

E ai acabei bebendo até as 4 da manhã....

Minha alma queria expressar a sua dor, gostaria que eu parasse, respirasse, relaxasse. Sentir a dor. Apenas isso. Sem rir, nem chorar. Com todo o respeito. Ouvir os sinais da alma. Mas a parte que não queria ouvir, porque estava muito magoada, impaciente, triste ou ferida, venceu. E eu fui beber.

Temos medo do que existe dentro de nós....

Por isso fugimos constantemente de nós mesmos.....

E por isso as pessoas usam tantas drogas, dos mais variados tipos. Hoje em dia existe drogas para todos os públicos e perfis de pessoas.

Essas coisas são em parte, fenômenos naturais. Acredito que tudo isso deriva da própria estrutura psicológica do ser humano.

A propósito, psicologicamente, eu sinto que estou andando em círculos.....

Isso é foda. Eu tenho consciência de que estou dando voltas e mais voltas, no quesito psicológico. Isso fode tudo. Isso é falta de saúde mental.

Uma saúde mental boa envolve alguma fluidez de sentimentos, de sensações.

Ficar agarrado a algo não é bom sinal....e isso pode ser qualquer coisa. Pode ser uma pessoa. Uma mágoa. Um desejo de vingança. Alguém que já não está presente. Ou pornografia. O vício em pornografia é um apego, amigos. Algo que parte de nós não quer abrir mão.

Fora o rancor e o ressentimento. São dois dos maiores venenos que existem para os seres humanos. Pra mim, mais venenoso e tóxico do que qualquer droga. E se não tenho argumentos científicos pra comprovar isso, posso usar as palavras de Jesus. Que disse que "não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai dela. O que entra pela boca desce pro ventre e é lançado fora. Mas o que sai da boca procede do coração."

No fundo, eu continuo preso nessas mesmas coisas. Essa é a verdade.

São problemas psicológicos. Não só "psicológicos", mas de vida. Isso fode tudo. Tudo.

O jeito é voltar a encarar mais uma vez as práticas de auto conhecimento. É o único caminho e solução que eu conheço pra isso.

Claro, vou na psicóloga no SUS, e até que ajuda, mas é preciso mobilização interna para retornar para as práticas de REAL PODER. Quando acessamos a nós mesmos em plenitude. Eu simplesmente prefiro resolver esses problemas sozinho do que com um terapeuta tradicional. Eu tenho os meios para isso. E muitas vezes, amigos, penso que estou muito aquém do que me foi ofertado.

Eu tive acesso a muitas coisas muito interessantes. Mas acho que ainda não estou a altura das coisas que eu tive acesso. O puro ouro. Eu ainda desperdiço muito a minha vida. Em ilusões.

Que Deus me dê coragem para compreender. É aquela frase do Spinoza, que pra mim foi realmente um achado. "Não rir, não lamentar, nem odiar, mas compreender".

Talvez só com ajuda espiritual mesmo. Porque é simplesmente muito difícil, meus amigos, abrir mão de nossas certezas, digamos assim. Abrir mão de nosso riso, do nosso lamento ou do nosso ódio.

Se quisermos entender o vício e vencer ele, temos que aprender a nos colocar acima dessas coisas. Mesmo que seja por poucos minutos por dia.

Amigos, eu poderia falar muitas coisas interessantes e úteis, mas a verdade mesmo é que eu não estou bem.

Tem meses que eu não fico mais de 20 dias sem essa porcaria de porn. Porra. Minha vida está zoada.

Eu vou continuar meus estudos de filosofia antiga, pois encontro nesses textos soluções para todas as coisas.

Tem que ter paciência, porque viver é isso. 1 dia de cada vez.

Ainda pode levar um tempo pra minha casa - eu, meu corpo - ficar confortável.

Eu preciso levar o reboot com seriedade.

Preciso parar de beber.

Ou melhor falando, preciso entender o que ganho ou perco quando faço essa ESCOLHA.

O único jeito de sair do círculo é percorrendo ele muitas e muitas vezes, entendendo cada ponto dele. Não existe outra forma de sair do círculo.

Fiquem bem. Excelente reboot para todos.



Bom dia meu amigo, como vão as coisas?


Percebi que no seu relato você traz o problema, e junto, já trás também a solução!!!


Você sabe qual caminho precisa, e qual deve percorrer, mais aí uma coisa (espero que não ache ruim comigo), que depende não só de você, mais de todos nós, é realmente nossa atitude com determinada coisa que nós incomoda...


Uma coisa que funcionou pra mim, e talvez funcione pra você, é entender de fato o que nós ocasiona aquele problema, como funciona nosso cérebro em relação à algo, afinal, somos meio racionais e irracionais...


Depois (nesses últimos 5 dias) que comecei ler um livro que fala sobre PMO, e comecei à entender, pelo menos até o momento tive um direcionamento melhor.


Afinal, como você mesmo disse, tudo são drogas, e são drogas que foram estudadas pra nós atingir na ferida certa.

Cabe a nós curar essa ferida, ou continuar atingindo à mesma!!


Desejo força e luz pra nós, grande abraço, irei continuar acompanhando!!!

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t12707-depoimento-de-um-viciado-diario-eduxx


Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

19/9/2022, 21:53
Retornando para mais um post.

Eu estou muito empenhado na leitura de uns textos filosóficos. Afinal, cada linha que leio desse texto é um clarão de luz, literalmente...

Hoje trabalhei um pouco - um trabalho com o corpo. Observei que estou fraco. Atribuo isso a duas coisas: muita masturbação e pouca alimentação. As vezes, quando eu to mal, eu simplesmente fico sem comer. Bom, esse trabalho me faz bem. Mesmo que hoje eu não tenha pegado pesado.

Eu preciso finalizar um outro trabalho que estou fazendo. Esse é urgente. Nos próximos dias quero trabalhar 7 ou 8 horas por dia, afim de terminar tudo na sexta. É, quero que essa semana seja de bastante trabalho. Estou me sentindo fraco, é verdade, mas uma vez que eu sair de casa pra trabalhar, a coisa engrena. É simples.

Esse trabalho está em uma fase bastante desestimulante. Vou terminar o que comecei.

Vou começar a estudar pra um concurso. Pra técnico administrativo da federal do meu estado.

Eu quero me jogar com tudo nesse concurso. Tenho plena condições de passar. Eu sou um estudante de alto nível, modéstia à parte.

Eu gosto muito da cidade onde eu moro. É um lugar incrível. Mas que não me satisfaz no âmbito profissional.

Minha perspectiva aqui seria trabalhar como caixa de supermercado. Ou em uma pousada. Numa loja de artesanato. Seria isso. Essas coisas não são ruins, mas não correspondem em nada as coisas que eu sempre quis pra mim. No âmbito profissional.

O concurso me pareceu uma ótima opção. Iria pra outra cidade, é verdade. Menos agradável do ponto de vista do ambiente. Mais violento também, com certeza. Porém, muitas vezes mais rico em termos de possibilidade, contatos, oportunidades, desenvolver o lado profissional, etc. Até mesmo em cursos, por exemplo, e coisas do tipo. Enfim, lugares maiores tem mais trocas e possibilidades.

O salário seria bom. Daria para todas as minhas necessidades, talvez até conseguisse juntar dinheiro. Pra juntar dinheiro, só cuidando do emocional. Sem cuidar do emocional, tudo descamba. Aí o cara torra tudo com drogas e só vai dormir de manhã.

Pra mim, o emocional vem em primeiro lugar.....

Eu também conclui comigo mesmo que eu realmente preciso fortalecer o meu corpo.

Fortalecer meu corpo é uma tarefa, uma missão, uma necessidade do meu espírito. É algo que eu adio, adio, adio. É verdade que meu corpo foi muito ferido e marcado. Por isso, é algo difícil para mim. Porém, eu creio já ter uma mínima noção das luzes do espírito, meus amigos. Que me dizem para superar toda mágoa, rancor ou ressentimento e simplesmente ficar mais forte. Ser melhor do que ontem.

Os problemas "psicológicos" - ou emocionais, se preferirem, precisam ser resolvidos, amigos. Eles drenam uma quantidade absurda da nossa potência! Eu diria até mesmo que estão diretamente associado ao vício em pornografia, em muitos casos. Se isso não for mesmo o mais comum!

Enfim, eu PRECISO MUITO FICAR MAIS FORTE.

Não vou recair nessa porra! Cansei dessa merda de vida aí, de porn.

Só não vou de jejum e oração porque eu realmente preciso comer. Mas a oração eu aceito, com certeza.

"Os lábios da sabedoria estão fechados, exceto aos ouvidos do entendimento".

Fiquem bem. Excelente reboot para todos.


_______________________________________

Gardenzio e eduxx gostam desta mensagem

avatar
Convidado
Convidado

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

19/9/2022, 23:33
vierkenes escreveu:Retornando para mais um post.

Eu estou muito empenhado na leitura de uns textos filosóficos. Afinal, cada linha que leio desse texto é um clarão de luz, literalmente...

Hoje trabalhei um pouco - um trabalho com o corpo. Observei que estou fraco. Atribuo isso a duas coisas: muita masturbação e pouca alimentação. As vezes, quando eu to mal, eu simplesmente fico sem comer. Bom, esse trabalho me faz bem. Mesmo que hoje eu não tenha pegado pesado.

Eu preciso finalizar um outro trabalho que estou fazendo. Esse é urgente. Nos próximos dias quero trabalhar 7 ou 8 horas por dia, afim de terminar tudo na sexta. É, quero que essa semana seja de bastante trabalho. Estou me sentindo fraco, é verdade, mas uma vez que eu sair de casa pra trabalhar, a coisa engrena. É simples.

Esse trabalho está em uma fase bastante desestimulante. Vou terminar o que comecei.

Vou começar a estudar pra um concurso. Pra técnico administrativo da federal do meu estado.

Eu quero me jogar com tudo nesse concurso. Tenho plena condições de passar. Eu sou um estudante de alto nível, modéstia à parte.

Eu gosto muito da cidade onde eu moro. É um lugar incrível. Mas que não me satisfaz no âmbito profissional.

Minha perspectiva aqui seria trabalhar como caixa de supermercado. Ou em uma pousada. Numa loja de artesanato. Seria isso. Essas coisas não são ruins, mas não correspondem em nada as coisas que eu sempre quis pra mim. No âmbito profissional.

O concurso me pareceu uma ótima opção. Iria pra outra cidade, é verdade. Menos agradável do ponto de vista do ambiente. Mais violento também, com certeza. Porém, muitas vezes mais rico em termos de possibilidade, contatos, oportunidades, desenvolver o lado profissional, etc. Até mesmo em cursos, por exemplo, e coisas do tipo. Enfim, lugares maiores tem mais trocas e possibilidades.

O salário seria bom. Daria para todas as minhas necessidades, talvez até conseguisse juntar dinheiro. Pra juntar dinheiro, só cuidando do emocional. Sem cuidar do emocional, tudo descamba. Aí o cara torra tudo com drogas e só vai dormir de manhã.

Pra mim, o emocional vem em primeiro lugar.....

Eu também conclui comigo mesmo que eu realmente preciso fortalecer o meu corpo.

Fortalecer meu corpo é uma tarefa, uma missão, uma necessidade do meu espírito. É algo que eu adio, adio, adio. É verdade que meu corpo foi muito ferido e marcado. Por isso, é algo difícil para mim. Porém, eu creio já ter uma mínima noção das luzes do espírito, meus amigos. Que me dizem para superar toda mágoa, rancor ou ressentimento e simplesmente ficar mais forte. Ser melhor do que ontem.

Os problemas "psicológicos" - ou emocionais, se preferirem, precisam ser resolvidos, amigos. Eles drenam uma quantidade absurda da nossa potência! Eu diria até mesmo que estão diretamente associado ao vício em pornografia, em muitos casos. Se isso não for mesmo o mais comum!

Enfim, eu PRECISO MUITO FICAR MAIS FORTE.

Não vou recair nessa porra! Cansei dessa merda de vida aí, de porn.

Só não vou de jejum e oração porque eu realmente preciso comer. Mas a oração eu aceito, com certeza.

"Os lábios da sabedoria estão fechados, exceto aos ouvidos do entendimento".

Fiquem bem. Excelente reboot para todos.

Desejo muito sucesso a vc mano e é isso mesmo, vai atrás dos seus objetivos pq eles não vão cair do céu, sobre o que vc disse concordo plenamente, nosso cerebro é a parte mais importante do nosso corpo, se nossa mente está em desequilíbrio o restante tbm ficará e consequentemente nos tornamos vulneráveis, temos sempre que estar atentos aos problemas emocionais e psicológicos pra que eles não acabem com a gente, aconselho vc a arrumar um tempo pra praticar alguma atividade fisica, ela ajuda muito nosso cerebro no reboot e tbm estimula muito a nossa disciplina, vc não vê os resultados de imediato mas é muito gratificante ver depois de alguns meses que o esforço valeu a pena, temos que levar essa ideia tbm pro reboot, não vai ser rapido a desintoxicação da PMO mas se mantermos a disciplina e o foco vamos evoluindo, continue firme amigo.

Meu diario: https://www.comoparar.com/t12382-recomeco-tudo-ou-nada

Recaídas durante esse reboot:
-15/08/22


Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

21/9/2022, 13:20
Recai de novo, e eu tenho uma noção do porque estou recaindo tanto.

Estou cometendo um erro psicológico. Poderia falar mais aqui. Já sei que alguns vão me julgar

Eu tenho 33 anos e minha sexual é zero.

Lógico, eu sei dentro de mim que o reboot não necessariamente está ligado a transar ou não. Eu sei disso. Sei também, como qualquer um, que quando você consegue se relacionar sexualmente, a coisa fica muito mais fácil. Enquanto que no ZERO absoluto, a coisa fica mais difícil.

Vi um post de um companheiro aqui, falando sobre erros.

Sabem, não existem círculos. Existem espirais.

Percorremos o mesmo caminho muitas e muitas vezes, e achamos que estamos presos, quando na verdade há micro variações. Isso é a espiral. Cada vez que se dá uma volta nela, você "sobe" um pouco nela.

Isso é a essência do aprendizado e da vida. Fomos programados assim. São coisas naturais que vão ocorrer de qualquer jeito.

Eu ainda cometo o mesmo erro psicológico.

Isso não é por acaso. Alguém vai querer me julgar, mas eu quero que os juízes se fodam. Cada um sabe o que passou na vida. Cada um sentiu de um modo. Duas pessoas não sentem as coisas do mesmo modo. Diante de uma ameaça, uns vão correr. Outros vão partir pra cima. Outros vão ficar paralisados. E alguém talvez fique frio e calmo, afim de resolver a situação. Ainda não vai faltar quem consuma pornografia depois do estresse da ameaça. Outros não gostam de pornografia, mas gostam de álcool. Ou de cocaína. Ou ainda, ficar no insta vendo perfis de famosos - é, tem gente que é viciada nisso também. Cada um é diferente e sente de um modo, amigos. Cada um tem uma história psicológica muito particular.

Sabem, existe um livro que eu gosto muito chamado Madame Bovary.

Basicamente, a Madame Bovary - na minha interpretação do livro - queria viver uma vida que nunca foi a dela.

Ela era uma mulher do campo, pobre, e lendo romances burgueses, queria ser a princesa que vai pra corte francesa, tem vários amantes, vai aos teatros da capital, etc.

Ela se casa com um homem rico - o jeito mais óbvio pra uma mulher conseguir certas coisas, ao menos no século 19. Vai pra capital. Mas termina não conseguindo o que ela queria.

O livro termina de forma trágica - desculpem o spoiler. Ela se mata. Mas porque diabos ela se mata? Se ela tinha "tudo"?

Ela achava que só poderia ser feliz quando tivesse justamente o que ela não tinha. O que nem mesmo estava "destinado" a ela, digamos assim.

Ela se sentia infeliz, mesmo diante do campo, da comida boa, do teatro, e de tudo o mais. Ela tinha "tudo", menos o que ela queria.

Pela falta de uma coisa, todo o resto perdeu o sentido pra ela.

Eu me identifico com essa personagem. É um livro clássico sobre prisão existencial. A Madame podia sair de casa quando quisesse, mas ela estava presa dentro dela mesma. Vivia como uma presidiária.

Só vai me entender quem passou por algo parecido. Quem nunca teve problemas com isso, vai me criticar. Geralmente é assim que acontece.

Me dá muito desgosto eu ter 33 anos de idade, e estar a mais de 6 anos sem beijar na boca. Mal saber o que é um preservativo, já que eu literalmente, não preciso disso. Não entendo nada de ciclo menstrual, tabelinha, etc, pois não transo, logo, não preciso me preocupar em engravidar ninguém. Eu não consigo dar e receber carinho. Nenhum. Zero. Só com animais. Faço isso com os de rua, já que não tomo conta de nenhum pet. Eu não consigo sentir calor humano, e não consigo transmitir o calor que eu sinto pra outra pessoa. Eu só consigo sentir desgosto com minha vida quando penso isso.

Eu passei a vida inteira no constrangimento, em uma área tão importante da vida. Até hoje, na verdade. Não a única, mas é importante.

Eu poderia - me perdoem a sutil crítica social - estar gritando por ai que sou imbroxável. Poderia estar estuprando mulheres. Sabem, eu não sou um cara violento, mas quando se passa 15 anos da vida no rancor, na frustração, dando patada em mulheres que só queriam transar comigo. Você pode ficar violento sim. Feridas abertas, mágoas, ódio, ressentimento. Isso pode deixar uma pessoa meio maluca, sem dúvidas. Problemas emocionais não resolvidos podem fazer uma pessoa "pirar" e fazer coisas extremas.

É um estado emocional doentio. Absolutamente.

Eu simplesmente não acredito mais que posso ter uma vida sexual. Minha vontade é de cortar meu pênis e virar eunuco. Ai nem vou precisar me masturbar mais. Resolvo também o vício em pornografia.

Não vai adiantar merda nenhuma falar essas coisas aqui. Capaz de vir alguém me dizer que isso não é nada demais. E que eu estou exagerando.

Eu vivo subindo pelas paredes desde os 14 anos de idade. São 15 anos subindo pelas paredes.

Eu sou contra a natureza. Meus genes gostariam de ser passados adiante, mas eu sou contra a natureza. Eu contrario a lógica de sobrevivência da espécie.

Não posso ter filhos. Antes de ter filhos, é preciso tocar o corpo de outra pessoa. Eu não tenho essa capacidade.

Se a humanidade dependesse de mim pra reprodução, a humanidade iria acabar e morrer. Eu não ia ser capaz de fazer sexo com a última mulher do mundo.

Pessoas deveriam ser capazes de conseguir sexo, assim como são capazes de conseguir alimento, água, abrigo. São as coisas mais básicas e que mais mexem com a gente. Não é a toa que estamos viciados em pornografia, e não em imagens de lagos e montanhas, ou em vídeos de ursos coloridos. Parem pra pensar nisso.

Eu desisti de que posso vir a ter uma vida sexual. De que posso vir a saber o que é o prazer de ter os cabelos afagados por alguém. Essas coisas não me pertencem.

Único jeito é eu abdicar desse desejo tão primordial. Matar não dá, pois eu já tentei. Resolver, já são mais de 15 anos tentando.

Vai vir gente me julgar aqui. Mas eu aposto meu c* que elas não passaram por esse problema. Do alto da mesa farta, fica realmente muiiiiito fácil ficar dando lição em quem tá embaixo, sem nada. Parece que temos também uma forte tendência à hipocrisia.

Me perdoem as palavras amargas. A boca fala aquilo de que o coração está cheio.

Continuem suas vidas e seus reboots. Eu não sei o que farei com a minha.

Minha mente está desajustada da realidade, e seguir assim fica muito difícil.

Vou dar uma sumida do fórum. Mas volto.

Deixo aqui uma frase, que eu particularmente, acredito ser verdadeira. Mesmo que eu ainda não esteja agindo em coerência com ela.

A vida consiste em nos ajustar à realidade.....e não fazer a realidade se ajustar a nós. Aliás, fazer a realidade se ajustar a nós é impossível.

Não escolhi meu país, minha família, a condição financeira de minha família. Não escolhi a escola onde eu estudei. Não escolhi não ter uma vida sexual. Não escolhi minha cor de pele, nem as características dos meus cabelos. Não escolhi o presidente da república, nem os deputados, nem os senadores.

Eu não tenho como mudar o presidente da república. Realmente, não tenho como fazer isso. Tem que aceitar os fatos reais. Ao invés de querer mudar o que não pode ser mudado. (claro, as coisas mudam, mas apenas NO SEU DEVIDO TEMPO, e não NO MEU TEMPO).

Ou eu me ajusto à realidade......ou vou surtar e enlouquecer.

A natureza não liga para nosso bem estar ou mal estar. Ela é fria e indiferente aos nossos desejos. Se morrem 500 mil pessoas em um terremoto, ou mortas por um vírus, isso significa que as placas tectônicas fizeram seus movimentos naturais, assim como o vírus fez dele o que se esperava: reproduzir e entrar no maior número possível de pessoas.

Ninguém é capaz de mudar as regras do jogo da natureza.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________

Christopher Moltisanti e Liszt gostam desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

24/9/2022, 20:23
Voltando para a luta....

Eu tive um momento de lamentação. Bom, sou humano e imperfeito. É normal nos iludirmos. O negócio é a gente não se contentar em experimentar tão pouco da vida. E ir amadurecendo aos poucos. Ir parando de ver porn aos poucos.

Porn afeta brutalmente a saúde emocional....

Quanto à lamentação, posso dizer algumas coisas.

Por exemplo, eu fico realmente muito frustrado e insatisfeito comigo mesmo, por não ter, no momento, a capacidade ou condições para arranjar uma parceira pra transar, ou para expressar meu desejo e meus sentimentos de uma forma adequada. Isso me machucou muito ao longo da vida.

Sabem, a grande sacada, ao meu ver, é que toda consequência tem uma causa.

Eu não acredito em acaso. Ao contrário. Acredito que existem leis - naturais - que funcionam perfeitamente. Logo, tudo tem um porque por trás. Nem sempre vamos entender, alcançar esse porque, mas acredito que existe sim, uma causa.

A grande questão é quando não conseguimos entender bem as causas de nosso sofrimento.

Aí podemos achar que as coisas são injustas. Que não merecemos tal infortúnio. Etc. Entramos em um estado negativo, mas acredito que isso se deve meramente pela falta de visão do elo entre as coisas.

Como eu disse, eu ainda sou profundamente imaturo em muitos pontos. Estou aqui sem conseguir ficar 20 dias longe de porn.

Eu acredito que o caminho correto é chegar à causa. Sem isso, não vamos conseguir mudar as consequências. Tem que ir "na fonte", digamos assim. Agir direto nas consequências pode dar resultado por algum tempo, mas se a causa continuar operando fortemente, as consequências não vão desaparecer. Só vão diminuir aparentemente, e por algum tempo. Agir nas consequências tem um efeito muito limitado.

Se frustrar e ficar chateado pela consequência é uma perda de tempo, de um certo modo.

É como, por exemplo, beber álcool constantemente durante o dia, e depois ficar revoltado por ser demitido de um trabalho. Essa pessoa certamente não conseguiu ver que ser demitido foi uma consequência direta do comportamento dela. Aí entram as muitas camadas de mentiras que nossa mente cria naturalmente como mecanismo de defesa. "Eu bebi, mas não fiz nada de errado durante o trabalho". "Eu só bebi um pouco, nem deu pra perceber". "Esse patrão nunca gostou de mim. Ele quer me ferrar". Talvez ela ache que foi vítima de uma injustiça. E entre numa espiral de revolta e sentimentos negativos. Percebam como tudo que ela pensa e acha está muito distante da realidade. Que é simplesmente uma relação de causa e efeito - no caso, foi demitido porque um cliente comentou sobre o bafo de álcool dele, então o patrão simplesmente o demitiu por justa causa. Comportamento inadequado no ambiente de trabalho.

Vejam, existe também o fato de que cada um carrega a sua cruz.

Essa minha me pesa as vezes. As vezes eu reclamo. Todos tem a sua pra carregar. Reclamar também é normal, hehe. Embora, sem dúvidas, seja ótimo buscar não reclamar das coisas. Eu preciso evoluir nisso, admito.

Eu acredito que os problemas de cada um são particulares. Particulares no sentido de únicos. Também o modo de sentir as coisas é completamente diferente. Duas pessoas que passam pela mesma experiência não vão reagir da mesma forma. Uns podem cair em depressão, lamentação e só afundar. Outros podem usar isso como estímulo para se superar. Varia do ponto de vista de cada um. Ponto de vista que é formado por todo um conjunto de fatos que passamos ao longo de nossas vidas, desde de que saímos do útero de nossas mães até agora. Vamos sendo moldados pela experiência. E a experiência é algo subjetivo. Portanto, esse ser moldado é realmente uma experiência. Cada pessoa é uma combinação particular de muitos fatores diferentes.

O que eu quis dizer é que certamente, meu sofrimento não é particularmente maior do que o de ninguém. Eu também não acho que seja menor. Na verdade, eu sou contra a comparação - não vejo muito sentido em achar que estou melhor ou pior do que uma outra pessoa. Claro, nós temos o hábito de comparar - outra coisa que parece entranhada em nós. E também, há pessoas que estão claramente em situação pior do que a minha - mais desajustadas, digamos assim. Eu comparo com alguma frequência, afinal de contas, mas como premissa, eu não concordo com a lógica de comparar as pessoas e as experiências de vida. Eu vejo as coisas como diferentes, não como piores ou melhores.

O que é mais gostoso, uma banana ou uma laranja? Difícil responder, não é?

Eu simplesmente acho que cada um tem objetivos particulares aqui na terra.

Alguns podem estar muito satisfeitos com estabilidade financeira e material.

Outros podem se sentir presos dentro da riqueza, e só vão ser felizes vivendo uma vida simples no campo.

Alguns seres humanos abdicam de sua vida sexual - os celibatários. Eles devem se sentir bem com isso. Os que escolheram por conta própria, é claro. É uma escolha.

Outros surtariam em pensar nessa possibilidade. Possuem outra constituição física e mental. Outras necessidades. E outros ideais. E não há absolutamente nada de errado com isso.

Acredito fielmente que tudo consiste em ajustar nossa mente à realidade. A questão é que o excesso de afetos afeta a nossa percepção. Talvez eu ache que a minha vida não vale a pena, por eu não ter conseguido, aos 33 anos, ser capaz de arranjar uma parceira pra transar. Parece injusto, não é? Mas eu consigo imaginar alguém que bebe todos os dias por causa disso. Uma boa parte das pessoas que bebem constantemente, o fazem por frustrações sexuais ou amorosas. Já cansei de ver homens bêbados as 3 da manhã, desesperados pra transar. Geralmente, esse comportamento é mais típico e mais visível nos homens. Mas deve ter muitas mulheres que fazem isso também.

A questão me parece ser a seguinte: buscar "elevar" a visão ou o espírito, ao menos alguns minutos por dia. Para que as pequenas coisas percam importância. Para que as coisas realmente importantes se manifestem. Afinal, isso devem ser coisas pequenas. Posso morrer amanhã, e a eternidade me coloca preocupações mais profundas do que essa.

Bom, o jogo segue.

Eu sei que há um grave erro psicológico, e de visão, na minha forma de ver essa questão. E a forma com que eu vejo essa questão afeta muito, muito mesmo o meu reboot.

Boa parte disso vem do consumo de porn.

Porn derrete o cérebro. Literalmente, diminui a inteligência. Afeta radicalmente a saúde emocional. E acaba por distorcer bastante a nossa visão das coisas. Então, eu diria que é praticamente impossível atingir um ponto razoável de clareza, enquanto se está afundado no porn.

Eu não confio muito em mim mesmo, quando estou afundado. É quase certo que os julgamentos e as percepções vão ser equivocadas em um nível mais relevante.

Basicamente: tenho que parar de ver pornografia.

É o único modo de recuperar o controle da minha vida, atingir uma clareza maior, e até mesmo estar mais perto de solucionar o meu problema. Afinal, porn faz broxar. Ai que fica difícil mesmo de transar.

Eu ainda estou zoado, mas não vou deixar de postar aqui.

Eu ainda quero parar de ver pornografia. Eu disse isso no primeiro post do meu diário - no caso, o diário que está arquivado. Isso deve ter sido a uns 6 anos atrás, se eu não me engano.

Poderia falar mais, para quem gosta da abordagem psicológica da coisa. A abordagem psicológica é a que melhor se encaixa no meu perfil.

Sabem, eu observo alguns padrões de comportamento nas minhas recaídas.

Na verdade, esses padrões são bastante óbvios, e eu não posso ignorar essas evidências.

Compreender melhor os padrões de comportamento associados ao vício sem dúvidas é excelente. Para combater o próprio vício.

No meu caso, eu observo padrões psicológicos bastante entranhados. São exatamente padrões. Comportamentos que se repetem, todas as vezes que eu recaio.

Na verdade, se tratam de coisas bastante profundas. Eu tenho mais de 15 anos de vício. Não tinha como não ser algo profundamente enraizado na minha alma.

É bom lembrar que todo vício, em algum momento do passado, foi uma escolha deliberada.

Por fim, eu preciso criar vergonha na cara e começar meus treinos de calistenia....

Como isso é difícil pra mim! Eu desenvolvi muito meu intelecto, porém, desenvolvi pouco meu corpo. Acredito que fortalecer meu corpo me tornaria uma pessoa mais equilibrada, literalmente. Equilibrada pra vida. Eu não desisti disso ainda. As coisas tem a sua hora. Não temos como fugir das coisas inevitáveis.

Sempre é tempo de aprender, amigos. Acredito que é possível aprender muito, até mesmo na hora da morte. Reboot é puro aprendizado, do início ao fim. A ideia da aprendizagem não é necessariamente ser extremamente prazerosa. A ideia da aprendizagem é nos tornar mais fortes, mais maduros, mais responsáveis, mais potentes. E nesse curso, amigos, tanto a dor quanto o prazer podem ser grandes mestres. Uma vez um cara muito sábio disse que "não se deve julgar a vida apenas pelas vitórias".

Podemos ficar revoltados enquanto ainda estamos engatinhando no caminho. Porém, conforme o tempo avança, as coisas começam a fazer cada vez mais sentido. E quando fizer realmente muito sentido, estaremos em outro patamar. Não lamentaremos mais o passado, pois conseguimos aprender com ele, usar as experiências como trampolim pro crescimento. Não seríamos nós mesmos, se não tivéssemos passado pelas coisas que passamos. Somos frutos de nossas experiências, boas ou ruins. E se um dia tivermos amor a nós mesmos, não amaldiçoaremos a nossa própria história. Ao contrário, nos orgulharemos dela. E poderemos ser uma ajuda forte, para outras pessoas que estão presas no vício. Experiência também serve pra isso: pra ser passada adiante, especialmente pros novos no fórum. Sem dúvidas é algo muito nobre. Que não seria possível se não tivéssemos trilhado esse mesmo caminho.

Em suma, muitas coisas do caminho só vão fazer sentido mais adiante.

Sigamos.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________

Christopher Moltisanti gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

29/9/2022, 14:45
Bom, basicamente sinto que minha saúde mental está se degenerando com o consumo de pornografia.

Isso FODE COMPLETAMENTE a saúde emocional.

Minha vida está um caos, e como base desse caos, está o vício em pornografia.

Seria inacreditável, se não fosse algo humano, demasiado humano. De que eu encontro justificativas para permanecer nesse estado de vício. Enquanto a minha vida só piora.

Caras, eu não sei o que fazer, nem como fazer. Só sei que preciso retornar pro bom caminho, com SERIEDADE.

Uma vez vi algum rebooter aqui dizer que não conseguir 15 dias limpo é pura falta de vontade. Talvez tenha sido o Toguro. Eu acho que tem uma parte de verdade nisso - realmente, a falta de vontade, a preguiça, as vezes parece que predomina. Mas eu acho que é mais complexo do que isso.

Ninguém vê o estado emocional de ninguém. Ninguém vê o interior de ninguém. Nem nós mesmos temos clareza sobre nossa vida emocional, que dirá os outros.

As vezes estamos profundamente feridos por dentro. Acho que é meu caso. São coisas que ninguém vê ou sabe, apenas eu.

De qualquer modo, enquanto houver qualquer tipo de desculpa para continuar no vício, as coisas não vão progredir.

O vício em pornografia está arruinando minha saúde mental.

Ninguém aqui faz nada pra ninguém. Nós só incentivamos, apontamos a porta. Só isso. A decisão de ir até a porta e abrir ela é individual e inalienável. Absolutamente intransferível.

Continuo indo na psicóloga do SUS.

Quem for procurar algum tratamento do tipo, tenha em mente que nenhum terapeuta, psicólogo, ou seja lá o que for tem a resposta pro seu sofrimento.

Tenha em mente que não existem soluções mágicas.

Tenha em mente que é um processo longo.

Eu continuo trabalhando. Se fosse 8 horas por dia, todos os dias, eu não suportaria. Já teria sido demitido.

TUDO que eu preciso é PARAR DE VER PORNOGRAFIA

Sei que ninguém aqui vai fazer o reboot por mim. Isso foi apenas um desabafo.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________
Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

30/9/2022, 10:00
Começando o dia.

Estou com a mente "ferrada" e "zoada", infelizmente. Boa parte disso se deu devido ao consumo de pornografia.

Eu basicamente retornei pra um estado de vício pesado. Essa é a verdade. Tenho simplesmente que recomeçar, do básico. Com toda a experiência que eu adquiri ao longo desses 6 anos, desde de que descobri esse fórum.

Observo que eu não possuo as qualidades do "guerreiro" muito desenvolvidas. Bom, isso é uma questão de personalidade. Mas é evidente que qualquer coisa pode ser fortalecida. Qualquer um pode se tornar o que quiser (policial, filósofo, político, jardineiro, hippie, etc). As dificuldades envolvidas nisso são outra coisa. Fato é que, por exemplo, é impossível seguir na carreira militar sem ter o hábito de fazer o treino físico. São coisas que podem ser conquistadas, mesmo por pessoas fisicamente fracas.

O que eu quero dizer amigos, é que eu não sou um bom guerreiro. Eu tenho outras qualidades - o raciocínio rápido, um bom entendimento conceitual das coisas - mas me falta, literalmente, garra e força pra lutar.

Eu deveria focar nisso. Ao menos fortalecer essa mentalidade. Eu sinto que tenho uma tendência ao desânimo e à desistência.

Outra coisa que eu pensei diz respeito à estrutura psicológica dos seres humanos e também, de modo especial, ao reboot.

Há uma parte de nós que quer, literalmente, continuar a consumir pornografia. Outra parte quer se livrar do vício. As duas partes convivem no mesmo corpo, o tempo inteiro juntas, 24 horas por dia.

A nossa parte que quer continuar no vício precisa encontrar, criar ou inventar justificativas, de modo a poder continuar tendo o que quer. Ela não liga pras consequências, e não assume as responsabilidades. Ela só quer mais porn. Então ela começa suas falas.

"Eu não tenho vida sexual. Vamos consumir pornografia, pois do contrário, eu não saberia o que é um orgasmo, ia virar um monge celibatário, coisa que eu nunca quis ou planejei pra minha vida". É o argumento específico que me vem a mente.

Sabem, essa questão realmente me incomoda muito. E amigos, se me incomoda muito, é porque evidentemente há algo de muito errado na minha expressão sexual. Em suma, é um desafio que eu preciso enfrentar, e que muito já me desgastou ao longo da vida. Mas a questão não é essa.

A questão é que eu preciso ajustar a minha mente para os meus objetivos. Parar de ver pornografia, nada mais. Eu afundei tanto nessa merda que eu percebo a importância fundamental de ser simples nesse sentido. Parar de ver pornografia, nada mais.

Pois bem, são milhares de justificativas que podem vir à mente, para que continuemos no vício.

É preciso destruir cada uma dessas mentiras, amigos. Cada uma delas.

Algumas são muito profundamente enraizadas. Mesmo essas, é preciso desenterrar. Acho que não há outro jeito.

Acima de tudo, eu digo que tudo isso são PISTAS, pra quem sabe observar bem as coisas.

Eu, infelizmente, não estou com uma capacidade de observação boa no momento.

Ao contrário, eu estou DESEQUILIBRADO MESMO.

Só quero parar de ver porn.

Vou atualizar com frequência nos próximos dias.

Recomendo firmemente que prestem atenção aos seus pensamentos.

A queda acontece antes da queda. O ato de se masturbar é a concretização no corpo de um longo processo químico, elétrico, orgânico. Não sei qual o elo inicial da corrente, mas sem dúvidas UM PENSAMENTO - um flash, uma imagem, uma voz interior que diz: "quero porn!". São coisas que acontecem em segundos. Tais coisas são pistas essenciais e fundamentais, amigos. Pro bom observador, pra quem é atento, meio segundo é o suficiente.

Fico por aqui.

Excelente reboot para todos.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

Aliócha
Aliócha
Mensagens : 977
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

1/10/2022, 14:49
Eu tive um ataque de pânico ontem, enquanto tentava consumir pornografia - não consegui.

Por um momento achei que ia colapsar e "surtar", mas consegui recuperar o fio da sanidade.

É isso: a pornografia está afetando a minha saúde de um modo GRAVE.

O acontecido meu deu novo ânimo pra lutar. Já que agora, parece que a pornografia está colocando em risco a minha vida mesmo, literalmente.

Eu sei o que estou fazendo, claro que sei. Estou fazendo merda atrás de merda. E o custo está ficando tão alto que vou ser forçado a parar.

Forçado não é a palavra certa. Eu escolho parar. Porque prefiro parar de consumir pornografia do que me enforcar, ser internado, ou coisas do tipo, em função do vício.

Continuarei o reboot, amigos.

_______________________________________

soprano gosta desta mensagem

soprano
soprano
Mensagens : 75
Data de inscrição : 22/09/2022

Diário - Aliócha - Página 14 Empty Re: Diário - Aliócha

2/10/2022, 00:14
vierkenes escreveu:Eu tive um ataque de pânico ontem, enquanto tentava consumir pornografia - não consegui.

Por um momento achei que ia colapsar e "surtar", mas consegui recuperar o fio da sanidade.

É isso: a pornografia está afetando a minha saúde de um modo GRAVE.

O acontecido meu deu novo ânimo pra lutar. Já que agora, parece que a pornografia está colocando em risco a minha vida mesmo, literalmente.

Eu sei o que estou fazendo, claro que sei. Estou fazendo merda atrás de merda. E o custo está ficando tão alto que vou ser forçado a parar.

Forçado não é a palavra certa. Eu escolho parar. Porque prefiro parar de consumir pornografia do que me enforcar, ser internado, ou coisas do tipo, em função do vício.

Continuarei o reboot, amigos.

Fala vierkenes. Sei como tá mal a situação, espero que a mensagem te encontre bem. Cara, li as recentes passagens do seu diário e tive uma visão resumida da sua história. Já é um veterano aqui no fórum e eu o respeito e espero aprender com você, desse modo, acompanharei seu diário daqui pra frente. Também sinto muita adrenalina, mais do que o corpo pode aguentar, consumindo pornografia. Faz mal e ao mesmo tempo dá muito prazer, e por isso nos escraviza. É o vício mais difícil que eu já lidei, e olha que desde pequeno consegui vários vícios nocivos a minha saude. Se quiser, ou precisar, pode contar comigo. Gostaria de te ver bem e não pare de publicar no diário ou se desanime com a vida, você fará falta caso se afastar do fórum por poucos dias que sejam. Torcendo por você, cara. Bora pra frente.
Ir para o topo
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos