Ir para baixo
avatar
TentandoParar
Mensagens : 1
Data de inscrição : 30/09/2021

Tentando Parar  Empty Tentando Parar

30/9/2021, 10:31
Tenho 19 anos, sou estudante universitário.

Meu acesso à p começou quando eu tive acesso a internet, com 11/12 anos, por meio de contos eróticos e depois o visual propriamente dito. Começou como uma curiosidade, eu não sabia bem o que era sexo, também não me tocava que aquela sensação boa que sentia ao ler/ver aquilo era prazer sexual. Nessa mesma época eu ejaculei pela primeira vez e comecei descobrir que as duas coisas estavam associadas.

Quando fui para a p, eu via imagens, e depois vídeos. No início, heterossexual. Só que eu passei a ter mais atenção nos atores, homens, daí fui procurar p homossexual. Nessa época eu me toquei que ninguém escolhe sexualidade, só que eu estava muito confuso e achava que o desejo pelo sexo oposto viria com o tempo.

Nessa época eu passava por muitas dificuldades na família, na escola, em casa estávamos beirando a necessidade financeira e na escola eu não tinha amigos, sofria bullying, me achava muito feio, com 13/14 anos eu já estava depressivo, pensando em me matar. Atração pelo mesmo sexo era, na época, para mim, a cereja do bolo de tanta desgraça. Quando eu lembrava da rejeição a essas pessoas eu ficava mais amargurado ainda.

Ao longo dos anos o consumo de p e a prática de m foram aumentando, passei a fantasiar com homens mais velhos que eu conhecia, até hoje eu não sei se alguém já me viu/descobriu que eu fazia isso mas eu creio que sim, só varreram para debaixo do tapete. Eu tinha (tenho) medo de ser mais rejeitado ainda, até hoje tenho baixa autoestima, essas coisas. Além da depressão eu desenvolvi ansiedade (desencadeou um tremor nas mãos que todo mundo nota, isso me deixa muito triste pois até em um emprego eu fui prejudicado), além disso suspeito ter TEA, pois tem casos na família e eu tenho alguns sintomas. Isso já me prejudica nesse contato mais íntimo, olho no olho, essas coisas. Eu não sou tímido em público, mas fico nervoso quando fico a sós com alguém (em um nível acima do normal, não me sinto confortável de forma alguma), quando preciso olhar nos olhos de alguém.

Em todos esses anos já cheguei a praticar m umas cinco, seis vezes no mesmo dia, por influência da p principalmente. Só que, até o ano passado, eu não me dava conta de que ela realmente influencia o sexo real. Tive minhas primeiras experiências sexuais nos últimos 2 anos (quando fiz 18). Considero todas fracassadas.

Na primeira eu conheci uma pessoa por aplicativo, marcamos um encontro, mas além da pessoa ser muito exagerada (fazia caras e bocas, achei até engraçado depois), eu estava nervoso, não consegui ficar excitado, foi tudo muito estranho no final, não ejaculei. Minha segunda experiência foi com outra pessoa que também conheci pela internet, dessa vez ele era mais compreensivo, mas eu fui passivo, e não gostei, mesmo quando parou de doer, não gostei, não senti nada demais e também não cheguei ao orgasmo. Na minha terceira vez foi sexo oral, outra pessoa que conheci pela internet fez em mim. O problema é que logo de cara a pessoa perguntou se eu estava nervoso (isso me deixou mais nervoso) porque eu tremia as mãos, senti que não fiquei excitado ao máximo só por causa dessa pergunta. Notei também que essas pessoas (o segundo não) esperavam que eu tivesse uma performance espetacular mesmo eu dizendo ser inexperiente, porque até elas também provavelmente são influenciadas por p (a maioria dos homens são).

Essas experiências frustradas me jogaram numa crise de identidade, eu fiquei me perguntando: será se eu realmente gosto de homens? Ao ponto de ter uma vida sexual só com eles? Tudo também me atrapalhou, talvez o vício em p e m que me fez criar muitas expectativas, a minha ansiedade, a insegurança com o meu corpo (me acho feio sem roupa), o tamanho do meu membro, a suspeita de ter TEA, enfim, acho que tudo contribuiu para isso.

De todos os anos de p e m acho que o máximo que consegui ficar sem foram 6/7 dias, atualmente estou há 2 dias sem praticar e pretendo bater esse recorde, ficar 8 dias sem. A luta aqui é mais complicada pois vou ficar sem sentir prazer, por causa da pandemia voltei a minha cidade natal (pequena) e como não sou "assumido" (tudo no sigilo e com descrição kkkk) não me sinto seguro nem confortável em tentar algo com ninguém.

Josuez gosta desta mensagem

Josuez
Josuez
Mensagens : 1279
Data de inscrição : 15/07/2018
Idade : 19
Localização : DF

Tentando Parar  Empty Re: Tentando Parar

30/9/2021, 16:09
Olá, bem vindo ao fórum!!!! Li seu relato e me identifiquei um pouco com sua história. Enfim, sinta-se acolhido, nos atualize sobre suas batalhas e vitórias, e parabéns por reconhecer esse vício e querer mudar,jaja algum moderador irá te orientar melhor. Estarei acompanhando Wink!

_______________________________________




Meu diário  part 1: https://www.comoparar.com/t7653-relato-diario
Meu diário part 2:  
David Silva
David Silva
Mensagens : 3067
Data de inscrição : 20/01/2015
Idade : 36

Tentando Parar  Empty Re: Tentando Parar

1/10/2021, 09:16
Olá!
Seja bem vindo!
Você não teria possibilidade de fazer terapia com um (a) psicólogo (a)? Acho que seria bom para você organizar algumas coisas.
Mas eu acho que você deve ficar tranquilo. O dia que você encontrar uma pessoa que realmente você goste, o sexo vai ser fantástico. Tenha sempre calma, um passo de cada vez. Vamos agora erradicar esse vício? Pois ele não nos leva a nada,
Abração!

_______________________________________
Recordes:
Primeiro reboot - 90 dias em 2015
Segundo reboot - 114 dias em 2020
______
Início do meu diário:
1ª parte: https://www.comoparar.com/t206-reboot-de-david-silva
2ª parte: https://www.comoparar.com/t7812-reboot-de-david-silva?highlight=david+silva
(Porque ficou muito grande e foi separado pelo próprio fórum)

avatar
Freedom!
Mensagens : 14
Data de inscrição : 02/10/2021
Localização : DF

Tentando Parar  Empty Re: Tentando Parar

5/10/2021, 00:27
Seja bem-vindo ao fórum! Você é novo. Tem o mundo pela frente. Você identificou o problema com pornografia e masturbação relativamente cedo. Se puder procure ajuda profissional para te auxiliar melhor. Nós gays geralmente crescemos com alguns traumas. Eu também já passei por coisas semelhantes às que você relatou, mas é perfeitamente possível superar isso.
Te desejo força!
Forte abraço!
james_logan
james_logan
Mensagens : 193
Data de inscrição : 03/04/2020
Idade : 34

Tentando Parar  Empty Re: Tentando Parar

6/10/2021, 15:51
TentandoParar escreveu:Tenho 19 anos, sou estudante universitário.

Meu acesso à p começou quando eu tive acesso a internet, com 11/12 anos, por meio de contos eróticos e depois o visual propriamente dito. Começou como uma curiosidade, eu não sabia bem o que era sexo, também não me tocava que aquela sensação boa que sentia ao ler/ver aquilo era prazer sexual. Nessa mesma época eu ejaculei pela primeira vez e comecei descobrir que as duas coisas estavam associadas.

Quando fui para a p, eu via imagens, e depois vídeos. No início, heterossexual. Só que eu passei a ter mais atenção nos atores, homens, daí fui procurar p homossexual. Nessa época eu me toquei que ninguém escolhe sexualidade, só que eu estava muito confuso e achava que o desejo pelo sexo oposto viria com o tempo.

Nessa época eu passava por muitas dificuldades na família, na escola, em casa estávamos beirando a necessidade financeira e na escola eu não tinha amigos, sofria bullying, me achava muito feio, com 13/14 anos eu já estava depressivo, pensando em me matar. Atração pelo mesmo sexo era, na época, para mim, a cereja do bolo de tanta desgraça. Quando eu lembrava da rejeição a essas pessoas eu ficava mais amargurado ainda.

Ao longo dos anos o consumo de p e a prática de m foram aumentando, passei a fantasiar com homens mais velhos que eu conhecia, até hoje eu não sei se alguém já me viu/descobriu que eu fazia isso mas eu creio que sim, só varreram para debaixo do tapete. Eu tinha (tenho) medo de ser mais rejeitado ainda, até hoje tenho baixa autoestima, essas coisas. Além da depressão eu desenvolvi ansiedade (desencadeou um tremor nas mãos que todo mundo nota, isso me deixa muito triste pois até em um emprego eu fui prejudicado), além disso suspeito ter TEA, pois tem casos na família e eu tenho alguns sintomas. Isso já me prejudica nesse contato mais íntimo, olho no olho, essas coisas. Eu não sou tímido em público, mas fico nervoso quando fico a sós com alguém (em um nível acima do normal, não me sinto confortável de forma alguma), quando preciso olhar nos olhos de alguém.

Em todos esses anos já cheguei a praticar m umas cinco, seis vezes no mesmo dia, por influência da p principalmente. Só que, até o ano passado, eu não me dava conta de que ela realmente influencia o sexo real. Tive minhas primeiras experiências sexuais nos últimos 2 anos (quando fiz 18). Considero todas fracassadas.

Na primeira eu conheci uma pessoa por aplicativo, marcamos um encontro, mas além da pessoa ser muito exagerada (fazia caras e bocas, achei até engraçado depois), eu estava nervoso, não consegui ficar excitado, foi tudo muito estranho no final, não ejaculei. Minha segunda experiência foi com outra pessoa que também conheci pela internet, dessa vez ele era mais compreensivo, mas eu fui passivo, e não gostei, mesmo quando parou de doer, não gostei, não senti nada demais e também não cheguei ao orgasmo. Na minha terceira vez foi sexo oral, outra pessoa que conheci pela internet fez em mim. O problema é que logo de cara a pessoa perguntou se eu estava nervoso (isso me deixou mais nervoso) porque eu tremia as mãos, senti que não fiquei excitado ao máximo só por causa dessa pergunta. Notei também que essas pessoas (o segundo não) esperavam que eu tivesse uma performance espetacular mesmo eu dizendo ser inexperiente, porque até elas também provavelmente são influenciadas por p (a maioria dos homens são).

Essas experiências frustradas me jogaram numa crise de identidade, eu fiquei me perguntando: será se eu realmente gosto de homens? Ao ponto de ter uma vida sexual só com eles? Tudo também me atrapalhou, talvez o vício em p e m que me fez criar muitas expectativas, a minha ansiedade, a insegurança com o meu corpo (me acho feio sem roupa), o tamanho do meu membro, a suspeita de ter TEA, enfim, acho que tudo contribuiu para isso.

De todos os anos de p e m acho que o máximo que consegui ficar sem foram 6/7 dias, atualmente estou há 2 dias sem praticar e pretendo bater esse recorde, ficar 8 dias sem. A luta aqui é mais complicada pois vou ficar sem sentir prazer, por causa da pandemia voltei a minha cidade natal (pequena) e como não sou "assumido" (tudo no sigilo e com descrição kkkk) não me sinto seguro nem confortável em tentar algo com ninguém.

Seja bem vindo meu irmãozinho...

Tenho certeza de que se você está aqui, é porque já viu que a P é um problema sério e está disposto a parar... Parabéns, você está no caminho!!!
O que eu posso garantir pra você, é que praticamente todos os conflitos mentais que você está vivendo se auto-resolverão quando você erradicar a P da sua vida...

A sexualidade está ligada diretamente ao sentimento de culpa, ou seja, nós nos sentimos culpados o tempo todo por estamos imersos nessa compulsão... Resolvendo isso e se perdoando e aceitando, automaticamente sua auto-estima vai melhorar, o seu foco vai melhorar por não estar submerso a pensamentos em P, sua atenção e memória também... O sentimento de vazio vai desaparecer, pois você não pensará mais em P e não se verá mais como um escravo... A liberdade está aí brother, é só darmos alguns passos (inicialmente 90 dias) e pega-la...

Te desejo força...

_______________________________________
James Logan




Meu diário
https://www.comoparar.com/t10316-diario-do-logan

Recordes:
01-04-2020 a 10-06-2020 -> 70 dias
10-08-2020 a 16-10-2020 -> 67 dias
08-05-2021 a 15/06/2021 -> 37 dias
23/09/2021 a 18/10/2021 -> 25 dias
01/11/2021 a ...
Ir para o topo
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos