Diário - Vierkenes

+96
Karnall
DarthVaderMax99
Lima Gomes
Taurus
o2Lázaro
Gardenzio
MEMENTO MORI
Lucas6
DarkSlayer
Léo123
Felipe33
VanGogh
Spartacuz
deltagama_0236
MascaradeFerro
parbat
LikeAStone
PEDRO TRINDADE
TexugoVoador
Guerreiro73
FirmeForte
balboa08
brfreedom
fc1992
Vitrola
gokusaiyajin26pmo
Tendel
Moinho
Rottweiler
Kusmin
Flying
Raposo
emoruw
Nino
Master
Eddie Red Pill
Samurai_Bushido
Mike
Ikki De Fênix
Justiceiro do Sertão
headbanger
Paladino91
Alexandretj
potiguar
The Change
..Heitor..
gustav000
MoonWolf
Leao-lipe
Alan Turing
Marker
Beren Erchamion
Urso Polar
Thor_02
PauloXXX
Seeker
vierkenes
Heitor..
Tiago M
Buda
Marco
Coymacoy
Batman23
mocaccino
Vencedor1989
Bolseiro_carioca
Anti-PMO!
Sevenfalls
Ragnar
CinquentaDias
salazaryuri
Budista Rebooter
Kal-el
masterfigher
Alexei I.
Black Skull
Henrique G
Mega Man
Broda
moonshine
Lutando_pela_vitoria
Vladislau
Brit
dragon
Ed_Fenix
muleke doido
Soli Deo Gloria
Blpr
Tom
couto94
Senhor X
Kuroro
HenriqueT
Toguro
Indiolouco
Randy
100 participantes
Ir para baixo
Piccolo
Piccolo
Mensagens : 271
Data de inscrição : 24/12/2019
Idade : 20

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

13/1/2021, 18:42
Lidar com o álcool e com o cigarro juntos não é uma tarefa fácil mas os dias de hoje há muito estudo científico a respeito de vícios e maus hábitos. Na internet tem muitos artigos a respeito do vício, e ter conhecimento sobre o assunto pode lhe ajudar a como lidar melhor com essas questões. Ano passado li um livro chamado "O Poder do hábito", comentei sobre em meu diário e costumo menciona-lo quando possível, recomendo muito para todos que possuem problemas com hábitos/vícios. O livro explica de uma abordagem bem científica como um hábito funciona, de forma bem resumida vou escrever, um  hábito é um comportamento automático, muitos inconscientes, que fazem parte da nossa rotina cotidiana, este formado por estrutura de um loop, que consiste em DEIXA - ROTINA - RECOMPENSA, e esse loop passa muito despercebido na rotina, ele não é invisível mas é preciso prestar atenção nos detalhes. De forma básica, todo hábito tem uma Deixa específica, e essa deixa é criada por um anseio, ex: vontade de roer unhas;  esse é o que fará o loop girar, logo em seguida vem a Rotina que é ação após a deixa(continuando do exemplo), roer as unhas. E finalmente tem a Recompensa, que é a sensação de prazer após a rotina, no exemplo sendo a sensação prazerosa de ter roído a unha. E o mesmo se aplica a vícios incluindo o cigarro, álcool e a pornografia e masturbação, mas para isso o primeiro passo é investigar a analisar esses hábitos, pois muitos têm deixas difíceis de encontrar, e segundo é mudar a rotina trocando ela por outra coisa  que proporcione prazer. Vejo que você está indo bem, exercícios são ótimas fontes naturais de dopamina, continue com esse treinamento, faça dele seu mais novo hábito!

E sobre frustrações sexuais que é um assunto bem presente no seu diário, bem sabemos que não é fácil ignorar esses problemas e dizer que está tudo ok, mas é preciso colocar cada coisa no seu lugar e aprender a lidar com essas pedras no caminho. Também tive minhas frustrações pessoais no passado, em meu diário fica evidente isso, sem querer fazer propaganda...perdi diversas oportunidades...tanto de amor quanto de sexo, este último não comentei por ser bastante decepcionante, mas com um tempo, eu entendi que simplesmente não era o meu momento, naqueles anos que se passaram eu era alguém muito diferente(enquanto escrevo isso fico me lembrando..), era um rapaz imaturo, cheio de problemas internos mau resolvidos, 0% de interessante, não sabia nada de relacionamento, 0 de experiência no campo afetivo a ainda tinha medo social. Tudo isso contribuiu muito para que fosse propenso a me frustrar inúmeras vezes. O cenário também não ajudava, ficava muito preso em casa, vendo pornografia, quase não saia a não ser da escola para casa ou a igreja algumas vezes, não tinha muito contato com o sexo oposto e quando tinha não sabia o que fazer a não ser se apaixonar de vista, fantasiar e colocar tudo a perder. E durante muitos anos fiquei remoendo isso...Mas passado foi passado e não se pode voltar, mas o que você vai fazer hoje pode mudar sua história, é até meio clichê mas é necessário seguir em frente, melhorar a qualidade de vida investindo mais em você, que ai essas decepções e frustrações não serão nada além de lembranças do que um dia foi. Pense nisso. Quanto ao caso da garota que você gostou e do seu amigo, é melhor não pensar mais nisso. Muito sábio de sua parte evitar pensamentos que lhe causariam decepções como pensar no que eles vão fazer depois hipoteticamente e no famoso "e se" que logo em seguida vem junto a um arrependimento. É preciso evitar sempre isso, pensar na vida dos outros e se comparar, assim como no hipotético "e se", porque ambos não levam em consideração o subjetivo de cada um e suas razões.

_______________________________________
Há sempre uma chance de vitória, por menor que ela seja nela que eu acredito.




O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/1/2021, 15:08
Meu chapa, o que você falou até tem sentido, mas primeiro fique por 10 anos sem tocar numa mulher. Depois a gente conversa sobre isso de sentir falta tá?

Se não gostou, vai embora.

Isso me machuca muito, e o que mais vejo é gente hipócrita, que se satisfaz de vez em quando, e que não tem NENHUMA ideia do que é isso que eu tô falando.

No mais, fica a vontade pra cair fora se tiver achando chato ou perda de tempo.

Melhor cair fora do que ficar dando pitaco em uma situação que (provavelmente, não tenho como saber) você não sabe como é.

Sorte.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/1/2021, 15:21
Aliás, por mim você cai fora do meu diário. Se acha que fico falando chatices e inseguranças, e que assim eu não ajudo ninguém, nem a mim.

Enquanto eu não infligir alguma regra ou algum moderador vier me banir por algum motivo, vou continuar postando essas coisas aí que voce considera chatice.

Vejo diários que são verdadeiros diários do sexo, com relatos de todas as transas do cara. Vejo outros que o cara fala literalmente a mesma coisa todo dia, caindo sempre. Outros ainda, o cara tá perdido mesmo, cego, o que for. Nunca cheguei num diário desses pra falar algo como o que você falou aí.

O que você falou até tem algum cabimento. Sua intenção pode ser boa, mas eu não quero saber de sua ajuda.

Você acha que meu diário tem chatices e inseguranças, e eu achei seu comentário babaca e imbecil. Veja é só minha opinião. Não é pessoal. Nem te conheço, não sei o que você passa, nem você me conhece ou a minha vida.

Por mim você não posta mais aqui

Por favor, não venha mais no meu diário. Sério. Se você acha perda de tempo, blá blá blá, mi mi mi, tá cansado, acha chato, etc, NAO VENHA MAIS AQUI.

Me poupe do seu comentário babaca e eu te poupo de minhas chatices e inseguranças, certo?

Boa sorte aí.

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/1/2021, 16:13
.


Última edição por vierkenes em 14/1/2021, 22:12, editado 1 vez(es)
avatar
Eddie Red Pill
Mensagens : 151
Data de inscrição : 11/04/2019
Idade : 31

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/1/2021, 18:39
Força mano ! não to bom com as palavras pra poder te ajudar, igual vc me ajudou na minha ultima postagem, mas espero melhorar e aproveito essa msg pra deixar meu agradecimento.

Igual eu, tem mais pessoas que acompanha o seu diario e tira as suas ideias como ensinamento. to aqui na torcida por sua vitoria,valeu
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

14/1/2021, 22:10
Primeiramente, peço desculpas se me excedi. Ando esquentado ultimamente, e de forma muito específica quando tocam nas minhas feridas de modo leviano.

O trecho que me causou revolta foi "mas se você ficar citando as mesmas inseguranças e as mesmas chatices de sempre que você tem que lidar mentalmente, o seu diário para de servir um propósito tanto para nós quanto pra você".

Achei que fui tratado com desdém e desprezo nesse comentário. Simplesmente isso. Ficou parecendo que ele se sentiu aborrecido com minhas postagens, chamando meus problemas de chatices. Me senti ofendido e reagi. Eu nunca falei isso pra ninguém aqui. E olha que tem diários que eu também acho chatos, mas por educação e respeito, eu não falo isso.

No mais, eu particularmente não vejo problema nenhum em desabafar nos diários. Sabem, a escrita é livre, então dá pra escrever o que quiser. São coisas da vida pessoal. Coisas que estão fora do alcance de ajuda do fórum. Ainda assim, escrever ajuda. Alivia. Então não vejo razão pra me policiar sobre temas ou sobre meu estilo, se está chato ou não, etc. Desabafos são só pra falar mesmo. Nem sempre tem ou precisa de uma resposta - muito menos é o que espero daqui, a resposta para meus problemas. E também, não precisa julgar.

Outra coisa. Nem sempre estamos bem. Acho que é natural ter post mais amargos ou mais otimistas, conforme o dia e a fase. Também não vejo problema em ficar perdido, andando em círculo (faz parte do caminho), ou então ficar num ciclo quase infinito de quedas. Nem mesmo as desculpas, eu acho feias. Alguém alerta, é claro, mas a própria pessoa precisa ver. Se ela não está vendo, paciência. Eu busco respeitar quem não está conseguindo enxergar certas coisas. Acho muito estranho quando alguém se incomoda com essas coisas. Tem algo de pessoal nisso. (isso já aconteceu comigo algumas vezes aqui no fórum, mas nesses casos eu procuro não postar nada).

Os caminhos são complexos. Tem gente que está aqui a anos, e que pode estar afundada nesse momento.

Apenas para corrigir o companheiro acima, que disse que estou a anos na mesma, quem me acompanha e sabe minha história, sabe que já atingi grandes marcas, que já estive em ótimos momentos, de palavras radiantes e tudo. Nos ultimos tempos eu não estou tão bem, isso é verdade. Mas já estive bem. Já atingi 89 dias, 90 e 110. Minhas 3 maiores marcas. Quando tava por volta do dia 100 eu tava me sentindo bem demais. Tava trabalhando, tava me sentindo bem, confiante, as coisas tavam fluindo mesmo. Continuava sem pegar ninguém, é verdade, mas tirando isso, eu tava MUITO BEM MESMO. Sem essa carga pesada de pessimismo e rancor, que eu admito que tenho comigo nesse momento. Achei justo corrigi-lo, até pra mim mesmo, pra não permitir que ninguém me diminua ou me coloque pra baixo sem saber das coisas. Estou reagindo de forma bem grossa e estúpida com quem tenta me diminuir, sem pensar duas vezes. Um dia eu encontro uma maneira mais saudável de reagir.

Ainda sobre o estilo do diário, me recordo de alguém que postou aqui. Era um colega católico, até. Me recomendou, muito educadamente, que eu evitasse os palavrões e coisas semelhantes. Sabem, eu entendi o que ele quis dizer, mas na hora achei que era besteira. Porém, tem algum cabimento. Talvez agindo de forma mais comedida ao escrever, eu vá me tornando mais comedido e torne a leitura do meu diário mais agradável. Vejam, não estou fazendo isso pra agradar quem está lendo, mas pra ver se minha energia também muda nesse fluxo.

Não tenho muito o que relatar no dia de hoje.

Ontem acabei interagindo com um grupo de adolescentes. Algo não muito comum pra mim. Falavam o tempo todo de sexo. Me perguntaram algumas coisas, e fui honesto nas respostas, numa boa.

Uma hora uma turista bebada veio até mim, de uma forma um tanto quanto desagradável, sabem. Nem reparei se era bonita ou feia, porque o jeito que ela chegou foi ruim. Ai ela deu em cima de uma forma muito grosseira. Eu nem reagi. Ela foi embora. Os adolescentes perguntaram porque eu não beijei ela. Que eu poderia tirar o atraso, que eu ia transar com ela fácil.

Conversando com outros amigos mais velhos, eles falaram que eu fiz certo. Putz. A mulher tava extremamente bebâda. Pra que eu ia fazer sexo com uma pessoa assim? Tudo bem que eu sinto muita falta de sexo (e sinto mesmo, podem acreditar), mas também não preciso, digamos, ser chupado no banheiro imundo do bar.

Sobre isso de sexo, estou rompendo meu preconceito com GP, e assim que der, vou visitar uma. É que não tem aqui na cidade. Sabem, se eu não ficar recorrendo o tempo todo a isso, acho que pode me fazer relativamente bem. Não é o que eu esperava pra mim - gostaria de ter a capacidade de arranjar uma parceira sem ter que pagar por isso. Talvez eu mude com o tempo. Talvez a GP me ajude com isso. Enfim, estou disposto a fazer sexo com uma GP, quando tiver a oportunidade. No mínimo, vai me trazer alívio por um tempo.

Ainda ando com uma certa preguiça mental, que quero erradicar completamente.

Um tanto quanto intoxicado com álcool. Já disse acima qual o remédio. Só falta o mais importante que é a ação.

Hoje arrumei boa parte da casa. Pretendo finalizar ainda hoje de noite. Ficar com a casa limpa.

Minha situação energética e psiquica não é nada boa. Vejam, estou falando pra desabafar apenas. Não espero que ninguém me de conselhos, ou que me ajude a resolver essas coisas. Muito menos que me julguem por isso.

Faço um tratamento com medicina natural. Tem eficiência, se tomado de forma certa. Só não é rápido. Como eu sempre digo, desconfiem de resultados rápidos para problemas complexos e de longa data. Geralmente é furada. O próprio reboot é o exemplo disso. Só uma minoria consegue os 90 dias logo de primeira. Tem gente que leva anos - eu devo ter levado uns 2 anos pra chegar nessa marca, se não me engano. Isso fora os que desistem.

Bom, hoje fico por aqui.

Agradeço as mensagens do Rocketman e do Eddie Red Pill. Ajudou bastante!

Até a próxima e bom reboot.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

15/1/2021, 16:45
Mais um post.

Acabei de cair, diante de uma nova brecha.

Ontem, me envolvi em algumas coisas pesadas, e isso me fez refletir sobre o que tenho feito, etc.

A impressão que eu tenho é que tenho uma quantidade absurda de coisas mal resolvidas, que ficaram muiiiito tempo sangrando sem cuidados. Agora ta na hora de resolver isso tudo.

Ódio e vingança, ainda. Mas ontem eu pedi esclarecimento a Deus, porque não quero me destruir com isso (é o que eu estava fazendo).

Rancor e ressentimento, por não aceitar certos desafios que a vida me impôs. Como meu "celibato forçado", que me deixa profundamente infeliz.

A falta quase absoluta de contanto feminino me deixou amargurando, rancoroso, ressentido e com traços de misoginia. Alguns aqui vão me jogar pedras e dizer que eu to de mimimi, que é falta de atitude, que eu foco demais nisso, etc. Mas sei que tem pessoas mais razoáveis que compreendem que essa condição leva mesmo a esses sentimentos que eu falei. Amargura, rancor e ressentimento. E honestamente, não consigo não me sentir amargurado com isso. Ainda acho que 99% ficaria assim também, se passassem por essa situação. Não estou pedindo esclarecimento sobre isso aqui, nem esperando que alguém me dê uma resposta brilhante. É só um desabafo. E eu também tenho consciência de que essa amargura me deixa um tanto quanto cego. Impede mesmo, de ver certas coisas. Tira até o brilho da vida. A amargura, não a falta de mulher. Pra que ninguém fique achando que eu espero que ao transar, essas coisas desapareçam.

Eu quero é me livrar do ódio, do rancor, do ressentimento e da amargura. Estão me matando e me destruindo. Me fazendo cair até, de uma certa forma. Também quero transar e namorar, porque isso são coisas boas que todo mundo merece e eu também preciso disso. Mas vem em segundo plano. Eu quero mesmo é me sentir em paz e emocionalmente aliviado. O resto é resto.

Carrego essas coisas comigo a no mínimo uns 10 anos.

Já me recomendaram psicólogo. Fiz mais de 2 anos de psicanálise, direto - isso pra não vir alguém aqui me julgar, dizer que eu não faço absolutamente nada pra mudar. Sai, e refletindo bem, eu não gostei tanto. Agora estou numa cidade pequena, que não tem profissionais da área.

Como cada um se trata como quer, eu fiz a minha escolha. Então, sim, estou me tratando. Só pra deixar claro. Não tem como dizer que vai ser rápido, porque foi uma vida inteira nisso. Demora mesmo. Porém, vou fazer um tratamento mais intensivo. Com doses mais frequentes. Acho que isso vai acelerar um pouco as coisas.

Também ando explosivo, respondendo de forma bruta a qualquer pessoa que faça algum comentário que me afete negativamente.

Estou muito sensível. Foi muito tempo tomando porrada. Acho que fiquei traumatizado. Já fico com 7 pedras na mão. Estou me sentindo como uma mulher estuprada, que fica achando que cada homem no caminho é um possível agressor, e já fica com a mão no canivete esperando a hora de usar. Não sou mulher, mas acho que a comparação é válida. É uma sensação de que alguém pode vir te agredir e te diminuir a qualquer momento, e que você tem que reagir com o máximo de força possível, pra que isso nunca mais aconteça de novo. Uma sensação de que a ameaça a minha integridade psíquica e física pode vir de qualquer lado, de qualquer um.

Isso tem um lado bom e um lado ruim. O lado bom é que estou reagindo a quem me agride. E isso é fabuloso. É espetacular. Como eu disse, tomei muita porrada calado, e eu quero ter a capacidade sim, de me defender de qualquer um que venha me diminuir, me agredir, ou o que for. Partindo até pra porrada, se necessário. É melhor ficar com um olho roxo do que com a minha dignidade violentada. Então, reagir é absolutamente essencial pra mim. É uma vitória.

O lado ruim é que minhas defesas estão muito altas. Desconfiado. Até fechado. Fora que posso ser injusto com alguém que nem tinha intenções tão ruins assim. Minhas reações de defesa estão muito exageradas, e nisso posso ser muito agressivo com uma pessoa em que isso não era necessário. Estou de pavio curto. Nunca gostei de pavio curto.

Bom, melhor ter o pavio curto do que um pavio infinito, que vai queimando e consumindo minha alma com o tempo. Sem dúvidas. Mas também não quero ser um cara grosso, que responde com patada a qualquer mínima contrariedade. Isso não é nada legal. Eu nunca fui assim. Tem que achar um meio termo. Nem calado e totalmente passivo, tampouco agressivo e grosso.

Amanhã, marquei de fazer uma aula de boxe. Eu nunca me interessei muito por boxe, realmente não tenho experiência. Porém, quero aprender a bater (pra me defender um dia, se for necessário!), além de descarregar minha agressividade contida. Contida a pelo menos uns 10 anos. Estou vendo os detalhes, mas acho que vai dar certo. Uma aula experimental de boxe amanhã. E tá baratinho.

Domingo, vou ajudar uma amiga na barraca dela. Ela disse que só pode me pagar pouco - e é pouco dinheiro mesmo. Porém, eu topei. Dá uma sensação ruim trabalhar por pouco dinheiro, mas como eu to desocupado e ela é minha amiga, acabei topando. É bom que eu tiro da cabeça os últimos resquícios de insegurança ou algo do tipo. Só ir lá e fazer , seja o que for.

No mais, sinto que deixei o vicio crescer, perigosamente. Estou voltando pro buraco. Sabem quando começa a ficar difícil passar do quinto dia limpo? Pois é, estou nessa.

Muito disso por causa do nível imenso de negatividade que eu estou. Muita negatividade mesmo.

Parece que virei de novo as costas para a espiritualidade. Ficar remoendo ódio e amargura me chamou mais a atenção.

Mas como ontem me vi envolvido em uma situação até mesmo um pouco perigosa, eu fiquei mais ligado. As vezes acontece umas coisas fatais, por pura bobeira.

E a falta de contato intimo, que também deixa a gente negativo. Bom, isso aí só quem passa que sabe como é. Quem não passou por essa experiência, que bom. Mas deixa o cara sim, bastante negativo. Isso me parece um fato óbvio. Ao contrário do que alguns podem pensar, eu não sou assim porque eu quero, nem por falta de atitude ou algo do tipo. Enfim, melhor nem falar muito sobre isso aqui.

Meus planos são os mesmos de sempre.

No momento, estou esperando meus remédios chegarem. Já os conheço e sei que funciona. Com certeza vai me aliviar e fazer com que eu fique mais leve.

Estou vendo qual o melhor modo de bloquear o computador. Também estou com um problema no celular. Acho que no fundo, não deve ter como bloquear legal smartfone. Como o vício tá pegando, ser severo e extremo é uma boa.

Primeira meta, 5 dias.

Espero cumpri-la, pra que eu lembre que já tive dias bem melhores, e que já levei isso aqui a sério.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

Mike
Mike
Mensagens : 529
Data de inscrição : 04/04/2016
Idade : 29

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/1/2021, 03:09
Grande Vierkenes.

De pronto, quero dizer que ainda me sensibilizo muito com a questão do Deserto Sexual. Como já havia dito a você outras vezes, também passo por isso. Mesmo que, por vezes eu tenha saído com garotas de programa (algo que diminuí consideravelmente), considero que ainda estou no deserto sexual, pois nada troca um desejo real pela minha pessoa por um sexo pago.

Essa luta interna que trava contra si mesmo é intensa, entendo bem. É como se não fossemos dignos disso, ficar sem receber o mínimo de atenção ou desejo por parte delas, já passei pela fase pior. Hoje estou até um pouco mais tranquilo, tive que entender que durante um tempo teria de conviver com isso, mas agora estou me libertando. São mudanças lentas, mas que não param.

O que posso fazer efetivamente para te ajudar é simplesmente convidá-lo à dor e à luta. Novamente, vamos reforçar, sei que é fácil escrever aqui porque não estou na sua pele neste exato momento, mas sem dúvidas sei o que você está sentindo e sei que é preciso ROMPER com esta situação. Eu tive que tomar consciência de que precisava agir, mesmo que fosse a coisa mais simples do mundo, como receber um ''bom dia'' sincero de uma mulher linda. Aos poucos, fui ganhando confiança.

Vale lembrar, eu ainda sou um viciado. Com garotas de programa, eu consigo ter ereção razoável, mas ejaculação retardada, já com mulheres que não são, pra mim é um desafio. Ali é diferente, não preciso me sentir confortável se vier a ter DE ou não. Garotas de programa convivem com isso e fazem pouco caso porque o objetivo delas é outro. Mas com uma mulher normal? Existe uma expectativa quando ela se entrega a mim, crio isso. Mas eu não tenho escolha, precisa ser feito. Se vier a ter a oportunidade de isso acontecer, o farei e não vou mais me esconder com meus fantasmas. Cheguei a um ponto em que eu preciso ir para o combate direto.

Vierkenes, eu sei que isso te incomoda profundamente, mas acredite, se você juntar todas às suas forças para romper com essa barreira, você terá melhores resultados. Estou pedindo a você com toda a humildade e vontade de te ver mais forte, FAÇA.

É melhor sentirmos a dor do árduo combate ao voltarmos pra casa do que a dor de fugirmos dele. Esta última deixa marcas profundas.

Força e Honra!

_______________________________________


MELHORES MARCAS EM 2022

1° - 55 dias [ ]
2° - 30 dias [ ]
3° - 15 dias [ ]

Nunca tripudie de um homem derrotado, pois ele pode levantar.

Piccolo gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

17/1/2021, 17:23
Caro Mike, sua resposta muito me fez refletir. Sobre coisas que são muito mais profundas do que o próprio conteúdo de sua fala. Vou escrever sobre isso nesse post.

Bom, começo o post dizendo que me caiu em mãos um livro muito útil e poderoso. Vou deixar o título aqui, pra quem se interessar. Se chama "Não Temas o Mal" de Eva Pierrakos e Donovan Thesenga. Trata-se de uma leitura espiritual - os autores do livro não são esses dois que citei, mas sim uma entidade espiritual. Ou seja, o livro foi psicografado. Muita gente não acredita a mínima nisso, porém, não vejo isso como impeditivo de ler o livro e conferir se o que é dito é válido ou não. Quer tenha sido dito por um espírito ou por uma pessoa. As palavras estão lá. Pouco importa quem escreveu.

Sobre esse livro, digo que é um livro extremamente difícil e árduo de ler. Porque? Porque ele propõe um método para que possamos atingir o que nós negamos. Um caminho para romper a auto ilusão. E isso é algo muito duro pra maioria. Estamos agarrados as nossas concepções, estamos cheios de ilusões. Enxergamos coisas que não existem. Podemos até achar que a vida gira em torno do prazer, do próximo orgasmo, de ter uma mulher que queremos. Ou então, dinheiro, poder, ou qualquer outra coisa.

Só queria dizer que esse livro é um tapa na cara. Muito poderoso. E que evidentemente, não é o tipo de livro apenas para ler, do ponto de vista intelectual. O livro é uma ferramenta para ser ativamente usada. Só ler não vai ter efeito nenhum. É o mesmo que nada. De modo que, ao iniciar a leitura, eu pude ter uma noção do nível profundo de ilusão e erro em que estou mergulhado. Isso é um tanto quanto bizarro.

Apenas para comentar, o autor diz, por exemplo, que a felicidade depende exclusivamente de nós, e nunca de fatores externos, não importa o quanto estejamos iludidos de que, ao conseguirmos certas coisas externas, estaremos bem. Bom, eu concordo com isso. Na verdade, eu já sabia disso. Apenas preciso me aprofundar mais e entender melhor essas questões, pra firmar isso com mais profundidade.

A questão sexual está longe de ser a mais importante. Vai ver eu uso isso como desculpa, como algum tipo de ilusão pra ficar agarrado e ignorar o que realmente importa.

A mente tem um funcionamento muito interessante. Na minha vida de ser humano, noto como ficamos agarrados ao prazer, e adquirimos repulsa ao desprazer. Perseguimos, as vezes obsessivamente, aquilo que nos deixou uma marca muito prazerosa - sexo é uma boa pra isso, porque realmente é uma das coisas mais prazerosas que temos disponível. Não a toa existem tantos viciados em pornografia, não é. Ao menos assim eu penso. Por outro lado, fugimos daquilo que consideramos dor. Fazemos de tudo pra fugir de sensações que nos deixaram uma marca negativa. Isso também é normal, penso.

Mas o fato é que as coisas não acontecem do jeito que a gente quer. O mundo não gira em torno da gente. Nem em torno do nosso prazer. Não é porque desejamos intensamente algo que vamos ter aquilo. Especialmente quando depende de outras pessoas. Aí que não vamos ter mesmo. Impossível controlar isso. Digamos que eu esteja desejando ardentemente uma mulher. Bom, se ela não me quiser, a não ser que eu a estupre, ficar com ela vai ser impossível. As vezes sofremos por isso. Mas é ilusório, não é.

Admito que as marcas que ficaram do meu único relacionamento deixaram marcas muito profundas em mim. Não estou falando que fico pensando nela, em voltar com ela, nem nada disso. Estou falando das marcas que ficaram em minha psique, especialmente do sexo mesmo. Foi uma marca com um poder extremo. Digo que foram alguns dos melhores momentos de minha vida - sim, isso mesmo, transar sem preservativo, gozar dentro, confiança e muito amor, foi uma marca MUITO PODEROSA NA MINHA SUBJETIVIDADE. Vou repetir pra que ninguém entenda errado. Não estou dizendo que fico pensando nela, ou que acho que ela vai voltar. Fico pensando NA SENSAÇÃO. A marca foi muito forte. Admito que pelo poder dessa marca, durante certo tempo, realmente me guiei na esperança de conseguir aquilo de novo. Como se esse fosse meu objetivo. Ora, o que costumamos perseguir na vida? Aqueles momentos em que mais sentimos felicidade e prazer. Acho que isso é normal. Ainda sobre isso, foi só depois dessa relação que eu finalmente entendi porque tanta gente foge de relacionamento como o diabo da cruz. Sabem, o custo de um envolvimento emocional profundo É MUITO, MUITO ALTO. É algo que muita gente quer, mas ao mesmo tempo, que muita gente foge. Os que querem, muitas vezes não tem noção DO CUSTO ALTO ENVOLVIDO. Cuidado com esse lance de se envolver emocionalmente. Não to falando que é ruim, mas que não é só um mar de rosas. É bem mais complicado do que parece.

Por outro lado, também fugi como o diabo da cruz, de certas coisas. Talvez de coisas que me trouxessem a lembrança da dor. Isso também é normal. Tem muitas coisas que me trouxeram muita dor, mas uma que posso citar é o fato de estar ao lado de uma mulher que se deseja intensamente, ela também me desejando intensamente, e eu sem conseguir reagir. Eis meu filme de terror. Eu e uma mulher, desejo intenso e mútuo entre os dois, a coisa pegando fogo mesmo, e eu sem conseguir mover um dedo, sem conseguir nem tocar ela. Bom, espero que ninguém ache chato ou ridículo. Cada um tem seu filme de terror. Se alguém dissesse que seu pior pesadelo é encontrar uma aranha no quarto, eu não ia achar ridículo. Mesmo que eu não tenha problema nenhum com aranha. São coisas da subjetividade de cada um, e é bom buscar não julgar.

Finalmente, espero que esteja bem óbvio que meu problema não é EXTERNO. As vezes, nos meus piores momentos, pode ficar parecendo isso. Que estou esperando alguém chegar. Mas eu tenho TOTAL conhecimento de que não é assim que a banda toca. Meu problema é INTERNO. Ora, e como se resolvem problemas internos? Ainda vou falar sobre isso aqui.

Apenas pra finalizar isso de sexo, acho que o que me prejudicou intensamente nessa área foi o medo de tomar negativas. Sabem, ao invés de ser como meus amigos, que se jogavam no mundo, tomavam vários nãos e eventualmente conseguiam um sim, eu simplesmente preferi fugir bem antes do jogo começar. Fugindo antes do jogo começar, eu não aprendi as regras básicas. E sem saber as regras básicas, a coisa fica muito mais difícil mesmo.

Eu ainda lembro que a um tempo atrás tinha uma amiga, que eu desejava muito. Como a gente era próximo, acho que isso facilitou pra mim, dar em cima dela. Eu dei em cima dela. Do meu jeito. E olha que tem gente que gosta do meu jeito. Mas ela negou. Não quis. Eu fiquei tranquilo. Como eu disse aqui mais de uma vez, meu problema não está no resultado em si, mas na expressão. Ou seja, DAR EM CIMA E CORRER TODOS OS RISCOS DE UMA NEGATIVA É MUITO MAIS IMPORTANTE PRA MIM DO QUE O PRÓPRIO RESULTADO DO JOGO. Se eu coloquei a cara no sol, joguei um pouco o jogo, adquiri experiência e depois perdi a partida, eu estou MUITO SATISFEITO. Fazendo isso, É QUESTÃO DE TEMPO ATÉ GANHAR. É a lei da vida, não é. Experiência, aprendizado, repetição. Até conseguir ganhar. Isso vale pra tudo.

Bom, ela não quis ficar comigo. E eu, que achava ela gatíssima, além de ser uma pessoa que gosto muito. Fiquei tranquilo, sabem. Bem tranquilo mesmo.

Convivendo com ela, fui percebendo que ela tinha problemas muito graves. Gravíssimos. Sei lá.

Ela fazia sexo com frequência. Conheci vários parceiros dela. E tirando os totalmente eventuais -coisa de uma noite ou duas - todos os outros se viam em sérios problemas, depois de algum envolvimento com ela. As vezes até os eventuais se viam envolvidos em problemas.

Uma vez, um desses caras tinha acabado de ir embora, e eu fui no quarto falar com ela. A gente era bem íntimo, então não tinha problema nenhum. Quando entrei no quarto, ela tava praticamente com a cara enfiada em um cinzeiro. Tinha tanta lata de cerveja no chão que eu fiquei assustado. Várias camisinhas espalhadas no chão. Panelas com resto de comida. Etc.

Eu, que já vinha acompanhando todo o processo dela - de intenso sofrimento, diga-se de passagem - finalmente conclui comigo mesmo: "cara, graças a Deus que não transei com ela. Olha o nível do problema. Sei lá. Eu não ia gostar nem um pouco de transar com uma mulher, mesmo que fosse muito atraente, pra acordar num quarto como esse. Olha o nível de toxicidade. Porra. Não vale a pena, umas gozadas pra ter que ficar num ambiente desses, convivendo com uma energia dessas. Não vale a pena mesmo. Ainda bem que não me envolvi".

Não era o que eu queria? Transar um monte? Mas a que custo?

Sabem, as pessoas podem transar, ou até ter um relacionamento. Mas se elas estão emocionalmente enfermas, OS DANOS VÃO SER ALTOS. E esses danos NÃO COMPENSAM ALGUNS ORGASMOS. Não compensam mesmo.

Se eu estou extremamente mal, o primeiríssimo passo é compreender que esse mal estar É MEU, que SÓ EU POSSO RESOLVER ELE, e que NINGUÉM TEM NADA A VER COM ISSO. Achar que uma companhia - seja que tipo de companhia for - vai me ajudar com isso é ilusão grave.

Se ainda assim, insistir em companhias, saber que pode ser bom no início, mas com danos severos depois. Como eu li em uma escritura religiosa uma vez, O MELHOR REMÉDIO É AQUELE QUE É AMARGO NO INÍCIO, E DOCE DEPOIS.

Talvez - vejam como isso é absurdo - nós queiramos ter algo muito bom a um custo mínimo. Até de graça. Mas isso não existe, não é. Não adianta eu procurar, em nenhum lugar do mundo, eu NUNCA VOU ENCONTRAR UM CASTELO OU UMA MANSÃO AO CUSTO DE ALGUNS POUCOS REAIS. E se isso é válido para coisas materiais, é igualmente válido pra coisas emocionais ou espirituais.

Quer algo muito bom mesmo? Algo elevado? Quer ter - por exemplo - uma namorada dos sonhos? Não vou dizer que é impossível, mas antes TEM QUE TRABALHAR MUITO DURO, MUITO MESMO. Alguém show de bola e excepcional, forte, atraente, bonito, bem resolvido, jamais vai se aproximar de alguém cheio de problemas, preguiçoso, que não faz nada por si. Essas pessoas que estão nesse estado só vão atrair coisas semelhantes. E ai vai ser problema atrás de problemas. Muitos danos.

Talvez o mundo seja justo nesse sentido. Temos o que merecemos. Ao nível do nosso esforço. Podemos nos esforçar mais ou nos esforçar menos, ai vai de cada um.

Bom, espero que tenham entendido a profundidade dessas palavras. Quem acha que eu to aqui querendo transar, etc, entendeu TUDO ERRADO. Talvez pareça isso quando estou nos meus piores momentos, mas nunca foi isso. Enfim.

Eu tenho problemas INTERNOS pra resolver, problemas que só eu posso resolver. E NINGUÉM pode me ajudar com isso. Nem minha mãe. Nem amigos. Nem o fórum. Nem uma suposta amante ou namorada.

Hoje acordei e me vi vítima de minha mente, mais uma vez.

Acredito que o fato de estar com poucos dias interfere nisso. Como sabemos, a pornografia tem esse poder de deixar nosso cérebro dopado. Ele só fica querendo drogas, e nada mais. Acho que o reboot tem sim, o poder de diminuir isso, e de aumentar a funcionalidade e o poder do nosso cérebro.

Fui imediatamente lavar a louça. Mas como antes tinha lido o comentário do Mike, essas palavras todas que escrevi vieram na mente, e eu vim escrever.

Pensei que preciso de uma solução pratica para meu problema mental. E como estou, digamos, acomodado a isso - muitos e muitos anos vivendo desse jeito - creio que não existe um caminho que seja fácil para tal. Acho parecido com o reboot, nesse sentido. Sabem, o reboot não é fácil. Quantos desistem em algum ponto da caminhada? Não, não é fácil.

Acho que o que nos move em direção ao reboot É A NECESSIDADE.

Alguém que está passando fome na rua, vai fazer QUALQUER COISA PRA SAIR DESSA. Ela não vai pensar: "ah, é muito difícil fazer aquela tarefa por um prato de comida. Eu nunca fiz isso, não sei fazer, é desconfortável, vou ficar aqui mesmo". NEGATIVO. A NECESSIDADE vai forçar ela a se mover. Isso me parece UMA LEI DA NATUREZA. É simples, não é?

Podemos até permanecer no conforto. Ignorando o caminho real das coisas. Porém, quanto mais tempo ficarmos nessa, mais o sofrimento vai crescer. Até se tornar insuportável. E finalmente voltarmos para aquele caminho que antes considerávamos difícil. Então vamos trilha-lo até com gosto, pois sabemos ser o único que vai nos libertar. Não interessa se tem pedras e espinhos que nos machucam no caminho. Isso NÃO É NADA DIANTE DO QUE JÁ PASSAMOS ANTES.

Portanto, bem lá no fundo, acho que nem temos nada a temer. As coisas se encaminham naturalmente.

Quem ignorar o reboot vai ter seu sofrimento aumentado, até o dia que decidir voltar pra esse caminho. Ignorar inclui tanto o pessoal que caí fora do fórum e desiste, quanto aqueles que estão aqui e ficam por um longo tempo tendo recaída atrás de recaída.

A vida é tão legal que ainda nos deixa escolher a melhor hora. Agora? Ou eu ainda quero sofrer e
me iludir mais, antes de seguir o único caminho correto?

Acho que falei disso tudo pra falar da minha questão mental. Bom, acredito que NÃO EXISTE CAMINHO FÁCIL PRA SAIR DE UMA SITUAÇÃO DE CONFORTO. O negócio realmente é o espírito de luta e confronto. Como o Mike falou. A cada dia que passa eu vejo aumentar mais e mais a minha necessidade de MEDITAÇÃO. Existem várias ferramentas pra combater esse "excesso de mente". Eu já uso algumas delas, inclusive. Mas a MEDITAÇÃO me parece ser a mais poderosa e eficiente. Realmente acredito que, mais tarde ou menos tarde, a NECESSIDADE vai me levar nessa direção. Isso me prejudicou a níveis muito extremos.

Fora viver a vida né. Muito útil para todos os tormentos e conflitos.

Pra finalizar, surgiu um trabalho na minha área aqui. Isso me deixou feliz, pois eu tinha praticamente desistido da minha área de formação. Me aproximei de quem mexe com isso aqui. Parece que a vida está me mostrando que nem tudo está perdido. Eu aqui, preso ao passado, achando que o percurso universitário foi um grande desastre, e aparece uma oportunidade bem na minha frente, de trabalho, no que eu gosto.

Dessa vez, não vou recusar, como faria nos tempos de universidade, por medo. Porque eu amadureci. E o amadurecimento é o processo natural das coisas e das pessoas.

Alguém disse lá em cima que estou a 4 anos na mesma.

Bom, eu repudio completamente essa visão. As vezes pode até parecer isso mesmo, sabem. Existem barreiras e impedimentos que podem permanecer por vários anos mesmo. Por décadas até. Isso é normal. Mas depende muito do quanto a gente quer se esforçar. E cada um é livre pra fazer nenhum, pouco, médio ou muito esforço. Livre mesmo. Ninguém obriga ninguém a nada. Muito menos a estar nesse fórum.

Cada um caminha na velocidade que quer. Temos aqui companheiros que estão livres do porn a alguns anos. Outros abandonaram o fórum, e provavelmente ainda estão na mesma até hoje. É isso. Cada um que avalie o quanto pode dar, e a colheita com certeza será correspondente.

No mais, o reboot É TOTALMENTE FUNDAMENTAL PRA TODOS MEUS OBJETIVOS. Se eu ficar nessa, caindo a cada 7 dias, TUDO VAI FICAR PARADO E EU NÃO VOU AVANÇAR EM NADA.

E apenas pra lembrar, outra regra de ouro do reboot: FAZER AS COISAS DIFERENTEMENTE, PARA TER UM RESULTADO DIFERENTE. Se nada mudar na minha rotina, VOU CAIR DE NOVO. É simples como 2 e 2 são 4.

A impressão que eu tenho é de que me abandonei, devido a uma ilusão. É como se eu estivesse colocando todos meus esforços na direção contrária da correta. Um erro de visão e de avaliação muito grave.

Isso pra não falar na visão imediatista, que 90% da sociedade tem. É smartfone, pornografia, fast food, notícias que chegam aos montes a cada segundo. Sabem, essa é a nossa sociedade. Imediatista. Mas isso me parece ser uma grande, grande ilusão. Não a toa tem tanta gente viciada em porn. Ou em outras coisas. A vida É CUSTO E ESFORÇO CONTÍNUO. NADA DE BOM VEM RÁPIDO OU DE GRAÇA. É importante entender bem isso. Achamos que a linha de chegada pro sucesso é daqui a 10 km, quando na verdade a pista é praticamente infinita, e vamos ter que correr muito mais tempo ainda, pra chegar em um lugar digno.

Vamos indo, com 7 dias como meta.

Como tenho caído muito nos últimos tempos, esses 7 dias vão ser BEM DIFÍCEIS.

Vamos lá.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________

Rottweiler gosta desta mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/1/2021, 06:39
Ainda não atingi a meta de 7 dias, mas vim aqui partilhar umas coisas.

A primeira é que tenho enfrentado emoções bem extremas - rancor, ódio, culpa, etc. Bom, acho que porn perto dessas coisas é quase brincadeira de criança. O potencial destrutivo dessas coisas é muito elevado, ainda mais quando estão presas no peito a muitos anos.

Então, só pra esclarecer, eu sofro de problemas emocionais profundos.

Após uma maré ruim - todos os dias na rua bebendo, até às 3 da manhã, acho que repentinamente tive um momento de esclarecimento.

Um amigo veio pra cá e vai ficar aqui uns dias. A casa que eu tô é pequena, mas a gente se dá muito bem, então é tranquilo. Esse cara é tipo um anjo aqui na terra pra mim.

Todo dia de manhã, ele me chama pra arrumar a casa e fazer algo pra comer. Também me incentiva a treinar com frequência. Fazemos umas flexões e abdominais, etc.

Como é um cara que eu confio, expliquei minha situação pra ele. Me deu ótimos conselhos.

Um dia dessas, eu despejei minha sanha assassina no colchão. Isso mesmo. Pegue uma barra de ferro e meti no colchão. E muitos socos e chutes também. Se o colchão fosse meu, eu teria esfaqueado ele, mas é da casa que eu tô.

Fazer isso me fez bem, e me fez externalizar esses sentimentos. Minha expressão do rosto mudou (ficou bem "assassino"). Senti força. Pensei que se um dia, em uma situação extrema eu tiver que reagir, eu consigo fazer alguma coisa - coisa que antes eu não acreditava. Achava que ia ficar parado deixando alguém me agredir.

Apesar dos sentimentos negativos, coisas muito interessantes aconteceram.

Começo dizendo que estou inflamado por uma mulher. Acho que isso é muito positivo, no meu caso.

Tem tempo que a gente se olha e se vê. Como vocês sabem, eu sou quase que totalmente inapto pra essas coisas. Tenho mais de 30 anos e só beijei uma mulher na vida. Minha experiência com tudo relacionado a essa área é quase zero.

O fato é que tenho traumas profundos com isso. E um medo que me deixa totalmente acorrentado nessas situações. Eu vou quebrar essa porra. Vai tomar no cu. Me perdoem a expressão. Eu não aguento mais essa merda, e não vou perder mais uma oportunidade que a vida me oferece.

Pois bem, eu estava com essa mulher e um amigo. Não sei o que aconteceu que ela se aproximou fisicamente de mim. Tocou meu rosto. Sabem, eu acho que ela falou algo bem explícito ("eu quero você" ou algo assim). Mas o meu medo disso é tão grande que eu nem consegui ouvir o que ela falou. Fiquei sem reação. Desviei o olhar dela. Vejam que coisa.

Na verdade, ela já tava ficando com meu amigo. Mas eu não reparei, porque eles não davam nenhum sinal disso.

O que eu conclui é que ela tá dando uns pegas nele, mas é afim mesmo é de mim.

Bom, a mina me chamou "na xinxa" e eu não fui capaz de reagir. Eu simplesmente mal consegui sentir quando ela passou a mão no meu rosto.

Fui pra casa me perguntando porque eu me fechei pra essas coisas de forma tão violenta. E depois fiquei pensando na tal mulher.

Sai de manhã e vi meu amigo se despedindo dela, na porta de casa. Se beijando.

Claro que meu lado negativo pensou : "foderam um monte, transaram gostoso, e eu tava pensando nela". Mas depois, a razão : "deixa eles se pegarem, eu vou dar em cima dessa mulher de qualquer jeito. Se tiver que ser, será".

Hoje em casa eu tive a certeza de que estou inflamado por essa mulher. Eu quero muito ela. E não vou, de jeito nenhum, tomar nocaute do medo mais uma vez. Vai se foder. (Perdoem a expressão). Acabou essa porra. Vou queixar ela de qualquer jeito.

Não consegui dormir, de tanto pensar nisso. Eu acho que ela conseguiu despertar alguma coisa em mim. Senti minha parte interna começar a se mexer.

Como não conseguia dormir de jeito nenhum (as 3 da manhã), pensei em tomar uma única cerveja pra ver se eu dormia. Sai na rua e vi ela.

Só pra vocês terem noção, fumei uns 4 cigarros só pra conseguir falar com ela. Vejam o tamanho da minha repressão interna. Morrendo de medo. Eu quero mesmo transar com essa mulher, muito.

Entreguei um presente com meu número de WhatsApp pra ela. Ela me perguntou se eu pensei sobre o que ela falou ontem. Eu não sei ao certo o que ela falou ontem. É uma situação que minha consciência tem tanto medo que ela simplesmente rejeita, apaga ou esquece qualquer coisa relacionada a isso.

Disse que pensei muito sobre isso (??!). E não desviei o olhar dela. Senti intimidade no olhar, mas não durou muito tempo.

Bom, da próxima vez que eu encontrar ela, vou falar exatamente essas palavras: "eu não consegui dormir pensando em você". E aí a gente vai ver o que rola. Se não der nada, tranquilidade total, mas eu tenho 99% de certeza de que ela tá minha. Como ficou claro no post, sou realmente péssimo pra essas coisas

No mais, tive um pequeno acidente hoje. Interpretei isso como uma falta de cuidado grande comigo mesmo.

Estou morando só e sem família aqui. As vezes fica difícil se cuidar bem. Não tenho ninguém pra fazer almoço ou janta pra mim, caso um dia eu esteja realmente muito pra baixo pra fazer essas coisas.

Hoje também, me senti sufocado com cigarro. Uma verdadeira bad trip. Cheguei a jogar tudo que eu tinha fora, mas fumei vários cigarros hoje. Repressão emocional é complicado. Acho que deu pra entender um pouco porque eu fumo tanto, com esse post.

Tenho alguns compromissos nos próximos 10 dias, então optei por não pensar em trabalho nesse período.

Contudo, desenvolvi um outro projeto, por conta própria. Se tudo der certo, vou ter um produto meu, pra vender na rua. Claro, tem aquele medo de abordar as pessoas nas mesas oferecendo algo. Mas dá pra superar isso fácil.

Confiem senhores, e sigam em frente.

Bom Reboot pra todos.

_______________________________________
Spartacuz
Spartacuz
Mensagens : 392
Data de inscrição : 17/10/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/1/2021, 16:34
Força, essa mulher não te escapa!

_______________________________________
“O verdadeiro lugar de nascimento é aquele em que lançamos pela primeira vez um olhar inteligente sobre nós mesmos” -  Marguerite Yourcenar.



Contador:

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

avatar
Eddie Red Pill
Mensagens : 151
Data de inscrição : 11/04/2019
Idade : 31

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

23/1/2021, 19:33
E ai  Vierkenes !  

Controle as emoções  e vai pra cima dessa mina. Acho  que sei o que sente e cuidado com a ansiedade.

Como você deu a entender : foque no processo, e desapega do resultado.

Tem um site chamado Pua Base,  tem um conteúdo sobre sedução, talvez possa ajudar no traquejo.

E acredito que com esse novo trabalho, as emoções de rancor, odio e etc, vão enfraquecer drasticamente.

Temos que tratar esses sentimentos, pois mesmo com 90 dias de reboot, vamos continuar estagnados mentalmente. Creio que pra isso a meditação é bastante util.Tem varios tipos. To agradando da meditação ativa, pra tentar controlar a mente.

Vou deixar um pedaço  de um texto que vi :  Não exite em arriscar, talvez você possa até perder a garota, mas no fim das contas, mesmo o fato de perde-lá pode ter sido a melhor coisa que te aconteceu. Cabe a você manter o otimismo em toda e qualquer situação, SEMPRE!

Avante irmao


Última edição por Eddie Red Pill em 24/1/2021, 19:52, editado 2 vez(es)

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

24/1/2021, 20:58
Bom amigos, eu não fiquei com ela.

Eu não estou me sentindo mal com isso. Ao contrário, estou me sentindo muito bem, porque agi com coragem, disse mesmo que queria dormir com ela e tudo. Isso é o que vai me trazer a harmonia de volta. Falar, expressar e não ter medo de jogar o jogo. Eu não tenho problema em perder o jogo. O que faz com que eu me sinta um lixo, um merda, é fugir do jogo bem antes de começar. Ai não dá. Mas jogar e perder, não tem problema.

Bom, estou me sentindo um lixo por outro motivo.

Ontem eu estava na rua, tinha umas 10 ou 12 pessoas comigo. TODOS, eu disse TODOS, estavam com alguém. Ou namoradas. Ou ficantes. Ou alguém que surgiu na hora. TODOS.

Não vou me alongar muito nesse assunto, porque sei que nem todo mundo entende isso. Mas imaginem a seguinte situação (um exemplo razoável a meu ver).

Você está num lugar em que todas as pessoas ao redor tem tênis ou sandália. E você não. Pra onde você olha, não vê ninguém descalço, a não ser você. E você cresceu nessa. Sem nunca ter tido uma sandália ou sapato, e vendo todo mundo calçado o tempo todo Não seria normal ser invadido por sentimentos negativos e ruins diante dessa situação? O que dizer pra essa pessoa? "Olha, você não tem que se comparar com os outros". Ok, eu concordo com a frase, mas dizer isso pra uma pessoa nessa situação me parece....completamente imbecil (desculpem a sinceridade). Ou então: "você foca demais nisso". Ok, pode até ser verdade, mas o chão é quente, machuca os pés, e todo mundo tem uma sandália pra calçar menos você. Como não pensar nisso constantemente?

Então uma hora eu me senti realmente um grande merda. Uma pessoa doente mesmo. E nem mesmo é a primeira vez que passo por esse tipo de situação. Ao contrário. Vivi isso minha vida inteira.

Bom, eu dei em cima da mina e ela não quis ficar comigo. Fora o fato de que eu não entendi algumas reações dela - realmente fiquei sem entender, porque ela tinha me dado alguns sinais, estou bem. Sabem, o não dela foi muito comum e normal. Claro, eu podia ter "forçado" um pouco. Insistido um pouquinho. Questionado mais ela. Mas quando ela disse "olha, gosto de você, você é incrível, mas eu só quero você como amigo tá?", quando ela disse isso, ai eu pensei: "é isso, foda-se, não to afim de gastar energia, insistir, perguntar ou qualquer outra coisa. Vida que segue, e que ela fique bem". Ainda continuo sem entender algumas atitudes e reações dela. Mas agora, não to ligando a mínima pra isso. Não preciso e nem quero entender essas coisas. Ou talvez isso se esclareça mais adiante. Ela é uma pessoa legal, me trata bem, então acho que vou ter outras oportunidades de convívio com ela. Mas sem ilusões. Não me importo de conversar com ela.

Fora esses fatos, um dos compromissos que eu tinha foi adiado.

Fui chamado pra uma possível entrevista num lugar aqui na cidade. Eu admito que fiquei um pouco intimidado e com mais medo que o normal, porque o lugar é muito "chique", sabem. Não é um lugar ruim, mas tem uma atmosfera muito refinada, com a qual eu não me identifico muito. Senti um medo danado de ir lá. Como se eu não me encaixasse naquela padrão, sabem. Ainda sinto o medo, sim. Acho que isso varia de acordo com o lugar. Tem uns lugares que nos transmitem uma sensação de mais tranquilidade, nos identificamos, somos mais bem acolhidos. Outros são muito diferentes, a gente se sente fora daquilo. Sim, eu sinto muito medo. O suficiente pra me travar e me fazer ir embora. Mas eu quero tentar vencer isso. Vai que dá certo? O medo é um inimigo muito cruel....mas é possível vencer ele. Eu provei isso, dando em cima da tal mulher lá. Não foi nada fácil, mas eu consegui.

No inicio do mês que vem, vou participar de uma sessão com o uso de enteogenos. Bom, não quero discutir isso com quem não entende do assunto, nem quero provar nada pra ninguém. Sei que pra mim essas coisas se mostraram extremamente poderosas, úteis e eficientes. Acho que podem me aliviar BASTANTE mesmo. Estou aguardando o dia. Certeza que vai me fazer um bem muito grande.

Parar de beber também tá muito complicado. É muito difícil, quando a repressão emocional é tão grande que me sinto literalmente, afogado e soterrado com dez mil quilos no peito, que nunca saíram de lá, que nunca fluíram. Eu espero que eu me cure dessas coisas. Se continuar assim por muito mais tempo, acho que vou ter alguma doença grave. Um câncer. Sei lá. Isso não tem nada a ver com saúde e bem estar. Guardar todo esse peso no meu peito (incluindo aí o desejo e a expressão sexual, mas também o ímpeto criativo, as mágoas, a tristeza e a angústia, o próprio fluir da vida mesmo). Fora que eu vivo a vida a 1%. Tenho um potencial incrível, poderia estar sendo muito útil com o que sei fazer, mas quem disse que eu faço? Vivo a 1% da minha capacidade, porque os outros 99% estão bloqueados. Então, realmente não sei o que fazer. As vezes dá vontade de se jogar da ponte.

Ainda não atingi os 7 dias. Só vim atualizar a situação.

No momento, estou me sentindo, literalmente, morto. Deprimido. Fodido. E sem perspectiva.

Não sei até onde vou nessa tentativa. Mas vamos indo.

Bom reboot pra todos.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

26/1/2021, 00:55
Cai no dia 7. O negócio é levantar e tentar de novo. Sem se massacrar. Confiar que cada coisa tem seu tempo certo. É claro que é difícil entender isso em sua profundidade, mas eu acredito mesmo nisso.

Sem muito a acrescentar.

Energia muito baixa. Muito deprimido. Até minha expressão do rosto está pra baixo e triste. Não to conseguindo fazer nada.

A partir de hoje, eu irei parar de consumir álcool, visando um trabalho espiritual que irei realizar em breve. Claro que isso vai ser um sacrifício pra mim, porém estou disposto, pois vai valer muito a pena.

Ao assistir o vídeo, meu lado negativo atacou: "você nem mesmo sabe o que é uma mulher de verdade. Praticamente nunca viu uma calcinha ou um sutiã, não sabe o que é tocar nessas coisas, muito menos em um corpo feminino". Bom, é meu lado negativo, mas tem um fundo de verdade. Eu só não vou transar com uma GP porque aqui na cidade que eu to não tem. Se tivesse, já teria ido. Dá um pouco de trabalho ir na outra cidade, além do que eu to com pouco dinheiro. Mas se eu tiver com alguma grana, vou ficar de propósito no hard mode uns 15-20 dias, só pra ir ter um encontro com uma GP. Perdi meus preconceitos com isso (um pouco de timidez, mas isso desembola fácil).

Infelizmente estou procrastinando TUDO. E não to conseguindo fazer NADA.

Medo da porra da entrevista que terei na quarta. Acho que tem a ver com o lugar. Me sinto intimidado com o clima e o ambiente. Espero enfrentar isso, com a mesma coragem com que dei em cima da mulher que eu era afim.

Também estou tomando coragem pra ir fazer umas trilhas mais longas, porém sozinho. Seria muito bom pra mim ir acampar num lugar legal, porém eu quero ir sozinho. Ir sozinho é outro esquema. Completamente diferente. Quero ter esse contato só comigo mesmo e mais ninguém, num lugar realmente bacana. Irei providenciar essas coisas.

Bom, vou me reerguer imediatamente. Se eu não repetir esse erro de novo, trancar mais uma vez o computador inteiro (infelizmente, medida necessária), talvez de certo. Cortar o álcool já vai ser bom demais. Estou muito disposto, pois tenho um objetivo muito claro com isso.

Não estou bem, mas desejo um bom reboot pra todos.

_______________________________________

O autor desta mensagem foi banido do fórum - Mostrar mensagem

vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

28/1/2021, 03:58
Mais um dia de reboot.

Hoje, após várias cervejas e muita maconha (sim, sou filho de Deus, falho, e as vezes não cumpro minhas promessas), eu comecei a entender a minha situação.

Primeiro, digo que já estive melhor do que agora. Definitivamente e em todos os sentidos.

Segundo, que estou em uma ânsia extrema e absurda.

Terceiro, que estou o tempo inteiro querendo fugir de mim mesmo.

Quarto, que não estou conseguindo ficar sozinho. Sempre saio pra rua em busca de uma ilusão, e sempre me drogando de alguma maneira.

Agora a pouco, olhando o celular, praticamente em estado de desespero interno, eu entendi o que significa os tais "contatinhos". Pra quem é quase virgem, como eu, é quando duas pessoas vazias se encontram pra fazer sexo. Um sexo que imagino que deve ser vazio. Quase como se masturbar em uma vagina. Pra quem é virgem ou quase virgem, isso é difícil de entender, mas agora eu acho que tô tendo uma leve noção do que seja.

Bom, se eu tivesse um contatinho, eu iria sem dúvidas, mas isso apenas porque eu nunca fiz isso. Então iria só pra experimentar algo novo. Uma droga nova. Uma nova forma de sair da realidade.

Andando perdido pelas ruas, comecei a me culpar e a me julgar por essa situação. A me massacrar. Eu sei desse meu problema. Eu estou profundamente exausto dessa merda, porque isso drenou boa parte da minha energia, desde sempre. Vocês sempre falam isso aqui. O que vocês não entendem é que isso é um vício pra mim. E acreditem, um vício mais poderoso do que a própria pornografia. Umas 100 vezes mais. Só daí vocês já conseguem ter uma ideia

Eu tenho vergonha de ser quem eu sou. Acho que enquanto eu não resolver isso, vou permanecer escravo de todos os vícios.

E ainda tenho outros vícios psicólogicos e emocionais. 99% de minha energia vital, física e psíquica completamente drenada.

Só o que consigo fazer é beber e fumar, mais nada.

Algo que conta pro meu estado é a falta de um trabalho. Sem dúvidas, isso tá me prejudicando muito. Se eu tivesse trabalhando, eu estaria bem melhor. Eu sou praticamente a única pessoa que conheço (dos que andam comigo) que não trabalha. Isso tá pesando demais. Já tem muito tempo que tô nessa. E quem disse que tô indo atrás? Só as vezes, em um lampejo de ânimo. Na maioria das vezes, eu fujo, de medo ou então sem energia porque to de ressaca. Porque bebo todo dia porque não estou suportando viver a vida como eu vivi até aqui, na maior parte dela. A universidade inteira foi assim, só pra vocês terem ideia.

Fico triste com o desperdício vital e de talento que está ocorrendo comigo.

Me sinto incomodado com a cidade,pois é muito pequena, eu estou 100% perdido e todo mundo tá vendo isso.

Vou me mudar de casa pela décima vez, porque vivo de forma provisória a muitos anos. Hoje pensei em simplesmente ir embora daqui - embora goste muito. Fugir de mim mesmo de novo. Não volto pra casa dos meus pais porque me fodi muito lá, em todos os sentidos, e acredito seriamente que iria piorar muito. Só o fato de ter 2 smart tv e o mesmo computador da minha adolescência já complica muito. Quem é viciado tá ligado do que eu tô falando.

A impressão que eu tenho é que minha vida acabou. Claro, ela não acabou. Mas as vezes é o que parece.

Cai em uma arapuca mental que tá difícil sair. Parece até que vou morrer nisso.

Hoje na rua, vi a menina que gosto (gostava, porque agora eu não tô nem aí) e um grupo de pessoas. O primeiro que vi é que todo mundo trabalha. Eu fico me culpando, achando que não tenho a capacidade mental e física pra isso - se tivesse, já estaria fazendo. Viram como minha mente me matou? Como essas questões mentais tiraram todo o brilho de minha vida? Não obstante, não consigo parar. Não consigo mesmo. Acabou a minha paz. E embora eu já tenha estado melhor do que agora (lembrem-se disso), esses são problemas que carrego e conheço desde adolescente. É minha cruz. Está pesada e eu tô pedindo pra sair.

A outra coisa que reparei é que todos eles conseguem se expressar sexualmente. E eu não. Bom, acho que isso é realmente uma doença. Não é normal. Vejam, eu não estou nem mesmo falando sobre saber estar só, etc. Isso é óbvio. Estou falando simplesmente de dar uma transada. Eu já conheci pessoas com questões parecidas com essa, pessoas que nem mesmo conseguiam ficar sozinhas, mas que transavam. Já disse que não quero o amor da minha vida, só queria dar uma trepada mesmo. Mas o que vou fazer, já que se uma mulher disser que quer me beijar, eu saio correndo? Pra depois me masturbar sozinho no colchão. Isso é doença. Sei lá.

Acabei de bolar um beck. Já ia fumar, quando pensei: "é, to fugindo de mim mesmo, e essa é a fuga que não tem fim". Eu estou literalmente, preso dentro de mim mesmo. Em uma prisão mental muito pesada, que faz com que eu pense em me matar. Eu pensei em pegar mais cerveja, e beber até perder a consciência. (Sério).

Bom, antes de fumar o Beck - que estou fumando agora - eu acho que entendi tudo.

Eu entrei em uma luta perdida.

É como se eu estivesse esmurrando a parede por ter um olho da cor azul. Louco e desesperado, bebendo até morrer, por ele ser azul. E fazendo de tudo pra ele ser verde. O azul não me serve. Vou reclamar, esmurrar e me drogar, porque quero meu olho verde e não azul.

Mas sabem qual a questão?

Ele nunca vai deixar de ser azul. Simplesmente isso. Ponto final.

Daí eu tenho duas opções. Ou continuo me matando e me destruindo porque não aceito as coisas como são. Ou aceito a realidade e fico em paz.

O primeiro caminho vai ser daqui de onde estou pra baixo. O outro é a retomada de um projeto de vida, uma nova chance de bem estar, paz, saúde mental, um bom trabalho, e porque não, uma namorada.

Sabem, eu não sei exatamente como recuperar eu mesmo, quem eu sou, e consequentemente alguma possibilidade de bem estar. Eu tenho só uma leve ideia.

O desafio número 1 pode ser passar 1 noite em casa, sem se chapar. É um bom começo.

Acho que me perdi legal de mim mesmo. Eu já estive melhor. Sei disso.

Já atingi 110 dias de reboot.

Já tive um relacionamento afetivo/amoroso por 6 meses (!!!!!!!). Única mulher que beijei na vida,mas foi tão maravilhoso que valeu todo o tormento.

Já trabalhei com o que realmente gosto, sendo elogiado e incentivado por isso (tá aí algo que não tem preço, quase tão bom quanto transar com alguém que você gosta).

Já escrevi coisas altamente inspiradoras e elevadas nesse fórum. Aqui mesmo nesse diário, por exemplo.

Sabem, apesar do meu tom pessimista (é, eu não tô bem mesmo), na verdade eu não sou nada pessimista.

Embora esteja alcoolizado, chapado e mal, esse post,na minha opinião, revelou que na verdade eu estou começando a enxergar as coisas como são.

Eu ainda sou jovem.

Estou vivo, tenho saúde, e ainda posso fazer tudo que eu quero (trabalhar com o que gosto e arranjar uma namorada, são meus dois sonhos no momento). Eu ainda posso ter essas coisas. Na verdade nem mesmo há um limite para isso.

As pessoas se iludem muito. Acham que só porque atingiram certa idade, não conseguirão mas as coisas.

Usando o amor sexual como exemplo (poderia ser qualquer outra coisa). Eu perdi a virgindade com 28 anos. Eu achava que era impossível, e aconteceu. Foi tardio, mas garanto que foi igualmente incrível e maravilhoso. Um escritor famoso (não lembro quem é) se apaixonou perdidamente aos 70 anos de idade. Quando lhe perguntaram, disse que foi uma das maiores bençãos de sua vida, e que ele jamais esperaria que isso acontecesse com uma idade dessas.

Há grandes artistas que só começaram em seus ofícios depois dos 40 anos. Passaram a maior parte da vida fazendo outras coisas e começaram na arte "velhos". Se tornaram gênios e famosos.

Quando eu tava vendo a menina que eu gosto - ela realmente mexe comigo, mas prometo que vou desencanar o mais rápido possível, kkk - eu tava vendo vendo e então vi como tudo é efêmero.

Daqui a 1 ano, metade daquelas pessoas não vão mais estar aqui.

Outras mil outras mulheres atraentes e bonitas vão aparecer.

Eu posso me mudar de cidade e começar uma vida nova.

Eu poderia me apaixonar, viver uma relação intensa, e então ela morreria em um acidente de carro.

Ou então terminaria definitivamente comigo, de um dia pro outro (foi o que aconteceu comigo, no relacionamento que tive).

É tudo muito efêmero,e a gente fica dando atenção a coisas pequenas. As vezes até fazendo nossas vidas girarem em torno disso.

Bom, já falei demais.

Amanhã,vou pra tal entrevista de trabalho. Ia ser hoje, mas não foi. Bom, não vou perder essa pro medo. Acabou. Se eu falar gaguejando, vai ser isso. Do jeito que for.

Estou muito mal, mas tô começando a enxergar uma luz, uma solução. Sei o que preciso fazer.

Em breve vou usar uns enteogenos, e vai ser extremamente poderoso eficaz.

Preciso urgente me mudar de casa. Não me sinto bem onde estou. Claro, não é isso que me deixou assim, mas interfere bastante. Uma casa que você não se sente bem é osso.

Vão na fé. Confiem. Se lembrem que sempre é tempo. E não se arrependam de nada, porque tudo é aprendizado.

Bom reboot pra todos.
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

28/1/2021, 07:06
Acréscimo genial a esse post curativo, só porque não consegui editar.

A um tempo atrás eu me encontrei com um grupo de adolescentes. Eles ficaram falando o tempo todo de sexo. Me perguntaram coisas, eu respondi honestamente. Enfim, tudo ok. Mas tinha uma menina que tinha uns 16 anos e é uma delícia - estou falando a verdade, é o que acho dela! E ela tava ficando com outro cara, que tinha cara de uns 14. Bom, eles tavam se agarrando gostoso, mas eu não me importei muito. Perguntei a ela se era virgem, ela disse que não. Etc.

Alguém perguntou qual o segredo pra ficar com muita mulher. E essa menina - que tem só 16 anos de idade, vejam só - deu a mais genial das respostas.

Sabem o que ela disse? "É só ser você mesmo, que acontece".

Eu achei a resposta genial, e concordo com ela. Mas naquele momento, não fiz a conexão essencial que estou fazendo agora.

Partindo do pressuposto de que o que ela fala é correto, porque eu não fico com ninguém, nunca?

Ora amigos, a melhor, mais correta, lógica e sensata resposta que posso dar é:

Eu não tenho sido fiel a mim mesmo até aqui, e o pior, tenho negado sistematicamente e por todos os lados quem eu realmente sou.

Agora que escrevo essas palavras, eu tenho certeza absoluta que se eu seguir esse caminho que se abriu - me perdoar, me aceitar, ser quem eu sou, com falha e tudo - não vai demorar nem um pouco pra surgir uma mulher muito bacana pra mim. É a consequência natural das coisas, entendem?

É muito simples. E eu que bati a cabeça por anos me perguntando qual era o meu problema.

Bom, acho que encontrei a resposta.

Quando você começa a direcionar corretamente as energias internas - fazendo elas fluírem, ao invés de bloquear, aceitando ao invés de negar - aí é questão de tempo pro externo mudar e as coisas darem certo.

Talvez boa parte do meu sentimento de frustração simplesmente derreta com esses pensamentos.

Se eu estou agoniado comigo mesmo, é porque não estou me suportando. Se não me suporto, é porque me odeio. Essas coisas devem, de algum modo, nos bloquear afetivamente e sexualmente. Isso é só uma teoria.

Eu só sinto falta de ter feito mais sexo. Tenho amigos com problemas muito sérios, psicológicos e tudo, e nunca achei que essas coisas fossem impeditivo pra alguém fazer sexo. E não são, de modo geral. Exceto problema com auto estima. Esse sim, é fatal pra se envolver sexualmente. Muito difícil o cara ficar com alguém quando ele se acha um lixo. E isso não precisa ser dito. Isso está expresso no rosto e no corpo da pessoa. Isso com certeza conta como um fator de atração. É visível. Da até pra sentir o cheiro.

De modo, amigos, que estou chegando perto de uma boa resposta pra um problema que tanto me atormentou, por muitos anos.

Minha vontade é ir acampar e ficar sozinho, recebendo insights, meditando, desconstruindo toda essa merda de negação e culpa que se entranhou em mim. Pedindo até a interferência divina pra me ajudar. Eu estando bem, vou poder contribuir muito mais pra quem tá ao meu redor.

Bom reboot pra todos de novo, e espero realmente que eu entre em uma nova fase, depois dessas ótimas reflexões.

_______________________________________
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

30/1/2021, 22:55
Mais quedas. Dessa vez foram muitas. Me masturbei como se não houvesse amanhã.

Meu nível de desarmonia interno é extremo. Estou desencontrado de mim mesmo. Infeliz. Batendo a cabeça contra a parede. Etc.

Mas pra tudo na vida tem um jeito. Dias melhores virão.

Vou tentar de novo.

Bloqueador funciona com uma eficiência BRUTAL. Tá impossível de quebrar. O que não necessariamente quer dizer muita coisa. Passei 2 horas hoje tentando acessar porn do meu computador. Cai porque usei o tablet de um amigo, fiz umas trocas de arquivos e pronto.

Agora vou morar com esse amigo. Acho que vai ser bom pra mim, porque o cara me dá a maior força. Sabe dos meus problemas, inclusive do vício em pornografia.

Não desistam hein. Uma hora o jogo vira. E pode acreditar que vira mesmo. Mas na hora certa.

Não sou católico, nem evangélico, e não costumo ler muito a bíblia, mas esses dias vi um trecho do Eclesiastes que achei muito bonito, me deu uma certa paz, e são coisas que eu realmente acredito. Realmente show de bola. Segue o trecho.

"Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo do céu:
Tempo de nascer e tempo de morrer;
tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou.
Tempo de matar e tempo de curar;
tempo de demolir e tempo de construir.
Tempo de chorar e tempo de rir;
tempo de gemer e tempo de dançar.
Tempo de atirar pedras e tempo de ajuntá-las;
tempo de abraçar e tempo de apartar-se.
Tempo de procurar e tempo de perder;
tempo de guardar e tempo de jogar fora
Tempo de rasgar e tempo de costurar;
tempo de calar e tempo de falar.
Tempo de amar e tempo de odiar;
tempo de guerra e tempo de paz."

A minha interpretação desse trecho é que na realidade, não precisamos temer muito, nem ficar ansiosos, pois realmente há um tempo para cada coisa. De repente o jogo vira, as vezes quando menos se espera. Isso é realmente verdade, e acho que todo mundo já deve ter constatado isso em algum nível.

Nada é eterno, e nada dura pra sempre. Nem o que é bom, nem o que é ruim.

Quem tá na seca, um dia vai se fartar. E quem se farta, um dia vai ficar sem nada.

Quem caiu, vai levantar. E quem levantou, uma hora vai cair.

A hora é que é o problema. Mas isso não nos compete. Só nos resta aceitar. Afinal, podemos morrer a qualquer momento. Ninguém sabe o que nos aguarda no dia de amanhã. Então, eu prefiro confiar, sabem? Nesses planos superiores, e que não dizem respeito a mim, mas a tudo e todos.

Bom reboot pra vocês.

_______________________________________
Tiago M
Tiago M
Moderador
Moderador
Mensagens : 2152
Data de inscrição : 31/07/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

31/1/2021, 00:55
Spoiler:


Ter uma pessoa com quem conversar sobre esses problemas é muito bom. Melhor ainda quando é uma pessoa mais experiente e que tenha empatia. Isso ajuda a tirar o foco de si mesmo e compreender a situação de um outro ângulo.

Acho que seria benéfico pra você procurar alguma prática espiritual. Vou deixar abaixo um trecho do que o Rafael Rossi escreveu no meu diário sobre isso.

Alguns dos motivos porque práticas espirituais tendem a funcionar no auxílio e tratamento de vícios:

- A pessoa muda o ambiente que ela frequenta. Ou seja, sai do ambiente onde ela costumava consumir a substância viciante para ambientes onde não tem mais acesso a substância.
- A pessoa muda as companhias dela. Ou seja, deixa de sair com as pessoas que compartilhavam do vício para sair com pessoas não viciadas ou que estão comprometidas com outras atividades não relacionadas ao vício.
- A pessoa muda o padrão de pensamentos e crenças dela. Ou seja, passa a pensar em outras coisas e se envolver com outros assuntos ao invés do vício ou temas relacionados ao vício.
- A pessoa passa a acreditar e confiar numa "força superior" à ela mesma. Isso ajuda pois uma pessoa viciada tem a crença de que ela "tem força de vontade e pode parar quando quiser", sendo que a realidade mostra exatamente o oposto, o que acaba frustrando a pessoa e destruindo a sua auto-estima. Ao se entregar a essa força maior a pessoa relaxa, entra em homeostase e passa a confiar mais no tratamento, não carregando todo o peso do seu vício, permitindo com que influências positivas possam agir sobre ela.
- A pessoa para de mentir para ela mesma:  Ao confessar os seus erros para alguém, no fundo a pessoa está se confessando para ela mesma, isso tem o efeito parecido ao de uma terapia e faz com que a pessoa deixe para trás o circulo de mentiras e hipocrisia que ela construiu em volta da sua vida, alivie a culpa e recupere o auto-respeito que foi corrompido pelo vício. Pode ser praticado com uma outra pessoa ou através da oração (que tem exatamente o mesmo efeito).

_______________________________________


Diário Parte 1
Diário Parte 2

Último record: 134 dias
vierkenes
vierkenes
Mensagens : 893
Data de inscrição : 26/03/2016

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

2/2/2021, 01:18
Obrigado pela mensagem, Tiago.

Bom amigos, eu me afundei de tal modo que minha situação se complicou bastante. Sinto que regredi brutalmente no reboot. Cheguei naquele ponto em que ficar míseros 5 dias limpo parece demais, parece um esforço realmente muito grande.

Eu sou uma pessoa profundamente infeliz.

Minha sorte é que eu não sou pessimista. Eu sei que não precisa ser assim. Acredito em dias melhores. E sei que tudo é aprendizado. Pelo menos esses pensamentos eu tenho. Se eu fosse pessimista e achasse o oposto dessas coisas, talvez já tivesse me matado.

Então, o nível de desarmonia interno é muito grande. Vivo como alguém que insiste em dar murro em ponta de faca, sabem. Parece que ficar dando murro em ponta de faca se tornou normal e natural pra mim.

Pra uma pessoa que vive assim, é muito natural viver chapado. Quem não usa nenhuma droga não vai entender isso. Mas é realmente muito natural. Não estou falando que é o correto, nem que é saudável, mas pra quem se encontra em certas condições psíquicas, emocionais ou espirituais, beber e se drogar todo dia é o menor dos problemas.

Viver como um celibatário também é algo que me dói profundamente. Se ataco quem fala o contrário com 7 pedras na mão é porque acredito que qualquer homem (ou mulher) se sentiria igualmente desesperado e infeliz, se vivesse uma vida de celibato forçado, como eu vivo. Muitos dos que me criticam não sabem o que é isso. Até gente que namora já veio me falar que eu exagero. Bom, alguém que namora vir falar pra mim que eu exagero porque não tenho vida sexual nenhuma... eu só posso concluir duas coisas. Ou é mal caratismo ou é hipocrisia. Não vejo outra alternativa. Seria como estar fazendo pouco de quem tá passando fome, enquanto se tem tudo que se precisa dentro de casa.

Isso é o que mais me machuca, o que não significa que seja o maior dos problemas. Na verdade isso é a consequência e não a causa de todo meu sofrimento. Existe algo anterior, e que levou a essa condição.

Bom, tenho preguiça de viajar só pra transar com GP. Aqui não tem. As GPs iriam aliviar bastante meu sofrimento. O negócio é só não ficar viciado, o resto é tranquilo.

No mais, parece que eu continuo ignorando as causas disso tudo. Muito complicado escavar a própria mente afim de descobrir porque se tem tal ou tal atitude.

A frase "conhece-te a ti mesmo" faz todo o sentido. Acho que esse é um ótimo lema e guia pra se ter na vida. Deveria ser mesmo nosso objetivo.

Uma parte de mim quer desistir de postar aqui, desistir até do reboot, e não ligar se minha vida vai ser a de um punheteiro. Se eu fizesse isso, não iria demorar nem um pouco pra voltar aos padrões de antigamente. Ao contrário, ia ser muito rápido.

Ontem me encontrei com umas meninas que eu conheço. Ficamos até às 5 da manhã juntos.

Uma delas é muito gostosinha, mas carrega muitas marcas negativas de relações com homens. Muito cínica, sabem. Ferida mesmo. Sempre rindo com sarcasmo das desilusões amorosas. Ela é bacana, mas esse tipo de comportamento muito defensivo tira meu tesão e meu interesse.

A outra é casada, e se sente profundamente infeliz no casamento dela faz tempo.

Foi uma situação inusitada, porque estava bebendo com duas mulheres que estavam afogando as mágoas amorosas, suas decepções, sobre como elas transaram com um cara outro dia e o cara não ligou mais, ou outra merda qualquer.

Eu me senti muito diferente, porque simplesmente não tenho nenhuma coisa do tipo pra contar. Nesse sentido, minha vida foi diferente do da maioria das pessoas. As pessoas podem ser infelizes amorosamente, mas ninguém deixa de transar por causa disso. Nem que seja casualmente.

Elas insistiram pra eu me abrir, mas não quis partilhar isso com elas. Tava um clima bem de tristeza, confissões, etc, elas falaram um monte de coisas dela. Por isso que pediram pra eu contar minha história. Mas não falei nada.

No fim, percebi que a casada estava terrivelmente carente. Cheguei a sentir pena. A impressão que eu tive é que ela transaria com qualquer um que desse um pouco de atenção real a ela. Eu achei isso muito triste. Quando fui me despedir dela, ela ficou um pouco agarrada a mim. E eu fiquei um pouco excitado com isso. Eu pensei : "é, porque não transar com ela? Claro que não é legal, mas eu posso, porque nunca experimentei isso. Eu apenas acho que eu me sentiria mal - porque nunca fiz isso, então não tenho como saber. Não seria má ideia, no meu caso.".

Acabei desistindo da ideia. Eu realmente senti pena dessa mulher. Acho que ela pode foder mil vezes, talvez não fosse suficiente pra tirar aquela tristeza dela. Bom, na verdade, ela com certeza já faz isso, e realmente não adianta muito. É um orgasmo pra depois chorar depois.

Depois eu fiquei pensando se não devia ter tentado ficar com ela. Experimentar não faz mal. Eu não ia tratar ela mal. Muito menos iludir ela com algum tipo de promessa. É uma pessoa interessante, mas visivelmente escrava de uma relação que a deixa infeliz. Espero que um dia ela tenha força pra romper isso.

Talvez de um tempo do fórum. Sei lá.

Acho que por hoje é só. Até a próxima.

_______________________________________
Mike
Mike
Mensagens : 529
Data de inscrição : 04/04/2016
Idade : 29

Diário - Vierkenes - Página 38 Empty Re: Diário - Vierkenes

2/2/2021, 02:24
Vivemos em uma montanha russa emocional, não é meu caro Vierkenes?

Tem dias que a confiança fica lá em cima e outros que nos sentimos verdadeiros merdas. Mas duas coisas me chamaram a atenção ao ler seus últimos relatos:

A primeira foi o fato de você ter ido falar com a garota que você tava afim. Vierkenes, não importa, a corrente foi rompida. Você foi lá e fez o que tinha que ser feito e quanto ao resultado, tenho certeza absoluta que aprendeu com ele. Segundo, onde está esse seu amigo que você confia e que te motiva a acordar cedo, deixar tudo organizado e fazer esse exercício maravilhoso que a flexão de braço?

Esse cara é um caveira. Traga-o mais pra si. Ele tem espírito de prontidão forte e isso é sem dúvida um grande aliado nessa luta.

Às coisas não tem sido fáceis por aqui também, no entanto, também não deixo de acreditar em dias melhores. Que bom que concordamos nisso, meu velho.

Um abraço.

_______________________________________


MELHORES MARCAS EM 2022

1° - 55 dias [ ]
2° - 30 dias [ ]
3° - 15 dias [ ]

Nunca tripudie de um homem derrotado, pois ele pode levantar.

Vitoriosa gosta desta mensagem

Ir para o topo
Permissões neste sub-fórum
Não podes responder a tópicos