Ir em baixo
Broda
Broda
Mensagens : 1966
Data de inscrição : 11/12/2015

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 9/8/2020, 22:54
RosseauStrong escreveu:Saudações, Broda.

Você soube lidar perfeitamente com a determinada situação. Por mais que o cérebro te incentivasse para desfrutar o prazer, usas-te a consciência para não cair no joguinho das conversas sensuais. Procurou ver as coisas com amor e não com estimulos!

Essa mulher precisa de uma recuperação... prazer virtual está fora da realidade!

Valeu pela participação lá no meu diário.

Um forte abraço, irmão!

Fala mano!!!

Na verdade, eu acho super de boa o q rolou pro lado dela. Ela não assiste pornô, não podemos confundir as outras pessoas com a gente, isso pra ela foi legal, pra gente é outra história.

De boas, vou participando sempre que foi possível!

Abração!!!
Soli Deo Gloria escreveu:Fala, Broda.

Como andam as coisas camarada? Fico feliz demais em ver que vc tá voando baixo.

Abraço!

De boas, eu diria!

Abração mano!!
Broda
Broda
Mensagens : 1966
Data de inscrição : 11/12/2015

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty 40

em 17/8/2020, 14:00
Sacumé né

Sabe como é né. Sumi do fórum, então já podem imaginar o que aconteceu.

Sim, decepcionando positivamente, estou de pé. 40 dias sem praticar a famosa bronha.

Eu sinceramente nem sei explicar exatamente o que ocorreu. Só sei que, aparentemente, eu não sinto muita necessidade de bater uma quando não estou ansioso. E parece que eu estou menos ansioso que antes, o que também é um tanto quanto estranho, já que eu não estou meditando todos os dias e nem fazendo nada de muito espetacular para combater a ansiedade.

Entretanto, isso não quer dizer que tudo sejam flores. Aprendi algumas lições e cheguei a novas conclusões. A primeira delas é que uma frase que eu li uma vez nesse fórum estava correta, o vício é apenas um sintoma de um desajuste maior. É apenas a conclusão lógica da premissa de que temos mentes com padrões e modelos disfuncionais. Explico o porquê.

Alguns padrões de viciado ainda aparecem, mesmo que eu não esteja vendo pornografia ou me masturbando. De vez em quando eu me perco em gatilhos e parece que eu transferi o vício em pornografia para um vício em sexo. Nem sei se posso dizer que é um vício em sexo de fato, mas eu fiquei nas últimas semanas conversando incessantemente com várias mulheres, tentando convencê-las a sair comigo, numa busca desenfreada por tentar transar. Eu investi tanto nisso que chegou ao ponto que eu realmente me cansei, estava perdendo inúmeras horas nisso, basicamente, substituindo aquela perda de tempo vendo vídeos por perda de tempo conversando com várias meninas de maneira compulsiva. Teve um dia que eu passei o dia literalmente inteiro conversando com uma, sempre na esperança de alguma conversa quente, algum nude ou alguma possibilidade de sexo. Cansei tanto disso que hoje resolvi não conversar com mais nenhuma menina e, adivinhem só? Cá estou novamente.

Isso mostra que o problema vai muuuuuuuito além do que ficamos pensando ser somente um vício em pornografia e cada vez menos acredito que vícios apareçam sem um importante elemento psíquico envolvido. O problema está na forma como eu encaro sexo, na forma como meu cérebro foi moldado a encarar essa área da minha vida e tudo isso são somente consequências esperadas. Enxergando melhor a questão dessa forma hoje em dia, noto que o vício servia possivelmente como uma forma de diminuir minha ansiedade e satisfazer temporariamente meu desejo desequilibrado por excitação. Tirei a muleta, mas a perna continua igualmente machucada.

É por isso que vencer a pornografia vai muito além de somente parar de assistir pornô. A pior coisa que poderia nos acontecer é passar os noventa dias e notarmos que a única coisa que realmente mudou é que deixamos de assistir pornografia. Como aquela frase "Tem gente que é tão pobre que a única coisa que tem é dinheiro", podemos dizer que "Tem rebooter que é tão infeliz que a única coisa que ele conseguiu foi parar de ver pornô" e esse é o meu caso no momento ainda, infelizmente.
Soli Deo Gloria
Soli Deo Gloria
Mensagens : 1629
Data de inscrição : 12/06/2015

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 17/8/2020, 20:41
Fala, Broda!

"Tem rebooter que é tão infeliz que a única coisa que ele conseguiu foi parar de ver pornô" Sábias palavras, vou anotar aqui hauheuahue

A um tempo atrás escutando uma pessoa falar a cerca do vício, um dos pontos que ela abordou foi exatamente isso, é necessário "reeducar a sexualidade". Esse ponto é abordado de maneira mais ampla no livro "The Porn Trap" da "Wendy Maltz", recomendo! Em um determinado capítulo, ela aborda o que é e o que não é o sexo. Naquele momento eu aprendi como o meu olhar a cerca do sexo foi brutalmente deturpado pela p/pmo.

Concluindo, que bom que vc tá firmão e nessa jornada de maiores descorbertas.

A respeito de nós posso falar duas coisas:
1) Somos viciados
2) Somos insistentes!
hahahaha

VAMOS VENCER!
Abraço, Broda! TMJ!

_______________________________________
De pé e lutando.
diário: https://www.comoparar.com/t10412p100-soli-deo-gloria-pronto-pra-guerra#301830

"No sentido mais verdadeiro, a liberdade não pode ser concedida; deve ser alcançada"
Roosevelt


Toon
Toon
Mensagens : 374
Data de inscrição : 26/06/2019
Idade : 23

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 22/8/2020, 19:20
Broda escreveu:
Sacumé né

Sabe como é né. Sumi do fórum, então já podem imaginar o que aconteceu.

Sim, decepcionando positivamente, estou de pé. 40 dias sem praticar a famosa bronha.

Eu sinceramente nem sei explicar exatamente o que ocorreu. Só sei que, aparentemente, eu não sinto muita necessidade de bater uma quando não estou ansioso. E parece que eu estou  menos ansioso que antes, o que também é um tanto quanto estranho, já que eu não estou meditando todos os dias e nem fazendo nada de muito espetacular para combater a ansiedade.

Entretanto, isso não quer dizer que tudo sejam flores. Aprendi algumas lições e cheguei a novas conclusões. A primeira delas é que uma frase que eu li uma vez nesse fórum estava correta, o vício é apenas um sintoma de um desajuste maior. É apenas a conclusão lógica da premissa de que temos mentes com padrões e modelos disfuncionais. Explico o porquê.

Alguns padrões de viciado ainda aparecem, mesmo que eu não esteja vendo pornografia ou me masturbando. De vez em quando eu me perco em gatilhos e parece que eu transferi o vício em pornografia para um vício em sexo. Nem sei se posso dizer que é um vício em sexo de fato, mas eu fiquei nas últimas semanas conversando incessantemente com várias mulheres, tentando convencê-las a sair comigo, numa busca desenfreada por tentar transar. Eu investi tanto nisso que chegou ao ponto que eu realmente me cansei, estava perdendo inúmeras horas nisso, basicamente, substituindo aquela perda de tempo vendo vídeos por perda de tempo conversando com várias meninas de maneira compulsiva. Teve um dia que eu passei o dia literalmente inteiro conversando com uma, sempre na esperança de alguma conversa quente, algum nude ou alguma possibilidade de sexo. Cansei tanto disso que hoje resolvi não conversar com mais nenhuma menina e, adivinhem só? Cá estou novamente.

Isso mostra que o problema vai muuuuuuuito além do que ficamos pensando ser somente um vício em pornografia e cada vez menos acredito que vícios apareçam sem um importante elemento psíquico envolvido. O problema está na forma como eu encaro sexo, na forma como meu cérebro foi moldado a encarar essa área da minha vida e tudo isso são somente consequências esperadas. Enxergando melhor a questão dessa forma hoje em dia, noto que o vício servia possivelmente como uma forma de diminuir minha ansiedade e satisfazer temporariamente meu desejo desequilibrado por excitação. Tirei a muleta, mas a perna continua igualmente machucada.

É por isso que vencer a pornografia vai muito além de somente parar de assistir pornô. A pior coisa que poderia nos acontecer é passar os noventa dias e notarmos que a única coisa que realmente mudou é que deixamos de assistir pornografia. Como aquela frase "Tem gente que é tão pobre que a única coisa que tem é dinheiro", podemos dizer que "Tem rebooter que é tão infeliz que a única coisa que ele conseguiu foi parar de ver pornô" e esse é o meu caso no momento ainda, infelizmente.

Boa noite Broda,

Baita relato esse, digassi di passagi kkkkkk.

Realmente, nossa energia sexual é incrível, mas foi totalmente deturpada pelo vicio em PMO, você se dispôs a ficar horas conversando com mulheres só pra conseguir algo mais quente, infelizmente isso acaba sendo algo ruim e pode ser um gatilho poderoso, isso é comparável a ficar horas procurando aquele vídeo perfeito, complicado...

Mas fico feliz que não tenha caído, e que tenha tido o estalo de perceber que isso estava errado, você sintetizou muito bem o que o reboot deve ser, não é simplesmente deixar de praticar PMO, mas também deixar de praticar centenas de atividades, que te obrigam a continuar na escuridão.

Continue lutando, estou na sua torcida e na torcida de todos os rebooters. Grande abraço!

_______________________________________


"A persistência é o caminho do êxito."

"Nada como um dia após o outro."

Maior Streak: 26 dias

https://www.comoparar.com/t9275-diario-do-toon
will_broots
will_broots
Mensagens : 682
Data de inscrição : 08/06/2016

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 30/8/2020, 16:28
Broda escreveu:
Sacumé né

Sabe como é né. Sumi do fórum, então já podem imaginar o que aconteceu.

Sim, decepcionando positivamente, estou de pé. 40 dias sem praticar a famosa bronha.

Eu sinceramente nem sei explicar exatamente o que ocorreu. Só sei que, aparentemente, eu não sinto muita necessidade de bater uma quando não estou ansioso. E parece que eu estou  menos ansioso que antes, o que também é um tanto quanto estranho, já que eu não estou meditando todos os dias e nem fazendo nada de muito espetacular para combater a ansiedade.

Entretanto, isso não quer dizer que tudo sejam flores. Aprendi algumas lições e cheguei a novas conclusões. A primeira delas é que uma frase que eu li uma vez nesse fórum estava correta, o vício é apenas um sintoma de um desajuste maior. É apenas a conclusão lógica da premissa de que temos mentes com padrões e modelos disfuncionais. Explico o porquê.

Alguns padrões de viciado ainda aparecem, mesmo que eu não esteja vendo pornografia ou me masturbando. De vez em quando eu me perco em gatilhos e parece que eu transferi o vício em pornografia para um vício em sexo. Nem sei se posso dizer que é um vício em sexo de fato, mas eu fiquei nas últimas semanas conversando incessantemente com várias mulheres, tentando convencê-las a sair comigo, numa busca desenfreada por tentar transar. Eu investi tanto nisso que chegou ao ponto que eu realmente me cansei, estava perdendo inúmeras horas nisso, basicamente, substituindo aquela perda de tempo vendo vídeos por perda de tempo conversando com várias meninas de maneira compulsiva. Teve um dia que eu passei o dia literalmente inteiro conversando com uma, sempre na esperança de alguma conversa quente, algum nude ou alguma possibilidade de sexo. Cansei tanto disso que hoje resolvi não conversar com mais nenhuma menina e, adivinhem só? Cá estou novamente.

Isso mostra que o problema vai muuuuuuuito além do que ficamos pensando ser somente um vício em pornografia e cada vez menos acredito que vícios apareçam sem um importante elemento psíquico envolvido. O problema está na forma como eu encaro sexo, na forma como meu cérebro foi moldado a encarar essa área da minha vida e tudo isso são somente consequências esperadas. Enxergando melhor a questão dessa forma hoje em dia, noto que o vício servia possivelmente como uma forma de diminuir minha ansiedade e satisfazer temporariamente meu desejo desequilibrado por excitação. Tirei a muleta, mas a perna continua igualmente machucada.

É por isso que vencer a pornografia vai muito além de somente parar de assistir pornô. A pior coisa que poderia nos acontecer é passar os noventa dias e notarmos que a única coisa que realmente mudou é que deixamos de assistir pornografia. Como aquela frase "Tem gente que é tão pobre que a única coisa que tem é dinheiro", podemos dizer que "Tem rebooter que é tão infeliz que a única coisa que ele conseguiu foi parar de ver pornô" e esse é o meu caso no momento ainda, infelizmente.

Oi, Broda. Quanto tempo que eu não comento aqui. Infelizmente, vc tem muita razão. Atualmente, tenho passado muito por isso, até coloquei no meu diário. Consigo ficar por vários dias sem ver P e me M, porém, a mente fica tão fissurada que tb gasto minha energia para conversar com homens e ver se rola algo sexual. Realmente a questão do vício é muito além de só ver imagens e comecei a perceber que é algo que precisa ser resolvido em nosso psíquico, afinal, se precisamos de sexo meramente pra manter a nossa saúde mental, é pq a nossa saúde mental está desajustada. É meio triste perceber isso, mas é "bom" pq sabemos pelo menos o que precisamos resolver na nossa vida - tenho pensado até em retomar a terapia por isso...

Abraços.

_______________________________________



''All good things to those who wait'' (Mother Gothel, Enrolados)
Tiago Mendes
Tiago Mendes
Moderador
Moderador
Mensagens : 1886
Data de inscrição : 31/07/2016
Idade : 32

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 2/9/2020, 20:02
will_broots escreveu:Oi, Broda. Quanto tempo que eu não comento aqui. Infelizmente, vc tem muita razão. Atualmente, tenho passado muito por isso, até coloquei no meu diário. Consigo ficar por vários dias sem ver P e me M, porém, a mente fica tão fissurada que tb gasto minha energia para conversar com homens e ver se rola algo sexual. Realmente a questão do vício é muito além de só ver imagens e comecei a perceber que é algo que precisa ser resolvido em nosso psíquico, afinal, se precisamos de sexo meramente pra manter a nossa saúde mental, é pq a nossa saúde mental está desajustada. É meio triste perceber isso, mas é "bom" pq sabemos pelo menos o que precisamos resolver na nossa vida - tenho pensado até em retomar a terapia por isso...

Tenho sentido isso na pele. É complicado!

_______________________________________

Diário parte 1
Diário parte 2
DEMI
DEMI
Mensagens : 63
Data de inscrição : 03/09/2020

If I Don't Take It All The Way, No One Will - Página 39 Empty Re: If I Don't Take It All The Way, No One Will

em 16/9/2020, 22:48
Broda, seu diário, tanto o primeiro quanto este, são fantásticos, lembro de você por aqui em 2016/2017 quando eu tinha um outro user no fórum.

Apareça uma vez na semana para dar notícias, sua experiência de sucesso com o reboot foi exemplo pra muita gente, ainda é!

_______________________________________


"O passado é um lugar de referência, não de permanência"

Me ajude nesta caminhada: https://www.comoparar.com/t11067-virando-homem-diario-do-demi#309716
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum