Nevermore

+9
Justiceiro do Sertão
Return
Julianl36
ViníciusB
Randy
The Raven
Mais que vencedor
Gardenzio Angelone
Kusmin
13 participantes
Ir para baixo
ViníciusB
ViníciusB
Mensagens : 113
Data de inscrição : 16/10/2018
Localização : [email protected]

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

12/10/2020, 23:29
Fala grande The Raven,

Boa noite!!

E aí cara, como estão as coisas nessa nova semana ? Pelo seu último relato, vc parecia estar enfrentando uma daquelas fases pesadas, em que tudo vira gatilho? E aí, como estão as coisas agora?

Não some cara, to aqui torcendo por ti..

Um grande abraço do Vinícius

_______________________________________
MEU DIÁRIO: https://www.comoparar.com/t9581-diario-de-vinicius-b-nao-preciso-enfrentar-isso-sozinho






Próximas metas a serem batidas (em dias):

7 dias ()  14 ( )  21 (  )  30 ( )  40 ( )  50 ( )  60 ( )  70 ( )  80 ( )  90 ( )  100 ( )  125 ( )  150 ( )  180 ( )

Your future is whatever  you make it
The Raven
The Raven
Mensagens : 64
Data de inscrição : 03/08/2019
Idade : 24

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

20/10/2020, 13:33
Fala, galera (em especial o ViniciusB, a quem respondo a última pergunta)!

Então, pessoal, sumi nos últimos dias porque a semana foi bem corrida e e também porque acabei viajando no feriadão.

Meu contador estava por essa razão desatualizado. Tive dificuldade depois dos primeiros 7 dias e caí logo no 8º. Depois daí passei a semana toda distante e, novamente depois de mais 7 dias, acabei caindo. Por fim, caí ontem novamente, e por essa razão estou aqui atualizando meu relato.

Consegui de fato bloquear todos os sites de pornografia do meu iPhone, o que já é um passo e tanto. O que estava me causando dificuldade mesmo era o Instagram, com vários conteúdos sensuais na barra de explorar. Apesar disso, sei mexer com o algorítimo e estou aos alterando isso.

Minha real dificuldade mesmo foi que consegui acessar pornografia por um tablet que tenho, acabei chafurdando legal, já que estou também numa fase bem pra baixo.

Essa é minha atualização. Vou procurar neutralizar as ameaças, estar mais presente aqui no fórum (coisa que ainda estou com muita dificuldade) e investir em qualidade de vida, como vinha fazendo.

Torçam por mim!

Abraço.

_______________________________________
Quoth the Raven, 'Nevermore'
— Edgar Allan Poe.


Nevermore - Página 4 Tenor




Pequenos objetivos:
[  ] 7 dias
[  ] 14 dias
[  ] 30 dias
[  ] 45 dias
[  ] 60 dias
[  ] 75 dias
[  ] 90 dias

Último recorde: 103 dias.
Mais que vencedor
Mais que vencedor
Mensagens : 480
Data de inscrição : 22/10/2018
Idade : 24

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

11/12/2020, 14:03
Isso aí, esse é o caminho! Não esquece de bloquear também o cérebro haha. Faça um esforço de não pensar em PMO, de não ficar desejando ninguém nessa fase, porque por mais que vc bloqueie tudo, se sua atitude de pensamento não mudar não vai valer de nada, bastará a ocasião de M pra vc começar a fantasiar como se fosse com P.

_______________________________________


"Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém. Tudo me é permitido, mas eu não me deixarei dominar por coisa alguma." I Coríntios 6, 12
"O Reino dos Céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam." Mateus 11, 12

Meu diário - https://www.comoparar.com/t8595-diario-em-busca-do-racional-em-mim
avatar
Convidado
Convidado

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

11/12/2020, 15:31
Olá colega, que história!! Se você conseguiu ficar um ano sem PMO mesmo não conhecendo métodos e sem ter um conhecimento mais profundo sobre o assunto, imagina se você se empenhar e focar em abandonar essas praticas? Acredito que tudo ocorrerá bem. Também sou do interior da BA e evangélico. Me identifiquei com algumas coisas que você passou, qualquer hora dessas, precisando de alguém para conversar mande um e-mail: [email protected]

Boa sorte!


Meu Diário: https://www.comoparar.com/t11237-sobrevivente
The Raven
The Raven
Mensagens : 64
Data de inscrição : 03/08/2019
Idade : 24

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

6/8/2021, 12:38
"O bom filho, dizem, à casa torna"

Não sei ao certo quantos de vocês lembrarão de mim, mas já fui membro ativo nesse fórum. Por desleixo — esse malditos senso de comodidade e conforto! — me deixei levar pela torrente de aparente triunfo. É bem verdade: nos primeiros sinais de glória, tendemos a nos afastar daquilo que tanto nos ajudou. Assim foi comigo, e no que me afastei, não demorei a tropeçar de novo.

Então, a vergonha, — a dificuldade em confessar, —  as cobranças internas pelo leite já derramado. Tudo em vão! Tudo em vão!

O tempo passou, amadureci, fiz progressos substanciais, em todas as áreas da minha vida, mas nessa em específico não o suficiente. Então é como dizem, torno ao lar.

Sobre os progressos, explico. Pra quem não se lembra, no ínicio da minha caminhada aqui, após uma tentativa de suícidio (induzida já de um diagnóstico "errôneo" — as aspas são em defesa da minha amada psiquiatra; o diagnóstico de TAB não é coisa fácil), fui diagnosticado com Transtorno Afetivo Maníaco-Depressivo, a famosa "Bipolaridade". Meu tratamento segue de vento em poupa, e apesar tantos infortúnios pelos quais passei, tanta dor causada pelos efeitos colaterais de medicação, tantos momentos difíceis inerentes ao próprio transtorno, não desisto e continuo. Tenho aprendido a amar a vida. E, acredite, pra quem desde a infância sempre achou que pensar em suícidio era coisa totalmente normal, que todos o faziam, isso é muito significativo.

Trabalho. Toda essa situação do transtorno me gerou uma demissão injustíssima do meu trabalho. Minha estabilidade se foi, dando lugar a uma maré de incertezas nesse momento tão crucial que foi o ínicio do tratamento. Sou de família pobre, não tenho vergonha de dizer. Graças a Deus e à minha educação financeira, pude juntar uma grana durante o período de trabalho. Banquei-me e tenho me bancado desde então, no meu tratamento psiquiátrico, nas minhas medicações, psicoterapia e tratamento dermatológico (problemas inerentes às medicações), por conta dessas economias.

Não consegui emprego ainda. Mas após um período de apatia e prostração por incetivo de minha noiva comecei a empreender na área que tanto amo — educação financeira e investimentos! O projeto tem crescido e já tenho começado a ganhar uma graninha, nada muito expressivo.

Minha noiva! Fielmente essa mulher tem estado ao meu lado todo esse tempo. Às vezes mal acredito nisso. Sempre me erguendo e me perdoando, me amando e me apoiando. Nosso relacionamento amadureceu de uma maneira incrível, e eu descobri que ela é a mulher da minha vida. Ela encontrou uma ótimo trabalho, do jeitinho que ela merece. E muitas coisas na vida dela mudaram também. Mas isso é outra história... Estamos ansiosos para nos casarmos. Um certo senso de maior masculinidade aflorou em mim, já que passei a desejar por isso mais do que uma inalcançável estabilidade antes disso. O restante sei que constuiremos juntos.

A respeito da PMO, por fim, fiz progresso também. Não tanto quanto gostaria, é verdade. Mas consegui atravancar muito o consumo da pornografia e reduzi-lo. Mapeei e tenho mapeado todas a brechas possíveis e criado muitos impecilhos. Dificilmente acesso pornografia. No Iphone encontrei ótimos subterfúgios para bloquear tais conteúdos. Passado das 22h, por exemplo, meu celular torna-se inútil, e somente minha noiva tem a senha. Num tablet Android que tenho, tenho razoavelmente conseguido bloquear ameaças através do Bloqueador Bulldog e o Spin Browser. Super recomendo! Mas esse exige um pouco de paciência pra mapear e bloquear as coisas. Posso ensinar os truques que tenho usado, caso queiram. Só comentar aqui.

Pra se ter uma ideia de quão ardiloso é a PMO, meu problema não tem sido mais sites de pornografia, e sim o Youtube. Sim, isso mesmo. Mas não entrarei em detalhes nem darei palavras-chaves para não incitar ninguém. Meu próximo objetivo é colocar senhas no Youtube no tablet, pois não uso tanto, além da Playstore, pra não instalar coisas como Tiktok (já bloqueado) e afins. No Iphone, a Appstore não funciona à noite; não tenho permissão. E qualquer novo aplicativo instalado às 22h, toda noite, é bloqueado automaticamente, à menos que eu peça pra minha noiva desbloquear. E aí entra o diálogo, o que é muito bom...

Trato também disso na terapia, mas é de outro viés. Infelizmente, sou propenso à hiperssexualização, graças ao meu transtorno. Tenho muitos pensamentos intrusivos, por conta das mémorias, e basicamente em certos períodos do meu ciclo de humor, o mundo fica mais "curvilíneo", dá pra dizer. É interessante. Toda a minha percepção da realidade se altera: as cores, o clima, as paixões e, naturalmente, as mulheres ficam mais atraentes. É também o momento em que me sinto muito mais confiante e produtivo.

Por fim, como já havia dito antes, eu e minha noiva somos protestantes. Não abandonei minha fé, apesar das dificuldades. Significa dizer que preciso rebootar no hard mode, como dizem. E estou satisfeito com isso. Minha noiva e eu aprendemos a nos controlar, o que era um problema antes. Isso é muito bom para a saúde de nosso futuro casamento. Quero torna-me saúdavel do outro lado, deixando PMO de lado, aprendendo a apreciar uma mulher de verdade, não essa coisa distorcida do mundo da P.

A P pouco a pouco tem sucumbido, preciso de forças para lutar contra a M e o O.

Que Deus me ajude!

É bom estar com vocês de novo. Vamos pra cima!


Última edição por The Raven em 6/8/2021, 18:44, editado 1 vez(es)

_______________________________________
Quoth the Raven, 'Nevermore'
— Edgar Allan Poe.


Nevermore - Página 4 Tenor




Pequenos objetivos:
[  ] 7 dias
[  ] 14 dias
[  ] 30 dias
[  ] 45 dias
[  ] 60 dias
[  ] 75 dias
[  ] 90 dias

Último recorde: 103 dias.

Luka gosta desta mensagem

avatar
Luka
Mensagens : 238
Data de inscrição : 30/09/2020
Idade : 18

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

6/8/2021, 13:19
The Raven escreveu:"O bom filho, dizem, à casa torna"

Não sei ao certo quantos de vocês lembrarão de mim, mas já fui membro ativo nesse fórum. Por desleixo — esse malditos senso de comodidade e conforto! — me deixei levar pela torrente de aparente triunfo. É bem verdade: nos primeiros sinais de glória, tendemos a nos afastar daquilo que tanto nos ajudou. Assim foi comigo, e no que me afastei, não demorei a tropeçar de novo.

Então, a vergonha, — a dificuldade em confessar, —  as cobranças internas pelo leite já derramado. Tudo em vão! Tudo em vão!

O tempo passou, amadureci, fiz progressos substanciais, em todas as áreas da minha vida, mas nessa em específico não o suficiente. Então é como dizem, torno ao lar.

Sobre os progressos, explico. Pra quem não se lembra, no ínicio da minha caminhada aqui, após uma tentativa de suícidio (induzida já de um diagnóstico "errôneo" — as aspas são em defesa da minha amada psiquiatra; o diagnóstico de TAB não é coisa fácil), fui diagnosticado com Transtorno Afetivo Maníaco-Depressivo, a famosa "Bipolaridade". Meu tratamento segue de vento em poupa, e apesar tantos infortúnios pelos quais passei, tanta dor causada pelos efeitos colaterais de medicação, tantos momentos difíceis inerentes ao próprio transtorno, não desisto e continuo. Tenho aprendido a amar a vida. E, acredite, que desde a infância sempre achou que pensar em suícidio era coisa totalmente normal, que todos o faziam, isso é muito significativo.

Trabalho. Toda essa situação do transtorno me gerou uma demissão injustíssima do meu trabalho. Minha estabilidade se foi, dando lugar a uma maré de incertezas nesse momento tão crucial que foi o ínicio do tratamento. Sou de família pobre, não tenho vergonha de dizer. Graças a Deus e à minha educação financeira, pude juntar uma grana durante o período de trabalho. Banquei-me e tenho me bancado desde então, no meu tratamento psiquiátrico, nas minhas medicações, psicoterapia e tratamento dermatológico (problemas inerentes às medicações), por conta dessas economias.

Não consegui emprego ainda. Mas após um período de apatia e prostração por incetivo de minha noiva comecei a empreender na área que tanto amo — educação financeira e investimentos! O projeto tem crescido e já tenho começado a ganhar uma graninha, nada muito expressivo.

Minha noiva! Fielmente essa mulher tem estado ao meu lado todo esse tempo. Às vezes mal acredito nisso. Sempre me erguendo e me perdoando, me amando e me apoiando. Nosso relacionamento amadureceu de uma maneira incrível, e eu descobri que ela é a mulher da minha vida. Ela encontrou uma ótimo trabalho, do jeitinho que ela merece. E muitas coisas na vida dela mudarão também. Mas isso é outra história... Estamos ansiosos para casar. Um certo senso de maior masculinidade aflorou em mim, já que passei a desejar por isso mais do que uma inalcançável estabilidade antes disso. O restante sei que constuiremos juntos.

A respeito da PMO, por fim, fiz progresso também. Não tanto quanto gostaria, é verdade. Mas consegui atravancar muito o consumo da pornografia e reduzi-lo. Mapeei e tenho mapeado todas a brechas possíveis e criado muitos impecilhos. Dificilmente acesso pornografia. No Iphone encontrei ótimos subterfúgios para bloquear tais conteúdos. Passado das 22h, por exemplo, meu celular torna-se inútil, e somente minha noiva tem a senha. Num tablet android que tenho, tenho razoavelmente conseguido bloquear ameaças através do Bloqueador Bulldog e o Spin Browser. Super recomendo! Mas esse exige um pouco de paciencia pra mapear e bloquear as coisas. Posso ensinar os truques que tenho usado, caso queiram. Só comentar aqui.

Pra se ter uma ideia de quão ardiloso é a PMO, meu problema não tem sido mais sites de pornografia, e sim o Youtube. Sim, isso mesmo. Mas não entrarei em detalhes nem darei palavras-chaves para não incitar ninguém. Meu próximo objetivo é colocar senhas no Youtube no tablet, pois não uso tanto, além da Playstore, pra não instalar coisas como Tiktok (já bloqueado) e afins. No Iphone, a Appstore não funciona à noite; não tenho permissão. E qualquer novo aplicativo instalado às 22h, toda noite, bloqueia automático, à menos que eu peça pra minha noiva desbloquear. E aí entra o diálogo, o que é muito bom...

Trato também disso na terapia, mas é de outro viés. Infelizmente, sou propenso à hiperssexualização, graças ao meu transtorno. Tenho muitos pensamentos intrusivos, por conta das mémorias, e basicamente em certos períodos do meu ciclo de humor, o mundo fica mais "curvilíneo", dá pra dizer. É interessante. Toda a minha percepção da realidade se altera: as cores, o clima, as paixões e, naturalmente, as mulheres ficam mais atraentes. É também o momento em que me sinto muito mais confiante e produtivo.

Por fim, como já havia dito antes, eu e minha noiva somos protestantes. Não abandonei minha fé, apesar das dificuldades. Significa dizer que preciso rebootar no hard mode, como dizem. E estou satisfeito com isso. Minha noiva e eu aprendemos a nos controlar, o que era um problema antes. Isso é muito bom para a saúde de nosso futuro casamento. Quero torna-me saúdavel do outro lado, deixando PMO de lado, aprendendo a apreciar uma mulher de verdade, não essa coisa distorcida do mundo da P.

A P pouco a pouco tem sucumbido, preciso de forças para lutar contra a M e o O.

Que Deus me ajude!

É bom estar com vocês de novo. Vamos pra cima!


Me fez chorar nessa poura kakakaka, sério.

The Raven gosta desta mensagem

The Raven
The Raven
Mensagens : 64
Data de inscrição : 03/08/2019
Idade : 24

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

6/8/2021, 18:45
Luka escreveu:
The Raven escreveu:"O bom filho, dizem, à casa torna"

Não sei ao certo quantos de vocês lembrarão de mim, mas já fui membro ativo nesse fórum. Por desleixo — esse malditos senso de comodidade e conforto! — me deixei levar pela torrente de aparente triunfo. É bem verdade: nos primeiros sinais de glória, tendemos a nos afastar daquilo que tanto nos ajudou. Assim foi comigo, e no que me afastei, não demorei a tropeçar de novo.

Então, a vergonha, — a dificuldade em confessar, —  as cobranças internas pelo leite já derramado. Tudo em vão! Tudo em vão!

O tempo passou, amadureci, fiz progressos substanciais, em todas as áreas da minha vida, mas nessa em específico não o suficiente. Então é como dizem, torno ao lar.

Sobre os progressos, explico. Pra quem não se lembra, no ínicio da minha caminhada aqui, após uma tentativa de suícidio (induzida já de um diagnóstico "errôneo" — as aspas são em defesa da minha amada psiquiatra; o diagnóstico de TAB não é coisa fácil), fui diagnosticado com Transtorno Afetivo Maníaco-Depressivo, a famosa "Bipolaridade". Meu tratamento segue de vento em poupa, e apesar tantos infortúnios pelos quais passei, tanta dor causada pelos efeitos colaterais de medicação, tantos momentos difíceis inerentes ao próprio transtorno, não desisto e continuo. Tenho aprendido a amar a vida. E, acredite, que desde a infância sempre achou que pensar em suícidio era coisa totalmente normal, que todos o faziam, isso é muito significativo.

Trabalho. Toda essa situação do transtorno me gerou uma demissão injustíssima do meu trabalho. Minha estabilidade se foi, dando lugar a uma maré de incertezas nesse momento tão crucial que foi o ínicio do tratamento. Sou de família pobre, não tenho vergonha de dizer. Graças a Deus e à minha educação financeira, pude juntar uma grana durante o período de trabalho. Banquei-me e tenho me bancado desde então, no meu tratamento psiquiátrico, nas minhas medicações, psicoterapia e tratamento dermatológico (problemas inerentes às medicações), por conta dessas economias.

Não consegui emprego ainda. Mas após um período de apatia e prostração por incetivo de minha noiva comecei a empreender na área que tanto amo — educação financeira e investimentos! O projeto tem crescido e já tenho começado a ganhar uma graninha, nada muito expressivo.

Minha noiva! Fielmente essa mulher tem estado ao meu lado todo esse tempo. Às vezes mal acredito nisso. Sempre me erguendo e me perdoando, me amando e me apoiando. Nosso relacionamento amadureceu de uma maneira incrível, e eu descobri que ela é a mulher da minha vida. Ela encontrou uma ótimo trabalho, do jeitinho que ela merece. E muitas coisas na vida dela mudarão também. Mas isso é outra história... Estamos ansiosos para casar. Um certo senso de maior masculinidade aflorou em mim, já que passei a desejar por isso mais do que uma inalcançável estabilidade antes disso. O restante sei que constuiremos juntos.

A respeito da PMO, por fim, fiz progresso também. Não tanto quanto gostaria, é verdade. Mas consegui atravancar muito o consumo da pornografia e reduzi-lo. Mapeei e tenho mapeado todas a brechas possíveis e criado muitos impecilhos. Dificilmente acesso pornografia. No Iphone encontrei ótimos subterfúgios para bloquear tais conteúdos. Passado das 22h, por exemplo, meu celular torna-se inútil, e somente minha noiva tem a senha. Num tablet android que tenho, tenho razoavelmente conseguido bloquear ameaças através do Bloqueador Bulldog e o Spin Browser. Super recomendo! Mas esse exige um pouco de paciencia pra mapear e bloquear as coisas. Posso ensinar os truques que tenho usado, caso queiram. Só comentar aqui.

Pra se ter uma ideia de quão ardiloso é a PMO, meu problema não tem sido mais sites de pornografia, e sim o Youtube. Sim, isso mesmo. Mas não entrarei em detalhes nem darei palavras-chaves para não incitar ninguém. Meu próximo objetivo é colocar senhas no Youtube no tablet, pois não uso tanto, além da Playstore, pra não instalar coisas como Tiktok (já bloqueado) e afins. No Iphone, a Appstore não funciona à noite; não tenho permissão. E qualquer novo aplicativo instalado às 22h, toda noite, bloqueia automático, à menos que eu peça pra minha noiva desbloquear. E aí entra o diálogo, o que é muito bom...

Trato também disso na terapia, mas é de outro viés. Infelizmente, sou propenso à hiperssexualização, graças ao meu transtorno. Tenho muitos pensamentos intrusivos, por conta das mémorias, e basicamente em certos períodos do meu ciclo de humor, o mundo fica mais "curvilíneo", dá pra dizer. É interessante. Toda a minha percepção da realidade se altera: as cores, o clima, as paixões e, naturalmente, as mulheres ficam mais atraentes. É também o momento em que me sinto muito mais confiante e produtivo.

Por fim, como já havia dito antes, eu e minha noiva somos protestantes. Não abandonei minha fé, apesar das dificuldades. Significa dizer que preciso rebootar no hard mode, como dizem. E estou satisfeito com isso. Minha noiva e eu aprendemos a nos controlar, o que era um problema antes. Isso é muito bom para a saúde de nosso futuro casamento. Quero torna-me saúdavel do outro lado, deixando PMO de lado, aprendendo a apreciar uma mulher de verdade, não essa coisa distorcida do mundo da P.

A P pouco a pouco tem sucumbido, preciso de forças para lutar contra a M e o O.

Que Deus me ajude!

É bom estar com vocês de novo. Vamos pra cima!
 

 Me fez chorar nessa poura kakakaka, sério.

Ué, como assim, irmão? Hahahaha

_______________________________________
Quoth the Raven, 'Nevermore'
— Edgar Allan Poe.


Nevermore - Página 4 Tenor




Pequenos objetivos:
[  ] 7 dias
[  ] 14 dias
[  ] 30 dias
[  ] 45 dias
[  ] 60 dias
[  ] 75 dias
[  ] 90 dias

Último recorde: 103 dias.

Luka gosta desta mensagem

avatar
Luka
Mensagens : 238
Data de inscrição : 30/09/2020
Idade : 18

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

6/8/2021, 22:55
The Raven escreveu:
Luka escreveu:
The Raven escreveu:"O bom filho, dizem, à casa torna"

Não sei ao certo quantos de vocês lembrarão de mim, mas já fui membro ativo nesse fórum. Por desleixo — esse malditos senso de comodidade e conforto! — me deixei levar pela torrente de aparente triunfo. É bem verdade: nos primeiros sinais de glória, tendemos a nos afastar daquilo que tanto nos ajudou. Assim foi comigo, e no que me afastei, não demorei a tropeçar de novo.

Então, a vergonha, — a dificuldade em confessar, —  as cobranças internas pelo leite já derramado. Tudo em vão! Tudo em vão!

O tempo passou, amadureci, fiz progressos substanciais, em todas as áreas da minha vida, mas nessa em específico não o suficiente. Então é como dizem, torno ao lar.

Sobre os progressos, explico. Pra quem não se lembra, no ínicio da minha caminhada aqui, após uma tentativa de suícidio (induzida já de um diagnóstico "errôneo" — as aspas são em defesa da minha amada psiquiatra; o diagnóstico de TAB não é coisa fácil), fui diagnosticado com Transtorno Afetivo Maníaco-Depressivo, a famosa "Bipolaridade". Meu tratamento segue de vento em poupa, e apesar tantos infortúnios pelos quais passei, tanta dor causada pelos efeitos colaterais de medicação, tantos momentos difíceis inerentes ao próprio transtorno, não desisto e continuo. Tenho aprendido a amar a vida. E, acredite, que desde a infância sempre achou que pensar em suícidio era coisa totalmente normal, que todos o faziam, isso é muito significativo.

Trabalho. Toda essa situação do transtorno me gerou uma demissão injustíssima do meu trabalho. Minha estabilidade se foi, dando lugar a uma maré de incertezas nesse momento tão crucial que foi o ínicio do tratamento. Sou de família pobre, não tenho vergonha de dizer. Graças a Deus e à minha educação financeira, pude juntar uma grana durante o período de trabalho. Banquei-me e tenho me bancado desde então, no meu tratamento psiquiátrico, nas minhas medicações, psicoterapia e tratamento dermatológico (problemas inerentes às medicações), por conta dessas economias.

Não consegui emprego ainda. Mas após um período de apatia e prostração por incetivo de minha noiva comecei a empreender na área que tanto amo — educação financeira e investimentos! O projeto tem crescido e já tenho começado a ganhar uma graninha, nada muito expressivo.

Minha noiva! Fielmente essa mulher tem estado ao meu lado todo esse tempo. Às vezes mal acredito nisso. Sempre me erguendo e me perdoando, me amando e me apoiando. Nosso relacionamento amadureceu de uma maneira incrível, e eu descobri que ela é a mulher da minha vida. Ela encontrou uma ótimo trabalho, do jeitinho que ela merece. E muitas coisas na vida dela mudarão também. Mas isso é outra história... Estamos ansiosos para casar. Um certo senso de maior masculinidade aflorou em mim, já que passei a desejar por isso mais do que uma inalcançável estabilidade antes disso. O restante sei que constuiremos juntos.

A respeito da PMO, por fim, fiz progresso também. Não tanto quanto gostaria, é verdade. Mas consegui atravancar muito o consumo da pornografia e reduzi-lo. Mapeei e tenho mapeado todas a brechas possíveis e criado muitos impecilhos. Dificilmente acesso pornografia. No Iphone encontrei ótimos subterfúgios para bloquear tais conteúdos. Passado das 22h, por exemplo, meu celular torna-se inútil, e somente minha noiva tem a senha. Num tablet android que tenho, tenho razoavelmente conseguido bloquear ameaças através do Bloqueador Bulldog e o Spin Browser. Super recomendo! Mas esse exige um pouco de paciencia pra mapear e bloquear as coisas. Posso ensinar os truques que tenho usado, caso queiram. Só comentar aqui.

Pra se ter uma ideia de quão ardiloso é a PMO, meu problema não tem sido mais sites de pornografia, e sim o Youtube. Sim, isso mesmo. Mas não entrarei em detalhes nem darei palavras-chaves para não incitar ninguém. Meu próximo objetivo é colocar senhas no Youtube no tablet, pois não uso tanto, além da Playstore, pra não instalar coisas como Tiktok (já bloqueado) e afins. No Iphone, a Appstore não funciona à noite; não tenho permissão. E qualquer novo aplicativo instalado às 22h, toda noite, bloqueia automático, à menos que eu peça pra minha noiva desbloquear. E aí entra o diálogo, o que é muito bom...

Trato também disso na terapia, mas é de outro viés. Infelizmente, sou propenso à hiperssexualização, graças ao meu transtorno. Tenho muitos pensamentos intrusivos, por conta das mémorias, e basicamente em certos períodos do meu ciclo de humor, o mundo fica mais "curvilíneo", dá pra dizer. É interessante. Toda a minha percepção da realidade se altera: as cores, o clima, as paixões e, naturalmente, as mulheres ficam mais atraentes. É também o momento em que me sinto muito mais confiante e produtivo.

Por fim, como já havia dito antes, eu e minha noiva somos protestantes. Não abandonei minha fé, apesar das dificuldades. Significa dizer que preciso rebootar no hard mode, como dizem. E estou satisfeito com isso. Minha noiva e eu aprendemos a nos controlar, o que era um problema antes. Isso é muito bom para a saúde de nosso futuro casamento. Quero torna-me saúdavel do outro lado, deixando PMO de lado, aprendendo a apreciar uma mulher de verdade, não essa coisa distorcida do mundo da P.

A P pouco a pouco tem sucumbido, preciso de forças para lutar contra a M e o O.

Que Deus me ajude!

É bom estar com vocês de novo. Vamos pra cima!
 

 Me fez chorar nessa poura kakakaka, sério.

Ué, como assim, irmão? Hahahaha

Inspirador seu depoimento, ainda por cima parece a representação de algo que nunca vou ser.

The Raven gosta desta mensagem

The Raven
The Raven
Mensagens : 64
Data de inscrição : 03/08/2019
Idade : 24

Nevermore - Página 4 Empty Re: Nevermore

10/8/2021, 20:29
Luka escreveu:
The Raven escreveu:
Luka escreveu:
The Raven escreveu:"O bom filho, dizem, à casa torna"

Não sei ao certo quantos de vocês lembrarão de mim, mas já fui membro ativo nesse fórum. Por desleixo — esse malditos senso de comodidade e conforto! — me deixei levar pela torrente de aparente triunfo. É bem verdade: nos primeiros sinais de glória, tendemos a nos afastar daquilo que tanto nos ajudou. Assim foi comigo, e no que me afastei, não demorei a tropeçar de novo.

Então, a vergonha, — a dificuldade em confessar, —  as cobranças internas pelo leite já derramado. Tudo em vão! Tudo em vão!

O tempo passou, amadureci, fiz progressos substanciais, em todas as áreas da minha vida, mas nessa em específico não o suficiente. Então é como dizem, torno ao lar.

Sobre os progressos, explico. Pra quem não se lembra, no ínicio da minha caminhada aqui, após uma tentativa de suícidio (induzida já de um diagnóstico "errôneo" — as aspas são em defesa da minha amada psiquiatra; o diagnóstico de TAB não é coisa fácil), fui diagnosticado com Transtorno Afetivo Maníaco-Depressivo, a famosa "Bipolaridade". Meu tratamento segue de vento em poupa, e apesar tantos infortúnios pelos quais passei, tanta dor causada pelos efeitos colaterais de medicação, tantos momentos difíceis inerentes ao próprio transtorno, não desisto e continuo. Tenho aprendido a amar a vida. E, acredite, que desde a infância sempre achou que pensar em suícidio era coisa totalmente normal, que todos o faziam, isso é muito significativo.

Trabalho. Toda essa situação do transtorno me gerou uma demissão injustíssima do meu trabalho. Minha estabilidade se foi, dando lugar a uma maré de incertezas nesse momento tão crucial que foi o ínicio do tratamento. Sou de família pobre, não tenho vergonha de dizer. Graças a Deus e à minha educação financeira, pude juntar uma grana durante o período de trabalho. Banquei-me e tenho me bancado desde então, no meu tratamento psiquiátrico, nas minhas medicações, psicoterapia e tratamento dermatológico (problemas inerentes às medicações), por conta dessas economias.

Não consegui emprego ainda. Mas após um período de apatia e prostração por incetivo de minha noiva comecei a empreender na área que tanto amo — educação financeira e investimentos! O projeto tem crescido e já tenho começado a ganhar uma graninha, nada muito expressivo.

Minha noiva! Fielmente essa mulher tem estado ao meu lado todo esse tempo. Às vezes mal acredito nisso. Sempre me erguendo e me perdoando, me amando e me apoiando. Nosso relacionamento amadureceu de uma maneira incrível, e eu descobri que ela é a mulher da minha vida. Ela encontrou uma ótimo trabalho, do jeitinho que ela merece. E muitas coisas na vida dela mudarão também. Mas isso é outra história... Estamos ansiosos para casar. Um certo senso de maior masculinidade aflorou em mim, já que passei a desejar por isso mais do que uma inalcançável estabilidade antes disso. O restante sei que constuiremos juntos.

A respeito da PMO, por fim, fiz progresso também. Não tanto quanto gostaria, é verdade. Mas consegui atravancar muito o consumo da pornografia e reduzi-lo. Mapeei e tenho mapeado todas a brechas possíveis e criado muitos impecilhos. Dificilmente acesso pornografia. No Iphone encontrei ótimos subterfúgios para bloquear tais conteúdos. Passado das 22h, por exemplo, meu celular torna-se inútil, e somente minha noiva tem a senha. Num tablet android que tenho, tenho razoavelmente conseguido bloquear ameaças através do Bloqueador Bulldog e o Spin Browser. Super recomendo! Mas esse exige um pouco de paciencia pra mapear e bloquear as coisas. Posso ensinar os truques que tenho usado, caso queiram. Só comentar aqui.

Pra se ter uma ideia de quão ardiloso é a PMO, meu problema não tem sido mais sites de pornografia, e sim o Youtube. Sim, isso mesmo. Mas não entrarei em detalhes nem darei palavras-chaves para não incitar ninguém. Meu próximo objetivo é colocar senhas no Youtube no tablet, pois não uso tanto, além da Playstore, pra não instalar coisas como Tiktok (já bloqueado) e afins. No Iphone, a Appstore não funciona à noite; não tenho permissão. E qualquer novo aplicativo instalado às 22h, toda noite, bloqueia automático, à menos que eu peça pra minha noiva desbloquear. E aí entra o diálogo, o que é muito bom...

Trato também disso na terapia, mas é de outro viés. Infelizmente, sou propenso à hiperssexualização, graças ao meu transtorno. Tenho muitos pensamentos intrusivos, por conta das mémorias, e basicamente em certos períodos do meu ciclo de humor, o mundo fica mais "curvilíneo", dá pra dizer. É interessante. Toda a minha percepção da realidade se altera: as cores, o clima, as paixões e, naturalmente, as mulheres ficam mais atraentes. É também o momento em que me sinto muito mais confiante e produtivo.

Por fim, como já havia dito antes, eu e minha noiva somos protestantes. Não abandonei minha fé, apesar das dificuldades. Significa dizer que preciso rebootar no hard mode, como dizem. E estou satisfeito com isso. Minha noiva e eu aprendemos a nos controlar, o que era um problema antes. Isso é muito bom para a saúde de nosso futuro casamento. Quero torna-me saúdavel do outro lado, deixando PMO de lado, aprendendo a apreciar uma mulher de verdade, não essa coisa distorcida do mundo da P.

A P pouco a pouco tem sucumbido, preciso de forças para lutar contra a M e o O.

Que Deus me ajude!

É bom estar com vocês de novo. Vamos pra cima!
 

 Me fez chorar nessa poura kakakaka, sério.

Ué, como assim, irmão? Hahahaha

 Inspirador seu depoimento, ainda por cima parece a representação de algo que nunca vou ser.

Muito obrigado, meu amigo! E jamais diga isso. Tome como exemplo aquilo que admirou. É só assim que podemos acrescentar boas coisas ao nosso caráter.

_______________________________________
Quoth the Raven, 'Nevermore'
— Edgar Allan Poe.


Nevermore - Página 4 Tenor




Pequenos objetivos:
[  ] 7 dias
[  ] 14 dias
[  ] 30 dias
[  ] 45 dias
[  ] 60 dias
[  ] 75 dias
[  ] 90 dias

Último recorde: 103 dias.
Ir para o topo
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos