Ir para baixo
Ortega
Ortega
Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/08/2022
Idade : 37

Diário do Ortega Empty Diário do Ortega

30/8/2022, 10:55
Bom dia,

Sou o Fulano De Tal, mas podem me chamar de Ortega, pois é mais fácil de lembrar e de pronunciar.

Tenho 37 anos, sou casado a quase uma década, pai razoável, marido não tão bom e profissional bastante ruim.

Beirando a meia-idade, encontro-me envolto em um emaranhado de problemas dos quais não consigo me desvencilhar, sendo que a PMO parece ser a fonte da maioria deles.

Tal qual quase todos os colegas de fórum, acabei sendo introduzido no mundo da PMO no início da adolescência, bem na época da transição da fita VHS para o DVD e da internet discada para a banda larga.

Convivi quase toda minha vida muito bem com esse tipo de conteúdo, nunca considerando que pudesse me tornar adicto a ele, porém, há cerca de quatro ou cinco anos, perdi totalmente o controle e me tornei refém dos meus impulsos mais desprezíveis.

Essa derrocada se iniciou com a utilização da PMO como subterfúgio para tentar tornar um pouco mais suportável a frustração profissional e, principalmente, sexual, com a qual convivo a bastante tempo.

Como já referi, estou casado a quase uma década e, apesar disso, desconheço completamente os gostos e preferências da minha esposa na cama. Somos praticamente dois seres assexuados dormindo um ao lado do outro todas as noites.

Infelizmente não posso dizer que essa condição surgiu devido ao longo tempo de relacionamento, pois sempre foi assim, desde o início do namoro. Tinha alguma esperança de que, com o passar do tempo, talvez as coisas melhorassem, mas só foram piorando e piorando.

Profissionalmente, cheguei em um estágio de carreira que consigo ter algum conforto material, mas odeio e não acredito no que faço, sendo uma verdadeira tortura levantar todos os dias para exercer uma atividade tão precária quanto a que exerço.

Meio que inconscientemente, para fugir dessa realidade degradante, comecei a frequentar salas de bate-papo na internet, onde construí, com uma habilidade quase demoníaca, uma vida paralela que passou a se tornar muito mais agradável e aceitável que minha vida real.

Nessa vida imaginária, consegui suprir minimamente minha insatisfação sexual, chegando a um ponto em que a PMO se tornou muito mais agradável do que as relações quase obrigatórias que esporadicamente mantenho com minha esposa. Igualmente, passei a utilizar essa válvula de escape para ajudar a diluir o tédio de uma jornada de trabalho incrivelmente desagradável.

Contudo, tal como ocorre com qualquer vício, a conta dessa fuga da realidade agora está cobrada e, infelizmente, o preço está sendo bastante alto, sendo que não estou conseguindo pagar a dívida.

Depois de muitos anos me valendo da PMO em doses quase diárias, comecei a falhar nas minhas relações, não conseguindo sustentar minimamente uma ereção.

Fosse apenas o aspecto físico, eu não ficaria tão preocupado. O que atormenta mesmo é que essa confusão entre a vida real e a vida imaginária se tornou tão grande que não consigo mais relaxar e aproveitar os poucos momentos em que tenho algum lampejo de vida íntima com a minha esposa.

Na hora, a cabeça começa a me levar para os lugares mais escuros da minha alma e transformam algo que deveria ser natural em um verdadeiro tormento, que invariavelmente transforma qualquer relação em frustração.

No trabalho, por mais que tente, não consigo vencer minhas obrigações. Protelar toda e qualquer atividade virou a regra e isso está acabando tanto com o conceito que os colegas a sociedade tem de mim como com a própria forma como eu me enxergo, e o pior é que não consigo me desvencilhar dessa rede de mentiras e mediocridade de forma alguma.

Já tentei inúmeras vezes esse e outros programas, sem sucesso. Usei bloqueadores, não usei bloqueadores, mudei táticas, criei diários, orei, meditei, tomei banho frio, tomei banho quente, fiz promessas e sempre fracassei, mas gostaria de tentar novamente para virar a chave e retomar as rédeas da minha vida.

luta diária, Abdul_Alhazred e rodrigomoraes gostam desta mensagem

Ortega
Ortega
Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/08/2022
Idade : 37

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

31/8/2022, 08:51
Consegui superar meu primeiro dia sem grandes impulsos e sem maiores dificuldades e agradeço a Deus por isso, bem como por conseguir desempenhar minhas atividades diárias com um mínimo de dignidade.

Essa facilidade que encontrei, porém, não me engana, e reconheço que é apenas fruto do desgaste físico dos dias anteriores e da novidade de ter começado nova tentativa de reabilitação, não significando muita coisa no contexto geral.

Pelas experiências de reboot que tive antes, acredito que as dificuldades começarão a partir de hoje, sendo nelas que tenho de concentrar meus esforços, pois tem momentos em que os impulsos se tornam quase animalescos e duradores, sendo difícil manter qualquer tipo de controle sobre a minha vontade. Eu quero é conseguir entregar minha alma na mão de Deus e esperar que nele eu encontre força para superar os obstáculos que vão surgir nos próximos dias.
Ortega
Ortega
Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/08/2022
Idade : 37

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

1/9/2022, 08:45
Sinto-me feliz por ter superado mais um dia longe da PMO. Não tive grandes desejos, fissuras ou coisa que o valha durante o dia que passou. Consegui colocar todo o foco do dia no ponto da vida onde estou sendo mais relapso, que é meu emprego, e com apenas dois dias trabalhando de verdade, já consigo perceber uma diminuição sensível na lista de afazeres atrasados.

Creio, contudo, que sustentar o sucesso do reboot apenas na produtividade do trabalho é algo temerário, pois existem dias que não é possível manter um grau de dedicação adequado para conseguir esquecer dos desejos imundos, sendo essa a primeira barreira que terei de superar para conseguir resetar meu cérebro e retomar minha dignidade.

Mesmo assim, dentro do possível e do momento, acho que estou com o mindset correto para vencer essa luta interna e superar esse mal que está destruindo meu corpo e minha mente.

luta diária e ShaneWolf gostam desta mensagem

ShaneWolf
ShaneWolf
Mensagens : 42
Data de inscrição : 30/08/2022

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

1/9/2022, 09:37
Vamos vencer esse mal meu querido, to acompanhado seu progresso...
Vai da tudo certo!

Ortega gosta desta mensagem

Ortega
Ortega
Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/08/2022
Idade : 37

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

2/9/2022, 09:34
Desde ontem a tarde, comecei a sentir forte a pressão. O tédio está me enforcando e não sei como sair dele. Quero controlar meus impulsos nem que seja só por hoje, mas está difícil.

luta diária e rodrigomoraes gostam desta mensagem

luta diária
luta diária
Moderador
Moderador
Mensagens : 1911
Data de inscrição : 07/04/2017
Idade : 45
Localização : Brasília

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

2/9/2022, 09:51
Olá irmão.
Se tiver como dar uma volta, ou ouvir uma música.
Faça de tudo pra não cair, pois o resultado já sabemos, e muito ruim.
Força aí pra você.

_______________________________________


QUANDO MEUS OLHOS FECHAREM QUERO TER A PAZ DE QUE DEI O MEU MELHOR!

Ortega gosta desta mensagem

Ortega
Ortega
Mensagens : 5
Data de inscrição : 30/08/2022
Idade : 37

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

2/9/2022, 11:16
luta diária escreveu:Olá irmão.
Se tiver como dar uma volta, ou ouvir uma música.
Faça de tudo pra não cair, pois o resultado já sabemos, e muito ruim.
Força aí pra você.

Olá amigo, tudo certo?
Obrigado pelo apoio! Acho que consegui superar a "bad vibe", pelo menos hoje pela manhã.
A ideia da música foi excelente. Agora estou embalado por "Salam Wreck - American Psycho II" e não pelo tédio.
Força para nós.

luta diária gosta desta mensagem

rodrigomoraes
rodrigomoraes
Mensagens : 56
Data de inscrição : 19/08/2022
Idade : 35

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

2/9/2022, 13:47
Ortega escreveu:
Desde ontem a tarde, comecei a sentir forte a pressão. O tédio está me enforcando e não sei como sair dele. Quero controlar meus impulsos nem que seja só por hoje, mas está difícil.

Sei o que está passando, procure se movimentar, gastar energia de alguma forma, corra, puxe ferro, faça algo, e procure não ficar sozinho.. ter contato com a natureza ajuda muito tb. Fique firme! Abraço!
Abdul_Alhazred
Abdul_Alhazred
Mensagens : 120
Data de inscrição : 09/01/2020

Diário do Ortega Empty Re: Diário do Ortega

16/9/2022, 00:30
Ortega escreveu:Bom dia,

Sou o Fulano De Tal, mas podem me chamar de Ortega, pois é mais fácil de lembrar e de pronunciar.

Tenho 37 anos, sou casado a quase uma década, pai razoável, marido não tão bom e profissional bastante ruim.

Beirando a meia-idade, encontro-me envolto em um emaranhado de problemas dos quais não consigo me desvencilhar, sendo que a PMO parece ser a fonte da maioria deles.

Tal qual quase todos os colegas de fórum, acabei sendo introduzido no mundo da PMO no início da adolescência, bem na época da transição da fita VHS para o DVD e da internet discada para a banda larga.

Convivi quase toda minha vida muito bem com esse tipo de conteúdo, nunca considerando que pudesse me tornar adicto a ele, porém, há cerca de quatro ou cinco anos, perdi totalmente o controle e me tornei refém dos meus impulsos mais desprezíveis.

Essa derrocada se iniciou com a utilização da PMO como subterfúgio para tentar tornar um pouco mais suportável a frustração profissional e, principalmente, sexual, com a qual convivo a bastante tempo.

Como já referi, estou casado a quase uma década e, apesar disso, desconheço completamente os gostos e preferências da minha esposa na cama. Somos praticamente dois seres assexuados dormindo um ao lado do outro todas as noites.

Infelizmente não posso dizer que essa condição surgiu devido ao longo tempo de relacionamento, pois sempre foi assim, desde o início do namoro. Tinha alguma esperança de que, com o passar do tempo, talvez as coisas melhorassem, mas só foram piorando e piorando.

Profissionalmente, cheguei em um estágio de carreira que consigo ter algum conforto material, mas odeio e não acredito no que faço, sendo uma verdadeira tortura levantar todos os dias para exercer uma atividade tão precária quanto a que exerço.

Meio que inconscientemente, para fugir dessa realidade degradante, comecei a frequentar salas de bate-papo na internet, onde construí, com uma habilidade quase demoníaca, uma vida paralela que passou a se tornar muito mais agradável e aceitável que minha vida real.

Nessa vida imaginária, consegui suprir minimamente minha insatisfação sexual, chegando a um ponto em que a PMO se tornou muito mais agradável do que as relações quase obrigatórias que esporadicamente mantenho com minha esposa. Igualmente, passei a utilizar essa válvula de escape para ajudar a diluir o tédio de uma jornada de trabalho incrivelmente desagradável.

Contudo, tal como ocorre com qualquer vício, a conta dessa fuga da realidade agora está cobrada e, infelizmente, o preço está sendo bastante alto, sendo que não estou conseguindo pagar a dívida.

Depois de muitos anos me valendo da PMO em doses quase diárias, comecei a falhar nas minhas relações, não conseguindo sustentar minimamente uma ereção.

Fosse apenas o aspecto físico, eu não ficaria tão preocupado. O que atormenta mesmo é que essa confusão entre a vida real e a vida imaginária se tornou tão grande que não consigo mais relaxar e aproveitar os poucos momentos em que tenho algum lampejo de vida íntima com a minha esposa.

Na hora, a cabeça começa a me levar para os lugares mais escuros da minha alma e transformam algo que deveria ser natural em um verdadeiro tormento, que invariavelmente transforma qualquer relação em frustração.

No trabalho, por mais que tente, não consigo vencer minhas obrigações. Protelar toda e qualquer atividade virou a regra e isso está acabando tanto com o conceito que os colegas a sociedade tem de mim como com a própria forma como eu me enxergo, e o pior é que não consigo me desvencilhar dessa rede de mentiras e mediocridade de forma alguma.

Já tentei inúmeras vezes esse e outros programas, sem sucesso. Usei bloqueadores, não usei bloqueadores, mudei táticas, criei diários, orei, meditei, tomei banho frio, tomei banho quente, fiz promessas e sempre fracassei, mas gostaria de tentar novamente para virar a chave e retomar as rédeas da minha vida.


Obrigado pelo relato, você escreve muito bem!

Acerca dos teus tormentos, percebe-se que vive um casamento infeliz, também a tua ocupação, isso coloca-te numa posição delicada, pois o estresse dessas causas, fazer-te usar o porno como válvula de escape, mas isso é um fato vulgar para ti com certeza.

O que posso falar é para colocar um antivírus com controle parental, o ideal seria que alguém de confiança pudesse ficar com guardião da bastilha, a fissura, que seria o aríete, não conseguiria derrubar o portão tão facilmente.

Não sei, já tentou ir ao psicólogo para ver se existe mais alguma coisa além desses estresses?

Tem alguma religião? Já frequenta alguma igreja? senão, pode-se tentar filosofia, eu gosto da estoica.

Já pensou em divórcio? e/ou mudar de profissão?

Tem ou tinha algum hobby?

Já chegou a ir ao psiquiatra alguma vez? Pergunto, pois os psiquiatras americanos por meio do DSM, iam colocar no DMS-V o transtorno hipersexual, que é um padrão de comportamento que envolve preocupação intensa com fantasias e comportamentos sexuais que causam angústia, são usados de forma inadequada para lidar com o stress, não podem ser restringidos voluntariamente e podem causar danos a si mesmo ou a terceiros.

Eu tenho depressão, ansiedade, quando tomava Inibidores seletivos de recaptação de serotonina, ISRSs, eu perdia um pouco a libido, demorava mais para ejacular também.

Bem, espero que o que tenha dito seja-te útil de alguma forma.

Abraço, torço para que venças este vício, e tenhas o controle da tua vida novamente.
Ir para o topo
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos