Ir para baixo
Siegfried
Siegfried
Mensagens : 3
Data de inscrição : 13/07/2022

Diário Siegfried - 17/07/2022 Empty Diário Siegfried - 17/07/2022

17/7/2022, 02:17
Meu nome é Erik Siegfried tenho 17 anos, meu sobrenome vem da família do meu pai que é sueca. Nasci e cresci aqui no Brasil, mas sempre tive dificuldades com o português, porque minha familia(meus pais, minha irmã e meus 2 irmãos) sempre conversam em sueco, na infancia/adolescencia assistia desenhos suecos, só consumia conteúdo sueco, e também porque já morei 3 anos na Suécia e todo ano eu viajo pra lá passar alguns meses com meus parentes.

   Devido essa dificuldade no português, eu as vezes falava de forma muito errada, trocava as ordens das palavras, não sabia conjugar e me embolava o tempo todo. O que na escola acarretou em bullyng severo, eram piadas bobas mas que para mim na época me magoava e eu levava muito a sério, nunca gostei de brincadeiras porque não sou muito da cultura brasileira. E essa minha fragilidade apenas incentivava os alunos a continuar, eles todos os dias me davam apelidos diferentes e isso foi só piorando, chegando num ponto que começavam a me bater.

As agressões só pararam quando fiz 13 anos pois comecei a crescer muito, o que intimidava mas eu continuava sendo vítima de piadas e zoação intensa, e devido a isso ninguém queria andar comigo, e apesar de não ser muito feio e ter olhos claros as garotas da escola me desprezavam.


Não quero descrever as humilhações que passei no ensino fundamental mas isso me fez sofrer muito e ter diversos traumas e distúrbios, acabei desenvolvendo ansiedade social intensa, pensamentos suicidas(com apenas 9 anos) e mais dificuldade ainda de me comunicar.


E apesar do bullyng não acontecer mais no ensino médio, eu sou solitário não tenho amigos porque sempre tive medo de não saber me expressar direito, fico com medo das pessoas me julgarem, não consigo andar na rua sem achar que todos estão olhando pra mim e me julgando de esquisito. Sei que é irracional mas sinto muita tensão com isso, e começo a suar quando estou em público.


Desenvolvi também um problema horrível, não consigo me levar a sério, eu penso que as pessoas não vão levar a sério o que eu estou dizendo e vão apenas rir. Por causa disso, eu sempre contava coisas tentando fazer as pessoas rirem porque eu só sirvo pra isso, e nunca consegui ter uma conexão profunda com alguém e ser autêntico.


E ninguém acredita que nunca beijei na boca e ainda sou virgem, até porque sou meio bonito e tenho 1,97m de altura, e evito contar porque sei que vou ser zoado. E sempre quando aparece oportunidades, eu deixo minha insegurança tomar conta de mim e estragar tudo


E pra fugir dessa realidade terrivel me apeguei ao PMO aos 9 anos, eu chegava a me masturbar 3 vezes por dia e comecei a consumir conteúdo pesado, o que só piorou e criou mais problemas. Acredito que devido esse vício eu desenvolvi problemas como: não consiguir conversar, não tenho auto-confiança, deficit de atenção, muita preguiça, baixa testosterona e etc. Quero reverter esses problemas porque não aguento mais.

Conheci o nofap em 2018 através do AlphaSpirit, já alcancei 15 dias, hoje estou 3 dias de nofap e quero continuar rumo aos 30 dias. Vou relatar todos os dias e desculpa erros de portugues porque não sei falar muito bem portugues, me perco todo e fico com ansiedade digitando
avatar
jean
Mensagens : 189
Data de inscrição : 29/06/2022
Idade : 27

Diário Siegfried - 17/07/2022 Empty Re: Diário Siegfried - 17/07/2022

17/7/2022, 07:14
Seja bem vindo Erik vamos caminhar juntos
Tudo na sua vida vai mudar

_______________________________________
TITÃENJAULADO
TITÃENJAULADO
Mensagens : 191
Data de inscrição : 23/06/2022
Idade : 34

Diário Siegfried - 17/07/2022 Empty Re: Diário Siegfried - 17/07/2022

17/7/2022, 11:23
Siegfried escreveu:Meu nome é Erik Siegfried tenho 17 anos, meu sobrenome vem da família do meu pai que é sueca. Nasci e cresci aqui no Brasil, mas sempre tive dificuldades com o português, porque minha familia(meus pais, minha irmã e meus 2 irmãos) sempre conversam em sueco, na infancia/adolescencia assistia desenhos suecos, só consumia conteúdo sueco, e também porque já morei 3 anos na Suécia e todo ano eu viajo pra lá passar alguns meses com meus parentes.

   Devido essa dificuldade no português, eu as vezes falava de forma muito errada, trocava as ordens das palavras, não sabia conjugar e me embolava o tempo todo. O que na escola acarretou em bullyng severo, eram piadas bobas mas que para mim na época me magoava e eu levava muito a sério, nunca gostei de brincadeiras porque não sou muito da cultura brasileira. E essa minha fragilidade apenas incentivava os alunos a continuar, eles todos os dias me davam apelidos diferentes e isso foi só piorando, chegando num ponto que começavam a me bater.

As agressões só pararam quando fiz 13 anos pois comecei a crescer muito, o que intimidava mas eu continuava sendo vítima de piadas e zoação intensa, e devido a isso ninguém queria andar comigo, e apesar de não ser muito feio e ter olhos claros as garotas da escola me desprezavam.


Não quero descrever as humilhações que passei no ensino fundamental mas isso me fez sofrer muito e ter diversos traumas e distúrbios, acabei desenvolvendo ansiedade social intensa, pensamentos suicidas(com apenas 9 anos) e mais dificuldade ainda de me comunicar.


E apesar do bullyng não acontecer mais no ensino médio, eu sou solitário não tenho amigos porque sempre tive medo de não saber me expressar direito, fico com medo das pessoas me julgarem, não consigo andar na rua sem achar que todos estão olhando pra mim e me julgando de esquisito. Sei que é irracional mas sinto muita tensão com isso, e começo a suar quando estou em público.


Desenvolvi também um problema horrível, não consigo me levar a sério, eu penso que as pessoas não vão levar a sério o que eu estou dizendo e vão apenas rir. Por causa disso, eu sempre contava coisas tentando fazer as pessoas rirem porque eu só sirvo pra isso, e nunca consegui ter uma conexão profunda com alguém e ser autêntico.


E ninguém acredita que nunca beijei na boca e ainda sou virgem, até porque sou meio bonito e tenho 1,97m de altura, e evito contar porque sei que vou ser zoado. E sempre quando aparece oportunidades, eu deixo minha insegurança tomar conta de mim e estragar tudo


E pra fugir dessa realidade terrivel me apeguei ao PMO aos 9 anos, eu chegava a me masturbar 3 vezes por dia e comecei a consumir conteúdo pesado, o que só piorou e criou mais problemas. Acredito que devido esse vício eu desenvolvi problemas como: não consiguir conversar, não tenho auto-confiança, deficit de atenção, muita preguiça, baixa testosterona e etc. Quero reverter esses problemas porque não aguento mais.

Conheci o nofap em 2018 através do AlphaSpirit, já alcancei 15 dias, hoje estou 3 dias de nofap e quero continuar rumo aos 30 dias. Vou relatar todos os dias e desculpa erros de portugues porque não sei falar muito bem portugues, me perco todo e fico com ansiedade digitando

Siegfried, o grande! Me identifico com você pois me coloquei aqui como Titã, apesar de ser mais de 10cm menor do que vc em altura. Preciso lhe dizer algumas coisas. Me apresento. Sou Titã, pseudônimo que arrumei por conta de excesso de detalhes sobre minha vida que expus, e tenho 34 anos, o dobro de sua idade, como pode perceber, mais do que o dobro de motivo pra sofrer pelo tempo perdido com essa porcaria. Acredite. Ao chegar na minha idade você não se culpará por ser virgem aos 17, pois eu joguei no lixo 17 anos mais do que você com uma vida medíocre e estamos aqui, buscando a cura juntos. O tamanho todo da sua vida até aqui eu joguei no lixo, sendo que na sua idade eu já sofria há 5 anos. Não é incrível e poética a vida? Não é incrível que eu tenha rigorosamente o dobro da sua idade e simbolicamente, uma vida inteira da sua a mais, e alguma experiência pra trocar, ainda que sobre meus fracassos, pra você não repetir?

Tenho um diário enorme, em que narro todas as fases da minha vida, inclusive a que você vive (perdi a virgindade somente na sua idade também). Seu diário me foi muito especial porque eu vi que apesar de o meu diários estar muito completo, eu deixei de dar muitos detalhes por lá, inclusive sobre o Bullying que sofri no ensino fundamental, então, possivelmente, no futuro eu atualize. No ensino médio eu aproveitei e consegui me adequar um pouco mais socialmente, embora longe do ideal, então foi o lance da virada, mas acredito que vc tenha sofrido mais do que eu no fundamental e já chegado muito mais machucado no ensino médio. De toda forma, sobre isso, preciso te falar algumas coisas que acho que podem ser muito construtivas.

Como você percebeu, com a chegada do ensino médio, os problemas diminuíram. Comigo também foi assim, e não foi à toa. As pessoas amadurecem e as boas pessoas começam a ver diferenças como coisas construtivas e atraentes (sejam estéticas, intelectuais, de cultura, etc). Lembro-me de um menino acima do peso, da minha turma no ensino médio, que apelidaram sim, mas de forma carinhosa, e todos amavam ele, de uma forma diferente do que amariam no fundamental.

Para além disso você provavelmente teve outra grande problemática que foi a pandemia que te isolou quando você podia conseguir alguma coisa, ou se desenvolver, em anos importantes do ensino médio. Wow. Bola pra frente. Todo mundo aqui sofreu de formas diferentes e sua geração escolar foi assolada por isso. Agora, vamos lá.

Quando cheguei no ensino médio o que fiz basicamente foi criar um personagem. Virar uma chavezinha. Eu joguei no lixo todo meu passado e virei um novo eu. Eu me posicionava diferente, fazia as coisas de foram diferente, procurava ser divertido (seu bem o que é zoar a si próprio para que não façam isso, ser autodepreciativo), enfim. Fui passando por estas fases igual você.

Você claramente reconhece que seus quase 2 metros sejam uma vantagem, reconhece sua beleza, e provavelmente, sua única trava é justamente não conseguir desenvolver diálogos por falta de segurança. Aqui, dos meus 34 anos, eu te digo que se você mudar sua postura, as meninas irão se derreter por um perfil como o seu. Com mais idade, então, nem se fala.

As pessoas são todas iguais, mas amam coisas diferentes. Uma eventual mulher mais experiente, acredite, vai amar um "Sueco" no currículo dela. Sua diferença com certeza é um enorme charme. Não se preocupe em falar uma língua que não é a que você se sente confortável da forma extremamente correta. A fase do ensino fundamental, embora tenha moldado sua mente de forma perversa, passou. As crianças reagem aprendendo por assimilação, com o que é igual, querem se integrar em grupos, e vão "zoar" o que é diferente por imaturidade mesmo, algumas inclusive só por impulso de ir com as outras justamente pra se adequar ao grupo "legal" da escola porque eram igualmente frágeis.

De qualquer forma, só você pode curar as feridas que existem aí. Ir em psicóloga é essencial. Ler com carinho palavras de pessoas mais experientes por aqui, como as minhas, também é interessante (e perceba que nem entramos ainda no assunto do PMO. Minha resposta provavelmente será maior que sua postagem por enorme identificação).

Sei que essas coisas não são fáceis. Eu tenho um gatos seguros, e um muito assustado. O assustado recebe carinho há anos, mas provavelmente ele apanhou na rua. Isso faz parte do registro sensorial dele. Provavelmente é irreversível e tudo que posso fazer é deixar ele tentar se sentir o mais seguro e feliz possível. Nós, humanos, felizmente, embora por vezes muito difícil, somos passíveis de reversão, sabia?

Imagino o choque cultural entre Suécia e Brasil, entre sua educação e a nossa, hábitos, etc. O Brasileiro realmente tem suas vantagens e desvantagens nesta falta de respeito, mas você encontrará cada vez pessoas mais amáveis e caberá somente a você se curar. Aceite, na vida adulta, a fraternidade dos brasileiros com carinho. Se você abrir a guarda pras pessoas certas, certamente você virará um figurão muito amado e diferenciado entre todos. Imagino inclusive alguns apelidos que você tenha tido, pelo seu perfil, e por ser Brasileiro, mas agora, se alguém te chamar de "Big Erik", será realmente " O grande Erik", ou "O amigo grandão".

Ah. Se eu fosse você, eu editaria seu nome aqui. É um nome muito específico no Brasil. Tente colocar um apelido, e editar seu tópico apenas falando que tem nome sueco, e tal, que tal?

Continuando, este personagem, "gringo" na vida adulta, é um perfil profundamente charmoso. Conheço mulheres que se derretem e você tem que tomar cuidado é pra, em breve, não engravidar nenhuma kkkkk. Elas vão querer casar com você. Já vai passar intelectualidade, sofisticação, etc. O homem Europeu é um perfil que as mulheres Brasileiras, sobretudo algumas bem interessantes, possuem atração. Os africanos também, sob outro prisma, mas eu sou quase negro, e digamos que isso seja mais "comum" aqui, então, é um pouco mais do mesmo.

Você escreve muito bem, meu bom rapaz. Não se preocupe com isso. Não é um problema. Tenho vasta experiência com leitura, e bons olhos, e formação acadêmica (embora isso não importe muito) e você possui uma escrita muito boa. Eu, na verdade, não estava buscando erros em sua escrita e inclusive não busco nem na minha pois aqui escrevo sempre rapidamente e muito empolgado com o tema, principalmente quando sinto que posso estar ajudando em alguma coisa, mas não lembro de ter encontrado nenhum erro no seu texto em PortuguÊs, e suas desculpas no final deixaram sua insegurança realmente nítida. Você deve pedir quase desculpa por existir. Precisa de fato de um excelente profissional para ajudar a reverter tudo, psicólogo, e, principalmente, experiências novas e zeradas como personagem que não carregue essas dores.

Você já pensou em brincar com o perfil misterioso? Você pode frequentar vários ambientes diferentes e ser "uma pessoa em cada um deles". Não digo pra você ser falso, nem nada disso, mas pra descobrir quem você é, você entende o que quero dizer? Você não é esse gato acuado e medroso, então isso também não é sua verdade. Afinal de contas, qual é sua verdade? Quem é você?

Você parece ser uma pessoa que tem algum conforto financeiro, mas ainda que não tivesse, isso não seria problema: procure cursos diferentes uns dos outros. Comece do zero em cada lugar e se porte de forma diferente em todos eles. Descubra quem você é, veja as receptividades, e lembre-se de em, pelo menos, algum deles, ficar totalmente à vontade e ser EXATAMENTE o que você gostaria de ser. Se quiser ficar quieto, fique. Você não precisa agradar ninguém. Se você for prático e direto demais, seja! Se gostar de games, descubra quem goste. Se falar alto, fale! Se falar baixo, fale! Enfim. Descubra. O máximo que pode acontecer e acharem você esquisito, mas eu vou te contar um segredo que você já sabe: não dá pra agradar todo mundo. Eu no seu lugar tentaria fazer um curso de teatro, sabia? Acho que você pode ser muito bem e se divertir muito e conseguir ótimos personagens e que as pessoas vão amar contracenar com você. Acho que você pode se soltar. Enfim. A diferença é uma delícia. Pensa nisso e depois me conta?

Sou genuinamente brasileiro e ainda assim tenho cerca de (estimativa minha) 50% que vão com minha cara, 25% neutros, e 25% que não gostam do meu jeito. Você quer agradar 100%? Não vai conseguir. A escola fundamental passou, e você, literalmente, era um alvo maior do que os outros. Só isso. Hoje as pessoas da minha escola fundamental, te confesso com arrogância, todos que me zoavam com mais intensidade, claramente são pessoas limitadas intelectualmente ou se desenvolveram de forma medíocre. A grande maioria. Pelo menos os idealizadores, que precisavam se sentir superiores por zoação. A fraqueza deles já estava ali. Confesso que já pratiquei também bullying mas quando percebia parava imediatamente, mas nunca com coisas que fugiam ao controle das pessoas, como estética, enfim.

Bom, já falei demais e é possível que este post fique muito longo, mas achei necessário. Já que você é muito ansioso, lembre de não romper seus limites nos começos de suas atividades novas, ou seja, se respeitar, e não romper as propostas. Por exemplo, se for alguma aula e você ainda não estiver à vontade para começar, peça ao profissional que lidera para assistir, diga que ainda não está seguro em começar, e veja o que ele faz. Pode ser que te estimule, pode ser que te permita assistir, e se ele for insensível, mude de curso ou de lugar onde está. Muitas pessoas são amáveis e compreensivas. Se não quiser dar detalhes, assuma que é timido e um pouco ansioso. Isso não é vergonha. Eu não assumia minha ansiedade e tenho o perfil afobado, então começava as coisas sendo um exibicionista louco que ficava nervoso com a exposição e apesar de isso ser engraçado pra alguns, pra outros, eu era julgado como o aparecido ou "forçado" e eles tinham razão. Eu era fruto e resultado da minha ansiedade, enfim. Se eu pudesse te dar um conselho seria tentar se respeitar ao máximo e dar passos lentos, mas sempre rumo ao seu progresso.

Uma coisa que achei bem bacana em você é a autoconsciência. Você entende a origem de muitas coisas, se vê como alguém que tem suas qualidades estéticas, percebe sua vida e nota o que trouxe problemas de forma técnica e analítica e a única questão que percebi neste texto preliminar, na prática, foi sua autoestima comprometida mesmo.

Sobre o PMO que você precisa abandonar, sim, precisa, e falarei pouco e resumidamente sobre isso. Falarei a coisa que acho principal falar pra um cara da sua idade:
Eu até hoje estou tentando e dessa vez sei que vou conseguir porque tenho motivos especiais pra isso, no entanto, na sua idade, eu cometi erros grosseiros, ou até depois de sua idade: o principal foi não aderir e ficar pra sempre nestas comunidades, como esta, ainda que fracassando, pois certamente, apesar de ser mais cansativo, eu teria MUITO , MUITO mais força. Abandonar é um erro.

Mas a principal coisa que eu te digo é o seguinte: na sua idade eu não conseguia SEQUER COGITAR ficar sem pornografia pra sempre. Eu tão viciado e tão quase apaixonado pelas imagens, atrizes, e lançamentos que viriam pra eu assistir, simplesmente não imaginava uma vida sem PMO pra sempre. Na verdade eu nem tinha aos 17 o conhecimento técnico sobre o problema, embora notasse algo errado, mas minha meta nunca tinha sido ABANDONAR PRA SEMPRE. Minha meta era somente largar por um tempo e talvez ver de mês em mês, depois de três em três meses, depois pensei em ver uma vez por semestre, depois pensei em uma vez por ano, mas ABANDONAR PRA SEMPRE, eu só estou conseguindo pensar nisso agora.

Parece que é uma parte essencial da nossa vida, né? O que nos mantém vivos. A única coisa com a qual temos ligação. Sobre isso, então, meu caro, meu conselho é: EU NÃO GANHEI ABSOLUTAMENTE NADA COM ESSE VÍCIO E ESSA PRÁTICA DURANTE ESTES 22 ANOS DE VÍCIO E ME ARREPENDO MUITO AMARGAMENTE POR TER DESTRUÍDO MINHA VIDA E NÃO LARGADO RADICALMENTE ISSO AOS 15, 16, 17. Eu no auge dos hormônios NEM COGITAVA isso e o conselho mais precioso que te dou é: NÃO TENHA MEDO DE SER ABSOLUTAMENTE RADICAL E NUNCA, EU DISSE NUNCA MAIS VER ISSO.

Naturalmente seu cérebro vai percorrer caminhos pra realizar sua primeira conquista amorosa, e cuidado pra não se empolgar demais, como eu disse, kkkkkk. A vida te dará muitas mulheres.

Ah! pra finalizar, eu aos 17 também achava que estava muito tarde e hoje, eu ter perdido a virgindade aos 17 é só um dado técnico. Bobagem! Você vai ver daqui há um tempo que estava só no começo e quem fez antes de você não necessariamente é melhor. Contando que vc pudesse ter feito, por exemplo entre os 13 anos e os 60, de forma razoável, se mntiver sua saúde, quantos % da sua vida sexual são 4 anos ? Pouquíssimos. Há muito ainda. Essa fixação estatística é muito perigosa e, acredite, meninos e meninas da sua idade mentem e hoje vejo que muitos perderam sim com 17, e eu nem sabia. Todos querem parecer descolados e o Brasil é só um recorte do mundo, muito "atiradinho". Em outras culturas pessoas perdem virgindade depois do casamento, etc. Tudo é a visão do recorte onde você está, e tente se ver de uma forma muito, mas muito especial.

Parabéns pela sua escrita. Você parece um cara incrível! Vê se não some. Abraço

_______________________________________
Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation  Exclamation
___________
sunny  Meu diário biográfico sobre a PMO é longo Rolling Eyes  e detalhado farao , mas você pode se identificar muito, ver que sua situação não é tão ruim quanto parece tongue , ou, caso seja tão intensa quanto a minha, ver que não tá sozinho I love you . Segue abaixo:


____________

1988 / 34a / Hetero em rótulo / Disposto a ajudar / ser ajudado por pessoas de todas naturezas sexuais e idades.



(RECORDE: 9 DIAS E 23 HORAS)
Ir para o topo
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos