Ir em baixo
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 15/2/2020, 01:25
Obrigado, caro justiceiro! Andei dando uma lida em seu diário, e em breve aparecei lá pra dar um pitaco!

Dia 48 do reboot

...

Me considero uma pessoa gravemente doente, e me pergunto como cheguei aos 48 dias longe disso. Estou questionando todos os dias a minha capacidade de viver longe disso, e a minha resposta é que minha sobriedade é extremamente frágil. Posso muito facilmente retornar pra vida que tinha antes. O que me leva a crer que as mudanças não foram tão efetivas assim.

Estou me drogando muito esses dias todos. Tecnicamente, embora eu tenha um certo controle de minha vida, sou um alcoólatra. Ou meio alcoólatra. Tô com um copo cheio de "pitu" pura na mão, na calçada da rua e sozinho, depois de ter tomado muitas cervejas e um ácido que deu um efeito fraco.

Minha relação com o álcool não chega a destruir minha vida, mas tô sentindo que a coisa não tá se encaminhando bem. Não me sinto nem um pouco preparado pra ficar longe dessa muleta. Mas preciso moderar. Sinto isso.

Tô com catarro e fumando adoidado. Com pouco respeito pelo meu corpo. O cigarro me oprime bastante.

São vários vícios, o que mostra que algo em minha vida está muito errado. Me sinto profundamente oprimido. Me sinto meio louco. Totalmente castrado. Meio morto por dentro.

E 48 dias longe de porn. Isso é uma ironia.

De todos os meus vícios, o em porn foi o que mais me machucou. Então sigo firme e forte. Meu ponto fraco, como vocês sabem, é a sexualidade. Se ela é profundamente ferida, não vou terminar de dar a facada final e mortífera - que é o porn.

Embora admita que eu cairia agora. Até posso, visto estar com o celular e saber de uma brecha, a qual encaminhei pra equipe do spin. E não tenho a mínima ideia se eles receberam minha contribuição. Não responderam o e-mail, e eu não vou conferir pra saber da situação.

Estou com receio de estar afundado no álcool. Isso é foda.

Mesmo com sérios problemas, me sinto capaz de trabalhar. Ia distribuir mais currículos, mas fui me drogar, ao inves disso. Não resisti a uns bons baseados e duas gotas de ácido, que estavam fracas.

Acabei de me mudar, mas já vi que não vai dar certo. Agi de forma precipitada e por camaradagem, achando que seria bom morar com uma amiga. Mas tem alguns poréns.

1) a casa é ruim, bem pior do que a que eu tava 2)o quarto é aberto em cima e eu vou partilhar da intimidade dela - ouvir ela fazer sexo como se fosse no meu quarto. Isso me agride muito e eu não quero passar por isso. Ela faz sexo com frequência e eu sei que isso vai acontecer 3) não estou 100% ok em ter desejo por ela e ter uma convivência tão íntima, estaria mentindo se dissesse o contrário 4) ela tá muito mal psicologicamente, pior do que eu. Se drogando o tempo todo, sem arrumar a casa, ficando dias sem tomar banho, etc. Eu gosto muito dela e tudo o mais, mas acho que morar com alguém nessas condições nao iria me fazer bem.

Sai da outra casa por estar 100% isolado. Me sinto um lixo, um mendigo atrás de um pouco de calor em condições ruins. Gosto muito dela, como disse antes, mas não preciso estar numa casa ruim, ouvir o sexo alheio e morar com alguém que tá ben pior do que eu, chapada 24 horas por dia. Eu gostaria de ajudar ela a sair desse estado, mas isso obviamente está fora do meu alcance. Tenho que ser realista.

Vou ficar lá por um mes e ver o que faço. Talvez morar sozinho em uma casa menos isolada seja uma solução. A outra casa era longe, no meio do mato, e isso aumentava o isolamento. Talvez morar só, mas mais perto do centro seja uma solução.

Minha amiga tá muito pior do que eu, mas ela trabalha. Ela me incentiva a isso. Espero de verdade incorporar essa sabia lição. Talvez seja o tempo deu arranjar algo e ir embora de la.

Vida afetiva e sexual continua 0. Mas tenho algo a acrescentar.

Eu tenho amigos e pessoas que gostam muito de mim, mas mesmo assim me sinto profundamente isolado. Talvez isso seja difícil de entender pra vocês - poxa, o vierkenes interage e tem amigos, tem até mulher que dá mole pra ele, porque ele se sente assim? Mistérios da psique humana, meus amigos. Mas a sensacao é realmente de isolamento.

Eu não consigo expressar o afeto de forma adequada. E muito menos de forma física. Talvez meu maior problema seja físico - relativo ao corpo. Não consigo interagir com o outro no nível físico e corporal. Isso reflete de modo mais dramático no sexo, mas também me dói muito ser incapaz de dar ou receber um abraço caloroso de um amigo ou amiga. Não me entrego no abraco e no toque. Isso é foda.

Tô aqui, chapado pra caralho, na rua. Passou umas "novinhas" falando várias putarias aqui. Quase falo alguma coisa, quem sabe não "metia a pica" em uma? Não gosto desses pensamentos e se os tive é porque sou escravo da frustração sexual. Elas tem 16 ou 17 anos e tem 10 vezes mais experiencia sexual do que eu, que tenho 30.Nem vou falar mais sobre isso, porque já deve estar chato.

De planos pra vida, só trabalhar. Se vou trabalhar pra ganhar dinheiro e gastar em drogas porque vivo frustrado e atormentado, isso é outra questão. Mas trabalhar. Isso é urgente pra mim e minha prioridade do momento.

Vou seguindo rumo a meta inicial de 90 dias. Chegarei lá dessa vez.

Bom reboot pra todos!

Edit

Dia 49 do reboot

Postando de novo, pois postar tá me ajudando bastante no momento.

Estou sentindo claramente os efeitos depressores do álcool. Não sei se é assim com todo mundo, mas quando começo a beber bastante todo dia, eu simplesmente sinto o efeito depressor da substância. Vai tirando minha esperança. Tirando minha energia. Me deixando negativo e pessimista. Isso não acontece com uma cerveja ocasional no fim de semana, só com o consumo diário e excessivo.

Pensei que estou agindo com uma enorme falta de amor próprio ao fazer isso. Basta parar de beber ou moderar - uma cerveja ocasional em uma situação que valha a pena - que isso passa.

Tava com um conhecido de quem gosto muito e em quem confio, que bebe todos os dias a anos, e ele disse: "isso é besteira, vierkenes. O problema não é o externo. Vai beber sua cerveja e curtir a noite". Eu pensei comigo mesmo que ele é um grande imbecil, que o cara ignora o efeito da substância no corpo. Mas depois conclui que talvez ele não sinta mesmo nada - tá falando da experiência dele - e que tá tudo certo com isso.

Preciso moderar o álcool, ou daqui a pouco vou estar enxergando minha morte no fundo do copo. É horrível. Já passei por isso antes.

Fora isso, queria dizer que meus principais e melhores amigos aqui tem namorada de anos, relacionamentos estabelecidos e até filhos.

Eu já disse que não sinto inveja de ninguém, fico feliz por eles, pois sei que é uma experiência maravilhosa. Mas ao mesmo tempo me sinto muito mal em ter 30 anos e sair com amigos que são casados,com suas namoradas e esposas e seus filhos.

Eu nem sei o que é beijar na boca, vejam bem.

Eles falam de coisas de casal. Sobre relacionamentos. As vezes uma "fofoca" leve sobre alguém envolvendo isso. As vezes falam de sexo. São temas que me são 100% estranhos, temas que eu não tenho nenhuma experiência, eu realmente não tenho a mínima ideia do que é isso. Imaginem como me sinto saindo com 2 casais, com crianças. São meus amigos e me tratam bem, mas tudo deles gira em torno de vivências e experiências que eu desconheço completamente.

Isso é foda.

Me sinto mal ao visitar eles e ver que eles tem um lar, intimidade entre homem e mulher. Sexo. Carinho. O fruto disso, que é uma criança. Hoje comi um bolo feito por um amigo, eu vi que ele tava sorrindo ao fazer, porque tava em casa, uma casa cheia, com amigos, esposa, afeto e calor humano. Eu comi o bolo, e me senti emocionado, triste e feliz ao mesmo tempo. Essas coisas são maravilhosas e deixam a gente feliz. E eu não tenho isso, nunca tive. Não sei bem o que são essas coisas. Isso é foda.

É por isso que eu bebo. Estou voltando ao estado de antes de namorar, 2 anos atrás. Estou ficando seco dessas coisas.

Ontem bebi até de manhã. Ao chegar em casa, umas 4 da matina,minha amiga de cada estava com um "boy". Ótimo pra ela, transar faz bem e eu quero o melhor pra ela. O foda mesmo é estar deitado na minha cama, e considerando todo meu contexto e e condição, ouvir a seguinte frase: "sua boca tá com gosto de piroca. Vem cá, vou meter gostoso em você". E ouvir gemidos. Isso no meu quarto, na minha cama.

De verdade, não tenho inveja de ninguém. Mas dá próxima vez que eu for ficar em uma casa, vou testar o quarto antes em termos sonoros ou nada feito, porque eu não quero passar por isso nunca mais na minha vida. Não no meu quarto, na minha cama, onde eu deveria estar a sós com meus pensamentos.

A boa notícia é que ontem conheci uma menina lindíssima, e que muito me atraiu em todos os sentidos. Era de manhã, ela chegou, perguntou se alguém tinha água, eu ofereci. Depois ela disse que ia pra casa, e por acaso morava no mesmo bairro que eu. Como tava muito tarde, voltei com ela.

Além dela ser deslumbrante, eu gostei muito da energia dela. Diferenciada. Tudo a ver comigo. E fomos conversando. Me despedi dela quando cheguei em casa. Um amigo viu e perguntou porque eu não tinha beijado ela. Eu pensei: " porra, conheci ela a 5 minutos atrás, são quase 5, ela tava indo pra casa, o que eu ia fazer?". Mas eu de fato muito me interessei por ela. Ela é exatamente o tipo de mulher que eu busco, em termos de energia. Espero encontrá-la de novo por aqui nos próximos dias.

Esse post deu uma boa ideia de minha condição.

Ate a próxima!
avatar
Guerreiro73
Mensagens : 34
Data de inscrição : 07/02/2020

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 16/2/2020, 10:13
Vierkenes, venho acompanhando sei diario, quero te parabenizar, independente da situacao atual que se encontra, vc é um cara vencedor, alcancou metade do reboot e ta buscando sua melhora todos os dias. Eu tenho historia parecida com vc. Tenhp 32 anos, nunca namorei sério, msm tendo ficado com muitas mulheres (bonitas por sinal. Sou feiio! Kkk) , sempre gostei de beber, mais nos fds, e fumo maconha desde os 18, porem, desde 14 de novembro quando conheci o nofap por acaso e por consequencia o forum, parei de fumar e consumir PMO. Os primeiros dias foram bem dificeis pois consumo porno e M com fantasias desde meus 13 anos e aos 18 mais ativamente devido a banda larga. Nunca me firmei em emprego algum, trampei poucas vezes, msm me formando em uma facul particular, e transei poucas vezes (a maioria eu tibe DE) e quando conseguia tinha EP ou ER, entao eu sempre fugia quando sabia que ia rolar o sexo, o medo de brochar me deixava tenso. Isso colaborou por nunca namorar. Mudando um pouco o foco da conversa, como vc lida com sua espiritualidade? Posso falar por experiencia propria, desde que comecei o reboot, venho trabalhando minha espiritualidade e tem me ajudado muito amigo. Sempre frequentei o espiritismo mas hoje eu me sinto mt bem na seicho no ie. Ja ouviu falar? Procure saber, acredito que vai ser um grande aliado. Deus abençoe irmao.
Vitrola
Vitrola
Mensagens : 204
Data de inscrição : 10/11/2019

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 17/2/2020, 14:18
Fala, Vierkenes.

Meu velho, passei um tempo longe daqui... mas, voltando agora, vi que você está morando com uma amiga (pela qual nutre certo desejo).

Na minha visão, não acho que seja o ideal você morar com ela. Querer transar com ela e não dar certo... além de ficar ouvindo todo dia ela transando
e ter que ficar ouvindo gemidos alheios é foda. Vaza dessa furada, meu velho !

No mais, a ideia de morar perto do centro pode ser uma boa. Tenho tido alguns conflitos de ordem espiritual ultimamente... tenho tentando seguir os preceitos
bíblicos, mas acredito que vou acabar recorrendo a uma GP pra transar. Melhor do que ficar atolado em P. A GP vai ser em último caso ( se a M sem P não der certo).

Espero que você consiga resolver esses problemas, meu amigo. Realmente, a P destrói qualquer resquício de humanidade que há em nós. Se eu pudesse
tomar uma atitude que mudaria algo drástico da nossa realidade, seria excluir toda a P (embora acredite que as redes sociais acabariam suprimindo essa demanda...).

No mais, estarei te acompanhando novamente. Abraço !

_______________________________________









Acompanhe Minha Jornada   >>> https://www.comoparar.com/t9766-diario-do-vitrola-primeiro-passo-para-a-liberdade-mental-10-11-19   cheers  cheers


Oração da Serenidade: "Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras".


"Aquele que tem um porque para viver, pode enfrentar quase todos os comos."( Nietzsche)
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 18/2/2020, 13:26
Respostas:

Obrigado pela mensagem, Guerreiro! Sua história é como a de muitos aqui. Esse vício é realmente complicado. Sobre espiritualidade, tenho uma boa relação, embora eu devesse me dedicar realmente mais. Gosto muito do espiritismo, me ajudou muito no meu percurso, mas ultimamente estou lendo sobre coisas da Índia. Gosto muito da filosofia e da visão de mundo do hinduísmo.

Vitrola, meu caro, novamente no meu diário! Valeu. Estive com essa minha amiga esses dias todos, e cheguei a conclusão de que eu moraria com ela sim, apesar de que tenho outros planos. Isso de ouvir ela transar é mais um problema da casa do que dela, kkk. Eu morei um tempão em república, meus colegas de casa faziam sexo regularmente, eu ouvia quando passava em frente ao quarto, e tranquilo, o osso mesmo é ouvir no meu quarto, na minha cama! De qualquer modo, em breve vou me separar dela, pois estou com planos totalmente diferentes, talvez até sair da cidade e tudo o mais. A M sem P dá uma boa aliviada. GP pode ser uma boa saída também, contanto que você não tenha uma relação compulsiva, nem que seja um sexo degenerador e tal. A P vai continuar existindo, todos os dias milhares de adolescentes vão se viciar nisso. Façamos a nossa parte, inclusive alertar e informar as pessoas sobre isso. Informação é fundamental. Obrigado por acompanhar meu diário.

Dia 51 do reboot

Cada vez mais eu vejo que meus posts fogem do tema reboot e entram em temas cada vez mais particulares.

Estou com um pé nos 90 dias, isso é muito claro pra mim. E 90 dias é só a primeira etapa, pois nunca mais quero ter contato com pornografia na minha vida.

Consegui mudanças de vida significativas de uns meses pra cá, e penso que foi isso que me possibilitou chegar a essa marca. A principal delas foi ir embora da casa de minha família e da minha cidade natal. Eu adoeci muito na casa de minha mãe, e na minha cidade. Eu ainda tenho muita mágoa de lá. Diria que minha vida naquela casa se resumiu a pornografia e álcool. Não fazia nada, não trabalhava, me masturbava todo dia, e todo dia ia pro bar do lado de casa beber. Fiz isso por anos. Parece que não consigo lembrar de nada de bom daquele ambiente, só disso.

Se consegui fazer mudanças externas, infelizmente não mudei minhas estruturas psicológicas. Embora eu esteja longe da pornografia, minha dor continua, minha falta de capacidade de contato continua, e estou bebendo quase todo dia. A dor e a agonia que sinto é insuportável. Parece que se eu não beber uma cerveja pela parte da noite eu não vou conseguir suportar a vida.

Eu evidentemente preciso de ajuda externa. Fiz psicanálise por mais de 2 anos, ajudou bastante, mas não chegou no X da questão. Ainda mantenho algumas coisas que carrego comigo desde os 14 anos, sofro por isso todos os dias de minha vida desde os 14 anos. Acho que está na hora de dar um basta. Qual o sentido da vida quando tenho que tomar uma dose de cachaça pura de noite, pra suportar viver?

Estou morando em um interior pequeno, e aqui não tem muito acesso as coisas. Me trato de formas alternativas, mas tenho dificuldade em ter acesso aos medicamentos. Sou um pesquisador e estudioso da área, já pesquisei muito por conta própria sobre como resolver meu problema. Estou aguardando um remédio que vem da capital, espero que ele salve minha vida e me dê alívio.

O principal objetivo da minha vida é me curar. Se eu fosse curado disso, eu poderia estar em qualquer situação - morando na rua, numa mansão, trabalhando catando lata , comendo mal, etc - e eu estaria me sentindo bem. Se me fosse ofertado tudo que o mundo tem de material mas eu tivesse que continuar a viver assim, eu recusaria.

Minha doença tem a ver com o tema da sexualidade e do afeto.

Agora a pouco entrei numa loja, e a atendente me chamou a atenção pela sua beleza. Estou com 51 dias, não estou mais pensando um monte de merda por causa do consumo de pornografia. Mas ainda penso um monte de merda pela minha condição psicológica. São coisas do tipo: "veja vierkenes, se aproximar, tocar, beijar uma mulher é algo 100% impossível e inacessível pra você. Se ela quisesse, te chamasse, intimasse no canto, simplesmente se jogasse nos seus braços, você iria correr, porque você é incapaz de tocar um corpo. Você é incapaz de sentir ou dar carinho. Você não sabe o que é isso".

Rapazes, eu vou me dedicar integralmente a me curar disso. Eu já vivo assim a 14 anos, e não vejo possibilidade nenhuma de continuar desse jeito. Se eu continuar a viver assim, vou assumir meu alcoolismo e passar a beber todos os dias. muito. Caras, realmente é impossível viver desse jeito. Aí só vivendo a base de drogas mesmo.

Meu caso é infinitamente pior do que uma DE causada por porn. Pra mim não tem nem comparação. 100 dias de reboot resolvem uma DE dessas. Meu caso, eu poderia estar com 200 dias e não iria fazer diferença nenhuma. Eu ia continuar bloqueado.

Estou me habituando ao fato de que não tenho amigos aqui. Na verdade eu tenho, mas como eu expliquei no post anterior, eles são casados e tem filhos. A realidade é que eles não tem mais tempo pra mim. Não vou julgar. Mas não tem mais sentido em eu requisitar atenção, se eles estão 100% voltados para a família deles. A única coisa que eu acho sacanagem é o fato de ninguém me visitar, nunca. O cara é ocupado e tem mil coisas pra fazer, ok, eu entendo. Mas o que eu não entendo é que um amigo não consiga encontrar 40 minutos em algum momento, um domingo ou um dia de folga, pra fazer uma rápida visita a um amigo. O cara já mora com a namorada e o filho, vê eles o tempo todo, o que custa tirar 40 minutos de um dia de folga pra visitar um amigo? Uma vez na vida, ao menos. Ninguém nunca me visitou aqui. E eu perdi o interesse de ir na casa deles, porque tudo deles, a vida, os interesses, etc, tudo deles gira em torno de algo que me é inacessível. Eu não quero ficar presenciando coisas familiares, falar de temas que envolvem afeto, sexualidade, filhos. Eu não tenho a mínima ideia do que são essas coisas. Pra que eu vou ficar saindo com 3 casais e duas crianças? Entre fazer isso e tomar minha cerveja sozinho, eu prefiro tomar minha cerveja sozinho. O que posso fazer se a vida me colocou nessa condição? Que eles sejam felizes. Não to nem aí. E continuo achando sacanagem que em 3 meses, meus amigos não tenham encontrado uma brecha de 1 hora pra me fazer uma visita. Fora quando eles me criticam por algum motivo. Eles não tem a MÍNIMA noção do que é a minha situação. Eles NUNCA passaram por isso. NUNCA. E se acham no direito de dizer que eu estou fazendo merda, que eu devia ser mais ativo, que eu devia parar de beber e blá blá blá. Bom, que se foda. Gosto deles, mas estou um pouco magoado. E não me sinto bem nesse meio familiar, porque eu sinto uma falta profunda disso e fico triste de ver que minha doença me impediu de construir esse tipo de vínculo.

E aqui estou mais uma vez com o mesmo problema. Pensando em mudar de novo de estilo de vida.

Aqui no lugar que eu tou tenho muito contato com o pessoal que viaja, de mochila nas costas. Eu me identifico com eles. Talvez eu seja um deles. Eu não tenho paz. Eu tive casa, mas nunca me senti bem lá. Tinha teto, comida, uma mãe, um pai, um irmão, apoio, mas eu nunca me senti bem na minha casa. Pra mim não era meu lar. É como se eu fosse um intruso. Então eu considero que eu não tenho um lar. Sinto como se tivesse vivido em lugares de improviso minha vida inteira. Nos últimos 6 meses de faculdade, eu tava morando num quarto, com apenas uma mala com roupa, alguns livros e um colchonete. Não sei o que é a paz, nem a estabilidade. Nem o afeto, nem carinho. Talvez eu devesse de fato cair na estrada, me aventurar, viver um dia de cada vez. Conseguir uma grana pro almoço e ir indo. Pensei seriamente nisso esses dias. É uma vida de perrengues, envolve bastante desconforto, por outro lado tem muita riqueza nisso, porque você conhece muitos lugares e pessoas diferentes. Além de experiências.

Estou com vontade de largar tudo aqui e ir pra outra cidade aqui perto, onde tem algumas coisas do meu interesse. Não estou com vontade de retornar pro lugar que eu to, nem pra minha cidade natal. Não tenho a mínima ideia do que fazer.

O que interessa mesmo é me curar. Não construí relações de afeto aqui, assim como não construí na cidade onde fiz a universidade, nem em minha cidade natal. Eu sinto ódio de minha situação. Eu estou na mesmíssima situação de quando eu tinha 14 anos. Eu já tinha esses problemas.

Mas cair em porn, nunca mais. Eu nem vou ter tempo pra isso. Nem como. Por mim eu me livrava era de tudo, vivia com o mínimo. Morava numa barraca, comendo macarrão com legumes. Eu não ia me importar nem um pouco. O que eu realmente busco são coisas que não podem ser compradas, nem encontradas. São coisas que estão dentro de mim, muito perto, mas ao mesmo tempo completamente inacessíveis.

Estou com planos de viajar pra uma cidade próxima, onde sinto que encontrarei o que preciso. To vontade de largar tudo aqui e não falar nada pra ninguém. Meus amigos vão demorar a perceber a minha falta, porque eles estão ocupados com outras coisas. Eles tem um propósito. Eu não tenho nenhum. Eu só tenho dor. Vou vender algumas poucas coisas que tenho pra levantar uma grana e dar o resto. E ficar só com uma mochila e uma barraca. Durmo na rua, se precisar.

Por hoje é só.

Prevejo sucesso no reboot, embora minha caminhada seja bem mais longa e complexa do que 100 ou 200 dias longe de porn.

Obrigado a quem acompanha.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 21/2/2020, 23:34
Dia 54 do reboot

Vim aqui pra relatar o que me aconteceu esses dias.

Estive todos esses dias com minha amiga, que vou chamar de M.

Da primeira vez que dei em cima dela, senti que o "não" foi pouco firme. Ela nem falou "não", ela disse "não sei o que dizer". Dei em cima dela de forma mais enfática ainda. Me aproximei dela e disse "me beija e vem comigo pro quarto". Aí ela deu um não definitivo, dizendo que não rola de jeito nenhum. Fiquei tranquilizado com a resposta, pois assim não me iludo nem crio expectativas. Continuei lá com ela numa boa.

Ela continuou falando da gente morar junto. Como eu tenho total abertura com ela, eu disse logo: "se coloque no meu lugar. Você é afim de transar gostoso com um cara, apaixonada, e ele recusa. Daí voce vai morar com ele, não transa com ele e ainda é forçado a ouvir os gemidos e orgasmos dele! Eu não mereço isso. Continuo te amando igual, pode contar comigo sempre. Mas morar com você, não". Nisso ela continuou insistindo. Deu os argumentos dela. Ela sabe de toda minha história e situação, inclusive do meu problema com pornografia. Tenho total abertura com ela. Confio, me sinto seguro e gosto imensamente da companhia. Além de sentir um tesão absurdo. É por isso que eu gostaria de ficar com ela. Com certeza expressaria um sentimento muito puro, nobre e curativo.

Mas ela não quis ficar comigo. Amor só serve quando é partilha e troca. Quando não é isso, é agressão ou violencia. A coisa só flui bem quando os dois lados estão em sintonia e de acordo.

Nisso eu vejo ela usando um baby doll, muito gostosa. Me perguntando o que eu achei. Dizendo que o bico do peito tá aparecendo e tal. Caras, eu fiquei ereto e daí tive a certeza absoluta de que não moraria com ela. Isso seria uma tortura pra qualquer homem, kkk. Eu não preciso me submeter a isso. Só se foss e gay ou celibatário, o que não é o caso. Daí que isso está acertado: trato ela igual, porque eu amo ela de qualquer jeito. Mas morar junto e partilhar intimidade não rola pra mim.

Sai hoje com ela e fomos parar na casa de um amigo. Tinha outra menina lá, 22 anos, novinha e novata na cidade, disponível pra todos. O anfitrião me pergunta se eu quero um ácido. Após ponderar um pouco,digo que não. Todo mundo bêbado e chapado e ainda iam tomar um ácido. O anfitrião é um cara com uma forte e energia sexual. Dança na minha frente, o abdomen no meu rosto, e eu puder ver um pouco do que os gays ou as mulheres heterosexuais veem na hora do sexo.

Eu senti que ia rolar uma orgia ali. O cara, minha amiga e a outra menina, que já tava ficando com o cara antes. Ele me convidou pra ficar, mas eu decidi ir embora . Já na rua, parei pra pensar: "e se eu tivesse ficado, tomado o ácido e me entregado a experiência, sem expectativas?" Mas no fundo, minha real pergunta era outra: "será que minha amiga faria sexo comigo nessas condições?".

Sei que fui embora porque senti que não era o momento deu viver isso. Tenho outros objetivos e intenções. E totalmente convicção de que não moraria com ela de jeito nenhum.

Fora esse narrativa, me masturbei 2 vezes hoje, muito por causa da frustração sexual. O fato de presenciar cenas íntimas de minha amiga contribuiu pra isso. E também o fato de que eu não fico com absolutamente ninguém fazem 2 anos ou mais, de acordo com os meus calculos. A única mulher que beijei na vida. Quanto a masturbação, na primeira vez imaginei uma certa posição sexual - a mulher em cima, de costas pro parceiro. Imaginei minha ex namorada nessa posição, mas aí lembrei que a gente nunca fez isso junto. Depois imaginei um vídeo específico, do qual gostava muito. E deve fazer meses que não vejo esse vídeo. Vi ele tantas vezes na minha vida que acho que nunca vou esquecer. Depois de um tempo, senti que isso podia despertar uma fissura e pensei na ex namorada. Cheguei ao orgasmo. Bate uma fissura leve. Pensei que não importava quão ruim estão as coisas, recorrer a pornografia, nunca. Senti que estava no controle e podia fazer uma escolha boa. Cheguei a pensar no nome da tal atriz (eu gostava muito dos vídeos dela!), mas optei pelo único caminho possível pra quem quer uma vida livre. Pornografia nunca mais.

Espero estar 100% livre da compulsão depois dos 90 dias. Meu máximo foi 85. Espero que quando eu chegue nos 90, eu sempre possa raciocinar dessa maneira. Com todos os cuidados do reboot, como os bloqueadores e a distância de gatilhos.

No mais, as coisas seguem.

Preciso urgentemente de cura e me abrir na parte sexual. Enquanto eu não me abrir sexualmente, não vou me considerar curado do vício. Eu mal experimentei o sexo real, como vou apagar as memórias do meu cérebro, que relacionam isso com uma tela de computador?

Estou tambem me sentindo oprimido aqui na cidade. Quero viajar, mas ainda tenho coisas pra resolver aqui. Período de carnaval seria excelente para eu ganhar dinheiro com meu trabalho, mas eu não sinto nenhuma vontade de fazer. Queria ir pra uma praia, calma. Me faria um bem danado se eu fosse pra um lugar desses.

O resto tá indo.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 23/2/2020, 21:47
Dia 56 do reboot

Postando de novo, e assim o farei, enquanto isso me ajudar a me manter longe do vício.

Hoje me masturbei umas 4 vezes. Acho que o principal motivo disso é a frustração sexual e a minha aparente incapacidade de fazer sexo com uma mulher.

Na primeira vez, senti vontade de fantasiar com os velhos vídeos...mas eu vi que isso era furada, que era a pior coisa que eu poderia fazer. Acabou que fantasiei muito com minha ex namorada, e foi até bom, porque eu realmente me sentia acolhido no sexo com ela, minhas recordações são muito boas. E fantasiei também com algumas colegas do ensino médio, que eu achava extremamente atraentes.

Sei que me achei extremamente doente por estar sozinho em uma cama me masturbando, enquanto o correto era eu aliviar isso de vez em quando com uma pessoa de carne e osso. O que eu sinto falta não é só do sexo em si, mas de toda a experiência. Sexo envolve troca, toque, olhar. Algumas coisas não existem quando se está só. O sexo é uma delas.

E assim me vejo, em pleno carnaval. A cidade está lotada, e qualquer pessoa razoável já teria feito sexo com pelo menos uma pessoa. Muita gente interessante e bonita. E vejam, eu estou aqui a 5 meses e não fiquei com absolutamente ninguém. Acho que minha situação é realmente complicada, porque desde de que tive a minha primeira oportunidade real de perder a virgindade - aos 17 anos - foram 11 anos sem sexo, nem nenhum toque feminino. Eu só fui perder a virgindade 11 anos depois da minha primeira oportunidade real. Aí namorei por 6 meses, e foi bem farto e rico, foi realmente uma experiência revolucionária. Mas depois do término, que tem uns 2 anos ou mais, eu não fiquei com mais ninguém. Eu sinto meu corpo clamar por essas coisas. Eu sempre senti bastante desejo. Mas aí eu não consigo expressar isso, e termino em uma cama me masturbando sozinho em casa. Eu faço isso desde sempre, e o único período de minha vida que foi diferente, foram esses 6 meses de namoro. E eu tenho 30 anos.

De modo que um hard mode seria quase impossível pra mim. Eu sinto uma leve diferença depois me masturbar 5 ou 6 vezes em 2 dias; sinto menos energia. Mas agora no momento, não estou me sentindo mal. Acho que foi bom pra mim, eu tava precisando, me aliviou de algum modo. O foda mesmo é sentir falta do toque. Aí é complicado. O mal da masturbação é que o orgasmo é apenas genital. A gente só "descasca o palhaço e pronto". O resto do corpo as vezes nem se mexe. Os viciados em pornografia ficam muito viciados no "pau" e se esquecem do resto. Na verdade, o orgasmo da masturbação não tem graça nenhuma - salvo a exceção depois de um longo e vigoroso em hard mode. É muito bom gozar depois de 20-30 dias sem orgasmo. Mas de resto, masturbação não tem graça. O negócio é troca e interação. Isso de ficar se masturbando em casa não tá com nada. Com porn então, é suicídio. Quem continuar no esquema de porn vai acabar é ficando broxa, um palerma impotente pra vida.

Portanto, mesmo com todos os meus problemas, eu vou ficar longe dessa porra. Estou muito focado em vencer a primeira meta (90 dias), e farei o que for preciso pra isso. Incluindo postar aqui.

Infelizmente, eu não me encontro muito bem. Estou um pouco em crise na minha vida. Tinha estabelecido que precisava fazer 2 coisas aqui na cidade onde estou: trabalhar e fazer sexo. O segundo é realmente importante pra mim, não é brincadeira, kkk. Basta ler algumas poucas linhas de meu diário pra perceber que eu realmente preciso muito disso. Não consegui fazer sexo ainda. Em relação a trabalho, distribui currículos - não de forma persistente, admito - mas deixei um bom número em relação ao tamanho da cidade. Mais de 30. Fiz isso duas vezes em períodos diferentes. Fui simpático e puxava conversa com a pessoa, explicava um pouco de minha situação. Dizia que estava aqui pra morar, e não de temporada (e isso é importante, porque tem muita gente que vem pra cá e vai embora depois de 1 ou 2 meses). O fato foi que ninguém me retornou. Eu não tenho nenhuma experiência profissional, mas tenho um curso superior. Eu fui realmente simpático e tranquilo na hora de distribuir os currículos, porque eu queria bastante trabalhar num lugar desses, ver como é a experiência e receber um salário fixo de 1000 e poucos reais por mês. Mas ninguém me retornou. Ainda em relação a trabalho, eu desenvolvi outro, por contra própria aqui na cidade. Não vou fazer muitos mistérios: sou artista e trabalho com performances de rua (se não falei antes foi por um receio bobo de ser reconhecido). Quem acompanha meu diário talvez compreenda o quão difícil foi chegar até esse ponto em minha vida. Eu sempre fui altamente reprimido, eu mal conseguia falar ou mostrar meu rosto. Eu literalmente, colocava a mão na boca pra que as pessoas não me ouvissem. E tremia ao comprar uma passagem de ônibus. De modo que consegui me libertar um pouco e colocar minha cara a tapa nas ruas da cidade. E isso dá algum dinheiro - não o suficiente pra eu me sustentar 100% aqui. Mas o fato é que esses dias todos, eu não tenho sentido vontade de fazer isso. Acho que avancei muito ao começar esse trabalho, mas depois eu parei. É como se tivesse regredido no meu caminho, porque esse negócio me faz um bem danado.

Tenho também bebido muito esses dias todos. Estou sentindo que não tenho mais o mesmo efeito com a mesma quantidade de álcool. Tenho que beber mais pra ter o mesmo efeito. Se eu fosse um leitor atento do ebook, talvez eu soubesse o que isso significa! O famoso fenômeno da tolerância! Tenho bebido 2 cervejas de 600ml e mais umas 2 doses de cachaça (um copo daqueles de plastico, mais da metade). E ainda mais umas 2 ou 3 cervejas em lata. É realmente bastante álcool pro meu organismo...não tem como isso estar me fazendo bem. Ao contrário, deve estar é me deixando perdido. Obscuro. Sem clareza de nada. Deprimido. Achando que tudo vai dar errado. Sem energia. O que há de razoável nisso é que estou correndo todo dia em jejum, pela manhã (fiz isso nos últimos 3 dias). Corro por 20 minutos, depois tomo banho de rio, e de sol, por uns 10 minutos, em jejum. Eu sinto que isso faz uma diferença muito grande, pois auxilia enormemente a eliminar o álcool do meu corpo.

Tenho que implementar é uns exercícios de força (flexão, abdominal, etc), pois sinto que eles são muito mais eficientes pra tirar fissura do que os aeróbicos. Mas em termos de preferência pessoal, eu prefiro muito mais os aeróbicos mesmo. Aqui onde estou dá até pra nadar - e esse é um exercício que com certeza deve ter um efeito poderoso sobre o vício do cigarro! Enfim, quanto mais oxigênio melhor.

Acho que já falei o suficiente por hoje. Espero ter ajudado alguém com algo que eu falei.

Preciso também urgentemente começar a postar mais nos diários dos colegas. Aos 56 do reboot, eu já me sinto confiante pra fortalecer alguém ou dar umas dicas!

Bom reboot pra todos e até a próxima!

_______________________________________
Justiceiro do Sertão
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 1923
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 28

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 24/2/2020, 10:59
Minhas saudações, insigne Vierkenes. Percebo bem a quantas anda seu drama, e como já devemos ter comentado me identifico deveras com alguns de seus tormentos, embora provavelmente não sejam exatamente como os meus (tenho mente inquieta e você já disse que também, seria no mínimo bem complicada uma boa análise da questão nessas horas). Queria ser capaz te de tar umas dicas bem razoáveis, solidarizo-me com sua história, todavia não sou profissional e aquilo já dito há algumas palavras ajuda a deixar o caso mais intrincado.

Apesar de tudo, saiba que tem todo o meu suporte e estou acompanhando sua guerra. Tenho esperança de que sairemos prontos de verdade a encarar o mundo.

Grande abraço!

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
headbanger
headbanger
Mensagens : 278
Data de inscrição : 06/11/2014

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 24/2/2020, 13:10
Vai no puteiro cara

_______________________________________
https://countingdownto.com/create-count-up
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 25/2/2020, 05:04
Muito bom seu incentivo, justiceiro. Sim, sou vítima da minha mente. Ela continua solta e descontrolada, um cavalo rumo ao precipício!

Obrigado pela solidariedade. Sua mensagem é um valioso incentivo.

Headbangers: aqui na cidade onde tou não tem puteiro! Olha, esse negócio de prostituição não tem nada a ver comigo. Isso é coisa de perfil mesmo. Uns vão e se jogam. Outros experimentam. E ainda tem os que não se sentem atraídos por isso - meu caso. Contudo, essa possibilidade não está descartada. Se eu for pra uma cidade que tiver e bater a vontade, eu vou. Prefiro o esquema presencial. Quem sabe não encontro alguma que role uma simpatia minima e eu não me divirta um pouco! Só experimentando pra saber como é. Apesar do fato de uma parte de mim considerar minha "castidade" um ato de nobreza e pureza. Me sinto orgulhoso de não ter recorrido a isso até aqui.

Dia 58 do reboot

Sem muito a acrescentar, vim apenas fortalecer alguém que esteja pensando besteira agora.

Acredito que minhas dificuldades estão bem esclarecidas. O reboot fica mais difícil pra alguem que não pega ninguém, ou não tem vida sexual.

Primeira coisa: embora seja mais difícil segurar a onda, frustração ou falta de sexo não é desculpa pra cair em porn. Tem o fato de que os danos dessa praga vão muito além do sexual - afeta o trabalho, a família, as relações, tudo. Porn destrói a vida do cara como um todo. Nem tudo se resume a transar. Imagina só ir trabalhar depois de encher a cabeça de porn. Sem condições. Já passei por situações assim e é o infernal.

Não pega ninguém? Tá sem sexo a anos? O reboot é muito mais difícil assim? Sem dúvidas, mas não é impossível. Todo mundo que venceu e está com metas muito altas teve que superar grandes barreiras.

Com o vício o negócio é sério. Tem que ser tolerância zero, em todas as situações. Ou é isso ou é o inferno da pornografia. E de bater punheta na frente de uma tela, eu honestamente, estou cansado.

Segundo: o consumo de porn aumenta a frustração. Tá cansado de não pegar ninguém? Tá pensando em bater uma por não lembrar o que é beijar na boca? Meu amigo, essa é a pior escolha possível. Você vai se sentir 10 vezes mais merda por ver uma mulher do outro lado do mundo rebolar no pau alheio. Quem tá gozando é o outro, não é você. Quem consome pornografia não sabe bem o que é gozar. So depois de livre dessa praga que toda a delícia e a potência do sexo se revela. Ter vida sexual com consumo regular de porn é punheta de pau mole. Eu desenvolvi ER por causa do porn e passei meses transando sem saber o que é orgasmo. Graças a Deus não desenvolvi DE.

Portanto, não importa o que esteja acontecendo, sempre diga não pro porn,porque porn não tá com nada. Acho que é o vício mais humilhante que conheço.

Hoje sai pra noite. Bebi, como sempre. Em breve vou ter que começar o Reboot do álcool. Essa parada tá começando a me deixar zoado. Sei que bebi e dancei bastante. Foi bom pra mim porque gastei energia.

Não avistei nenhum mulher interessante pra chegar.

Não pude deixar de reparar em algumas fantasias. E em alguns movimentos corporais. Vi uma mulher com uma roupa "deliciosa," se é que vocês me entendem, e ainda vi a mesma fazer um movimento "indescritivelmente gostoso", junto a um jovem. Caras, eu fiquei excitado com o movimento deles. O
Olhei um pouco pra ela, mas logo desviei olhar. Bateu a frustração. Pensei : "cara, a sensacao disso aí é bom demais, minha nossa". E eu bem longe disso.

Já álcoolizado e voltando pra casa, bateu a fissura. Na verdade estou a alguns dias com um certo risco de cair, mas postar aqui tem me fortalecido muito. Dessa vez com certeza chegarei aos 90 dias.

Estava com o celular na mão. A brecha, seria rápido de encontrar. Mas em poucos segundos, desliguei o celular.

Disse pra mim mesmo: "não". E as portas do inferno se fecharam na minha frente.

Depois tive um breve momento de contato com Deus. Pedi forças. Reconheci todos os meus erros e as merdas que tenho feito. Pedi um pouco de luz pra ajudar a dissipar minha ignorancia.

Tenho errado muito e tenho consciência de que tudo de bom ou ruim que me acontece é mera consequencia dos meus atos.

O erro de cair no porn, nunca mais.

Parar com o álcool tá cada vez mais urgente e fundamental. Tá bem foda , tá realmente começando a complicar. Reboot de álcool não vai demorar.

Se mantenham longe dessa merda.

Um abraço pra todos.
avatar
Eddie Red Pill
Mensagens : 121
Data de inscrição : 11/04/2019
Idade : 29

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 27/2/2020, 12:12
Força irmão , voce é inteligente, vai conseguir sair dessa. fica na paz!
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 28/2/2020, 13:53
Obrigado pelo incentivo, Eddie! Paz para todos nós.

Dia 61 do reboot

Postando pra tentar ajudar alguém com minhas vivencias.

O Reboot está seguindo bem. Sem fissuras, e quando elas surgem, são muito leves. Minha mente está muito fortalecida contra a P. Já estou começando a ver isso como coisa do passado. Mas sempre me lembro do inferno, pra não correr o risco de voltar pra la. Inclusive exponho o meu problemas pra pessoas proximas; acho que isso me ajuda no meu processo. Eu não tenho vergonha de ser vítima da pornografia e de contar minha história. Eu teria muita vergonha se ainda estivesse entregue a isso.

Bom, se o Reboot anda bem, minha vida anda uma verdadeira desgraça. E meu estado mental, pior ainda. Meu post de hoje vai ser sobre isso.

Esses dias, em que meu estado piorou, eu percebi que a maior parte do meu atraso de vida é devido a natureza dos meus pensamentos.

Fui invadido,quase que 24 horas por dia, com pensamentos do tipo: "você é um lixo, um inútil". "Um filho da puta que não dá valor a nada nem respeita ninguém". "Um incapaz, que não faz nada, não trabalha e torra o dinheiro de mamãe em drogas". "Um vagabundo desses tem que tomar um tiro". "Você é incapaz de conviver ou respeitar uma mulher". "Um viciado de merda, sem dignidade".

Estou imerso no rancor, na mágoa,na frustração e no ódio. Estou muito mal. A impressão que tenho é que o diabo ta do meu lado, guiando meus passos. Ontem me entreguei a pensamentos violentos - poderiam ser pensamentos fantasiosos, vejam bem.

Daí eu vi que essa energia não é nada boa. Que com tais pensamentos eu não vou pra frente de jeito. Poderia até cair no reboot. Isso vai destruir minha vida. Senti que precisava urgentemente mudar o padrão dos meus pensamentos.

A primeira coisa que me veio na mente foi a oração constante, principalmente mental. Se o diabo vem me tentar, eu devo pensar no nome de Deus, ao invés de pensar em coisas negativas e ruins.

A outra coisa foi o hare mantra. Vocalização sagrada para limpeza dos pensamentos e paz de espírito.

Eu sou uma pessoa muito ferida. Ultimamente tenho percebido melhor as vezes que ajo ou falo movido por maus sentimentos. E sempre precedido por um pensamento.

A falta de quietude mental é terrível, e quem vive assim é escravo da mente. Isso tira a paz e um pouco do brilho da vida.

Não vou meditar por enquanto, mas estarei firme e forte pensando em coisas sagradas. Acho que assim vou receber um pouco de luz, e os maus pensamentos vão embora.

Não permitam que suas mentes te levem a caminhos ruins. Quando surgir as más ideias, tenham a que ou quem recorrer. Isso pode perfeitamente ocasionar uma queda.

O bloqueio mental é o melhor e o mais poderoso, porém o que tenho percebido é que leva muito tempo pra ficar bom nessa arte.

Firme e forte rumo a primeira etapa, 90 dias,pra depois começar uma nova vida, longe dessa praga.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
headbanger
headbanger
Mensagens : 278
Data de inscrição : 06/11/2014

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 29/2/2020, 18:09
Vai na zona

Fica uma semana sem gozar e mete bronca
melhor que ficar aqui chorando que ninguém quer te dar

_______________________________________
https://countingdownto.com/create-count-up
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 29/2/2020, 21:08
Seu comentário foi grosseiro estupido, mas eu não vou responder do mesmo modo, pois estou tentando justamente me livrar dessas características, ao invés de alimenta-las.

Tenho meus motivos pra não recorrer a isso, por enquanto. Fora que aqui na cidade não tem. Se um dia eu pensar diferente, não vou hesitar em ir. Vou me permitir a experiência.

Se o que falo parece choro, eu não me importo. Meu lance é vencer o vicio. Não interessa a minha condição,se tô solteiro ou casado, namorando ou fazendo sexo casual. Se tô ocioso ou empregado, se tenho sérios problemas de saúde ou se me sinto bem. O lance mesmo é ficar longe da P. O sofrimento que isso me causou foi tão extremo que quando eu chegar aos 120 dias, eu vou comemorar. Sozinho ou acompanhado.

Ah, tem algumas minas que me dariam sim. Ao contrário de uma parte dos usuários do fórum, especialmente entre os menos experientes, eu tenho pleno e total entendimento que o problema sou eu e não o outro. Acho isso muito melhor do que culpar as mulheres e ficar em discursos misoginos. Eu assumo a responsabilidade de meu fracasso. E convicto de que irei superar tais problemas, e ser feliz.

Mas primeiro, atingir os 90 dias e seguir.

Foram muitos anos nessa, e o impacto disso tudo na visão de mundo, na percepção, na sensação, na mentalidade foram muito fortes. Pode levar anos pra eu me livrar 100% de tudo que a pornografia me ensinou. Acho que vale a pena você pensar nisso.

Estou doente e com a dopamina extremamente baixa. Em outros tempos já teria caído faz tempo, mas meu progresso fez com que meu cérebro ficasse fortalecido. Maravilha.

Alguns dias sem masturbar. Sinto que ainda tenho alguns benefícios a alcançar com o Reboot. O melhor estar por vir.

Até a próxima e bom reboot pra todos.

_______________________________________
Vitrola
Vitrola
Mensagens : 204
Data de inscrição : 10/11/2019

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 1/3/2020, 15:19
Fala, Vierkenes !

Amigo, por que você não lê a Bíblia diariamente? Não precisa estar ligado à alguma religião para poder lê-la.

É um livro com conteúdo fantástico... E e uma forma de você começar a clarear suas ideias.

Outra dica: sugiro que você leia o "Como fazer amigos e influenciar pessoas", do Dale Carneggie. Você vai ter uma experiência incrível com a leitura desse livro. Garanto a você.

O que eu vejo é que você consegue passar longos períodos sem voltar pra P, mas a solidão e suas experiências passadas comprometem demais seu dia-a-dia.

Você não tem ninguém aí na cidade que realmente seja seu/sua amigo(a)? Não igual aquela mina com quem você está/estava morando...

Alguém com quem você realmente possa contar.

E outra: já pensou em se consultar com um psicólogo? Pelos seus relatos, a P só é um elemento na sua história toda. Lógico que ela estraga sua cabeça e contribui pra que sua autoestima seja atingida...

Mas o que eu vejo é que há mais do que o problema com P.

Acredito que até o seu problema com bebida possa ser trabalhado com o psicólogo. Matar dois coelhos com uma cajadada só... O que acha?

Estarei orando por ti, irmão. Estamos juntos nessa luta. Abraço !

_______________________________________









Acompanhe Minha Jornada   >>> https://www.comoparar.com/t9766-diario-do-vitrola-primeiro-passo-para-a-liberdade-mental-10-11-19   cheers  cheers


Oração da Serenidade: "Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir umas das outras".


"Aquele que tem um porque para viver, pode enfrentar quase todos os comos."( Nietzsche)
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 8/3/2020, 20:01
Fala, Vitrola!

Tenho lido o Bhagavad Gita, mas não diariamente. É um livro com ideias preciosas, muitas das quais eu preciso aplicar na minha vida. Eu sou um crente do Senhor Krshna - não sou um devoto, mas realmente acredito no que está escrito ali. Talvez a bíblia seja mais adequada pro que eu to precisando no momento - perdão e limpeza de sentimentos. Eu tenho um exemplar do novo testamento aqui em casa, e leio de forma esporádica. Esse como fazer amigos e influenciar pessoas...você não é a primeira pessoa que me fala dele. Vou dar uma olhada. Se tiver em pdf na internet, dou um lida hoje mesmo!

Meus únicos amigos estão todos casados e com filhos. As vezes eu consigo ter um momento com eles, mas é muito raro. Eu não julgo, deve ser "correria" mesmo, e se eu estivesse nessa posição, talvez eu fizesse o mesmo. De qualquer modo, nunca mais vai ser a mesma coisa de quando eles eram solteiros ou sem filhos. Agora eles estão ocupados demais com a família deles. E não, não tenho outros amigos a não ser a tal menina. Tenho andado bastante com ela. Apesar de alguns pesares, gosto da companhia dela.

Então, sem companhias por enquanto. Essa é a minha condição, a de quem não aprendeu a desenvolver vínculos saudáveis.

Sobre psicólogo: sim, eu tenho sérios problemas emocionais. Fiz acompanhamento por mais de 2 anos, foi útil de um certo ponto de vista, mas muito intelectual pra mim. Eu precisava de algo mais concreto e objetivo, menos palavras e mais ação.

Estou morando em um interior pequeno, e aqui não tem muito acesso as coisas.

Sem psicologo por enquanto. Mas tenho novidades que vou relatar no post de hoje.

Dia 70 do reboot

Acho que só atingi essa marca uma vez. Na ocasião, cai aos 85 dias. Já tinha atingido 60 dias, por exemplo. Mas 70 pra cima, essa é a segunda vez.

Estou numa lan house, e acessei conteúdo pornográfico aqui. Olhei por cerca de 2 minutos. Cheguei até a digitar o nome das atrizes que eu tanto gostava. Assisti alguns segundos e tudo. Mas fechei em seguida.

Sinal vermelho pra queda?

Ainda é tempo deu fazer um novo caminho. Deu escolher diferente do que eu escolhi durante a maior parte de minha vida.

Me mudei de casa, aluguei um quarto em uma casa que mora uma mulher. Eu até que gostei, porque me dei bem com ela, o quarto é bom, a relação é tranquila e tudo o mais. Fora que a casa tem um cheirinho de lar, que é o que eu tanto sentia falta. Morei 3 meses no isolamento completo, agora tem uma pessoa na casa que eu moro. Não precisa ser próxima, nem minha amiga, mas isso pra mim já faz uma diferença muito grande. Uma diferença positiva.

Ela colocou internet hoje na casa. Tinha uns 3 meses ou mais que eu não tinha internet em casa. Por opção mesmo. Eu prefiro viver sem internet, se eu puder escolher.

Estava com uma caixa de som que um amigo me emprestou pra ouvir música. Usava com um pendrive, mas ela pega bluetooth também.

Hoje acessei a internet no celular, ouvindo com a caixa de som. Pensei em pornografia, porque pra mim, som e imagem de qualidade são gatilhos. A tela do celular é pequena, e não me atrai, mas o som da caixa me atraiu muito. Eu tava sozinho em casa, e pensei logo no som potente da caixa, ver um velho porn com o som no talo, com toda a qualidade.

Som e imagem de qualidade são gatilhos muito fortes pra mim. Som e imagem, os dois ou um dos dois. O som também é muito bom. Nossa, eu gostava muito quando via porn com um som de qualidade. O som faz toda a diferença.

Fiquei navegando na internet, ouvindo música - eu tava sentindo falta de ouvir minhas músicas. Como não tenho pc, nem net, nem nada, acabei sentindo falta de ouvir as minhas músicas. Ouvi elas hoje. E naveguei um pouco na internet.

Hoje um conhecido pediu pra usar meu celular rapidamente, e aí eu percebi uma falha fatal que eu achava que tinha resolvido. O chrome estava desbloqueado. Eu tinha certeza que estava bloqueado, então nem passava pela minha cabeça algo do tipo.

Juntou isso com a novidade da internet, mais o som de qualidade, e veio pensamentos na mente.

Eu logo percebi que isso era o início da ruína. Minha experiência até aqui me ensinou que se você consegue cortar o pensamento logo na raiz dele, eliminar o pensamento mesmo, a coisa pode dar certo. Se não cortar, a coisa pode crescer, e aí dá merda.

Fiquei de fechar a brecha, e assim o farei, nem que tenha que botar uma senha aleatória e nunca mais desbloquear o celular. Não estou me sentindo seguro com ela. É coisa simples. Basta colocar a opção de bloquear o chrome no app lock e tacar uma senha qualquer.

E o mais importante nem é o bloqueador - aos 70 dias e com 4 anos de reboot nas costas, eu posso afirmar isso. Muito mais importante do que o bloqueador é ter o controle e a noção de pra onde minha mente tá me levando. Eu consigo prever uma queda. Basta ver no que eu tenho pensado. Se P me passa pela cabeça, e eu der corda pra isso, já é 80% do caminho andado pra uma queda. Isso pra mim é fato notório.

Hoje tive uma complicação com uma pessoa horrível, que me afetou negativamente de forma muito forte. Fiquei pensando que é uma pessoa horrível, que oprime os outros sem nenhuma necessidade, e faz isso por estar em posição de poder. Infelizmente, eu tinha coisas a resolver com essa pessoa. E também não consegui me manter distante dessa energia, eu acabei cedendo à pressão dela. Acabei cedendo a energias e pensamentos que não são meus. Eu tinha pendências com essa pessoa, então eu não podia simplesmente fugir dela. Ainda pensei em mandar o foda-se, mandar ela tomar no cu e ir embora, mas não ia adiantar, porque eu teria que resolver essas coisas de qualquer jeito.

Ela me afetou muito, e de forma negativa. Estou louco pra me livrar dessa pessoa o mais rápido possível e nunca mais ter nenhum tipo de contato com ela. Estou disposto até a pagar pra me livrar do problema. Pago, e tá resolvido, dane-se quem vai fazer o serviço. Infelizmente não consegui fazer tudo hoje, ainda estou com essas pendências, e vou ter o desprazer de encontrar com essa pessoa mais uma vez. Espero que amanhã seja a última vez.

Fiquei de tal modo oprimido que saí do encontro e fui beber uma cerveja. Eu nem tava pensando ou querendo isso, juro que estava tranquilo de álcool. Mas ela realmente me oprimiu, me apertou, e eu cedi. Daí fui beber pra esquecer essa puta - perdoem o termo, mas é uma pessoa realmente horrível, não consigo me referir a ela de outra forma. Trata-se de uma mulher.

Depois da cerveja, vim pra lan house, e daí acessei 2 minutos de pornografia.

Ainda é tempo de fazer a minha escolha. Escrever agora, nesse exato momento, está sendo fundamental pra eu levar esses 70 dias adiante.

Eu escolho NÃO. Eu digo NÃO pra pornografia.

Façam o mesmo se quiserem ter uma vida livre. A vida não é fácil, muitos problemas, mas porn NÃO! NÃO! NÃO! Vai tomar no cu, eu não vou voltar pra vida absolutamente humilhante e desgraçada que eu tinha quando consumia isso.

O resto vai indo. Posso levar décadas pra curar minhas feridas e resolver minha vida. Mas sinceramente: com 120 dias, mesmo que todo o resto esteja um lixo e tudo esteja desmoronando, eu vou me sentir feliz pra caramba por estar longe da pornografia. Eu já estou feliz com esses 70 dias, mas não é suficiente pra eu sentir firmeza na parada. Acho que com 120 dias eu vou estar firme o suficiente pra poder falar qualquer coisa relacionada ao assunto. Vou sentir que estou forte o suficiente pra enfrentar qualquer situação, longe desse inferno, desse demônio que é a pornografia.

Andar com o diabo do meu lado, nunca mais. Quem tá entregue ao porn tá é com o diabo do lado, e todo mundo sabe disso.

Portanto, foda-se. Vim aqui fortalecer meu compromisso. Vou chegar na primeira meta, 90 dias, custe o que custar. Ainda faltam 90 dias. Daqui a pouco essas coisas que eu falei vão se dissipar, e eu vou retornar pra como estava antes.

Durante os 2 minutos de porn que eu acabei de ver, voltei a achar que eu sou uma pessoa gravemente doente. Vi a cena e pensei "caralho, sexo pra mim só existe numa tela, tenho 30 anos e não sei bem o que é isso. Eu nunca soube o que é isso. Meus amigos estão namorando, chei.e eu mal sei o que é encostar numa mulher, que dirá penetrar, pegar num peito, etc. Vai tomar no cu, eu sou uma pessoa adoecida". Pensava essas coisas enquanto via as cenas. 2 minutos só. Depois fechei.

Bom, eu sou frustrado pra caralho. Mas consumir porn: JAMAIS. Quem está afundando no porn, nesse momento, mesmo que namore e transe pra caralho o tempo todo, está muito mais frustrado do que eu. Eu não tenho dúvida nenhuma disso. Tem uns caras aqui no fórum que namoram, que tem vida sexual farta, e que não conseguem passar dos 15 dias. Eu não namoro, nem faço sexo, mas estou melhor do que esses caras. Eu estou livre dessa porra e vou me manter longe disso, custe o que custar. Pra mim é muito mais importante estar bem longe do porn do que uma namorada ou do que sexo.

Só o fato de escrever aqui já me fortaleceu bastante, e eu esqueci o que vi.

Daqui a 3 dias, vou participar de um ritual de medicina indígena, e usarei umas medicinas aí, da natureza.

Não estou ansioso, mas estou com a expectativa alta. Realmente acho que essas plantas podem me curar.

Uma das recomendações é ficar sem álcool, sem carne e sem masturbação ou sexo por 3 dias.

Eu bebi hoje, e não devia ter bebido. Mas vou apostar em uma alimentação altamente desintoxicante, cheia de alimentos crus, amanhã e depois. Isso vai ser o suficiente pra limpar meu organismo dos resquícios de álcool ou outras drogas, e vai fazer com que o efeito da medicina seja suave e potente.

Estou atrás de cura. Vamos ver o que as plantas podem fazer por mim.

Afogado emocionalmente como me encontro, fica tudo difícil. Inclusive o reboot.

Mas o reboot serve pra isso mesmo: nos fazer superar qualquer barreira. Não existe desculpa nenhuma pra consumir porn, coloquem bem isso na cabeça. Não interessa se tá tudo caindo e desmoronando, se você não faz sexo, se está bêbado ou chapado, se brigou com os pais ou com os amigos, se está deprimido, com dor de cabeça, de diarreia, etc. A vida é difícil e vai continuar sendo. O reboot não é mágica e não vai transformar tudo num mar de rosas. Sempre haverá muitas dificuldades. Mas temos que aprender a continuar com o reboot, não interessa a situação em que nos encontremos. Esse é o único caminho pra vitória. Todo mundo que hoje está com metas altas - 200 dias, por exemplo - seguiu em frente, mesmo em meio ao maior tormento.

Não existe desculpa pra consumir porn. Assumam sua responsabilidade diante de suas escolhas. Se não for assim, nem vale a pena.

Não vou ser hipócrita: ainda tenho muiiiiito o que aprender. Mas pelo menos em relação ao porn, acho que estou indo bem. E quando mais eu seguir em frente no reboot, mas forte eu ficarei nos outros setores da vida. Vou me tornar um cara digno.

Chega de bater punheta, caralho!

Portanto, minha escolha é PELA VIDA.

DIGA NÃO AO PORN. DIGA SIM PRA VIDA.

Deixo aqui uma música que eu gosto muito. Ela me acompanhou em momentos tristes de minha vida, mas ela sempre me faz refletir e ter um pouco de esperança. Me lembro de já ter ouvido muito ela depois de mil punhetas, quando tava arrependido e totalmente deprimido depois de tanto me masturbar. Eu nunca ouvia ela durante as sessões, ou enquanto estivesse disposto a consumir porn. Só ouvia depois de tudo, e geralmente arrependido. Hoje me lembrei dela.

https://www.youtube.com/watch?v=aexYiq0oXO4

Bom, meus amigos, se mantenham longe dessa porra!

A cada dia que passa, eu quero atingir metas bem altas, pra ser um exemplo nesse fórum! Ainda não é a hora. Ainda estou um pouco fraco. Mas um dia vou estar aqui com 200 dias, ajudando todo mundo que precisar!

Chega dessa porra de pornografia!

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 10/3/2020, 20:20
Dia 72 do reboot

Vontade muito grande de cair.

Isso não tem a ver com o fato deu ter visto 2 minutos de por porn 2 dias atrás. Tem a ver com grande tensão emocional.

Eu fiz merda e tô pagando o preço por isso. Sou fraco e covarde.

Eu seria muito mais fraco e covarde se consumisse porn agora. Porque é exatamente isso que a pornografia faz. Torna a pessoa um lixo.

Muita gente me diz que eu tenho que parar de me diminuir. Isso é verdade, porque a gente é o que a gente pensa. Se alguém pensa ser confiante, ela será confiante, ou se pensar que é um lixo, ela será um lixo.

Porem o outro lado é meu comportamento e minhas ações, que eu não consigo mudar.

Será que eu ajo de forma fraca covarde e penso ser isso, ou penso isso e ajo dessa forma?

Bom, de qualquer modo, eu fiquei em uma posição ridícula e extremamente desconfortável por mera covardia. É bizarro, porque eu não tinha necessidade nenhuma de passar por isso.

Tenho 30 anos e não aprendi a ser homem. Não tenho dignidade nem respeito por mim mesmo. Não trabalho, não faço nada. Não tenho vida sexual.

Vocês já viram que eu não tô bem hoje. É preciso mudar o mindset, senão fica difícil.

A situação em que me meti me complicou muito. Diria que está extrema. Eu sou 100% responsável por isso, fui eu que fiz merda. Mas não sei quanto tempo vou aguentar isso. Não sei exatamente como resolver a situação. Estou sendo testado. Tô com um pouco de medo de cair.

Mas não vou cair.

Consumir porn seria assinar embaixo do meu atestado de fraqueza e covardia.

Seria enterrar qualquer possibilidade de melhoria ou de uma vida digna.

Seria passar por humilhação e constrangimento, duas coisas que eu já passei o suficiente em minha vida.

Vou permanecer firme, não importa o que aconteça. Esse é o único caminho pra vitória.

Minha fé no reboot se tornou absoluta.

Agora só preciso levar essa fé e perseverança pra outros setores da vida. Se eu estivesse tão firmemente determinado pra outras coisas de minha vida além do reboot, eu estaria ótimo.

Vai dar tudo certo. Esses 90 dias pra mim são só o início, a base pra uma vida livre.

Não importa o que aconteça, não caiam. Só assim há vitória.

Não sei se vou tomar a medicina. Ontem eu me embebedei, vomitei, passei muito mal. Estava em um estado em que mal consegui chegar em casa. Eu tava quase dormindo na rua, no primeiro canto que desse. Encontrei um amigo no caminho e ele me ajudou a chegar em casa. Foi muito importante. Tinha algum tempo que eu não ficava desse jeito.

Ódio, mágoa, fraqueza, covardia da nesse tipo de coisa. Pode dar em porn também, mas comigo não. Eu não bato mais punheta na frente de um computador de jeito nenhum. Foram por volta de 14 anos, todo dia, várias vezes por dia. Já bati punheta pra uma vida inteira, então chega.

Vou viajar nos próximos dias e pretendo foder uma GP. Perdoem o termo - eu não estou bem, eu só quero uma gozada e foda-se.

Eu sei que não é bom. Não vai resolver nada. Não vai me ajudar em nada. É ilusório e falso. Talvez tenha mais maleficio que benefício. A única coisa boa que isso pode proporcionar é um pouco de alívio. E também pode atuar um pouco positivo na minha mentalidade. Eu vou pensar: "olha só, agora transei com outra mulher que não a ex namorada" ou então: "estou me lembrando o que é fazer sexo. Se não fosse essa GP eu ia simplesmente esquecer o que é isso". Ou : "olha só, eu tenho um pênis e ele não serve só pra urinar".

Eu acho tudo isso que eu falei muito triste, mas é minha condição. Estou com 72 dias, acho que me masturbei uns 5 dias atrás. Acredito que minha ER está curada. Se eu for mesmo fazer isso, posso até esperar mais dias. Só pra ter a garantia absoluta de que vou ter um orgasmo.

Eu só quero meter pra caralho. Gozar. Sentir um pouco um corpo feminino.

Mentira. Eu queria transar sem camisinha e dormir com uma mulher. Ficar agarrado e dar e receber carinho.

Enquanto eu não me curo, vou de GP. Sou contra isso, mas 1 experiência dessas não vai me matar. Espero que eu relaxe um pouco e que a experiência me faça bem.

Tá bem foda, mas seguirei em frente. Muito firme. Fé e confiança total no reboot.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 12/3/2020, 07:32
Dia 74 do reboot

Voltei pra algumas observações sobre meu processo.

Começo dizendo que talvez tenha exagerado no último post. Apesar de ter sido submetido a muita pressão e cobrança, de uma pessoa horrível, opressora mesmo, eu consegui me sair bem. Já estou perto de resolver a situação. Tem uma outra que estava me preocupando bastante. Resolvi usar a tática de me abrir e ser 100% honesto com a pessoa. Arriscado,admito, mas também funcionou bem. As coisas não estão totalmente resolvidas, mas o nível de tensão e estresse já diminuiu.

Vim aqui hoje fazer um balanço dessa tentativa, comentários e observações, além de colocar alguns objetivos como meta.

Bom, o que posso dizer é que estou me habituando aos benefícios. Antes dessa tentativa eu tinha ficado 30 dias, e quando cai foram apenas quedas num período de 2 dias, ou seja, quase nada. Provavelmente eu consumi menos pornografia num período de 100 dias do que em 1 dias no auge do vício. Isso é assustador!

De modo que os benefícios estão se tornando normais pra mim. É o que sinto. Faz um tempo que não olho pro meu pênis, mas ele com certeza está com uma aparência bem saudável. Maior e mais potente. Se eu fosse fazer sexo, com certeza seria muito bom, sem ER, EP ou DE. Quem consome porn regularmente não sabe o que é sexo de qualidade, essa é a verdade.

Fora todos os outros benefícios. Se não estou um super homem é porque tenho outros problemas, ou essas expectativas são muito altas. Não quero ser um super homem, só quero estar 100% livre do porn na minha vida. O resto vai vindo.

Eu não quero ficar 90 ou 180 dias sem porn, eu quero viver sem porn e nunca mais recair. Estou considerando que estou dando os primeiros passos pra uma vida distante disso. Ainda tenho muiiito o que aprimorar. Fora que a reversão completa dos danos pode levar anos. A recuperação não leva 90 dias, leva muita mais tempo do que isso! Eu estou aqui a 4 anos! Fora os companheiros que atingem 90, 120 ou mais dias e depois voltam a cair na lama. Não serei um desses! A ferida que esse troço me causou foi muiiiito extrema,eu posso afirmar que isso destruiu minha vida! Então jamais terei tolerancia com isso, serei sempre radical. Jogo celular e computador fora, se for preciso. Eu faço qualquer sacrifício pra me ver longe disso. Faço qualquer coisa.

Minha vida ainda não começou. Pra mim 90% do percusso até aqui foi horrível. Andando na sombra e na escuridão, do lado do diabo. Não só por causa da pornografia, é verdade...ou talvez sim, considerando que durante 14 anos isso foi um hábito diário?

Sem dúvidas há muitas coisas por trás do vício. Estou sanando essas coisas aos poucos, senão eu não estaria com 74 dias e adiante.

Pra mim a vida começa no pós reboot.

Eis meus objetivos por enquanto.

1 - atingir os 90 dias, depois zerar e partir pra mais 90 - o reboot 2.0: real life

2 - usar menos o celular. Estou um pouco preso nisso. Estou um pouco preso no fórum. Tem que largar esse maldito condicionamento e ir viver a vida. É um pouco difícil, mas nada que força de vontade não resolva. Não é muito melhor olhar pela janela e ver o céu do que pegar o maldito celular pra olhar?

3 - ajudar mais os companheiros do fórum. Essa parte é muito importante. Estou me sentindo fortalecido o suficiente pra ajudar alguém aqui. Tenho quase 4 anos de fórum e posso ser mais útil aqui.

4 - buscar um meio pra tratar meus outros problemas. Eu tenho muitos problemas de natureza emocional e psicológicos. Eles merecem e requerem tratamento. Só assim eu vou me desenvolver bem, vou ter uma vida saudável, e a certeza de uma vida bem longe do porn

5 - investir pesado no mindset. Porque digo isso? Porque percebi que durante esse tempo todo, minha mente é minha pior inimiga. Ela me fez cair,no passado. Ela induz tudo. Ela que faz com que as vezes eu me sinta um lixo ou um merda.

Isso eu aprendi aqui no fórum: é possível reverter qualquer padrão negativo através do pensamento.

Eu acho que preciso fortalecer muito meu mindset. Sem dúvidas isso vai me levar longe. Aceito inclusive sugestoes de leitura nesse sentido.

6 - investir no meu propósito de vida. O que significa isso? Significa tirar o foco do reboot em si e começar a focar no que me faz bem. Focar no que eu realmente quero pra mim, no que me deixa realizado. Ficar preenchido de verdade, ao invés de estar ocioso,no celular, no fórum. Preenchido com o que me é verdadeiramente benéfico. Sinto que ao dar esse passo, aí sim vou mandar a pornografia pro inferno, e conseguir me limpar completamente de sua influência. Acho que esse passo 6 é decisivo

7 - maneirar no alcool. Essa meta vai ser mais difícil pra mim, mas não impossível. Pretendo aplicar toda a experiência que tenho no reboot pra combater o vício em alcool.

Não acho que sou um dependente de álcool, nem acho que ele destruiu minha vida. Sem dúvidas me prejudica consideravelmente,mas nada que se compare ao vício em porn

A questão é que muitas das vezes que eu bebo são por razoes semelhantes pelas quais eu consumia porn: solidão, frustração, vazio emocional, ocio, etc. Algumas vezes eu bebo por motivos justos e saudáveis - me divertir com amigos e ter um bom momento - mas acho que na maioria das vezes, são por motivos negativos. Na grande maioria das vezes, eu diria.

Não quero ter o álcool como muleta. Não quero ficar bêbado, caindo, passando mal. Não quero estar na energia do álcool. Ficar sem álcool me faria bem. Eu poderia testar um período de 30 dias e ver como me sinto. É uma possibilidade. Eu não gostaria de abdicar 100% dos momentos saudaveis e justos que tenho com álcool, mas é muito complicado, porque é quase impossível saber separar as coisas.

Eu podia falar mais coisas, mas acho que tudo se inclui nesses itens que coloquei.

Pretendo seguir no hard mode o máximo que der. Mas ao mesmo tempo, não vou me forçar a isso. Se eu sentir que a libido subiu muito, se tiver tendo muita ereção e eu sentir que isso tiver me incomodando ou atrapalhando, eu vou me masturbar. Porém, farei isso o mínimo possível. Apenas quando necessario.

Sinto que preciso dar um tempo do fórum. Contudo, sinto que muitas das vezes que posto são nos momentos de aflição e fraqueza. Esse é um excelente recurso pra mim: sempre que eu sinto que posso desandar no meu caminho, que há algum risco ou possibilidade de queda, eu venho aqui na hora e faço a defesa enfática do reboot. Isso ajuda demais. Diria até que me salva mesmo. Bom, se tiver outro momento desses, eu volto aqui, mas a ideia é passar menos tempo na internet e no celular.

Vou começar a ler o como fazer amigos e influenciar pessoas, recomendado pelo vitrola. Li o início, vi que é bom e útil. Lerei e tentarei aplicar tal conhecimento.

Bom amigos, o negócio é ir viver a vida. Essa é a parte mais difícil pra quem passou anos no quarto batendo punheta, nas sombras. Porém, é o meio mais efetivo que existe pra combater o vício. Cura de verdade, só quando o cara começa a sair do quarto e dar a cara a tapa no jogo da vida. Sem medo de rejeiçao, olhando no olho e se esforçando pra fazer o melhor.

Tenho quase 4 anos de fórum, e só agora estou engatando de verdade minha cura.

Me desejem sorte.

PS: sem GP no meu processo. Eu mesmo disse que não vai resolver nada e que não é bom. Pra que eu vou fazer algo que vai me jogar no mundo das ilusões e me dar um prazer rápido e fácil? Será que eu já não tive isso por tempo demais? Não quero me encher de vazio. Deixo isso pra quem acha que sexo é tudo, que quer se satisfazer como um animal. Como um viciado em porn. Meu esquema é outro, isso não condiz com minha natureza. Fora o fato de que minha falta maior nem é de sexo, mas de outras coisas. Coisas que uma GP não pode me dar. Eu falei em GP porque tava mal e me deixei levar por maus pensamentos. Nada que um investimento no mindset não resolva.

Bom reboot pra todos.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 14/3/2020, 21:02
Dia 76 do reboot

Vim aqui relatar mais algumas coisas.

De uns dias pra cá tenho notado um aumento significativo da auto estima e da confiança. Muito provável que seja efeito do reboot, pois não ocorreu nenhum evento externo que justifique isso. Notei também que estou bem mais sensível, reagindo melhor aos estimulos externos. Ansiedade social diminuiu, e estou me sentindo mais a vontade nos lugares. Hoje mesmo, na rua, eu levantei a cabeça, estufei um pouco o peito e andei reto. Percebi imediatamente a diferença: quem anda ereto transmite segurança e imponência; não tem medo de mostrar quem é. Se sente a vontade em qualquer lugar, é mais notado e mais respeitado.

Isso é algo simples, mas incrível e indescritivel. Eu andei curvo, com a cabeça baixa durante a maior parte de minha vida. De repente eu ficar reto e experimentar mais segurança, olhar mais do alto e entender que eu não preciso ter medo de falar com ninguém, nem de nenhuma situação, é algo que não tem preço.

Ainda não está do jeito que eu quero, mas eu tenho certeza que se eu seguir no reboot, vou sentir melhoras ainda mais significativas.

Ontem e hoje tive algumas ereções espontâneas. Talvez eu esteja saindo de uma flatline. Eu também sinto uma certa energia e inquietação na parte inferior do corpo: sinal de que tem mais energia circulando.

Estou começando a queimar por dentro, e isso pode ser maravilhoso, dependendo de como eu aja em relação a isso.

O fato da minha energia estar mais alta me trouxe uma certa ansiedade. Estou fumando mais, porém, me mantendo afastado de álcool. Vou falar mais sobre isso ainda nesse post.

Evidentemente, com essa situação, me veio na cabeça que preciso seguir as palavras do Toguro e paquerar as minas, dar uns beijos na boca, transar, etc.

Ontem acabei conversando com uma menina aqui da cidade. Eu já tinha visto ela várias vezes na rua, ela é muito linda, mas nunca tinha conversado com ela. Até que tive essa oportunidade hoje. A conversa fluiu muito bem, rolou uma certa empatia e tudo o mais. Em um momento experimentei uma conexão mais forte, estava olhando bem no olho dela. Uma parte de mim pensou: "que clima! Esse investimento poderia dar um ótimo retorno!". Apesar de ter tido um excelente momento de conexão, eu achei ela um pouco fechada nesse sentido. Talvez ela seja insegura ou desconfiada. Não é comprometida, até onde eu sei.

Sem dúvida nenhuma, seria muito interessante dar em cima dela. Quem sabe não rola? Se não rolar, pode ser uma boa amizade também. Senti que posso ter uma boa troca com ela. Daí que da próxima vez que encontrar ela, vou chamar ela pra sair. Acho que ela toparia, e talvez até conseguisse ler minha intenção, hehe!

E hoje tive outra experiência,que não deu em nada mas me fez um bem danado.

Tava saindo do mercado quando avistei duas meninas. Meu olho foi pra uma delas. Eu sempre racionalizo nesse tipo de situação, penso várias coisas, mas felizmente, dessa vez eu me entreguei ao mais simples e elementar de tudo. Pensei: "que mulher gata!". E, vejam bem, de forma totalmente intuitiva e espontânea, eu dei um sorriso pra ela. E ela correspondeu.

Pra muitos isso pode ser normal, mas pra mim isso é uma experiência mágica. Eu juro que na hora senti meu coração bater mais rápido. Me senti excitado, me senti vivo, empolgado. Senti o sangue correr dentro de mim.

Depois, pensei: imagina só a sensação de falar qualquer coisa pra ela, rolar, beijar e depois transar com ela. Imagina só tirar a roupa dela e descobrir seu corpo nu. Fique pensando que isso é viver. Simplesmente agir e não pensar. Se jogar no fluxo da vida. Sentir o sangue correr, o coração acelerar, o pau ficar duro. Talvez até aquele delicioso frio na barriga. Caras, essa sensação é uma das melhores que se pode experimentar nessa vida, na minha opiniao.

Eu só olhei uma vez, sorri, ela correspondeu. Eu tava com compras na mão e resolvi ir pra casa.

Eu estou muito ansioso, porque estou sentindo que estou em um momento de transição - para melhor. Está na hora deu começar a consolidar algumas coisas, fazer girar minha energia. E fazer sexo também, porque é bom demais. Não sexo com GP, porque esse é falso. Quem só transa com GP nao sabe como é delicioso e gratificante um saudável flerte com uma civil, conquistar a mina com um olhar ou uma palavra, transar com uma mulher por gosto e interesse genuino e não por dinheiro. Sao duas experiências radicalmente diferentes, e tenho certeza absoluta que flertar, conquistar uma mulher e transar com ela é 10000 vezes melhor do que puxar 100 ou 200 reais da carteira e sair metendo. Realmente, é impossível comparar as 2 coisas. É tipo comparar uma transa no dia 1 e outra no dia 100 do reboot. É covardia comparar.

Ainda sobre isso, ainda não sou esse cara confiante e foda, pra dar em cima de qualquer mulher e ter uma noite de sexo. Mas um dia eu chego lá. É só seguir no reboot.

Totalmente fundamental saber lidar com a frustração, que tende a aumentar nesse momento. Eu entendo muito desse sentimento, mas acho que nunca desenvolvi os recursos necessários pra lidar de forma justa, honesta e correta com isso. Admito que já deixe a frustração me derrubar muitas vezes, inclusive com recaídas em porn, mas principalmente recorrendo ao álcool pra ficar tranquilo.

Percebi que não posso ficar bebendo pra lidar com a frustração. Isso é ruim, falso, infantil. Não me faz crescer, não me faz enxergar a realidade. Não resolve o problema. É literalmente, uma fuga da realidade. E como tal, atrapalha absurdamente o processo.

Como resolver isso? Por enquanto vou seguir na fé, kkk. Tambem ajustar o mindset. Esse é o segredo. Nunca pensar: "eu sou um merda, não sei o que é vida sexual". Identificar rapidamente esses momentos, não alimentar esses pensamentos e cortar logo na raiz. Substituir por: "eu sou um cara maravilhoso, e eu sei disso. Tenho muitas qualidades boas. Se minha hora não chegou, basta ter um pouco de paciência. Daqui a pouco aparece alguma mulher interessada em mim, como já aconteceu outras vezes. E na hora, eu vou saber o que fazer. Basta agir ao invés de pensar, nada mais do que isso".

Por isso que pra mim, ajustar o mindset é uma das chaves do meu processo. Se a gente souber dar corda no lugar certo, a gente vai muito longe. Basta alimentar o pensamento certo, e deixar os maus pensamentos morrerem de inanição.

Essa é a chave pra não ir pro bar beber diante de mais uma noite solitária, dormindo sozinho.

Se eu seguir firmemente esse princípio, com certeza vou alavancar meu desenvolvimento, em todos os sentidos. E alavancando meu desenvolvimento, me tornando uma pessoa melhor, mais maduro emocionalmente, as chances de aparecer alguém que realmente vale a pena aumentam muito.

Quem estiver firmemente focado no auto desenvolvimento não precisa se preocupar, pois com certeza as recompensas virão, e vao valer muito a pena.

O negócio é permanecer firme, muito firme, e não cair. Ir pra casa ficar tranquilo, se for necessário.

Afim de aproveitar toda essa energia - de preferência fazendo sexo,KKK, mas sem neura nem pressão - vou seguir o reboot no hard mode. Estou sentindo que pode ser muito interessante ficar sem me masturbar no momento. Posso também implementar uns exercícios físicos - quando me exército,consigo ficar bem mais dias em hard mode.

Meu desejo é que toda essa energia acumulada exploda em sexo. Queria mesmo é ter uma overdose de sexo, arranjar uma mulher pra ficar vários dias transando o dia todo.

Enquanto isso, vou me tratando pra me abrir energeticamente. Andar com a coluna ereta ja ajuda muito.

Por hoje é só.

Até a próxima!
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 19/3/2020, 05:36
Dia 81do Reboot

Estou em plena recuperaçao. Mas ainda falta muita coisa pra ajeitar na minha vida. Encaro o reboot como um processo integral: uma transformação completa de mim mesmo! Como afirmei antes, considero que estou no início da caminhada, pois não quero 90 ou 180 dias longe de P, mas uma vida inteira!

A essa altura, eu já tenho uma noção do que é uma vida livre de P. Sei que ainda tenho benefícios a colher, mas já experimento os principais. Não só experimento, como esse padrão livre já está se tornando normal pra mim.

Fantasias e objetificação desapareceram completamente. Não vejo nenhum resquício disso em mim. ER com certeza está curada. Faz mais de 2 anos que não faço sexo, mas quando acontecer será potente e cheio de vigor, tenho certeza! Ansiedade social diminuiu uns 90%. A compulsão também desapareceu. Vontade 0 de ver pornografia. Apenas em momentos de tensão extrema que isso passa pela minha cabeça, mas acredito que a essa altura, é muito mais uma questão de controle mental do que de compulsão propriamente dita. Pênis está super saudável. Estou em hard mode a um tempo, pois é melhor pra mim no momento. Não ver, não tocar e não me preocupar com meu pênis está se tornando a regra, mas eu sinto que quando ele ficar ereto por uma boa causa, vai ficar bem grande, vigoroso e duro como uma rocha! Capacidade de conexão e sensibilidade estão ótimas, esses dois quesitos vão melhorar ainda mais com o tempo, especialmente no hard mode.

Então sigam no reboot, porque realmente funciona.

Agradeço a Deus e a esse fórum por ter me dado essa oportunidade. Como eu disse, ainda tenho muitas coisas pra conquistar, mas me ver livre da pornografia era um dos meus sonhos. Ainda não vou cantar vitória nem me considerar no pódio: eu quero firmeza e certeza total da mudança. Preciso de muitos mais dias, preciso de mais mudanças em minha vida pra poder falar com plena confiança que estou plenamente recuperado. 90 dias não são nada em comparaçao com 14 anos de vicio. Ao menos é assim que eu penso.

Dito isso, vamos ao post de hoje.

A uns dias atrás experimentei um certo "fogo", mas pra minha surpresa esse fogo sumiu com a mesma a mesma velocidade com que veio. No momento, estou muito interessado no hard mode, e vou continuar no reboot sem me masturbar. Acho que perdi o interesse em masturbação, e passei a gostar da ideia de resistir quando vem alguma vontade, ou, melhor ainda, fazer algo que faça a vontade desaparecer. Como disse acima, a ideia é esquecer que o penis existe. Agora me sinto mais preparado pra agir assim. O bom disso é que com o tempo qualquer pensamento ou preocupaçao em relação a sexo desaparece,e acredito que esse é um excelente caminho, pois me faz agir com mais naturalidade. Se acontecer, ótimo, se não acontecer, ótimo também. Acredito que é muito ruim o fato da gente se preocupar com sexo. Eu espero que eu me importe cada vez menos com isso e apenas deixe as coisas fluírem.

A alguns dias atrás eu estava tendo umas ereções, mas isso passou. Não estou tendo ereções matinais. Na verdade, quase não estou tendo ereção. Não sei se isso é normal, se é flatline ou algo do tipo. Mas não estou preocupado com isso. Estou apenas registrando.

A cerca de 3 dias atrás eu tomei o chá da ayhuasca. Trata-se de um enteogeno, uma erva medicinal de grande poder. Posso afirmar que me fez muitíssimo bem. Fiquei mais liberado, mais solto. Sensação de bem estar e de conexão aumentou. Me sinto mais autêntico e mais livre. É realmente uma erva curativa, quando usada da forma correta,com sabedoria e acompanhado por quem é experiente. Porém, senti que preciso ir além na minha cura. 1 sessão só não foi suficiente e tomarei mais algumas vezes, afim de quebrar padrões profundos, ter um real enfrentamento de mim mesmo e avançar no meu caminho.

Ando procastinando muito nos meus planos de vida. Pelo menos não é por bater tanta punheta, kkk. Talvez seja algum tipo de resistência. Eu sei exatamente o que preciso fazer, até anoto num papel e colo na parede, mas nunca faço. Isso é bem ruim. Não sei ao certo porque isso está acontecendo.

Estou tendo muito contato com a natureza, e isso é maravilhoso. Muito banho de rio, de cachoeira e sol.

Decidi por ir morar com minha amiga que comentei vários posts atrás. Estou 100% ok com ela e não a olho mais com desejo. Estou realmente completamente resolvido com relação a isso. Tem alguns inconvenientes, mas acho que os benefícios superam tudo. Ela é como uma irmã pra mim, e morando com ela, eu não me sinto só. Como temos uma relação muito boa de amizade, eu sinto que posso falar qualquer coisa que esteja me incomodando pra ela, e isso é muito bom. Um dia desses eu até deitei no colo dela e tive bastante carinho e cafuné. Quem acompanha meu diário sabe que eu tenho problemas com isso. Aproveitei que tenho uma amiga em quem confio, pela qual não nutro mais nenhum desejo e pedi pra ela me dar essa coisa tão básica e simples, mas que eu não tenho de ninguém. Posso dizer que me fez um bem danado. Morar com ela está sendo bom pra mim, pois me faz ter uma sensação de religação, expressão de afeto. E tudo isso sem nenhuma ideia de caráter sexual. Estou tranquilo com isso, de verdade.

Me preocupa o fato deu estar a 6 meses nessa cidade e ainda me sentir só e sem amigos. Eu tenho 2 amigos aqui - mais ela, que mora comigo - e embora eu os veja ocasionalmente, é um pouco estranho pra mim. Eles tem namorada e filhos. O esquema, o tempo, as preocupaçoes, tudo deles é diferente. Bom, quem acompanha sabe que intimidade familiar, intimidade sexual sao coisas que me machucam. Felizmente, estou melhorando aos poucos,mas ainda me sinto um pouco mal visitando um lar onde vejo essas coisas. Gostaria de me curar disso.

Um dia desses enviei uma mensagem pra ex namorada. Eu ainda penso nela. Faz 2 anos que não falo com ela, nem tenho nenhuma notícia. Admito que estava me sentindo carente. Acho que fiz isso em parte porque foi uma pessoa de fundamental importancia pra mim, e que só me fez bem. Meu desejo era me encontrar com ela e ter uma conversa amigavel e amistosa. Eu nem falo de uma amizade, ou de intimidade, mas apenas poder conversar com ela, dizer que ela foi fundamental pra mim, e que ela tem minha simpatia. Eu queria muito saber se ela ainda tem magoa de mim. Não sei ao certo o quanto eu feri ela (por causa do vício em P, vejam, foi muito humilhante). Eu falei um monte de coisa. Depois me arrependi, mas pensei que se ela responder, vou tirar um pouco do peso da consciência.Finalmente, refleti que fui um pouco falso e hipócrita, pois se eu tivesse ficado com alguém, acho que já teria esquecido ela. De qualquer modo, só queria saber notícias. Queria saber se ela viraria o rosto pra mim se me visse na rua. Isso me machucaria muito. Acho que vai ser bom ter alguma resposta dela. Se for uma resposta muito negativa, nunca mais falo com ela. Na verdade, eu nem tenho como ter contato com ela, e ela mora bem longe daqui. Estou mexendo no passado. Porém, sinto que não houve um real recomeço pra mim, pois eu não fiquei com mais ninguém. Me incomoda muito o fato de que passei por um termino a mais de 2 anos, com a única mulher com quem fiz sexo na vida, e desde então não fiquei com mais ninguém. Ela é minha unica referência de sexo. Isso realmente me incomoda. Preciso de mais experiências sexuais, mesmo que sejam casuais.

Li uma história de sucesso aqui que o cara relata que depois que se livrou totalmente da pornografia - dia 140 em diante - em um período de 6 meses ele fez mais sexo do que em toda a vida anterior dele,mergulhada no vicio. Isso me deu esperança. Eu tenho 30 anos, não vivi essas coisas,e gostaria muitíssimo de sentir o sangue correr, o coração bater forte, conquistar uma mulher, levar ela pra minha casa. Viver umas aventuras sexuais. Conhecer corpos diferentes, ter uma noção da variedade da expressão sexual humana. Espero realmente que eu tire o atraso daqui em diante. Isso faz parte do meu processo de cura. E nada de GP, porque pagar pra meter num buraco é muito fácil e pobre. O desafio da vida é conquistar as coisas, conquistar uma mulher, e não um buraco.

Pornografia nunca mais.

Em breve, concluo a primeira etapa da caminhada eterna.

Faz parte dos meus planos postar cada vez mais nos diários dos outros companheiros. Tá na hora deu ser mais útil nesse fórum, ajudar quem precisa com uma boa palavra.

Bom reboot pra todos!


_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 23/3/2020, 01:09
Dia 84 do reboot

Em plena crise do sistema, eu estou ficando curado da compulsão por pornografia.

2020, mês de março e eu simplesmente não consumi porn esse ano! Sabem, eu tenho muitos problemas, mas nunca deixarei de ser grato por estar me sentindo livre dos braços do demônio! Pra mim porn é o próprio capeta, com direito a tridente, tortura e humilhação! Posso enfrentar muitas coisas, mas sem porn é outra coisa.

Agradecer todos os dias por estar livre disso; é o mínimo que posso fazer. Orar com força pra continuar nesse caminho: minha obrigação. O vício foi uma das coisas que mais me feriram na minha vida, e penso que Deus foi generoso comigo por ter me dado a oportunidade de estar aqui, com 84 dias e adiante.

Hoje infelizmente acabei me masturbando. Foi um vacilo porque eu nem tava com uma real necessidade. Eu fui fraco. Me deixei abalar por uma coisa que aconteceu em plena quarentena. Algo que mexeu em antigos traumas e feridas, que continuam jorrando sangue dia após dia. Feridas abertas que muito me machucam. Não suportei o "baque", fui no mercado e comprei um salgadinho e duas latas de cerveja. Alimento ruim e uma dose moderada de álcool. Senti rapidamente o efeito negativo disso. Doses moderadas, mas suficiente pra me deixar em um estado mais negativo. Depois de um tempo, acabei me masturbando - logo eu, que quero cada vez mais seguir o reboot no hard mode. Gozei rápido,e o orgasmo foi sem graça..

Percebi que o hard mode intensifica a força espiritual. Na verdade eu já sabia disso,mas estava sentindo na pele nos últimos dias. Também não consegui gastar minha energia de forma adequada, o que pode ter facilitado minha queda. O hard mode exige uns cuidados a mais, os quais pretendo desenvolver cada vez mais.

Me senti profundamente humilhado com um comentário inocente de uma amiga. Bom, eu sei que não era a intenção dela e que sou eu que tenho sérios problemas. Mas na hora não consegui conter os pensamentos negativos. Acabei bebendo 2 latas, felizmente não foi muito.

Tudo isso, e minha experiência no reboot me dizem que temos que nos abrir pra Deus atuar em nossas vidas, ou não tem jeito. Isso vale pra todo e qualquer problema.

Eu não tenho psicólogo aqui, e me trato com medicina natural. Eu estou muito cansado de sofrer pelos mesmos motivos. Felizmente consegui uma medicina poderosa e já comecei a tomar. Mais do que tomar o remédio, tenho rogado a deus, com muita humildade e respeito, para que ele me cure, se for do Seu desejo e do meu merecimento. Eu tenho confiado cada vez mais na justiça divina, e sei que ele é justo, e nos dá o que é merecido, nem a mais nem a menos.

Também rogo ao poder das plantas, que tanto me ajudam em meus processos. A natureza é absolutamente generosa quando nos entregamos e nos conectamos a ela.

As palavras chave são confiança e entrega.

Confiem plenamente na cura. Não viemos ao mundo pra se acabar na punheta ou em outros hábitos destrutivos. Se isso ocorre, é fruto de nossas más escolhas, de nossa ignorância, de nosso caráter fraco. Mas uma vez que somos iluminados pelas luzes do reboot, tudo muda. Mesmo com quedas e momentos de fraqueza, as coisas nunca mais são as mesmas depois que começamos o reboot. Confiem no processo. Criem uma fé inabalavel no reboot e na generosidade do criador, assim como na generosidade dos pioneiros desse fórum. Esse é um espaço de cura. Ninguém aqui está sozinho e cada membro é muito importante.

Entrega no processo. Bom mesmo é não lutar contra. Isso ocorre no início, mas depois a gente percebe que a grande sacada é se alimentar de coisas boas, só invés de ficar repelindo as coisas ruins.

Tenham fé, sejam sinceros e honestos, estejam dispostos a sacrifícios e a confrontar seu lado mais frágil e fraco. Vejam de perto o quão ridículo e covarde é um viciado em pornografia. Sem culpa. Melhor um pedido ardente de recuperação do caráter.

Vai dar tudo certo no final. Eu vou continuar em frente pra ser mais um exemplo desse fórum.

Desejo paz e equilíbrio a todos nesses tempos difíceis.

Evitem as redes sociais.

Não tenham medo: Deus é realmente generoso, e tudo que ele nos envia é para nosso bem. Mesmo que a gente não perceba isso no momento.

Se não fosse o vício, eu não teria tido a oportunidade de fortalecer meu caráter. Sou grato pelas pedras no caminho, pois sao elas que vão construir meu caminho pro pódio.

Eis o que acredito.

Pornografia nunca mais.

Novamente entrando no hard mode, com todos os cuidados que isso implica.

No dia 90 vou postar aquelas famosas imagens comemorativas que o toguro costumava postar.

Fiquem firmes no reboot e na vida.

Bom processo pra todos!

_______________________________________
Justiceiro do Sertão
Justiceiro do Sertão
Mensagens : 1923
Data de inscrição : 13/09/2014
Idade : 28

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 23/3/2020, 17:53
vierkenes escreveu:Dia 84 do reboot

Em plena crise do sistema, eu estou ficando curado da compulsão por pornografia.

2020, mês de março e eu simplesmente não consumi porn esse ano! Sabem, eu tenho muitos problemas, mas nunca deixarei de ser grato  por estar me sentindo livre dos braços do demônio! Pra mim porn é o próprio capeta, com direito a tridente, tortura e humilhação! Posso enfrentar muitas coisas, mas sem porn é outra coisa.

Agradecer todos os dias por estar livre disso; é o mínimo que posso fazer. Orar com força pra continuar nesse caminho: minha obrigação. O vício foi uma das coisas que mais me feriram na minha vida, e penso que Deus foi generoso comigo por ter me dado a oportunidade de estar aqui, com 84 dias e adiante.

Hoje infelizmente acabei me masturbando. Foi um vacilo porque eu nem tava com uma real necessidade. Eu fui fraco. Me deixei abalar por uma coisa que aconteceu em plena quarentena. Algo que mexeu em antigos traumas e feridas, que continuam jorrando sangue dia após dia. Feridas abertas que muito me machucam.  Não suportei o "baque", fui no mercado e comprei um salgadinho e duas latas de cerveja. Alimento ruim e uma dose moderada de álcool. Senti rapidamente o efeito negativo disso. Doses moderadas, mas suficiente pra me deixar em um estado mais negativo. Depois de um tempo, acabei me masturbando - logo eu, que quero cada vez mais seguir o reboot no hard mode. Gozei rápido,e o orgasmo foi sem graça..

Percebi que o hard mode intensifica a força espiritual. Na verdade eu já sabia disso,mas estava sentindo na pele nos últimos dias. Também não consegui gastar minha energia de forma adequada, o que pode ter facilitado minha queda. O hard mode exige uns cuidados a mais, os quais pretendo desenvolver cada vez mais.

Me senti profundamente humilhado com um comentário inocente de uma amiga. Bom, eu sei que não era a intenção dela e que sou eu que tenho sérios problemas. Mas na hora não consegui conter os pensamentos negativos. Acabei bebendo 2 latas, felizmente não foi muito.

Tudo isso, e minha experiência no reboot me dizem que temos que nos abrir pra Deus atuar em nossas vidas, ou não tem jeito. Isso vale pra todo e qualquer problema.

Eu não tenho psicólogo aqui, e me trato com medicina natural. Eu estou muito cansado de sofrer pelos mesmos motivos. Felizmente consegui uma medicina poderosa e já comecei a tomar. Mais do que tomar o remédio, tenho rogado a deus, com muita humildade e respeito, para que ele me cure, se for do Seu desejo e do  meu merecimento. Eu tenho confiado cada vez mais na justiça divina, e sei que ele é justo, e nos dá o que é merecido, nem a mais nem a menos.

Também rogo ao poder das plantas, que tanto me ajudam em meus processos. A natureza é absolutamente generosa quando nos entregamos e nos conectamos a ela.

As palavras chave são confiança e entrega.

Confiem plenamente na cura. Não viemos ao mundo pra se acabar na punheta ou em outros hábitos destrutivos. Se isso ocorre, é fruto de nossas más escolhas, de nossa ignorância, de nosso caráter fraco. Mas uma vez que somos iluminados pelas luzes do reboot, tudo muda. Mesmo com quedas e momentos de fraqueza, as coisas nunca mais são as mesmas depois que começamos o reboot. Confiem no processo. Criem uma fé inabalavel no reboot e na generosidade do criador, assim como na generosidade dos pioneiros desse fórum. Esse é um espaço de cura. Ninguém aqui está sozinho e cada membro é muito importante.

Entrega no processo. Bom mesmo é não lutar contra. Isso ocorre no início, mas depois a gente percebe que a grande sacada é se alimentar de coisas boas, só invés de ficar repelindo as coisas ruins.

Tenham fé, sejam sinceros e honestos, estejam dispostos a sacrifícios e a confrontar seu lado mais frágil e fraco. Vejam de perto o quão ridículo e covarde é um viciado em pornografia. Sem culpa. Melhor um pedido ardente de recuperação do caráter.

Vai dar tudo certo no final. Eu vou continuar em frente pra ser mais um exemplo desse fórum.

Desejo paz e equilíbrio a todos nesses tempos difíceis.

Evitem as redes sociais.

Não tenham medo: Deus é realmente generoso, e tudo que ele nos envia é para nosso bem. Mesmo que a gente não perceba isso no momento.

Se não fosse o vício, eu não teria tido a oportunidade de fortalecer meu caráter. Sou grato pelas pedras no caminho, pois sao elas que vão construir meu caminho pro pódio.

Eis o que acredito.

Pornografia nunca mais.

Novamente entrando no hard mode, com todos os cuidados que isso implica.

No dia 90 vou postar aquelas famosas imagens comemorativas que o toguro costumava postar.

Fiquem firmes no reboot e na vida.

Bom processo pra todos!

Saudações, Vierkenes.

Todos nós por estes dias passamos por momentos de enorme desgosto. O mundo está tecnicamente em guerra, nossa sobrevivência está em jogo como há décadas não se via, e admira sua determinação em ser um ser humano de verdade.

Que seja realmente capaz de superar qualquer desafio que lhe venha em frente e se consagre como ser humano. Tenha fé, lute com todas as suas forças e só assim poderá mudar sua vida.

Receba toda minha torcida.

_______________________________________
Meu diário: https://www.comoparar.com/t2940-24-de-volta-a-guerra-ferido-humilhado-ate-injusticado-mas-nunca-vencido



Win or die trying.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 25/3/2020, 23:58
Obrigado pela mensagem, Justiceiro! Sempre bom receber suas mensagens de apoio.

Volto aqui no fórum pra falar algumas coisas. Nem todas relacionadas ao vício em si, mas acredito que são coisas úteis para os propósitos do fórum.

A primeira coisa é que, como a maioria aqui, ainda estou me adaptando a nova rotina imposta por conta do momento. Isso tem coisas boas e ruins.

Seria muito bom se todas as pessoas usassem essa "oportunidade" para refletir sobre sua conduta - em todos os sentidos. Mas se a situação é excepcional, nem todos são livres o suficiente para pensar e agir assim. Pra um viciado em P entao, tudo se complica ainda mais.

Vi hoje a notícia de que a indústria porno tá faturando mais por conta dessa crise. Um famoso site liberou a conta Premium na Itália. Imagina o que meu eu de 10 anos atrás não faria! E tudo isso se somou na minha reflexão sobre o rumo das coisas e do meu próprio comportamento.

Nos últimos dias notei um aumento brutal do meu uso de celular, e isso me preocupou. Estou longe da P, graças a generosidade de Deus e dos mantenedores e usuários desse fórum. Porém percebo que os danos do uso excessivo de celular são muito ruins.

Eu sou um cara com ideais de vida alternativo. Gostaria de me desenvolver ao máximo. Eliminar o vício faz parte, mas não é só isso.

Hoje me perguntei se apenas eu, que tenho o histórico de vicio, perco horas na frente do celular, ou se outras pessoas também são assim. Acho que nem preciso responder, porque a resposta é obvia.

Pesquisando, encontrei dicas de um tal Tristam Harris, ex funcionário do Google e que agora tem um tipo de ong voltado pro uso racional e inteligente da tecnologia, ao invés de um uso escravizante. Nós, viciados em porn, sabemos bem o que é isso. Ainda tem as redes sociais, mas o porn é muito mais agressivo e danoso, ao meu ver.

Coloquei meu celular numa escala de cinza. Segundo o Tristam - e nós aqui sabemos bem disso - as cores atuam como recompensa no nosso cérebro. Portanto, mudar as cores pra escala de cinza ajudam a diminuir o interesse pelo dispositivo.

Também limpei a tela principal de aplicativos, e deixei apenas o spin.

Desativei o Facebook. Nunca tive problemas com P ou gatilhos no Facebook, mas ele atua de forma um pouco tóxica em mim, especialmente nesse período.

No momento, estou pesquisando um manual de um relógio que tenho aqui. Eu sempre vejo a hora no celular, costumo ver a hora assim que acordo. Isso é muito ruim. Melhor usar um relógio ou despertador.

Outra dica: se possível, não deixem o celular no mesmo aposento de dormir, pela noite. Vai dormir? Deixa o celular na sala. Assim você vai poder olhar pela janela e ver o céu, ao invés de olhar logo uma tela.

Eu sei que celular é um problema pra muita gente aqui, entao achei que seria realmente útil partilhar essas dicas. Espero ter ajudado alguém.

O reboot está sob controle.

Estou um pouco ansioso pra atingir uma meta alta no hard mode. 30 dias ou mais. Pesquisei bastante sobre isso hoje. Eu leio bastante sobre filosofias orientais, e elas pregam a abstinência pros mais variados fins. Eu particularmente, quero entrar nessa por dois motivos. Por motivos espirituais,primeiramente. Não sei qual a explicação, mas eu já experimentei na pele que o hard mode intensifica a energia espiritual. Minhas orações ficam mais fervorosas e consigo me conectar mais facilmente. Basta eu me masturbar uma única vez que eu sinto essa força diminuir. Pra mim isso realmente funciona, não sei pros outros. O outro motivo - além do óbvio de aumentar a energia e a produtividade - é atrair mais o sexo feminino. Também não sei qual a explicação, mas períodos maiores em hard mode fazem o cara atrair mais as mulheres. Isso também me interessa. Vou deixar a parte da abstenção de sexo ou ejaculação pros mais experientes. Eu não vou de jeito nenhum recusar uma boa oportunidade por causa dessa filosofia. Minha experiência sexual é quase 0, aos 30 anos de idade, e muito me interessa ter umas gatinhas no currículo. Pegar num peito maior, transar com uma mina bem magra. Ver a diferença de uma pra outra. Saber o que é uma mulher na minha cama. Eu preciso e quero viver essas coisas, e acho que o hard mode vai ser meu aliado. Os tempos e a situação não são propicias pra isso, mas acredito que algumas coisas da natureza humana nunca vão mudar, mesmo no meio do maior caos. As pessoas vão continuar a fazer sexo, sem dúvidas.

O bom do hard mode é que ele nos obriga ainda mais a sair só lugar comum do que o easy mode. Bater uma de vez em quando é fácil, mas e sem se masturbar? Aí tem que arranjar um jeito de gastar energia, controlar ainda mais os impulsos e os pensamentos. Coisas benéficas pra um Reboot.

Hoje fiz uma lista de planos pra essa quarentena. Identifiquei que meu grande vilão é de fato o celular.

Da pra fazer várias coisas boas e úteis nesse período. Coisas realmente enriquecedoras. Aí vai de cada um. Eu quero bastante conseguir tocar meus projetos nesse periodo.

Hoje mesmo corri e fiz uns exercícios,já pensando no hard mode. A ideia é fazer todo dia. É bom também porque afasta uma possível depressão: esse negócio de isolamento é osso, e vai abalar mentes mais frágeis. A ideia é se movimentar e fazer o fluxo girar. Estagnação é sinônimo de doença.

Meditação também fazem parte de meus planos. Desde o primeiro dia que entrei aqui que digo isso, kkk, mas um dia eu consigo.

Vai ser foda segurar a compulsão pelo celular. Se eu tiver sucesso, vou começar a "jornada interior", essa sim a única verdadeira. As vezes acho que a tecnologia fez com que as pessoas não suportassem a solidão e aumentou a estagnação. Em tempos sem internet, a pessoa iria logo arrumar o que fazer, e ficar só era mais normal. Hoje em dia, sem celular ou internet a pessoa entra logo em desespero.

A verdade é que há um mundo muito rico aí fora. Dentro de casa também. E dentro de cada um, acima de tudo. Quem sabe eu não redescubro essas coisas simples?

Bom, lembrem-se que tempos difíceis virão, e vamos precisar de toda nossa força e equilibrio pra lidar com os desafios da vida.

Portanto, nada de pornografia. Ou que está ruim vai ficar insustentável e impossivel.

Boa sorte pra todos.

Até a próxima!

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 28/3/2020, 00:51
Dia 28 de março, completo os 90 dias pela primeira vez. Curiosamente, pasmem, exatos 4 anos e 2 dias e após entrar nesse fórum.

Se alguém tiver aquelas imagens comerativas que o pessoa costumava postar e puder colocar aqui, eu agradeço. Eu nunca gostei muito de comemorações, mas tô mudando isso. Faz bem, da ânimo e motivação.

Acho isso de "completar" o reboot papo furado. Primeiro que o processo de cura definitivo pode durar muito mais do que isso. Segundo que o inimigo fica sempre na espreita - mas eu não vou cair mais de jeito nenhum. Realmente acho que já bati punheta suficiente pra uma vida inteira. Terceiro que tem várias coisas que quero ajeitar na minha vida, e que estão relacionadas com meu processo. Vou até enumerar elas.

1) ter uma vida sexual. Eu me sinto MUITO mal por não saber bem o que é isso. 30 anos, perda da virgindade aos 28, 6 meses de muito sexo e na seca completa desde então. Beijei uma menina com 15 anos uma única vez, depois essa ex namorada e só. Hoje li uns relatos de usuários que passam por uma situação parecida. É bem foda. Eu acho até que seguro muito bem a onda, porque o sentimento de frustração é brutal. Fora que me sinto um alienígena. Sempre vi amigos, amigas, conhecidos, homens e mulheres, gays e héteros, todos ficando com alguém de vez em quando, seja relacionamentos ou encontros casuais. Já eu, é como se essas coisas não existissem pra mim.

O impacto do namoro foi muito profundo pra mim, porque foi muito forte, houve amor e entrega, fora que eu fazia MUITO sexo com ela. Deu pra dar uma "religada" no meu cérebro. Inclusive meu reboot só andou depois disso. Antes de perder a virgindade eu nunca tinha conseguido passar dos 30 dias.

Mas já se passaram 2 anos e eu não fiquei com mais ninguém. Ela não quer mais saber de mim. Inclusive perdi ela, literalmente, por causa do vício. Esse detalhe foi muito humilhante pra mim.

Mas em resumo: preciso transar pra caralho. Religar meu cérebro ao sexo real. Conhecer outros corpos, pra esquecer totalmente essa mina que não me quer mais. Por favor, sem GP, porque entre ter um sexo ruim, com zero de conexão e onde eu tenha que desembolsar por algo que deveria ser gratuito, consensual e por gosto, eu prefiro continuar na seca. Esse lance de GP eu deixo pra galera que tá cheia de pornografia na cabeça e acha que sexo é enfiar o pau numa "gostosa" e nada mais.

Esse ponto é o maior desafio pra mim. Tem mais dois que gostaria de conseguir, pra que eu sinta que meu processo foi completo.

2) me entregar com confiança ao meu verdadeiro caminho.

No momento eu não estou trabalhando. Antes dessa crise também não tava fazendo nada. Porém, eu tenho total clareza do caminho que devo seguir. Eu sei qual atividade ou ofício me deixaria pleno, realizado e feliz. Porém, mesmo sabendo exatamente o que devo fazer, eu nunca consegui de fato me jogar nisso.

Levei 6 anos pra me formar, e embora tenha um bom conhecimento teórico da área, eu não fiz absolutamente nada do que eu pretendia ou sonhava quando entrei no curso.

Trabalhar com o que eu quero e sinto que é o melhor pra mim é totalmente fundamental pro meu processo. Só assim vou ser eu mesmo. Eu não quero desperdiçar meu talento por causa de um bloqueio. Eu posso ser muito útil pro mundo. Posso ajudar muita gente. Eu sou bom no que eu faço. Sempre recebi muitos elogios e incentivos nos pequenissimos passos que dei. Meus professores me elogiavam muito e todos diziam que eu não deveria me deixar abater, que eu era bom e tinha futuro na área.

Se preciso for, trabalho numa loja de roupa, num restaurante, limpeza, caixa de mercado, etc. Mas eu não nasci pra nenhuna dessas coisas.

O terceiro item está mais proximo de mim no momento.

3) ficar fitness! Sim, isso mesmo!

Quero aproveitar todo o conhecimento sobre hábitos que adquiri aqui no fórum e incorporar 100% os exercícios físicos na minha rotina

Ser sedentário não da certo pra mim. Tem que mexer e alongar o corpo, ou a coisa desanda em algum momento.

Mais do que isso, eu quero um hábito bem firmado. Tipo correr todo dia por 4 meses, até que o dia que eu não correr, eu vou sentir falta. Quero um hábito firme, enraizado mesmo, no cuidado com o corpo.

Academia não serve pra mim. Mecânico, repetitivo e pouco criativo, fora que eu odeio o ambiente. Já tentei várias vezes, até concluir que puxar peso em academia não tem nada a ver comigo. Prefiro muito mais o aeróbico e particularmente corrida. AMO corrida. Me sinto vivo. Me sinto muito bem quando corro. Consigo correr por quase 30 minutos, o que acho razoavel pro meu nivel e pretensao.

Pesquisando, conclui que preciso de uns exercícios de força também. Faço isso principalmente por motivos de saúde. Mas bem eu preciso de mais força nos braços.

Por algum motivo que desconheço, não consigo ter o mesmo animo e motivação com atividades anaeróbicas. Porém, percebo cada vez mais que elas são fundamentais. Ia fazer esses treinos sozinho mesmo. Em casa ou na rua. Com equipamentos básicos. E com ajuda da internet. Não sou nenhum marombeiro nem tenho grandes pretensões com isso. Gostaria só de dar um mínimo de estímulo prós meus músculos, um pouco de condiciomento, ganhar massa nos braços - meus braços são finos - e só.

Não esquecendo de alongar sempre , porque quero ser forte e flexível.

Tenho em mente seguir um esporte. Dos que experimentai até hoje, o que me atraiu foi a capoeira. Acredito que se eu treinasse sempre, poderia ser algo incrível pro meu desenvolvimento. Fora que gosto muito da galera e da filosofia da capoeira. É extremamente desafiante pra mim, mas a vida é isso! Eu bati punheta todo dia por mais de 10 anos, hoje tô aqui a 3 meses longe dessa praga.

Ainda não cheguei onde quero. Portanto, sem história de sucesso, por enquanto. 90 dias é muito pouco.

Acho que vou simplesmente começar outra contagem, a qual chamarei reboot 2.0.

Tudo em ordem nesse dia 90.

Muito viciado no celular, embora um pouco mais consciente,porque tô guardando ele dentro da mochila, especialmente antes de dormir. Isso faz com que pela manha eu possa raciocinar mais fora da lógica da tela.

Provavelmente uma boa parte da população mundial é assim. Esse negócio de quarentena tá fazendo isso se intensificar. Mas eu não quero ser como a maioria. Eu percebo claramente o quanto o celular é uma corrente, é ilusório e estupido. Especialmente quando perdemos horas nele. Quantas mil coisas úteis e produtivas eu poderia estar fazendo? Se pegasse todo o tempo que perdi de forma inútil no Pc ou no celular, dava pra escrever toda a comédia humana de Balzac - um calhamaco gigante e uma obra prima da literatura.

Fora que o mecanismo de vício é o mesmo. Tela, cozinha,click,ansiedade, perda de tempo. 90% do mundo pode achar isso ok e normal, mas o que é vejo é um grande e estupido desperdício de energia e de tempo.

Vontade de ver P: 0. Acredito que não terei grandes dificuldades pra seguir em frente. O negócio é não se afastar muito do fórum.

Corri quase meia hora nos últimos 2 dias. Hoje descansei. Amanhã o plano é fazer calistenia - penso em intercalar um dia calistenia, no outro corrida.

Talvez faça trilha amanhã, uma trilha mais longa.

Eu dei sorte nessa quarentena porque estou num interior pequeno, sem casos confirmados. Rua calma e tranquila,com algumas pessoas na rua. E muitos lugares de natureza, a maior parte deles vazios.

Acho que por enquanto é isso.

Post comerativo de 90 dias.

Seguir em frente sempre.

Pornografia nunca mais.

Bom Reboot pra todos.
Rottweiler
Rottweiler
Mensagens : 462
Data de inscrição : 22/07/2019
Idade : 28

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 28/3/2020, 13:08
Parabéns pelos 90 dias!

Flw.

_______________________________________
DIÁRIO: www.comoparar.com/t9368-diario-do-rottweiler



Metas de Dias:
01 (X)
02 ( ) 03 ( ) 04 ( ) 05 ( )
06 ( ) 07 ( ) 08 ( ) 09 ( ) 10 ( )
11 ( ) 12 ( ) 13 ( ) 14 ( ) 15 ( )
16 ( ) 17 ( ) 18 ( ) 19 ( ) 20 ( )
21 ( ) 22 ( ) 23 ( ) 24 ( ) 25 ( )
26 ( ) 27 ( ) 28 ( ) 29 ( ) 30 ( )
31 ( ) 32 ( ) 33 ( ) 34 ( ) 35 ( )
36 ( ) 37 ( ) 38 ( ) 39 ( ) 40 ( )
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 455
Data de inscrição : 25/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 27 Empty Re: Diário - Vierkenes

em 29/3/2020, 22:35
Valeu, rottweiler!

Bom, vou parar de botar os dias aqui. Basta saber que a última vez que consumi porn foi nos últimos dias de dezembro do ano passado. 2020 vai ser o ano do meu renascimento, se Deus quiser!

Ainda tenho um pouco de dificuldade de postar nos outros diários. Tenho alguns companheiros aqui os quais estou sempre acompanhando. Nunca me esqueco da história de sucesso do Antônio (se não me engano é esses Nick dele), que diz que o segredo do pós reboot é ajudar os outros companheiros.

Tentarei sempre trazer algo útil e relevante pra esse diário. Espero realmente fortalecer alguém aqui.

Começo meu relato de hoje dizendo que ocorreu uma situação que fez meu mindset ficar negativo. Estou morando com uma amiga - com a qual estou 100% resolvido, nada de frustracao e desejo envolvido na jogada. Isso foi bom pra mim, porque se eu tivesse morando sozinho eu estaria muito pior, sem sombra de dúvidas. Acontece que ela tirou a sorte de ouro nessa quarentena: conheceu um francês antes de rolar tudo isso, o cara gostou dela, ficou, agora ele tá aqui em casa até a situação se normalizar e ele voltar pra frança. Sorte de ouro! Sexo pra caralho na quarentena! Até aí tudo bem, porque eu não sou invejoso e quero que as pessoas sejam felizes. A casa é grande, eles tem um quarto só pra eles, e eu não tenho que ouvir intimidade de ninguém. Fora que essa minha amiga - que é como se fosse uma irmã pra mim - sabe dos meus problemas, então eu sei que ela vai me respeitar em todos os sentidos.

O problema começou quando ela chamou uma amiga pra cá. Isso já diminuiu um pouco minha auto estima, porque eu sei que se eu tivesse sozinho, não receberia visita de absolutamente ninguém. Me sinto um imbecil quando constato que morei sozinho por 3 meses e ninguém colocou os pés na casa. Ainda bem que ela é mais saudavel do que eu e me possibilita esse tipo de coisa! Mas aí eu soube que a amiga dela vem com o namorado!

Vejam, o problema não sao eles, o problema sou eu. A primeira coisa que me veio na mente, acreditem, é que eu vou fazer um pós doutorado em segurar vela. Um pensamento nada bom, capaz de derrubar os mais fracos. Vou estar em casa... socializando com dois casais! Eu não consegui não me sentir mal com isso. Minha amiga percebeu. E eu, com meus problemas e paranóias falei na lata pra ela. "Que caralho eu vou fazer com dois casais aqui? Eu não pego ninguém! Ninguém segura vela pra mim! Vou começar a ganhar dinheiro com isso, vou fazer pós doutorado em segurar vela!"

Rapazes,a resposta dela foi a melhor possivel. Tem a ver com a lição de hoje do meu post. A primeira coisa que ela falou, de forma muito sabia, foi que eu mesmo me coloquei esse título!

Sim, meus amigos, foi minha própria mente que me levou pro buraco!

Não dá pra mudar as circunstâncias externas, isso é um fato. Mas podemos mudar nossa mentalidade em relação as coisas! Na verdade, podemos construir nossa realidade, através de nossas crenças e nossos pensamentos!

Imaginem esse pensamento alimentado repetidas vezes. Logo ele vira uma crença. E uma crença negativa, limitante!

Ninguém me disse isso. Eu mesmo me disse isso. E na hora, eu preferi acreditar em tal possibilidade. Mas a fala de minha amiga deu um click na minha mente. "Ela tá certa, isso é um pensamento. Eu posso cortar isso ou então alimentar. Esse é o segredo do meu bem estar".

A ficha caiu um pouco. Eu me responsabilizei pelo meu estado, ao invés de culpar o mundo - outro passo essencial pra uma vida digna e pra um bom Reboot.

Daí o namorado francês dela, que entende um pouco de português e sacou uma parte da conversa, falou algo ainda mais genial.

Ele falou uma frase só, mas que teve bastante impacto em mim.

Ele disse: "voce é livre pra acreditar no que você quiser, e se você realmente acredita, então funciona".

Essa frase, levada as últimas consequências, é a chave pra libertação.

Cada um de nós tem suas próprias crenças. Alguns boas, outras ruins. Algumas expansivas, outras limitantes. É muito comum ver aqui no fórum pessoas que não acreditam em si mesmas. Que acreditam que são escravas do vício.

Ou elas mudam essa mentalidade ou vão permanecer escravas.

Quem tiver esse conhecimento - que vale ouro! - vai se libertar muito mais rapido.

A realidade é que nossos pensamentos moldam a realidade. Isso não é papo furado. Isso funciona de um modo maravilhoso.

Nós temos sim autonomia e liberdade pra fazer nosso caminho. Não devemos ouvir ou seguir o que os outros dizem. Não somos nossos pensamentos!

Bom, esse foi um puta insight. Eu aqui com um casal e ouço uma "pedrada" dessas.

Estou muito melhor com um casal do que sozinho. Se eu tivesse sozinho, acho que eu estaria é muito mal, com esse lance de isolamento.

Ainda tenho mais coisas pro post de hoje.

Tô conseguindo ter um certo controle do celular. A ideia de manter ele dentro da mochila tá dando certo. Não quero passar o dia todo no celular, porque acho que isso é doentio.

A dois dias que estou lendo o Gita - um clássico religioso indiano - antes de dormir e ao acordar.

Notei que essa prática é muito poderosa, e mais ainda nesses dois horarios. Ao dormir, pra ter bons pensamentos durante o sono, e ao acordar, pra ter bons pensamentos durante o dia. É uma prática muito poderosa. Cada um que escolha seu livro, contanto que tenha mensagens positivas. A minha sensação ao ler o gita nesse esquema é que vou me iluminando aos poucos!

Pra terminar, gostaria de recomendar dois sites que são OURO! Infelizmente ambos em inglês.

O primeiro é o recovery nation, dica do companheiro Il Capo. Joguem no google. Se trata de um site COMPLETISSIMO sobre recuperação em vícios. O foco é o porn, mas lendo mais o site, percebo que se aplica a qualquer outro vício. La tem um tipo de "curso" formado por 72 lições, gratuito. Eu pensei em ler uma lição por dia, e acreditem, é tão maravilhoso que se eu fizesse isso, com certeza iria permanecer mais 72 limpos, a todo vapor. E no hard mode!

O outro site, que também é OURO PURO é o de um norte americano chamado Steve Pavlina. Esse descobri no site do no Gap da gringa.

Se trata de umas das melhores coisas que descobri nos últimos tempos na internet. Gostei tanto que vou ler um post por dia. É um guia COMPLETO pro auto desenvolvinento, em todos os sentidos. Só não traduzo uns textos porque só tenho um celular aqui. Tivesse com pc traduzia tudo. É utilidade pública.

Pois é meus caros, a todo vapor no auto desenvolvimento.

Como disse no post anterior, dei sorte essa quarentena. Um lugar ótimo, protegido, sem nenhum caso confirmado. Casa grande. E na companhia de uma amiga, com o ficante dela. Se eu tivesse sozinho, estaria meio desesperado. E pra completar, estou em posse de minha medicina pra resolver meus problemas. Estou me tratando.

É isso, amigos.

Assumam cada vez mais a responsabilidade por sua situação.

Bom reboot pra todos!

_______________________________________
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum